Rio de Janeiro

Continua sendo
  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Dá para contar nos dedos as cidades do mundo conhecidas por seus slogans. Roma, Cidade Eterna. Paris, Cidade-Luz. Rio de Janeiro, Cidade Maravilhosa. O Rio é Oscar de cenário, direção de arte, casting, (falta de) figurino, roteiro e trilha sonora original.

Tudo o que é feito ao ar livre no Rio tem aparência, gosto, textura e consistência de férias. O carioca pode não se dar conta, mas fazer jogging no calçadão às 6 da manhã é como sair um pouco de férias todos os dias. Tomar um chope depois do trabalho é férias. Num domingo de sol, outras cidades param – mas o Rio entra em férias. É um prazer estar num lugar tão bem equipado para as férias dos seus habitantes.

Quer deixar tudo ainda mais bonito? Chegue pela Ponte Aérea. Um dos shows mais deslumbrantes do planeta, pelo preço de uma passagem de avião.

O carioca anda crítico como sempre, e mal-humorado como nunca. Evidentemente, existem motivos para pôr em dúvida as prioridades e os orçamentos das obras da Rio 2016. Mas tenha a certeza que, se existe um legado inquestionável da Olimpíada, é o legado turístico. Agora que os tapumes vieram abaixo e os novos equipamentos e hotéis estão em operação, o Rio ficou ainda melhor de visitar.

Aproveite que os gringos estão paranóicos com a zika, e aproveite os preços baixos que devem se seguir à Olimpíada.

Quando ir

Não existe época ruim: o Rio é um destino para o ano inteiro.

O verão é quando tudo acontece, e a cidade parece ligada na tomada. Mas a época mais seca vai de abril a agosto – é por isso todo ano você assiste à mesma reportagem na TV da praia lotada num domingo de inverno.

(Claro que o inverno tem dias mais frios, em que você talvez não queira ir à praia. Aproveite para fazer os programas que você não faria porque não ia querer sair da praia.)

O Réveillon de Copacabana rivaliza em beleza e emoção com o Carnaval. E já há 10 anos o Carnaval não é mais só no Sambódromo: os blocos de rua tomaram conta da cidade inteira.

Nos feriadões, é mais recomendável viajar ao Rio do que aos lugares próximos (Serra, Costa Verde e Região dos Lagos) para onde os cariocas fogem.

Rio de Janeiro: quando dá praia?

Como chegar

O Rio tem dois aeroportos.

Um aeroporto é central – o Santos Dumont, que recebe os vôos da Ponte Aérea e alguns de Belo Horizonte, Brasília, Vitória, Campinas e Porto Alegre. Além dos táxis (especiais, tabelados, e comuns, tabelados ou pelo taxímetro), você pode sair do aeroporto com o novíssimo VLT, seguindo viagem de metrô (veja aqui). Fica a 13 km de Ipanema.

O aeroporto principal é o Galeão (ou Tom Jobim), que fica na Ilha do Governador, a 25 km de Ipanema. Ali chegam vôos diretos da maioria das capitais brasileiras, além de todos os internacionais. Você pode sair de táxi (especial e comum, ambos tabelados), ônibus executivo e BRT (o corredor expresso de ônibus que leva à Barra). Veja mais detalhes aqui.

Viajando de ônibus você desembarcará na rodoviária Novo Rio, situada na zona portuária, que foi reformada há poucos anos e agora é servida pelo VLT (dá meia hora até a estação Carioca do metrô). Táxis especiais e comuns são tabelados. Veja todos os detalhes aqui.

De carro são 5 horas desde São Paulo.

Onde ficar

A rede hoteleira do Rio se expandiu consideravelmente para a Olimpíada.

Para mim, a localização mais inteligente é o miolinho entre Arpoador e Posto 6 de Copacabana. Ali você pode caminhar a três praias (Ipanema, Arpoador e o posto 6 de Copa, que é o trecho mais gostoso) e está servido pelo metrô (estação General Osório), com acessos por Ipanema (na praça do mesmo nome) e Copacabana (na rua Sá Ferreira). Entre as novidades deste quadrante estão o Best Western Premier Fashion Arpoador, perto do metrô, e o Arena Ipanema, ao lado do melhor acesso à praia do Arpoador. Dos hotéis há mais tempo no pedaço, confira o Atlantis Copacabana (o melhor custo x benefício da Zona Sul, na minha opinião), o Mercure Apartments Arpoador, o Arpoador Inn, o Adagio (antigo Mercure Ipanema), o Orla, o Rio Design. Se dinheiro não for problema, sempre haverá o Fasano e o Sofitel.

Em Copacabana, gosto da localização do Pestana Rio, por estar nas proximidades do Baixo Copa, e acho charmoso demais o ar anos 40 do Olinda Rio. Mas o lance mais esperto é hospedar-se em hotéis novos, próximos a uma estação de metrô -- como o Best Western Plus Copacabana Design, o Ibis Copacabana Posto 2 e Royal Rio, perto da estação Cardeal Arcoverde. O Leme, o canto esquerdo da praia, sem tráfego de passagem, é o ponto mais bucólico de Copacabana. Por ali, considere o Arena Leme e o Windsor Leme.

Meus favoritos em Ipanema são o Ipanema Plaza, o Promenade Visconti e o Mar Ipanema. O Ipanema Inn tem instalações simples e uma boa relação custo x benefício na quadra da praia. Caçadores de pechinchas devem procurar os superbásicos Vermont e San Marco.

No Leblon o Promenade Palladium está a meio caminho entre a rua Dias Ferreira e a praia. O Ritz Leblon também está perto da muvuca dos restaurantes.

No meio do caminho entre o Centro e a praia, Botafogo recebeu bons lançamentos nos últimos tempos, como um Novotel e o recém-inaugurado Yoo2, com design philippe-starckiano. Ambos têm vistas gratuitas para o Pão de Açúcar. Pertinho da estação Botafogo do metrô, o básico-moderninho Zii tem tudo para conquistar o coração e o bolso dos mãos-fechadas. O Ibis Botafogo, a duas quadras, também é conveniente para quem quer usar o metrô.

A grande novidade da área central é transformação da Lapa, o coração boêmio da cidade, num surpreendente pólo hoteleiro. Se vai trabalhar no Centro e/ou quer curtir a noite à porta, considere ficar por aqui. Alguns hotéis estão instalados em palacetes ou casarões antigos, como o Vila Galé Lapa, o (recém-inaugurado) 55 Rio e o Da Lapa Design (que é hotel e hostel ao mesmo tempo). Outros estão em prédios novos, com quartos voltados para viajantes a negócio, como o moderno Slaviero Lifestyle, o básico Bristol Easy Plus Lapa e o econômico Soft Inn Lapa.

Outra excelente notícia para o viajante a negócio é que já existe um ótimo 4 estrelas acoplado ao aeroporto Santos Dumont: o Prodigy Santos Dumont.

Finalmente, a Barra da Tijuca ganhou tantos hotéis novos, que deve virar um novo destino. Quando a linha 4 do metrô abrir para o público, em novembro de 2016, o Mercure e o Ibis da Praia do Pepê vão ser os únicos hotéis da Barra aonde se pode chegar de metrô. No extremo oposto da orla, junto à praia da Reserva, o Grand Hyatt chegou para rivalizar com os 5 estrelas tradicionais da cidade -- e é perfeito para quem quer curtir o Rio hospedado num resort de luxo. O Recreio dos Bandeirantes também ganhou seu primeiro super-hotel: o Blue Tree Premium Design. Também estão estalando de novo dois hotéis vizinhos numa área mais residencial da orla da Barra: o Pestana Barra e o Windsor Marapendi.

O que fazer

Não faça como os cariocas – suba, sim, aos cartões postais da cidade. Para melhores fotos, vá ao Pão de Açúcar de manhã (o sol iluminando o Cristo) e ao Corcovado à tarde (o poente incidindo sobre o Morro da Urca).
Se não quiser rodar muito, vá direto ao ponto: restaurantes, rua Dias Ferreira no Leblon e Maria Angélica no Jardim Botânico; vitrines, Ipanema (rua Garcia D’Ávila, Praça N. Sra. da Paz); noites cariocas, Lapa. Em Copacabana, confira o Baixo Copa, nas imediações da rua Bolívar.

Para praias mais belas que as da Zona Sul, vá à Prainha (para lá da Barra) e Itacoatiara (Niterói).

O Rio é insuperável nos quesitos música popular e teatro. Os guias saem nos jornais de sexta.

Veja nos posts abaixo uma coleção de sugestões para você aproveitar o Rio.

Rio de Janeiro no Viaje na Viagem

394 comentários

Fernanda Nunes da Matta Carmo

Boa noite
Em janeiro vou com a família até arraial da ajuda de carro. Sendo 1 casal e 2 crianças.
Vamos passar pela cidade do Rio de Janeiro.
Gostaria de dicas da estrada. Digo uma rota mais segura. Sem as tais de linhas vermelha por exemplo. Quantos dias ficar no Rio? O que fazer?
Depois partiremos para ES uns 3 dias e por fim Bahia.
Na volta passaremos novamente em ES e arraial do cabo.
Detalhe a partida é são Paulo capital.
Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernanda! A alternativa à Linha Vermelha (ou à Avenida Brasil) é o Arco Metropolitano, que vai por Macaé, Magé, tem um longo trecho em obras e é evitado por caminhoneiros por risco de roubo de cargas. 150 mil carros por dia passam pela Linha Vermelha. Vá por ela.

Pablo
PabloPermalinkResponder

O curioso é que tanto o Espirito Santo como a Bahia são estados mais violentos que o Rio de Janeiro. Não entendi porque a preocupação é só por passar no Rio...

Netinho
NetinhoPermalinkResponder

Na verdade é por Magé rsrs
Mas sim, melhor é pela Linha Vermelha mesmo. Programem-se para passar entre 10 e 16h.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Netinho! É isso que eu queria dizer smile (Já corrigi)

Rogerio
RogerioPermalinkResponder

Olá. Qual (ais) ponto (s) turistico (s) é recomendado para a segunda feira 1/1/18, a cidade do Rio tem quais opções neste feriado? Obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rogério! A cidade vai estar cheia. Os museus estarão fechados, mas Corcovado e Pão de Açúcar funcionam.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar