Puerto Iguazú: vale a noitada (e até o pernoite)

El Quincho del Tío Querido

Das três cidades da Tríplice Fronteira, Puerto Iguazú é a menorzita — e a menos visitada pelos brasileiros. Na maior parte das vezes passamos batidos pelo lugar. Depois de visitar o lado argentino do parque, fazemos a parada regulamentar no free-shop, que fica à beira da estrada, perto da fronteira, e voltamos ao Brasil. Há quem volte à noite, normalmente para fazer uma fezinha no cassino, que fica na entrada da cidade.

A cidadezinha argentina tem outras qualidades, porém. Não chega a ser bonita, mas é compacta — e oferece, em poucas quadras, coisas que Foz, grandona, torna mais trabalhosol achar: bons restaurantes, vida noturna. O próprio pessoal de Foz de Iguaçu gosta de fazer incursões gastronômicas por lá. Nos fins de semana a quadra da muvuca (Brasil entre Misiones e Félix de Arara) lota com a moçada vinda de Foz.

Há três modos de usar Puerto Iguazú.

Pit stop na volta do parque

As lojas estarão todas abertas, mas muitos restaurantes fecham entre o almoço e jantar. Duas boas opções permanecem abertas: o Aqva e o Terra (falo deles em seguida). O cassino só abre às 18h.

Jantar + cassino ou balada

As duas churrascaria mais famosas da cidade são  El Quincho del Tío Querido (Bonpland, 110, entre Misiones e Perito Moreno; tem shows folclóricos ao vivo à noite) e La Rueda (Córdoba, 28 — a rua da rodoviária).

Eu testei outros dois restaurantes. À tarde, almocei no Terra (Misiones 125), que tem pratos com sotaque asiático feitos na wok. Recomendo. Funciona também como bar — é o ambiente mais charmoso que vi na cidade (mas está fora da muvuca brazuca, e por isso andava meio devagar no dia em que passei na cidade).

Terra, Puerto IguazúTerra, Puerto Iguazú

À noite me encontrei com o nosso PêEsse e a querida Gerliana naquele que é tido como o restaurante mais sofisticado da cidade, o Aqva (na Córdoba, a rua da rodoviária, esquina com Carlos Thays).

PêEsse e Gerliana

Pedimos um sortido de entradas (entre elas, a “sopa paraguaia”, um empadão delicioso) e depois emendamos com bife de chorizo, trio do mar e panqueque de dulce de leche. Os trips potiguares não me deixaram nem ver a conta (!), mas me lembro pelo cardápio de que os preços eram menores do que no Brasil, porém sensivelmente mais caros do que se encontraria em Buenos Aires.

Sopa paraguaia e outras mumunhas mais, no AqvaBife de chorizo no AqvaPanqueque de dulce de leche

A outra zona com muitos restaurantes é a quadra da Brasil entre as avenidas Victoria Aguirre e Misiones. Por ali há lugares bacaninhas como a pizzaria Il Fratello, que também tem bons pratos italianos na carta (Gustavo Eppens, 294, quase esquina com Victoria Aguirre).

Jackie Brown, Puerto Iguazú

O povo da noite se concentra (sobretudo às sextas e sábados) na Brasil entre Misiones e Félix Azara. Por ali tem os bares bochinchados Jackie Brown (Brasil esquina Paraguay) e La Tribu (Brasil 149). Tem discos também, como a Cuba Libre (Paraguay esquina Brasil) e a La Barranca, na avenida Costanera, que é reduto quase 100% de brasileiros de Foz.

O cassino abre das 18h às 5h. Não é permitida a entrada de menores.

Para dormir

Se você gosta de sair a pé à noite para jantar (coisa que é difícil fazer no centro de Foz, e impossível entre a cidade e o parque brasileiro), e quer fazer o lado argentino com calma (isto é: em duas visitas), considere passar uma ou duas noites em Puerto Iguazú.

O grosso das acomodações são albergues e hotéis pouco estrelados, voltados para mochileiros e mãos-fechadas. No centro da cidade, a alternativa mais civilizada é o hotel Panoramic, que fica à beira-rio. (Na entrada da cidade, dá pra ficar no Iguazu Grand, onde está o cassino, mas a caminhada para o centro não é agradável.)

Uma opção intermediária e muito conveniente é o hotel Saint George, um quatro-estrelas que fica em frente à rodoviária e tem quartos a 100 dólares. (Para quem está sem carro, estar em frente à rodoviária é ótimo, porque é de lá que sai o ônibus El Práctico, que vai ao parque argentino.)

Eu não acho muito negócio ficar nos hotéis entre a cidade e o parque, porque isso eliminaria a tal vantagem de sair a pé à noite do hotel…

Mas atenção: dormir em Puerto Iguazú só vale a pena para fazer o lado argentino com calma (e também para seguir viagem de lá a outros pontos da Argentina, como as Misiones). Fazer base na Argentina para ir ao Brasil só compensa se você estiver de carro; e para ir ao Paraguai o programa de índio ganha mais dois tacapes. Um bom esquema para quem não se importa de trocar de hotel é passar duas ou três noites no Brasil e uma ou duas na Argentina.

Leia mais:

224 comentários

Oi gente!, estou indo passar 5 dias em foz agora em abril, e no primeiro dia, como chegaremos as 5 da tarde, gostariamos de ir conhecer o cassino e jantar.(já li aki q o cassino não compensa o jantar e custo)Daí lá agente vai pra esse restaurante El quicho del tio querido, minha pergunta é: 1ª se alguém já foi nesse, qual a média de preço por lá, e 2º qual o melhor trajeto já q estou sem carro, e ficarei hospedada no centro de Foz do iguaçu,para se chegar até la?

Olá. Vamos no feriado de Corpus Christy e decidimos ficar as 4 noites no lado argentino. Estaremos de carro, 4 adultos e 3 crianças. Meu sogro gosta de conforto, do cassino e minha esposa gosta muito de sair a noite a pé ou de carro, passear pelos lugares, feirinhas e restaurantes. Qual hotel vcs indicam pela localização em primeiro e conforto depois ( temos 3 crianças!!, atividades de lazer sâo bem vindas ), o Gran Cassino ou o Panoramic? Desde já obrigado.

    Olá, Fabio! O Panoramic é menos luxuoso que o Gran Casino, mas está dentro da cidade. Converse com o seu sogro sobre como serão as noites, decida a partir da rotina que estabelecerem.

olá! adorei as dicas para Puerto Iguazu. Visitarei Puerto e a província de Misiones em Maio, no Cataratas Motofest. Passarei uma semana e já fiz um roteiro, incluindo visitar o Parque Provincial Casa de Che Guevara em Caraguatay, há uns 140km de Puerto, Salto Encantado, Salto Moconá, Ruínas San Ignácio e outras atrações. O que me atraiu foi porque Puerto é uma cidade pacata, lugar para descontrair longes dos grandes centros urbanos, onde podemos caminhar pelas ruas na madrugada, andar de bicicleta, etc. Espero que seja inesquecível!!

Galera, vou ter uma tarde livre em foz, proximo dia 10 e gostaria de ir conhecer puerto, mas só vou ter uma tarde pra tudo, vocês poderiam me indicar o melhor trajeto?

pensei em sair as 14h e pegar um onibus na avenida jk para a aduana, pegar o passe, e ir para o duty free, a partir dai queria passar no cassino apenas para conhecer mesmo, e jantar em algum restaurante legal. a volta devo voltar de taxi mesmo.

o que vocês aconselham? o cassino é proximo do dutyfree? da pra ir a pé? e os restaurantes que vocês indicam aqui são próximos?

Já fiz o meu roteiro baseado nas ótimas dicas do site. Senti falta de algo para fechar a viagem: onde pode-se comer bem em Foz mesmo? Gostaria de dicas de um bom restaurante para provar o prato típico da cidade, que até onde soube é o Pira de Foz, certo?

    Tica,
    Comi um excelente Pira de Foz no restaurante do Hotel Bourbon Cataratas, mas isto foi a alguns anos, portanto ligue antes e reserve para certificar-se que eles ainda servem este prato.
    Outra indicação que posso te dar fica atravessando a fronteira com a Argentina. O restaurante chama-se El Quincho del Tio Querido e serve o tradicional churrasco argentino, aos sabados tem musica ao vivo e até um show de tango para animar. (O bife de chorizo com arroz à Cubana me dá agua na boca só de pensar hehe).

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.