Natal

Dunas World

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Pode procurar: você não vai encontrar em canto nenhum do mundo outra cidade deste porte onde as dunas façam parte da paisagem urbana. Em Natal as dunas desempenham o papel de montanhas – só que de areia.

A Via Costeira, onde estão os resorts da cidade, passa rente a um parque de dunas. O Morro do Careca, cartão postal da praia de Ponta Negra, nada mais é que a face norte de outra grande duna que se estende até a base aeronáutica da Barreira do Inferno. Ao norte, as dunas de Genipabu começam tão logo o seu carro desce da bela ponte nova sobre o rio Potengi.

No alto das dunas o bugueiro vai fazer a pergunta clássica, já incorporada a passeios radicais Brasil afora: “Com ou sem emoção?”. Em Natal as dunas são fonte de beleza e diversão.

Quando ir

Natal apregoa ter 300 dias de sol por ano. Mas na vida real, existe inverno, sim: entre março e julho você pode pegar chuva e alguns dias nublados, em que o vento acaba incomodando.

Para pegar o máximo de sol, venha entre agosto e fevereiro (de outubro a dezembro o tempo é particularmente firme).

Abrindo a temporada de festas, na virada de novembro para dezembro, acontece o Carnatal, micareta das mais animadas. Em 2014, será de 4 a 7 de dezembro.

Como chegar

O novo aeroporto de Natal fica longe: em São Gonçalo do Amarante, a 35 km da zona hoteleira da Ponta Negra. O táxi é tabelado em R$ 2 por quilômetro; uma corrida até a Ponta Negra sai R$ 78. O trajeto envolve a passagem por avenidas congestionadas na zona norte natalense; conte em gastar até uma hora no deslocamento.

Pela BR 101, totalmente duplicada, Natal está a 180 km de João Pessoa e 320 km do Recife. De Fortaleza são 540 km, pela BR 304, de pista simples.

O novo aeroporto facilita o acesso às praias do norte (como São Miguel do Gostoso, Touros e Galinhos) mas aumenta em uma hora o traslado a Pipa -- enquanto não for construída a ligação entre o aeroporto e a BR 101 Sul, será preciso atravessar a cidade de Natal.

Pipa está a 90 km do centro de Natal, mas a 120 km do novo aeroporto; desça a BR 101 Sul e saia por Goianinha. Trânsfers de táxi, combinados com a sua pousada em Pipa, saem por volta de R$ 220. Há ônibus de Natal a Pipa, mas saem da rodoviária de Natal, não do aeroporto.

Para ir a São Miguel do Gostoso (110 km ao norte), pegue a BR 101 Norte e vá até o final. Mas o caminho para Galinhos (180 km a oeste) é diferente: pegue a BR 406, que vai a Macau.

Onde ficar

A Via Costeira reúne os hotéis no estilo resort: autos-suficientes, com parques aquáticos, recreação infantil e grandes restaurantes. O único all-inclusive é o Pestana Natal. Entre os demais, a maioria funciona no sistema de meia-pensão (café da manhã e jantar). O Serhs tem a maior área construída, enquanto o Ocean Palace oferece o maior complexo de piscinas. Na faixa mais econômica, gosto do Marsol. O trecho entre o final do calçadão de Ponta Negra e a Via Costeira tem hotéis pé na areia, como o Rifoles e o Pontalmar.

Na praia de Ponta Negra estão hotéis menores, pousadas e flats. Quem fica por ali aproveita uma praia bem mais mansa que a da Via Costeira. No canto direito, próximo ao Morro do Careca, o Aquaria tem uma boa esrutura, enquanto a pousada Manga Rosa faz a linha boutique. No trecho do calçadão fica o hotel mais sofisticado de Natal, o compacto Manary. Por ali considere também o Coral Plaza Apart, o Araçá, o Blue Marlin e o Nobile Suites. A parte alta do bairro tem hotéis verticais postados ao longo da avenida Roberto Freire. Levam mais jeito de hotéis "business" mas são convenientes para os turistas, por estarem próximos a bares e restaurantes (e pelo fato da avenida ser bem melhor iluminada e movimentada do que a parte de baixo do bairro, que é um pouco erma à noite). Nesta turma estão o Quality Suites, o Best Western Majestic e o Holiday Inn Express.

Na região das praias centrais, o Golden Tulip Interatlântico está no alto da colina, próximo aos restaurantes da Praça das Flores. Na Praia dos Artistas, cujos corais formam uma piscina natural na maré baixa, o Yak Hotel tem preços camaradas e ambientes sociais renovados.

Se pensa em passear na Praia da Pipa (90 km ao sul), considere dormir uma ou duas noites por lá – a noite na vila é muito gostosa, sobretudo no fim de semana.

O que fazer

A principal atração de Natal está do outro lado da nova ponte estaiada: as dunas de Genipabu. O passeio básico é o tour de bugue pelas dunas móveis, e pode ser estendido a praias e lagoas próximas, com direito a esquibunda e aerobunda (tirolesa) -- além de uma voltinha de dromedário, é claro. É melhor negociar o passeio por meio do seu hotel ou pousada, para não ficar na mão dos bugueiros ao chegar em Genipabu.

Outros bons complementos, na ida ou na volta, para um passeio a Genipabu: uma visita ao Forte dos Reis Magos, ao pé da ponte no lado de Natal; uma parada no Mercado da Redinha, ao pé da ponte no lado de Genipabu, para experimentar jinga (um peixinho frito) com tapioca; com crianças, vale uma passadinha no Aquário de Natal, que tem peixões exóticos e tubarões (é de Natal, mas fica em Genipabu).

As piscinas naturais do litoral norte são conhecidas como "parrachos". Os parrachos de Maracajaú ficam a 100 km e são recomendados para quem mergulha, por serem mais profundos e terem corais incríveis; há também um parque aquático para crianças na praia, o Ma-Noa. Você pode sair de Natal em passeio organizado ou ir de carro se encaixar na hora nas lanchas e catamarãs que saem no início da maré baixa. Os outros parrachos estão em Perobas (entre Rio de Fogo e Touros) e, por serem mais rasinhos, são os melhores para ver peixinhos a olho nu e brincar sem precisar nadar. A estrutura em Perobas é limitada; é indispensável sair de Natal em passeio organizado ou então reservar um lugar previamente para garantir o passeio. Agende com o pessoal da Pousada do Vozinho (84/91988732, com Vozinho, ou 84/94061872, com Verrinho).

Ao sul de Natal, o programa-pra-turista número 1 é visitar o Maior Cajueiro do Mundo, em Pirangi (15 km ao sul da saída de Ponta Negra). Na verdade é uma paradinha de 15 minutos, que pode ser encaixada na ida ou na volta de outros passeios ao litoral sul (demora mais achar um lugar para estacionar do que visitar). Dali mesmo de Pirangi sai um passeio de barco a piscinas naturais, operado pela Marina Badauê (20 km de Ponta Negra). O mirante da Barra de Tabatinga é outra parada obrigatória. Mas na minha opinião, o melhor destino do litoral sul é a praia de Camurupim (30 km de Ponta Negra), que oferece o banho mais gostoso de Natal (estacione no bar Flutuante do Mar).

Dos passeios mais distantes, o que vale mais a pena é o de Galinhos, que é bastante cansativo mas tem uma logística muito bem-bolada, que revela o melhor do destino num dia só.

Isso não se aplica aos passeios a Pipa -- ir a Pipa de dia é ver apenas metade do que o lugar oferece. Repito: divida sua estada, só assim você vai curtir Pipa como se deve.

Numa das suas noites em Natal, dê uma escapulida até a região dos bairros Petrópolis e Tirol, freqüentados pelos natalenses. A Praça das Flores é o endereço de bons bares e restaurantes, como o Jobim, o Cascudo Bistrô, a Piazza dei Fiori e o Liquid Lounge.

Natal no Viaje na Viagem

349 comentários

Thiago
ThiagoPermalinkResponder

Olá.

Vou fechar a minha viagem para Natal na Semana Santa. Gostaria de saber do Ricardo se a orla está destruída (me falaram isso) por causa do mar, ou se é possível ficar em hotés próximos da praia na Ponta Negra. Também fui informado que a sala de embarque do novo aeroporto está inacabada e que não há opções de comida. Existe alguma visita guiada ao Estádio da Copa e o mesmo fica muito distante da cidade?

Grato.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thiago! Quem responde é A Bóia. O calçadão foi refeito e já há lanchonetes no aeroporto. A Arena das Dunas é central e oferece tour guiados todos os dias das 10h às 17h.

Ana
AnaPermalinkResponder

O melhor hotel de natal é o Coral Plaza, para comer o restaurante camarões, não deixe de conhecer as cidades tibau, buzios e Pipa. Próximo ao maior cajueiro tem um local onde se come pasteis deliciosos com sucos regionais. Adoro.

Robson
RobsonPermalinkResponder

Olá Boia e Ricardo.

Estamos partindo hoje (25/03/15) de Natal. Obrigado pelas dicas. Pegamos chuva forte no fim de semana, mas o sol sempre aparece com força. Ficamos encantados com esta grande (imaginei que fosse pequena) cidade. A orla desde a Ponta Negra até o Farol é a mais bela que já vimos. Incrível como ora temos uma cidade moderna, ora um deserto. Ficamos no alto da Roberto Freire num hotel majestoso chamado Majestic. Tudo de primeira, inclusive a vista deslumbrante do apartamento. Usamos a piscina imensa de um Resort na Costeira, o Ocean. É inacreditável uma fileira de tantos hoteis gigantes numa area urbana brasileira. Nunca vi isso em outro lugar. Come-se muito bem aqui: Mangai, Camarões, Nau, além de um boteco charmoso em Tirol. Os bairros centrais aliás são limpos, arborizados e de bom gosto. Morava fácil. Acho que o passeio de ônibus de dois andares poderia ter paradas mais longas... Achei caro e dá pena não descer em alguns lugares. O passeio de buggy foi muito bom com esticada até a Ponta Gorda, uma praia com duna, coqueiros e falésias no mesmo lugar. Não fizemos mergulho, com medo da chuva aparecer. Achei o passeio de dromedário caro, embora o local seja interessante. Fomos a Camarupim e achamos o banho realmente bom, mas a Praia de Forte dentro de Natal faz o mesmo efeito, uma delícia. Ficamos dois dias em Pipa, que é deslumbrante e vale cada centavo. Pagamos 70 no transfer. Enfim, uma cidade brasileira das mais lindas, com lugares únicos e charmosos. Pareceu-me mais rica e de melhor infraestrutura que outros pares (João Pessoa e Maceió. Não conheço São Luiz ou Aracaju) e menos muvucada que Recife ou Fortaleza. Até muito breve, Natal.

Denise de Moraes

Estive em Natal com minha filha Bianca em fevereiro/2015, logo após o Carnaval e aproveitei todas as suas dicas,como sempre, inclusive a de conhecer a praia de Camurupim, que, como você, considero o melhor destino do litoral sul. O único senão foi a chuva, pois se lá são 300 dias de sol, eu, com certeza escolhi justo a semana que faz parte dos 65 dias de chuva. Para quem está planejando viajar para Natal, indico o bugueiro Sandro (84 9650-9017 ou 8129-3902), um paulista que já vive por lá há mais de 5 anos, conhece bem os pontos turísticos e está sempre pronto a te ajudar, bem legal. Obrigada pelas dicas. Adoro seu blog!

Jovino de Sousa Rodrigues

Fala Boia!

Primeiramente, escutamos você todos os dias a caminho do trabalho. Gostamos muito das suas dicas e essas últimas sobre os 20 minutos foram bem legais.

Somos de Brasília. Estou tentando convencer minha esposa a passar uns dias no nordeste, pois encontramos passagens bem baratas.

A viagem seria nas últimas duas semanas de julho. Iríamos a natal, num hotel ou pousada, passar 10 dias e depois cairíamos até joão pessoa, onde passaríamos 5 dias na casa de amigos.

Eu vi o praiômetro, vi o post, os comentários, procurei outros sites... Ela diz que pode não ser uma boa ideia ir até lá em julho, pra visitar essas duas cidades. Eu digo que vale muito a pena tentar, pois todas as nossas últimas férias foram em lugares frios e eu estou muito afim de uma praia.

E aí, o que você nos diz? Dá pra arriscar esses 15 dias por ali ou devemos continuar esperando outras passagens mais baratas para outros lugares? Entendo que vai rolar umas chuvas, mas será que estraga a viagem?

Abraço!

John
JohnPermalinkResponder

muito obrigado galera pelas dicas salvaram minhas ferias...

Celi Alves Vilas Boas

.Estive em Natal na semana de 12/07 a 20/07 eu meu esposo e filha e tive a oportunidade de conhecer Perobas e a pousada do Vozinho, fizemos o passeio para os parrachos e almoçamos na pousada do vozinho, comida maravilhosa atendimento muito bom, tanto do Vozinho como do Verrinho só tenho a agradecer e indicar que conheçam vale muito. E boa viagem!!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Comentar novamente

Cancelar