Onde ficar no Rio de Janeiro

Guia do Rio de Janeiro

Onde ficar no Rio de Janeiro

Graças à renovação da hotelaria para a Olimpíada, hoje você se hospeda no Rio com mais conforto e gastando muito menos do que gastava há 5 ou 10 anos.

Veja nesta página as diferenças entre os bairros onde ficar no Rio de Janeiro e uma seleção de hotéis para todos os bolsos. Saiba também onde encontrar hotéis em conta até na altíssima temporada como Réveillon e Carnaval.

Como escolher seu hotel no Rio de Janeiro

As diferenças entre os bairros

Rio de Janeiro praias: Copacabana

Clique no nome do bairro para ver a seleção de hotéis da região.

Hospedagem à beira-mar no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro Hotel Arpoador

Hospedar-se com vista para o mar torna a sua diária mais cara, em todas as categorias de conforto. Na nossa opinião, esses são os hotéis à beira-mar que valem a pena (clique no nome para ver a ficha completa):

As vantagens de se hospedar perto do metrô

Rio de Janeiro hotéis perto do metrô

Vai por mim: procure um hotel próximo a uma estação do metrô. Veja por quê.

  • Segurança: o metrô é o lugar mais seguro do Rio de Janeiro. O movimento do entorno das estações é sempre intenso, o que aumenta a segurança da área.
  • Praticidade: o metrô é o meio de transporte mais prático e rápido da cidade. Combinado com o VLT, o metrô leva à grande maioria das atrações do Rio.
  • Hotéis novos: muitos dos hotéis da leva da Olimpíada foram construídos próximos ao metrô.

Nossa seleção de hotéis próximos a uma estação de metrô. Clique no nome para ver a ficha completa.

Onde encontrar pechinchas na alta temporada

rio sightseeing onibus dois andares lapa

No Carnaval e no Réveillon, quando as diárias vão à estratosfera nos bairros praianos da Zona Sul, você ainda encontrará bons preços em bairros que não têm praia.

Para economizar na altíssima temporada, veja nossa seleção de hotéis nesses bairros:

Hotéis por bairro

Onde ficar em Ipanema e Arpoador

Ipanema é a nossa região favorita para ficar no Rio: o bairro mais charmoso da Zona Sul, com o equilíbrio ideal entre despojamento e sofisticação. A chegada do metrô ao miolo do bairro, em 2016, trouxe a vantagem que faltava.

O Arpoador é o canto esquerdo do bairro — uma peninsulazinha que separa Ipanema de Copacabana. Sua maior atração é a praia, a única da Zona Sul sem avenida em frente.

Clique no nome do hotel para ver a ficha completa.

Hotéis selecionados em Ipanema & Arpoador

Os hotéis estão listados em ordem alfabética.

Arena Ipanema

Rio de Janeiro Hotel Arena Ipanema

A meia quadra da praia do Arpoador, o Arena Ipanema dá a sensação de estar à beira-mar: como é mais alto que o prédio da frente, oferece vista desimpedida da praia desde o terraço da piscina.

Os apartamentos não são grandes, mas são bem divididos. A maioria tem vista para a vegetação do Parque Garota de Ipanema. É da leva de hotéis construídos para a Olimpíada.

Arpoador Fashion by Bossa Nova

Rio de Janeiro Best Western Arpoador

Decorado pela estilista Glória Coelho, o Arpoador Fashion by Bossa Nova (ex-Best Western Fashion Arpoador) tem ambientes modernos e arejados, com o branco dando o (único) tom. No entanto, a designer cometeu um equívoco na iluminação: acompanhando o tema do hotel, a luz é toda branca, de geladeira, algo imperdoável num hotel com pretensões de charme.

Dá para ir a três praias andando menos de 4 quadras: Ipanema, Arpoador e o Posto 6 de Copacabana. Não tem piscina. O metrô General Osório está a 3 quadras (saída “D” – Sá Ferreira).

Atlantis Copacabana

Rio de Janeiro Hotel Atlantis Copacabana

Em frente a uma pracinha no miolo do bairro, a 5 minutos a pé das praias do Arpoador, Ipanema e Copacabana (Posto 6), o Atlantis Copacabana costuma ter preços camaradas – na baixa temporada, você fica aqui por menos de R$ 300.

Renovados, os quartos agora são equipados com ar condicionado split. Há uma pequena piscina no terraço, com vista para o mar em três direções.

Che Lagarto Hostel Ipanema

O diferencial do Che Lagarto Ipanema para os outros hostels é um quiosque de praia próprio, que funciona como lounge ao entardecer. O hostel funciona num prédio da rua Paul Redfern, no finalzinho de Ipanema, já perto da divisa com o Leblon.

Há quartos privativos, bem basicões, e dormitórios com 6 ou 10 beliches. Não tem piscina.

El Misti Ipanema (hostel)

A localização do El Misti Ipanema Hostel é um luxo: a uma quadra da praia (e do metrô Nossa Senhora da Paz). Faz parte da safra de novas acomodações feitas para a Olimpíada, e ainda está novo. A decoração é ‘clean’. Há dormitórios e quartos privativos.

Os privativos têm diárias equivalentes às de um hotel básico — mas os quartos quádruplos são um bom negócio. No térreo há dois bares: o do próprio hostel e também o pizza bar Joana, que prepara pizzas (low-cost) ao estilo napolitano. Não tem piscina.

Fasano Rio (beira-mar)

Rio de Janeiro Hotel Fasano

Primeiro hotel do grupo Fasano fora de São Paulo, o Fasano Rio é o resultado do embate entre o estilo de Philippe Starck, o designer francês que projetou o hotel (originalmente para o grupo argentino Faena) e o hoteleiro ítalo-paulistano Rogerio Fasano, que assumiu o negócio e interpôs o arquiteto Isay Weinfeld para dar o acabamento.

A combinação entre a extravagância de Starck e a elegância de Isay acabou dando certo – e fez do Fasano o mais divertido entre os 5 estrelas do Rio (desempenhando um papel que, em São Paulo, cabe ao rival Unique).

Os quartos standard são tão compactos, que dá para dizer que têm o cm² mais caro do Brasil. Mas se você cacifa um de frente para o mar, expande sua varanda do Arpoador aos Dois Irmãos. (Os apartamentos de fundos, por sua vez, na minha opinião não valem o investimento.)

O terraço da piscina, privativo para hóspedes, é o rooftop mais exclusivo da cidade. O café da manhã, cobrado à parte na maioria das diárias, custa R$ 151 por pessoa.

Hotel Arpoador (beira-mar)

Rio de Janeiro Hotel Arpoador

Durante os 40 anos em que se chamou Arpoador Inn, este foi o hotel furreco mais bem-localizado do Rio. Plantado no calçadão do Arpoador, oferecia ao hóspede algo impossível para qualquer outro hotel da orla entre o Leme e o Leblon: acesso direto à praia, sem atravessar nenhuma avenida. Era uma unanimidade, só que negativa: “Que desperdício! Poderia ser o melhor hotel do Rio”.

O desafio foi encarado pela nova geração da família proprietária. Depois de quase dois anos em obras, o lugar reabriu em 2019 como Hotel Arpoador e, na minha opinião, é o melhor do Rio na sua (nova) categoria: hotel-boutique.

O projeto, assinado por Thiago Bernardes, recriou do zero os quartos da frente, que ganharam vidro do chão ao teto, amplificando a sensação de espaço e a proximidade do mar. (Levante a persianinha do box, e você vai avistar o mar até quando estiver no chuveiro.) O mobiliário é vagamente escandinavo, mas feito com materiais tropicais e coroado com uma rede armada rente à janela, postada para não deixar dúvidas: você está num hotel praiano.

O terraço tem uma piscinota, um bar (com drinks de Néli Pereira) e cadeiras de lona para assistir ao pôr do sol de camarote. No térreo, o restaurante Arp serve café da manhã (na mesa) até o meio-dia — pegue uma mesa na varanda junto ao calçadão.

O único problema do Hotel Arpoador é só ter 15 quartos de frente para a praia — são 3 por andar.

Os demais 20 quartos sem vista para o mar são compactos, mas não deixam de valer a pena: suas diárias são compatíveis com bons hotéis do miolo do bairro, e você vai poder curtir o ambiente supercool do hotel e a localização pé-no-calçadão.

Ipanema Inn

Rio de Janeiro Hotel Ipanema Inn

A meia quadra da praia e a uma quadra e meia da estação Nossa Senhora da Paz do metrô, o simpaticíssimo Ipanema Inn (do mesmo grupo do hotel Arpoador) sempre foi o preferido dos durangos bem-informados.

Depois de uma boa reforma para a Copa do Mundo, saída da prancheta de Bel Lobo, ficou mais confortável e charmoso – e menos barato.

Ainda que não seja mais uma pechincha, continua oferecendo uma boa relação custo x benefício. Não tem piscina.

Mar Ipanema

Rio de Janeiro hotel Mar Ipanema

No Mar Ipanema, o lobby é bem estiloso. Os apartamentos, porém, apesar de renovados para a Olimpíada, têm decoração convencional.

Está a duas quadras da praia, duas quadras do metrô Nossa Senhora da Paz e na boca das ruas mais badaladas do bairro – a Aníbal de Mendonça (comércio) e a Garcia d’Ávila (restaurantes).

Não tem piscina.

Own Ipanema Visconti

Rio de Janeiro hotel Own Ipanema Visconti

O Own Ipanema Visconti era um flat administrado pela rede Promenade que foi encampado pela rede argentina de hotéis-butique Own. Os apartamentos ainda não foram renovados.

A localização é ótima: a uma quadra e meia tanto da praia quanto do metrô Nossa Senhora da Paz.

Tem uma piscininha coberta.

Praia Ipanema (beira-mar)

Rio de Janeiro Hotel Praia Ipanema

No Praia Ipanema, os únicos apartamentos que não têm vista boa para a praia são os da categoria ‘standard’, localizados do 1º ao 4º andar, cuja visão é obstruída pelos prédios do outro lado da rua lateral.

Todos os outros têm no mínimo vista parcial do mar. O lounge na cobertura (onde também fica a piscina) é bem charmosinho.

Fica praticamente na divisa com o Leblon.

Sol Ipanema (beira-mar)

Rio de Janeiro Hotel Sol Ipanema

Num excelente ponto do Posto 9 (entre Joana Angélica e Vinícius de Moraes), o tradicional Sol Ipanema oferece as mesmas vistas do Fasano, por 40% do preço.

Mas veja: se for para pegar um apartamento de fundos, vale mais a pena reservar um dos hotéis do miolo do bairro.

Tem piscina no terraço.

Tulip Inn Ipanema

Construído originalmente como flat, o Tulip Inn Ipanema já se chamou Mercure Apartments, Mercure Ipanema e Adagio Ipanema. Se você procura um hotel novinho ou recém-renovado, passe batido. Mas se está buscando um quarto com sala e minicozinha (equipada com frigobar e microondas), por uma tarifa mais em conta que Airbnb, vale a pena considerar.

Apetrechos de cozinha e alguns itens da roupa de cama precisam ser pedidos na recepção.

A praia de Ipanema (já na divisa com o Arpoador) está a 3 quadras. O metrô (General Osório) também.

Vermont

Rio de Janeiro Hotel Vermont

O Vermont seria um hotel típico de Copacabana – mas está localizado no coração de Ipanema.

Se você busca boa localização e preço pagável, sem exigir que o hotel seja ‘cool’, vai gostar daqui. Fica na Visconde de Pirajá entre Farme de Amoedo e Vinicius de Moraes, a uma quadra e meia do metrô Nossa Senhora da Paz e a duas praias e meia da Praia da Farme (o trecho LGBT das areias de Ipanema).

O Vermont tem dois blocos: o dos fundos, além de naturalmente mais silencioso, oferece ar-condicionado split nos quartos (no bloco da frente ainda há quartos com aparelhos antigos). O café da manhã é excelente. Não tem piscina.

Onde ficar no Leblon

O Leblon é mais cobiçado dos bairros praianos para morar. Tem poucos hotéis, e por isso, bem menos turistas. Fora do corredor de restaurantes da rua Dias Ferreira, leva-se uma vidinha de bairro (quer dizer: de bairro de novela do Manoel Carlos).

Clique no nome do hotel para ver a ficha completa.

Hotéis selecionados no Leblon

Os hotéis estão listados em ordem alfabética.

Janeiro (beira-mar)

Rio de Janeiro - Hotel Janeiro Leblon

Aberto no verão 2018/2019 no prédio onde funcionou, até 2017, o Marina All-Suites, o Janeiro é a primeiro hotel conceituado por Oskar Metsavaht (o artista-empresário-estilista por trás da Osklen). Para tornar o Janeiro uma grife hoteleira, Metsavaht optou pela discrição.

A elegância do Janeiro é despojada — o hotel tem estilo, mas não é estiloso. Em nenhum momento alguma coisa vai pular na sua frente para gritar “design!”. Não. Você não verá sombra das extravagâncias philippe-starkeanas do Fasano, nem nada que queira responder à bossa do cobogó do Emiliano.

Essa opção pela sutileza acaba deixando os quartos um tanto anódinos, como uma vitrine em que nada chama muito a sua atenção (a não ser o balanço de palha presente nas suítes frente mar). Os ambientes que mais enchem os olhos são o restaurante, na sobreloja, e o penúltimo andar, onde há um lounge com muito borogodó e uma pequena piscina envidraçada que funciona como um aquário debruçado no Leblon.

No andar acima da piscina, o terraço tem um solário acanhado. Nada grave, já que seria um pecado não descer para aproveitar a praia do Leblon. O metrô (Antero de Quental) está a duas quadras.

Promenade Palladium

Rio de Janeiro Promenade Palladium

Aberto no início dos anos 2000, num momento em que a hotelaria carioca estava estagnada, o apart-hotel Promenade Palladium já não parece tão moderno em 2021. De todo modo, mantém suas qualidades originais: conforto, ótimo serviço, e um excelente café da manhã, daqueles que vale a pena se demorar.

Está a uma quadra e meia da praia, uma quadra e meia do corredor de restaurantes da Dias Ferreira e três quadras do metrô (Antero de Quental). Tem uma piscina de raia num vão entre os prédios.

Ritz Leblon

O Ritz Leblon fica na movimentada Ataulfo de Paiva, a uma quadra do finzinho da Dias Ferreira.

Totalmente repaginado há poucos anos, o hotel tem ares contemporâneos e quartos confortáveis. Há uma pequena piscina no terraço.

Onde ficar em Copacabana & Leme

Copacabana é o bairro-síntese da cidade – sinônimo de ‘Rio de Janeiro’ no mundo inteiro. Seus 160.000 moradores compartilham área de 8 km² (uma densidade demográfica semelhante à do principado de Mônaco, que tem 38.000 habitantes em 2 km²). Boa parte da estrutura turística do Rio está concentrada aqui: hotéis, agências de turismo receptivo, casas de câmbio.

Em termos logísticos, o melhor trecho do bairro é o Posto 2, servido pelo metrô Cardeal Arcoverde e com vans oficiais para o Cristo Redentor saido da praça do Lido.

Nosso trecho preferido é o canto direito da praia, entre o Posto 5 e o Posto 6, onde a praia é mais estreita e um jantar em Ipanema está a um Uber de R$ 12 de distância.

Já o canto esquerdo, o Leme, tem uma dinâmica própria: imprensado contra os morros e sem tráfego de passagem, é o ponto mais bucólico de Copacabana.

Clique no nome do hotel para ver a ficha completa.

Hotéis selecionados em Copacabana

Os hotéis estão listados em ordem alfabética.

Arena Copacabacana (beira-mar)

O retrofit mais vistoso da orla de Copacabana é o do Arena Copacabana (antigo Trocadero Othon), no Posto 3. Seu vidro espelhado fez tanto sucesso a ponto de se tornar a marca registrada da rede, aparecendo nos novos hotéis (construídos do zero) no Leme e no Arpoador.

Os quartos têm mobiliário de madeira clara. Há uma academia de ginástica bem equipada. O terraço tem uma pequena piscina e oferece uma vista central da praia de Copacabana.

Arena Leme (beria-mar)

No canto esquerdo da praia – o mais fotogênico da praia, junto à Pedra do Leme – o Arena Leme foi inaugurado em 2015, e ainda está com cara de novo.

Os quartos são compactos, mas têm o espaço visual aumentado pelo vidro do chão ao teto. A piscina é pequerrucha.

B&B Copacabana Forte

Ex-Copacabana Praia, o B&B Copacabana Forte agora faz parte de uma rede francesa de hotéis básicos/econômicos. Os quartos não têm firulas, mas são bem-apessoados (pena que a luz seja branca, o que faz você se sentir numa geladeira).

O lobby tem alguma bossa, e o café da manhã é bom.

Você pode escolher entre três praias: o Posto 6 de Copacabana (a uma quadra), o Arpoador (a duas quadras) e Ipanema (a três quadras).

Belmond Copacabana Palace (beira-mar)

Rio de Janeiro Belmond Copacabana Palace

O Belmond Copacabana Palace é o único cartão-postal do Rio que aceita hóspedes. Em 2018, realizou um bem-sucedido lifting em sua mitológica piscina, que foi modernizada sem perder o charme clássico.

A piscina do Copa é tão importante quanto sua fachada: eu diria que é mais importante até que a vista para a praia. Por isso recomendo demais as ‘suítes com vista para a piscina’, que se localizam no prédio Anexo (construído nos anos 50) e têm vista para a piscina, o prédio principal e o mar (e custam o mesmo que os quartos frente mar do prédio principal).

Por dentro, porém, o Copa não faz jus à beleza exterior. A decoração dos quartos é extremamente sem-graça -=- os móveis não remetem a nenhuma época em particular, e sequer chegam a ser bonitos. As estampas tropicais, que funcionam tão bem no Belmont Hotel das Cataratas em Foz do Iguaçu, no Copacabana Palace ficam simplórias.

Na minha opinião, o hotel sofre de um imperdoável déficit de carioquice: você está o tempo todo em território estrangeiro (o que é perdoável no Fasano ou no Emiliano, mas não no Copa).

O Rio dos anos dourados, que poderia ser celebrado em música, gastronomia e atividades culturais, serve apenas de cenário, um tanto desalmado, para um Grande Hotel como qualquer outro. Mas, vá lá, pode ser apenas implicância minha.

De todo modo, o serviço é excepcional – e, coisa rara nos 5 estrelas do Rio, o café da manhã está incluído nas diárias.

Emiliano Rio (beira-mar)

Rio de Janeiro Hotel Emiliano

O cobogó — cerâmica vazada, muito usada na arquitetura brasileira até os anos 60 para criar ambientes ventilados — foi a inspiração para o arquiteto paulistano Arthur de Mattos Casas desenhar a fachada mais original da avenida Atlântica. No Emiliano Rio, as varandas são sombreadas por uma persiana-cobogó retrátil que cria lindos mosaicos de acordo com o uso de cada hóspede.

Aberto no fim de 2017, o Emiliano veio reeditar no Rio a rivalidade paulistana com o Fasano.

No tira-teima em areias cariocas, o Emiliano empata no quesito vista (o arco da orla de Copacabana é tão bonito quanto o de Ipanema), ganha no tamanho dos quartos (bem maiores, na média, que os do Fasano) mas perde na piscina (que é linda, de raia e borda infinita, mas bastante pequena).

O café da manhã custa R$ 135 por pessoa.

Fairmont (beira-mar)

Rio de Janeiro Hotel Fairmont

Primeiro hotel desta rede no Brasil, o Fairmont Rio Copacabana chegou para chacoalhar o nicho dos hotéis 5 estrelas. Aberto em agosto de 2019, é resultado de uma reforma radical do antigo Sofitel (ex-Rio Palace). A fachada, muito sem-graça, não pôde ser salva, mas em todos os outros quesitos o hotel está inteiramente novo — e muito mais charmoso do que antes.

É o primeiro hotel do Rio que não tem recepção no térreo: o check-in é no 6º andar, onde estão as piscinas, o bar, o restaurante e a vista incomparável para toda a curva de Copacabana, do Pão de Açúcar ao Forte. A piscina da frente, que recebe o sol da manhã, agora tem borda infinita — e concorre com a do Fasano como a mais bonita da cidade (a do Copacabana Palace é hors-concours). Há também uma piscina nos fundos, para quem quer pegar sol à tarde. (A propósito: num dia sem nuvens, vale a pena estar de pé às 5h para ver o nascer do sol.)

Os apartamentos, repaginados por Patricia Anastassiadis, têm ares clássicos, mas sem caretice. (A propósito, o piso de taco confere uma elegância que este hotel nunca teve). Com diárias a partir de R$ 1.500, os apartamentos com vista para o mar custam o que outros 5 estrelas cobram por apartamentos de fundos. (Os apartamentos dos fundos no Fairmont começam em R$ 1.100).

Hilton Rio Copacabana (beira-mar)

Com 39 andares, o Hilton Rio Copacabana é o hotel mais alto à beira-mar no Rio de Janeiro. (Em número de quartos, perde para o Othon – 578 x 545).

Ex-Méridien, ex-Windsor Copacabana, ganhou a bandeira Hilton em 2017. Como não houve nenhuma reforma relevante, as instalações estão datadas.

Em compensação, tem diárias relativamente em conta para um 5 estrelas. A vista do rooftop, onde está a piscina, é excepcional.

Ibis Budget Copacabana

O Ibis Budget Copacabana veio na leva de novos hotéis da Olimpíada.

À diferença dos Ibis convencionais, o Ibis Budget oferece quartos triplos (a terceira cama é um beliche). A pia fica fora do banheiro, integrada ao quarto.

O café da manhã é servido num refeitório moderninho.

A estação mais próxima do metrô (Cantagalo) está a 4 quadras. A praia, a 3 quadras.

Ibis Copacabana Posto 2

O Rio de Janeiro foi uma das últimas capitais do Brasil a receber um Ibis. O primeiro da cidade foi este Ibis Copacabana Posto 2.

Fica numa rua tranquila (a Ministro Viveiros de Castro), a uma quadra e meia tanto do metrô quanto da praia. Já foi renovado no novo padrão mundial da rede. Não tem piscina.

Ibis Copacabana Posto 5

Construído para a Olimpíada, o Ibis Copacabana Posto 5 já foi inaugurado no novo padrão mundial da rede, sem necessidade de adaptações.

Está a meia quadra da estação Cantagalo (acesso B – Xavier da Silveira), e a 3 quadras da praia. Não tem piscina.

Mercure Boutique Copacabana (beira-mar)

À beira-mar no Posto 4, entre as ruas Santa Clara e Figueiredo de Magalhães, o Mercure Rio Boutique Copacabana é o hotel de renovação mais recente da orla – foi reaberto em julho de 2021.

Extensamente cenografados, quartos e áreas sociais devem funcionar bem no Instagram. O bar capricha no cardápio de drinks.

O hotel tem um acordo com duas barracas de praia – os hóspedes ganham vouchers de cadeira e guarda-sol para pegar praia em frente.

Mirasol Copacabana

A duas quadras da estação Cardeal Arcoverde, o Mirasol Copacabana tem quartos corretos e áreas sociais simpáticas.

O lobby é moderninho, e a área da piscina, no terraço, tem vista para a montanha e, ao longe, para o mar.

Nobile Design Copacabana

Rio de Janeiro Best Western Plus Copacabana

Exatamente em frente à estação Cardeal Arcoverde do metrô, o Nobile Design Copacabana (aberto como Best Western Design Copacabana) é da safra olímpica.

Os quartos são compactos, mas com um decoração mais interessante do que hotéis da mesma faixa de preço. Não tem piscina.

Novotel Leme

O Novotel Leme passou por um extreme makeover. Reabriu no fim de 2020 com uma decoração retrô-futurista.

Tanto o lobby quanto o rooftop, muito bem resolvidos, funcionam como áreas de convivência social. Tem piscina (no rooftop).

O Novotel Leme fica na quadra de trás da praia. Está perto das barracas descoladas da praia do Leme.

Olinda Rio Hotel (beira-mar)

Rio de Janeiro Hotel Olinda

Numa orla em que muitos hotéis clássicos passaram por retrofits feiosos, o Olinda Rio é um colírio: preserva a fachada vagamente déco que era moda nos anos 40.

As áreas sociais do térreo, porém, remetem ao Rio belle-époque. Os apartamentos por sua vez, são amplos e confortáveis, porém sem-graça. Não tem piscina.

Fica no Posto 3, entre Siqueira Campos e Hilário de Gouveia.

Orla Copacabana (beira-mar)

Onde ficar no Rio de Janeiro 1

Localizado entre os chiquérrimos Fairmont e Emiliano, o Orla Copacabana oferece, nos quartos de frente e no terraço, a mesma vista dos vizinhos – por um terço do preço.

Tem uma pequena piscina no terraço.

Othon Palace (beira-mar)

O grandalhão Othon Palace não esconde a idade. No entanto, oferece lindas vistas da maioria dos quartos, sobretudo nos andares mais altos.

Tem um dos mais bonitos terraços com piscina da orla de Copacabana.

Está a 4 quadras do metrô (Cantagalo). Fica pertinho da zona boêmia do Baixo Copa.

Rio Design Hotel

Rio Design Hotel Copacabana

Na rua Francisco Sá, a uma quadra da praia, o Rio Design tem decoração diferente a cada andar.

Apenas dois ou três desses andares, porém, entregam o ‘design’ prometido pelo nome.

Por outro lado, os preços costumam estar entre os mais simpáticos da região. Tem piscininha no terraço.

Ritz Copacabana Boutique

Construído para a Olimpíada, o Ritz Copacabana tem ambientes sociais contemporâneos e quartos bastante aconchegantes.

Fica a uma quadra da praia – do terraço da piscina é possível ver o mar.

O corredor de bares do Baixo Copa começa na quadra ao lado da Aires de Saldanha. O metrô (Cantagalo) está a 3 quadras.

Royal Rio

O retrofitado Royal Rio é um hotel muito bem equipado.

Tem uma super academia envidraçada no último andar, com vista panorâmica. A piscina, também no terraço, tem bom tamanho. Crianças podem usar a brinquedoteca.

Fica a uma quadra e meia do metrô Cardeal Arcoverde.

Selina Copacabana (beira-mar)

Combinando hotel, hostel e co-work, o Selina Copacabana oferece o melhor custo x benefício para se hospedar à beira-mar no Rio de Janeiro.

Especialista em dar um banho de charme em hotéis antigos, a rede Selina fez mais um belo trabalho aqui. Ninguém reconhecerá o hotel Debret que existiu em encarnações passadas.

Os banheiros dos quartos foram reformados e estão um brinco. Os quartos ganharam pintura e móveis joviais. O salão do café da manhã, no rooftop, vira um bar animado ao pôr do sol (e vai até a meia-noite).

Os aparelhos de ar condicionado, porém, ainda são de tambor. Não tem piscina.

Windsor Leme (beira-mar)

Antigo Othon Leme Palace, o Windsor Leme perdeu os ares de anos 60 ao ser extensivamente reformado pelos novo dono.

Os quartos são confortáveis e o serviço tem o ótimo padrão da rede. Tem uma pequena piscina no terraço.

Windsor Martinique

Rio de Janeiro Hotel Windsor Martinique

Discretinho, na quadra da praia da Sá Ferreira, o Windsor Martinique é o melhor hotel econômico de Copacabana.

Tem quartos corretos e boa localização (a duas quadras da estação General Osório do metrô.

Seu maior trunfo é a equipe de funcionários, veterana e eficientíssima, que oferece serviço 5 estrelas num hotel 3 estrelas.

Tem uma pequena piscina no terraço.

Onde ficar em Botafogo

Botafogo é um bairro de passagem. Hospedando-se perto da estação do metrô, você chega rapidíssimo tanto ao Centro quanto aos demais bairros litorâneos da Zona Sul. Também é fácil ir de ônibus ao Jardim Botânico e à Gávea. E escolhendo um dos hotéis de frente para a baía, você pode ter o Pão de Açúcar na sua janela.

O bairro tem vários pólos de animação noturna: cinemas e barzinhos no entorno do metrô (o Baixo Botafogo), bares descolados nos arredores da rua Arnaldo Quintela (BotaSoho) e uma rua só de restaurantes bacanas, a Conde de Irajá (a ‘Dias Ferreira’ de Botafogo).

Clique no nome do hotel para ver a ficha completa.

Hotéis selecionados em Botafogo

Os hotéis estão listados em ordem alfabética.

Ibis Botafogo

Primeiro dos três Ibis do bairro, inaugurado em 2013 na leva da Copa do Mundo, o Ibis Rio de Janeiro Botafogo está a uma quadra e meia da estação Botafogo (acesso E – Mena Barreto).

Fica também pertinho do núcleo de barzinhos e restaurantes do BotaSoho.

Alguns quartos nos andares mais altos têm vista para o Cristo (mas não dá para escolher na hora da reserva). Não tem piscina.

Ibis Budget Botafogo

Como outros hotéis da sua bandeira, o Ibis Budget Botafogo tem alguns quartos triplos – a terceira cama é um beliche colocado acima da cabeceira da cama de casal.

A pia fica fora do banheiro, integrada ao quarto.

As áreas sociais têm decoração jovial, com móveis coloridos.

Está a 3 quadras do metrô Botafogo (acesso C – São Clemente Praia).

Ibis Styles Botafogo

Rio de Janeiro Ibis Styles Botafogo

Inaugurado para a Olimpíada, o hotel básico-moderninho Zii não precisou mudar praticamente nada para se tornar, em março de 2018, o Ibis Styles Botafogo, o primeiro Ibis da categoria Styles no Rio.

A localização é mais prática, impossível: basta atravessar a rua para entrar pelo acesso C (São Clemente Praia) da estação Botafogo do metrô.

Os apartamentos são decorados com cartoons, enquanto os ambientes sociais têm uma vibe meio hostel. Os bares do Baixo Botafogo estão a uma praça de distância. Não tem piscina. .

Mercure Botafogo Mourisco

Quartos amplos, com boas mesas de trabalho (alguns, também com saleta) são o diferencial do Mercure Botafogo Mourisco. Alguns quartos têm vista para o Pão de Açúcar.

Fica a duas quadras da estação Botafogo do metrô (acesso E Mena Barreto).

Novotel Botafogo

Com ambientes modernos, com predominância de tons escuros, o Novotel Botafogo oferece 20 apartamentos com vista para o Pão de Açúcar.

De maneira confusa, porém, esses quartos são oferecidos como “vista cidade” (que normalmente é o jargão hoteleiro para denominar quartos de fundos — mas não aqui). Não tem piscina.

Fica a 4 quadras da estação Botafogo do metrô (à noite, use Uber).

Yoo2

Rio de Janeiro hotel Yoo2

De todos os hotéis da safra olímpica, o Yoo2 é o mais original: a decoração é excêntrica (by escritório do Philippe Starck) e a energia, jovem.

Mas não há ambiente que supere a vista quase frontal do Pão de Açúcar que pode ser desfrutada dos apartamentos de frente, assim como do bar do terraço (que na vida real é bem menor do que parece nas fotos do site oficial). A piscina fica nos fundos do terraço, com vista para o Cristo.

Prefira chegar e sair de Uber — a estação mais próxima, Flamengo, fica a 4 quadras, e à noite o caminho é ermo. Os quartos de frente são chamados de “quarto com vista para o Pão de Açúcar”.

Onde ficar no Largo do Machado e no Catete

Procurando um hotel confortável, barato e bem-localizado no Rio? Dê uma olhada aqui.

A safra olímpica de 2016 deu às redondezas da estação Largo do Machado vários hotéis novinhos e econômicos, perfeitos para quem quer economizar na hospedagem e no transporte. (O Catete já era um pólo de hospedagem barata, mas a maioria dos hotéis era do padrão semi-espelunca.)

Para fazer turismo é excelente: o Centro está a 5 minutos de metrô (e a Zona Sul, a 15 minutos). Do Largo do Machado saem vans oficiais para o Cristo Redentor. No quesito noite, o Catete vem ganhando bares descolados – e a vizinha Praça São Salvador, em Laranjeiras, é pontilhada de bares de alma alternativa.

Clique no nome do hotel para ver a ficha completa.

Hotéis selecionados no Largo do Machado e no Catete

Os hotéis estão listados em ordem alfabética.

Petit Rio

Rio de Janeiro Hotel Petit

O Petit Rio não parece um hotel econômico: bem-construído e bem-decorado, oferece quartos (compactos, mas agradávei) que custariam o dobro perto da praia.

Fica na rua Artur Bernardes, a duas quadras do largo (e 3 quadras do metrô — Largo do Machado ou Catete). Não tem piscina.

Royal Regency

Muito bem-apessoado, o Royal Regency ainda está novinho. É um achado para quem procura um hotel convencional e confortável com diárias mais em conta que hotéis basicões.

Tem terraço com piscina. O metrô (tanto Largo do Machado quanto Catete) está a três quadras.

Villa 25

Rio de Janeiro Hotel Villa 25

A opção mais charmosa do Largo do Machado é um misto de hotel com hostel: o Villa 25, instalado numa rua arborizada atrás da praça.

Combinando dois prédios – um casarão antigo restaurado e um anexo moderno -, o Villa 25 tem quartos privativos e coletivos, um bar muito gostoso e uma pequena piscina (mais para relaxar do que para pegar sol).

O metrô está a duas quadras.

Windsor Florida

Um retrofit radical, realizado antes da Copa de 2014, fez desaparecer o charme retrô do Windsor Flórida. A nova fachada espelhada, porém, permitiu ao Flórida atrair um público (sobretudo de viajantes a negócio) que de outro modo talvez não se hospedasse no Catete.

Os quartos são supercorretos, o serviço tem o padrão da rede Windsor e a localização é perfeita para usar o metrô: o acesso à estação Catete está a passos da porta de entrada.

Tem piscina no terraço.

Onde ficar na Lapa, Centro e Porto

Quem se dispõe a ficar na região central do Rio encontra tarifas simpáticas (sobretudo no Carnaval e no Réveillon) e algumas vantagens específicas.

Na Lapa, você vai ter vida noturna à porta.

No Centro e na Zona Portuária, as atrações históricas, o Boulevard Olímpico e a proximidade do aeroporto Santos Dumont e da Rodoviária.

Clique no nome do hotel para ver a ficha completa.

Hotéis selecionados na Lapa

Os hotéis estão listados em ordem alfabética.

Days Inn by Wyndham

Com tarifas de baixa temporda a partir de R$ 140, incluindo café da manhã, não há hotel que supere o Days Inn Lapa na categoria bom-bonito-barato.

Aberto em 2016, fica na rua do Rezende, transversal da Mem de Sá (a rua do agito noturno). Não tem piscina.

Go Inn Lapa

Longe do fervo noturno do bairro, o Go Inn Lapa (ex-Bristol Easy Lapa) tem quartos compactos, porém sempre equipados com uma mesa de trabalho.

As diárias, incluindo café da mahã, costumam estar abaixo de R$ 200.

Não tem piscina.

Selina Lapa Rio

Rio de Janeiro hotel Selina Lapa

Hostel + hotel + co-work: esta é a proposta da rede Selina. Em 2018, o grupo arrematou o bem-montadíssimo hotel 55/Rio, da leva de hotéis olímpicos, que precisou de pouquíssimas alterações para se tornar o Selina Lapa Rio.

São dois prédios: na frente, um hotel clássico que foi lindamente restaurado, onde funcionam o animado bar do térreo, os charmosos apartamentos “superiores” e “deluxe” e o espaço de co-work.

Nos fundos, atrás do pátio de convivência, encontra-se a ala moderna, onde estão os quartos “standard” (incluindo triplos e quádruplos) e os dormitórios compartilhados de 6 e 8 camas. Na cobertura funciona um rooftop, com vista para os Arcos da Lapa – o único bar da Lapa com vista panorâmica.

O metrô Cinelândia (saída D Passeio) está a duas (longuíssimas) quadras. Depois do horário comercial, quando a rua do Passeio fica erma, será melhor usar o Uber.

A noite da Lapa está a uma curta caminhada – sem problemas de segurança: o caminho é supermovimentado. Não tem piscina.

Vila Galé Rio

Rio de Janeiro Hotel Vila Galé

O hotel mais confortável da Lapa é o Vila Galé Rio de Janeiro, que funciona desde a Copa de 2014 num palacete tombado na rua do Riachuelo.

É o único hotel da Lapa preparado para quem quer descansar durante o dia: o pátio interno tem uma deliciosa piscina.

Os apartamentos de luxo estão no palacete da frente. Há um anexo moderno ao fundo com os apartamentos standard (mais silenciosos).

Hotéis selecionados no Centro

Os hotéis estão listados em ordem alfabética.

Belga Hotel

Rio de Janeiro Belga Hotel

Único hotel relativamente próximo ao Boulevard Olímpico, o Belga Hotel preencheu com quartos modernos um edifício de ares art-déco. Os quartos standard são extremamente compactos; para ter espaço, cacife a ‘suíte executiva’. O restaurante serve comida… belga, com cervejas conterrâneas.

No café da manhã não há buffet: você preenche uma ficha com o que quer consumir e isso vem à mesa.

O Boulevard Olímpico está a 4 quadras. A nova linha 3 do VLT passa em frente – a estação Santa Rita/Pretos Novos está a uma quadra, e leva ao metrô (para ir à Zona Sul, salte na estação Cinelândia) e ao Aeroporto Santos Dumont.

Fora do horário de funcionamento do VLT, chegue e saia de Uber.

Ibis Santos Dumont

A curtíssima distância do aeroporto faz o Ibis Santos Dumont parecer que pode ser acessado a pé.

A área, porém, tem pouco movimento de pedestres, e você pode ter sensação de insegurança. Use Uber em todos os seus deslocamentos.

Não tem piscina.

Novotel Santos Dumont

Se o Prodigy estiver cheio ou muito caro, e você quiser conforto equivalente próximo ao aeroporto central do Rio, considere o Novotel Santos Dumont.

Os quartos são agradáveis e as áreas sociais têm aspecto contemporâneo. Tem academia e sauna, mas não oferece piscina.

Use Uber nos seus deslocamentos – inclusive de/para o aeroporto.

Prodigy Santos Dumont (aeroporto)

Rio de Janeiro hotel Prodigy Santos Dumont

Dividindo o prédio com o Bossa Nova Mall, colado ao aeroporto Santos Dumont, o Prodigy Santos Dumont nãoé um hotel de aeroporto como outro qualquer.

Que hotel de aeroporto no mundo tem uma vista como essa, para a Marina da Glória, o Pão de Açúcar e o Aterro do Flamengo? Para apreciar, basta subir ao terraço – onde estão o restaurante e a piscina.

O VLT, que sai da porta do aeroporto, leva às atrações do Centro, do Boulevard Olímpico – e também ao metrô Cinelândia. Se você vai priorizar a exploração dessas bandas do Rio, é uma excelente localização.

Hotéis selecionados na Zona Portuária

Ibis + Novotel Porto Atlântico

Construído pensando na transformação da zona portuária em bairro empresarial (coisa que ainda não aconteceu, o complexo Ibis Porto Atlântico + Novotel Porto Atlântico tem estado com tarifas camaradas — dá para descolar diárias com café da manhã abaixo de R$ 200 no Ibis e abaixo de R$ 300 no Novotel.

O Ibis já está no padrão mais recente da rede mundial.

No Novotel, os quartos têm box de chuveiro envidraçado integrado ao ambiente. Há uma piscina de raia no terraço e uma academia.

É possível ir de VLT à Rodoviária, ao Boulevard Olímpico e ao aeroporto Santos Dumont.

Onde ficar em Santa Teresa

Santa Teresa é reduto de visitantes que prezam o charme e viajam em modo slow, sem necessidade de estar do lado da praia.

Os hotéis aqui são autorais: dos mais básicos aos mais sofisticados, têm espírito de bed & breakfast. Gringos, notadamente europeus, fazem a maioria dos hóspedes. Chegue e saia de Uber.

Clique no nome do hotel para ver a ficha completa.

Hotéis selecionados em Santa Teresa

Os hotéis estão listados em ordem alfabética.

Casa Gerânio

Localizada no acesso da Lapa a Santa Teresa, a Casa Gerânio conserva o aspecto de uma casa tradicional de Santa Teresa. Seus diferenciais são a decoração apurada e um café da manhã gourmet, preparado pelos proprietários, com itens diferentes a cada dia.

A piscina oferece uma vista bastante original para o Centro da cidade.

Discovery Suites

Em plena Almirante Alexandrino – a rua principal que serpenteia pelo bairro – o Discovery Suites tem quartos amplos e decorados um a um, com antiguidades escolhidas e combinadas com bom-gosto.

O Explorer Bar, na propriedade, serve ótimos drinks e é bem frequentado.

Mama Ruisa

Precursor dos hotéis-boutique de Santa, o elegante Mama Ruisa fica escondidinho a uma quadra da Almirante Alexandrino, a rua de passagem do bairro.

A sensação é de estar na casa de parentes muito chiques. Da varanda se vê a Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar. Tem piscina no jardim.

Mama Shelter

Rio de Janeiro Mama Shelter

O Mama Shelter é a primeira unidade na América Latina desta que é a primeira rede de hotéis hipster.

Tudo começou num hotel do 20ème arrondissement de Paris. Seu sucesso atraiu o interesse da gigante gigante francesa da hotelaria, a Accor, que resolveu fazer dos Mama Shelter seu laboratório de inovação.

O Mama Shelter carioca mantém a pegada urbana da rede, mas com um colorido extra, made in Rio. Os quartos são divididos nas categorias “pequeno” (15 m²), “médio” (18 m²) e “grande” (24 m²), todos decorados com vivacidade e irreverência.

Não tem piscina.

Rio Panoramic

O maior luxo do bed & breakfast Rio Panoramic é a vista para o Pão de Açúcar desde a piscina.

Mas quem é fã de art-déco vai curtir também os móveis anos 40 dos quartos e ambientes sociais. .

Santa Teresa Hotel MGallery

Rio de Janeiro Hotel Santa Teresa MGallery

Primeiro 5 estrelas do bairro, o Santa Teresa Hotel foi incorporado à MGallery, bandeira de alto luxo-boutique da Accor. É um lugar cheio de história: muitos intelectuais cariocas já moraram ali depois de uma separação — o que lhe rendeu o apelido ‘Hotel dos Descasados’. Depois de anos fechado, foi reaberto como hotel de charme, decorado com móveis de design brasileiro e peças únicas de artesanato. Tem spa, um exuberante jardim tropical e uma piscina superfotogênica, com vista para a zona portuária.

Onde ficar em São Conrado e Vidigal

A avenida Niemeyer, dependurada no costão – uma pequena ‘costeira amalfitana’ carioca – liga o Leblon ao bairro de São Conrado. Acima da paisagem (e dos prédios de alto padrão) pairam duas favelas: Vidigal e Rocinha.

Clique no nome do hotel para ver a ficha completa.

Hotéis selecionados no Vidigal e em São Conrado

Os hotéis estão listados em ordem alfabética.

Hotel Nacional

Rio de Janeiro Hotel Nacional

Você já dormiu num edifício desenhado por Oscar Niemeyer? Pois o prédio cilíndrico do Hotel Nacional saiu da prancheta do mais aclamado arquiteto brasileiro– com direito a jardins e esculturas de Burle Marx. Depois de muitos anos fechado, foi restaurado de maneira impecável pelo grupo Meliá para a Olimpíada.

Em 2019, o Nacional acabou arrematado por um grupo brasileiro, com planos de gerir o hotel como um resort para famílias. As tarifas são boas para um hotel 5 estrelas: aproveite para cacifar um apartamento com vista para o mar.

Se não estiver interessado em adquirir um time-sharing, recuse o convite para fazer um tour ou assistir a uma palestra no hotel, não importa o que ofereçam.

Chegue e saia de Uber.

Sheraton Grand Rio

A 1 km do final do Leblon, no início da avenida Niemeyer (em frente ao acesso ao morro do Vidigal), o Sheraton Grand Rio tem porte de resort e a piscina mais confortável da orla da Zona Sul.

O hotel tem acesso privativo à praia do Vidigal — antes de cair n’água, porém, informe-se se o trecho se encontra próprio para banho.

Chegue e saia sempre de Uber.

Onde ficar na Barra da Tijuca e Recreio

A expansão do metrô e a consolidação do Uber aproximaram a Barra da Zona Sul e do Centro.

Com praias excelentes, hotéis novos com tarifas promocionais e uma cena gastronômica cada vez mais diversa, a Barra se impõe como uma nova zona hoteleira da cidade – ou até mesmo um destino auto-suficiente para fins de semana ou feriadões.

A região do Jardim Oceânico & Pepê tem lounges de praia e restaurantes fora de shopping. A orla da Barra e do Recreio deixa você em frente a uma praia de bairro. Fora da praia a relação custo x benefício melhora muito.

Em Jacarepaguá, nas imediações do Parque Olímpico (e a 10 minutos de Uber da orla da Barra), os hotéis só ficam caros na época de grandes eventos.

Clique no nome do hotel para ver a ficha completa.

Hotéis selecionados na Barra e no Recreio

Os hotéis estão listados em ordem alfabética.

CDesign (Recreio)

Rio de Janeiro CDesign Hotel Recreio

Ex-Blue Tree Premium Design, o CDesign Hotel é dono de uma das fachadas mais interessantes da orla carioca, com sacadas onduladas.

Por dentro, tudo é tão branco quanto do lado de fora: lobby, restaurante, quartos. O terraço é gostosíssimo: a piscina de borda infinita com vista para a Pedra do Pontal é das mais bonitas da cidade.

Está a cinco minutos de caminhada da praia do Pontal, e a dez minutos a pé da praia da Macumba.

Grand Hyatt (beira-mar, Praia da Reserva)

Rio de Janeiro Grand Hyatt

Na divisa com a praia da Reserva, o Grand Hyatt Rio de Janeiro pode ser curtido como um resort do Nordeste (ou do Caribe): você só precisa sair se quiser passear. Todos os apartamentos têm banheira e varanda; as tarifas costumam ser tentadoras, sobretudo no fim de semana.

Os apartamentos são charmosos e aconchegantes: a decoração encontrou um ponto de equilíbrio entre conforto e despojamento.

A melhor vista é a dos apartamentos de lado e de fundos, que dão para a Lagoa Marapendi e revelam uma paisagem diferente daquele Rio que temos na cabeça. Entre os restaurantes, destaque para o excelente japonês Shiso e o brasileiro moderno Cantô.

A praia da Reserva está a cinco minutos de caminhada para a direita — você pode pegar praia no ótimo quiosque Pesqueiro, sem precisar disputar uma das escassas vagas de estacionamento.

Ibis Barra da Tijuca (Quebra-Mar)

Na extremidade esquerda da praia, junto ao Quebra-Mar (um trecho freqüentemente impróprio para banho), o Ibis Barra da Tijuca é o Ibis mais perto do mar em todo o Rio.

Está a 10 minutos de caminhada dos lounges do Pepê. (O Mercure Barra da Tijuca, que dividia o mesmo complexo, está temporariamente desativado.)

Não tem piscina. Algumas diárias não incluem o café da manhã.

Laghetto Stilo Barra (beira-mar, Posto 7)

Rio de Janeiro Laghetto Barra

Originalmente parte da rede portuguesa Pestana, o Laghetto Stilo Barra foi encampado pela pelo maior grupo hoteleiro da Serra Gaúcha quando os portugueses andaram mal das pernas.

Sob nova direção, afloraram as qualidades do hotel – a começar pelo aconchego dos quartos. Os ambiente sociais têm uma pegada contemporânea.

Mas a piscina, no térreo, por causa de um muro, sonega a vista da praia.

LSH Barra (beira-mar, Posto 3)

O LSH Barra traz uma vibe Punta del Este para as proximidades da praia do Pepê. Abriu em 2016 como Trump Hotel, mas abriu mão da marca depois de percalços iniciais.

A maioria dos quartos tem vista lateral para o mar.

A piscina, localizada no segundo andar, é cheia de bossa: o fundo é de vidro e você pode ser visto nadando por quem chega à recepção.

Está ao lado de uma praça, a 10 minutos de caminhada dos melhores beach lounges do Pepê.

Novotel Barra da Tijuca (beira-mar, Posto 7)

No entorno do Posto 7, num ponto super residencial da Barra, o Novotel Barra da Tijuca tem quartos de bom tamanho, mas sem personalidade.

No terraço, a piscina de raia tem vista para o mar.

Radisson Barra

Ex-AC by Marriott Barra, o Radisson Barra da Tijuca ainda está novinho (é da safra 2016).

Oferece quartos clean, academia bem-montada, piscina no terraço (com vidros para proteger do vento) e vista para um parque.

Ramada by Wyndham Recreio

Integrado ao Recreio Shopping, de padrão popular, o Ramada by Wyndham Recreio é outra boa opção supereconômica para quem está de carro e quer aproveitar as praias para lá da Barra.

Não tem piscina. Você vai precisar de carro.

Ramada Encore by Wyndham Ribalta

À beira da av. das Américas, o Ramada Encore by Wyndham Ribalta é um hotel feito para ser econômico.

As tarifas costumam estar abaixo de R$ 200, com café da manhã. Não tem piscina.

Você vai precisar de carro.

Vogue Square Fashion by Lenny Niemeyer

Passando a avenida Ayrton Senna, já a caminho do Recreio, o Vogue Square Fashion é o hotel do complexo Vogue Square, que tem uma esplanada de bons restaurantes.

Os apartamentos estão entre os mais gostosos do Rio, com móveis bem-desenhados e texturas naturais.

As tarifas costumam ser baixas para este nível de conforto. Você vai precisar de carro.

Windsor Barra (beira-mar, Posto 4)

O Windsor Barra é mais do que o 5 estrelas do grupo Windsor: é o hotel mais importante de toda a Barra, com fortíssimo perfil business (incluindo um centro de convenções próprio).

Os quartos são confortáveis mas, como não poderia ser diferente, mantêm o perfil supercareta da rede. Tem uma academia com vista para as montanhas.

A piscina, pouco interessante, entrega a vocação do hotel para negócios.

Caso você queira ficar aqui por causa de uma convenção, considere também o vizinho Windsor Oceânico.

Windsor Marapendi (beira-mar, Posto 7)

Inaugurado em 2015, o Windsor Marapendi tem a piscina mais vistosa de toda a rede Windsor.

Os apartamentos têm piso de madeira (uma raridade nesta rede).

Windsor Oceânico (beira-mar, Posto 4)

Hotel-satélite do Windsor Barra, o Windsor Oceânico é uma opção mais interessante para quem precisa frequentar alguma convenção no vizinho.

Mais novo que o hotel ‘principal’, tem quartos mais modernos e uma piscina mais bonita. E por ser um 4 estrelas, as diárias também são menos caras que o Windsor Barra.

Onde ficar em Japarepaguá

Um novo polo hoteleiro surgiu em torno do Parque Olímpico. São hotéis novos, e que só ficam caros quando há grandes eventos no Parque Olímpico ou no Riocentro.

Ou seja: são hotéis que ficarão caros num Rock in Rio, em épocas de feiras ou de grandes shows na Jeunesse Arena. Mas oferecerão diárias camaradas em momentos como o Réveillon e o Carnaval – ou em qualquer momento do ano sem eventos na região.

Clique no nome do hotel para ver a ficha completa.

Hotéis selecionados em Jacarepaguá

Os hotéis estão listados em ordem alfabética.

Courtyard by Marriott Barra da Tijuca

O único complexo hoteleiro dentro do Parque Olímpico é ancorado pelo Courtyard by Marriott Barra da Tijuca, de 240 apartamentos.

A Jeunesse Arena está a 4 minutos de caminhada, pela mesma calçada.

A piscina do terraço é compartilhada com os hóspedes do Residence Inn by Marriott.

Ibis Parque Olímpico

Localizado no início da avenida que leva ao Parque Olímpico, o Ibis Parque Olímpico está a 5 minutos de Uber ou 20 minutos a pé da Jeunesse Arena.

Há quartos para casal, com duas camas de solteiro e também com cama extra para criança.

Não tem piscina.

Hilton Barra

O Hilton Barra na verdade fica em Jacarepaguá. Foi o primeiro Hilton no Rio de Janeiro, aberto nas cercanias do Parque Olímpico em 2015.

É o único 5 estrelas da área e costuma ser usado para eventos. Há tarifas interessantes para ocupação quádrupla, o que é bastante raro nesta categoria.

Nos fins de semana oferece van para a Praia da Reserva em horários pré-estabelecidos.

Novotel Parque Olímpico

Formando um complexo com Ibis Parque Olímpico, o Novotel Parque Olímpico ocupa um prédio baixo, de 4 andares, construído para a Olimpíada.

Os quartos são amplos; alguns são equipados com sofá-cama, permitindo ocupação tripla ou quádrupla com crianças. Tem piscina externa.

De Uber (e com trânsito fluido), o Parque Olímpico está a 5 minutos; o Barra Shopping, a 8 minutos; a praia da Reserva, a 10 minutos.

Promenade Link Stay

A meio caminho entre a Barra e região do Parque Olímpico, o Promenade Link Stay é o hotel mais próximo da casa de shows Km de Vantagens Hall.

Os quartos têm decoração moderna. Há uma piscina indoor.

Residence Inn by Marriott

Ocupando parte do prédio do Courtyard by Marriott, o Residence Inn by Marriott oferece estrutura de flat.

Os apartamentos têm saleta e cozinha equipada (incluindo lava-louças), e os hóspedes podem a usar a lavanderia self-service do condomínio.

A piscina fica no terraço e é compartilhada com o Courtyard by Marriott.

A Jeunesse Arena está a 4 minutos de caminhada.

Venit Barra

O Venit Barra é o hotel mais próximo da Jeunesse Arena: basta só atravessar a rua.

Os quartos são amplos, com decoração contemporânea. A piscina no terraço é bastante aproveitável.

6 comentários

Ola, adorei as informações sobre os hotéis. Eu e 2 amigas estamos indo pro carnaval de 2022, e já estavamos quase reservando o windsor califórnia ou excelsior quando me deparei com o Vila Galé na Lapa ( achei maravilhoso) , custo/benefício surreal ( 2 mil reaia a menos nas 4 diárias); porém tenho dúvidas referente o tempo que ficaremos dentro de uber pra chegar na zona sul ( blocos e afins). poderia me ajudar? como é o transito/logistica nessa época do ano da Lapa pra Ipanema por exempo? Agradecida

Olá! Fiz uma reserva no Hotel Nacional, para o ano que vem. Minha dúvida é a seguinte: a recomendação do VnV é de chegar e sair de Uber, mas a estação do metrô fica a 600m do hotel, é complicado usar o metrô ali? falta de segurança, talvez?

    Olá, Breno! O metrô é realmente pertinho, mas o trecho da rua Aquarela do Brasil entre o shopping e a saída do metrô é ermo. Só há grandes prédios residenciais cercados e quase ninguém na rua. Como a Rocinha está do outro lado da avenida expressa, é provável que um forasteiro se sinta inseguro. Provavelmente a sensação de insegurança é maior do que a insegurança de fato, mas não é uma sensação boa. Nossa indicação de usar o Uber é para não provocar essa sensação que acaba prejudicando a experiência do visitante no Rio de Janeiro.

    Evite ao menos na chegada, com bagagem, e à noite.

Hola. Estamos con ganas de ir ahora el mes que viene a barra. Es lindo para estar los 7 días ahí? Cual es la mejor zona que este cerca de la playa tenemos una nena de 2 años gracias.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.