Santiago: roteiro completo dia a dia (e como seguir viagem pelo Chile)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

El Golf, Santiago

Bienvenido, bienvenida. A 4 horas de vôo de São Paulo e 4h40 do Rio, Santiago está longe demais para passar um fim de semana. Três dias... bom, já dá para considerar. O mínimo ideal, no entanto, são quatro noites, porque pelo menos dois passeios importantes (Viña del Mar + Valparaíso e, no inverno, o dia na montanha) requerem que se passe o dia fora da cidade.

Se essa é a sua primeira vez, saiba que dificilmente será a última. O Chile é lindo e cativante -- e tão cheio de atrações, que não dá para visitar tudo de uma vez só. A cada volta você vai precisar dar ao menos uma passadinha por Santiago, e com isso pode fazer algum programa que não tenha conseguido entrar na agenda da viagem de estréia.

Se preferir, clique para ir direto ao tópico desejado:

Chegando: moeda e trânsfer

Moeda

Não vale a pena comprar peso chileno no Brasil.

Por mais baratinho que pareça, a cotação não será vantajosa. Se vai ficar só em Santiago, pode levar reais. Mas troque o mínimo no aeroporto: a cotação não é boa (dá para pagar o táxi ou a van com cartão de crédito, veja a seguir).

Deixe para fazer câmbio em dia de semana, no horário de expediente bancário. No fim de semana e fora do horário dos bancos a cotação sempre baixa. Na temporada de inverno (grande fluxo de brasileiros em Santiago), a cotação cai, e provavelmente será mais negócio levar dólar. Nas férias de verão, quando há chilenos viajando para o Brasil, a cotação do real em Santiago costuma ficar mais vantajosa. Confira cotações atualizadas no site da Cambios Santiago (a cotação que vale é a da coluna de "compra").

Se vai para o Atacama, Lagos Andinos ou Patagônia e quer levar dinheiro vivo, leve dólares. O real não terá boa cotação fora de Santiago. (Até o dólar perde um pouquinho de valor; se não fosse pelo risco de desvalorização do real, daria até para recomendar usar cartão de crédito direto, fora de Santiago.)

Leia mais:

Transporte do aeroporto

Ao desembarcar, você vai passar pelos guichês dos táxis oficiais. Há duas opções: o táxi comum, que vai pelo taxímetro, e o táxi especial, que é tabelado. A corrida do especial, tabelada, vai custar entre 20.000 e 25.000 pesos e você pode pagar no cartão de crédito. Os táxis estão disponíveis 24 horas.

No mesmo balcão dos táxis você encontrará o serviço de trânsfer compartilhado em van. Custa 8.000 pesos por pessoa. Nosso parceiro Viator oferece trânsfer privado do aeroporto ao hotel e do hotel ao aeroporto a partir de 37 dólares por pessoa em carro com 4 passageiros.

A maneira econômica de sair do aeroporto é com os ônibus da Tur-Bus ou da Centropuerto. A passagem custa 1.800 pesos e leva ao centro de Santiago, com parada na estação Pajaritos do metrô (linha 1). Os ônibus da TurBus continuam até o Terminal Alameda (a principal rodoviária, na estação Universidad de Santiago do metrô) e os da Centropuerto, até a estação Los Héroes do metrô (Centro de Santiago).

Ambas estações também fazem parte da linha 1 do metrô. Os ônibus da Centropuerto saem de 10 em 10 minutos entre 6h e 23h30; entre a meia-noite e as 6 da manhã há um ônibus a cada hora cheia. Os ônibus da TurBus saem a cada 10 minutos entre 5h e 1h. Se continuar a viagem de metrô, você vai gastar entre 630 e 760 pesos mais. Você também pode chamar um Uber.

Voltar | Menu

Onde se hospedar em Santiago

Se você ainda não decidiu onde ficar, recomendo que escolha um hotel num desses três pontos:

  • Próximo às estações Universidad Católica ou Baquedano do metrô (para estar próximo aos barrios Lastarria e Bellavista, focos de vida noturna),
  • Em Providencia (um bairro bem localizado e com bastante comércio)
  • em El Golf (os "Jardins/Leblon" de Santiago)

Hotéis próximos à vida noturna charmosa de Lastarria e Bellavista

Um dos hotéis mais reservados pelos leitores do Viaje na Viagem, o Mito Casa Hotel fica num edificiozinho déco a uma quadra da estação Baquedano. Entre a estaçao e o barrio Lastarria, considere o econômico Principado Express e os hotéis-boutique Luciano K, Su Merced e Lastarria.

No miolinho do bairro, confira os novíssimos (e chiquérrimos) The Singular e Las Cumbres com os flats do Lastarria 43-61.

Já no centro da cidade, mas com acesso fácil ao barrio Lastarria, vale considerar o custo x benefícios do apart Ameristar Apart Hotel (use sempre a saída da calle Merced), do antigão Montecarlo e do correto Sommerlier Express (mas vou avisando: tem uma -- discreta -- boate de strip-tease a duas casas).

Hotéis em Providencia

Providencia é um bairro extenso, com uso misto -- residencial, comercial e empresarial. Desde a instalação do shopping Costanera Center, a localização mais interessante da região é o entorno da estação Tobalaba: você fica perto do shopping, com acesso a duas linhas de metrô (incluindo a que leva a vinícolas), e a uma corrida curta de EasyTaxi ou Uber aos restaurantes badalados de El Golf e da Nueva Costanera. O hotelão clássico desse ponto é o NH Collection (antigo Radisson), em frente ao shopping. Na outra calçada, o Doubletree by Hilton Santiago Vitacura faz o mesmo gênero, com instalações mais novas.

Mais basiquinho, o RQ Bosque Tobalaba fica em frente à estação; ali perto, o Atton El Bosque é um confortável hotel business, e o La Sebastiana tem studios e apartamentos com cozinha equipada.

Na parte mais tradicional do bairro, o Ibis Providencia, é o mais bem localizado da cidade; fãs de hotéis-butique devem comparar o Hotel Orly, de ares parisienses, os pequeninos Meridiano Sur Petit Hotel e Casa de Todos B&B Boutique, e o sofisticado Le Rêve, todos nas proximidades de alguma das estações de metrô do bairro.

Hotéis em El Golf

El Golf é coração da Santiago mais afluente. Se estiver podendo, cacife o W Santiago, o mais interessante entre os hotéis de luxo da cidade. Para um luxo mais clássico, pense no Ritz-Carlton. E para se hospedar junto aos bacanas sem ir à falência, reserve o Holiday Inn Express El Golf

Voltar | Menu

Roteiro de passeios em Santiago

Neste post você encontrará sugestões de passeios de dia inteiro e de meio dia para compor o seu roteiro personalizado. Caso você queira um roteiro prontinho para 4 dias (1 dia no centro, 1 dia para vinícola, 1 dia para montanha e 1 dia para Valparaíso e Viña del Mar), clique aqui.

De modo geral, evite subir à montanha em fins de semana e feriados, porque muitos santiaguinos têm a mesma idéia e os lugares não comportam tanta gente assim. (Viña del Mar só fica cheia demais no alto verão.)

Continue lendo para ver também as combinações de Santiago com outros destinos chilenos, nesta ou nas próximas viagens.

Um dia turistando no Centro

Plaza de Armas, Santiago

Os pontos fundamentais da capital podem ser matados num único dia, se você sair cedo e com disposição.

Eu começaria visitando La Chascona, uma das três casas-museu do poeta Pablo Neruda. Abre de 3ª a domingo das 10h às 18h; fecha 2ª e atende por ordem de chegada (por isso é melhor começar o passeio por aqui). A entrada custa 7.000 pesos (2018). Na seqüência, subiria ao Cerro San Cristóbal, se onde se tem a vista mais bonita para a parte moderna de Santiago (com as montanhas ao fundo). O funicular funciona de 3ª a domingo, no verão, das 10h às 19h45; 2ª das 13h às 19h45 e no inverno, das 10h às 18h45; 2ª das 13h às 18h45; custa 2.000 pesos ida e volta. Metrô: Baquedano, linha 1-vermelha ou 5-verde.

De lá continuaria ao centro antigo; passaria no incontornável Mercado Central, senão para almoçar, pelo menos para testemunhar o inacreditável assédio dos garçons (a minha tática: entrar no primeiro restaurantinho que não vier te caçar no corredor). Os frutos do mar são excepcionais; mas não espere pagar barato pela centolla (caranguejo chileno gigante). Abre de segunda a domingo. Metrô: Puente Cal y Canto, linha 2-amarela.

Do Mercado dá para ir a pé até o coração da cidade velha, a Plaza de Armas, onde está a Catedral Metropolitana e o Museu Histórico Nacional (o museu abre de 3ª a domingo das 10h às 17h45; entrada gratuita).

A continuação natural do passeio é o museu mais imperdível da cidade, o Museu de Arte Pré-Colombiana (abre de 3ª a domingo das 10h às 18h; fecha 2ª. A entrada custa 6.000 pesos).

Ainda a pé, continue até o Palacio de la Moneda, sede da presidência chilena, que foi bombardeado em 1973 pelas forças golpistas de Pinochet. Para mim o grande apelo da praça está na estátua ao presidente deposto Salvador Allende, bem ali, ao lado do palácio em que se suicidou. Mas para os guias o tchans do lugar é a troca da guarda, que ocorre dia sim, dia não, às 10h da manhã -- ou seja, impossível para os passageiros desse meu tour.

Vamos sair do Centro pelo lado mais bonito, caminhando até o Cerro Santa Lucía, um parque de onde se tem uma visão complementar da cidade (mas não tão alta quanto a do San Cristóbal).

Aproveite que você está ao lado do bairro Forestal/Bellas Artes, visite o Museu Nacional de Belas Artes (aberto de 3ª a domingo das 10h às 18h45; entrada gratuita) e/ou o Centro Cultural Gabriela Mistral (salas de exposição abertas 2ª das 16h às 21h e 3ª a domingo das 11h às 21h; entrada normalmente gratuita). Depois, passe em revista a calle Lastarria para escolher um restaurante para jantar em alguma noite da sua estada. De 5ª a sábado há uma feirinha de antigüidades das 10h às 20h.

Veja opção de passeio guiado com nosso parceiro Viator - Excursão a pé em Santiago: degustação de comida e mercados, incluindo almoço

Um dia na neve

Farellones: como chegar

Santiago é cercada pelos Andes, e subir à montanha é o programa mais desejado pelo visitante brasileiro. Apesar de ser oferecido o ano inteiro pelas agências de turismo receptivo, só recomendo fazer o passeio no inverno, com neve de fato. Sem neve, as quarenta curvas da estrada vão constituir um sacrifício que não será compensado pela paisagem.

Quando encontrar neve?
  • De julho a fim de setembro: neve garantida, com as estações funcionando.
  • Maio: pode até nevar, mas as estações ainda não estarão nem pensando em iniciar a temporada.
  • Junho: a neve é provável, mas não garantida. Havendo neve suficiente, as estações iniciam a temporada lá pela terceira semana.
  • Outubro: a neve não é garantida. Havendo neve suficiente, as estações podem continuar a temporada na primeira semana.
  • Janeiro, fevereiro, março, abril, novembro, dezembro: a não ser que São Pedro resolva aprontar, não há neve para tocar.

Existem quatro estações de esqui nos arredores de Santiago. Chega-se a elas pelo mesmo caminho, saindo da cidade pela parte mais nova (Las Condes). As três estações mais tradicionais ficam a pouco mais de uma hora montanha acima: são El Colorado, Farellones (tecnicamente parte de El Colorado) e La Parva. Pouco menos de meia hora adiant

2110 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Rafaela Pereira
Rafaela PereiraPermalink

Boa noite.
Acompanho seu blog e sempre aproveito suas dicas em minhas viagens. Desta vez estou meio receosa com a questão de alugar um carro para ir à Valparaíso. Estou indo sozinha em fevereiro e aluguei um carro. Vou diretamente para Valparaíso onde ficarei 3 dias e depois seguirei para Valle do Colchágua para mais 4 dias antes de devolver o carro em Santiago e ficar mais 4 dias. Não tenho medo de pegar estrada, o meu problema é com os relatos de furto.
Qual foi sua experiência com seu carro alugado. Vi que o Hotel q vc ficou não possui estacionamento. Onde vc deixou seu carro?
Obrigada pela atenção, Rafaela.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Rafaela! Apenas nunca deixe bagagem dentro do carro, nem mesmo escondida. Prefira fazer Isla Negra como um bate-volta sem malas.

Jeovan Penteado
Jeovan PenteadoPermalink

Olá Bóia, estou com uma dúvida importante. Pretendemos, eu e minha esposa, viajar para o Vale do Conchaga daqui a alguns meses, para visitar as vínicolas da região. Pretendemos nos hospedar na cidade de Santa Cruz e não estaremos de carro (vamos de trem). Gostaria de saber se é fácil obter transporte, da cidade de Santa Cruz para as vínicolas (táxi, van, remis, etc) e se esse transporte é caro ou não. Obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Jeovan! Tours privados sempre sairão caro.

A Ruta del Vino tem tours de van:
http://www.rutadelvino.cl/product/dentro-de-colchagua-icono-tour-de-dia-completo/

É possível combinar passeios com taxistas. Normalmente eles cobram 15.000 pesos chilenos (uns 80 reais) pelo trajeto a cada vinícola.

Myrna
MyrnaPermalink

Que bom que nos avisou!!!! Obrigada!!!

Silvia
SilviaPermalink

Oi Ricardo ,meu nome Silvia tentei conseguir o desconto aqui Santiago no hotel das minhas diárias ,me senti enrolada ,me disseram que como meu hotel cobrava em dólar não tinha imposto ,portanto não teria o desconto !?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Silvia! Não é desconto, é isenção. O preço informado já é sem IVA. Se você pagasse em pesos, teria um acréscimo de 19% na conta.

VINICIUS CAMILO
VINICIUS CAMILOPermalink

Olá,
Primeiramente obrigado pelas dicas.
Gostaria de saber se tem alguma indicação de empresa de ônibus para quem quer ir de Bariloche/San Martin de Los Andes para Santiago?
Obrigado!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Vinicius! Caso saia de San Martín, você vai precisar ir primeiro a Pucón ou Temuco, e de lá para Santiago.

Veja horários na Argentina:
https://www.plataforma10.com.ar

Veja horários no Chile:
https://www.recorrido.cl