Viagens pelo Brasil: o que é barato?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Brasil barato: piscina natural

Piscina natural do Seixas, em João Pessoa: um passeio de 10 dólares

Muita gente acha caro viajar pelo Brasil. Não dá pra negar que alguns preços brasileiros são surreais -- sobretudo na alta temporada. Mas existem coisas que são sempre mais baratas nas viagens pelo Brasil do que nas viagens ao exterior. Só que essas coisas passam batidas e a gente esquece de pôr na conta de comparação de custos.

Café da manhã

Tapioca, grátis no seu café da manhã

Começando pelo café da manhã. No Brasil o café está incluído em 99% das diárias e é supercompleto.

Nos Estados Unidos, se você quiser cesta de pães, frutas frescas, ovos, iogurte e bolo no mesmo café da manhã vai ter que pedir uns três pratos diferentes, e seu dia já começa com uma conta salgada.

Na França e na Itália o café de hotel sai entre 8 e 10 euros por pessoa e é bem básico -- algo como 40 a 50 reais por pessoa, por café da manhã, no câmbio-turismo de hoje.

Na Argentina o café costuma estar incluído, mas é tão fraquinho -- fruta em calda, imagina –- que todo dia de manhã dá saudade do Brasil.

Pratos para dividir

Brasil barato: moqueca

Moqueca em Meaípe: se (não) bobear, dá para três

Ainda no quesito comida, no Brasil a gente tem pratos para dividir. Há uma tradição, no Nordeste, no interior e também em cantinas italianas, de oferecer pratos generosamente porcionados, que servem duas, até três pessoas.

Perguntar se a porção dá para dois é absolutamente normal. Mesmo se não der para dividir (o que é o caso em restaurantes a partir de certo nível nas grandes cidades), o garçom não vai achar a pergunta descabida.

Agora -- no exterior, que prato você consegue dividir, fora pizza?

Fora do Brasil dá para dividir entrada, dá para dividir sobremesa... mas dividir o prato principal já vai requerer boa vontade do garçom. E provavelmente não vai saciar a sua fome, já que as porções não são pensadas para dividir.

Quando um brasileiro vai à Argentina, ao Uruguai ou ao Chile, países que têm preços semelhantes aos nossos, e acha a comida cara, é porque não consegue fazer nesses lugares o que está acostumado a fazer aqui: dividir o prato.

Quilo porque qui-lo

No Brasil não temos os excelentes menus de meio-dia que tornam o almoço barato durante viagens aos Estados Unidos, à Europa (e também a Buenos Aires e Santiago). Fora do Brasil, fazer do almoço a refeição mais importante do dia é uma boa medida econômica.

Em compensação, no Brasil temos um sistema perfeito para almoços em conta e saudáveis. O sistema de almoço por quilo, que todo mundo usa quando está trabalhando, também vale a pena nas férias. Almoce uma ou duas vezes na semana num quilo, e você vai repor o déficit de saladas e legumes causado por dias seguidos de comida escolhida no cardápio.

Os passeios

Brasil barato: jangada

Jangada em Porto de Galinhas: 10 dólares por pessoa

Pouco se fala nisso, mas a verdade é que no Brasil os passeios são muito mais baratos que no exterior. No Nordeste os passeios-padrão vendidos pelas operadoras custam 50, 60, 70 reais por pessoa. No exterior os passeios custam 80, 90, 100... dólares. Multiplique por 4.

Mesmo nos lugares do Brasil onde os passeios não são baratinhos, como Bonito, Gramado ou Foz do Iguaçu, os preços ainda assim são menos caros que no exterior.

Ingressos para museus e parques nacionais também são muito mais baratos no Brasil do que nos países ricos (mas regulam com os preços dos vizinhos sul-americanos).

Cerveja

Brasil barato: cerveja

Cerveja 600 ml: 3 dólares (a vista está incluída)

Um item de primeira necessidade pra viajantes como eu é muito mais barato no Brasil do que fora: a cerveja. No Brasil uma latinha na praia custa menos de 2 dólares. No Caribe? 5 dólares.

E essa cerveja de 600 ml que a gente toma em botequim furreco? Custa menos de 3 dólares no Brasil. No exterior, só comprando em supermercado sai por esse preço, e olhe lá.

OK: em restaurantes a coisa muda de figura. Mas no exterior também é assim. E não só com cerveja. Poucas coisas dão tanta reclamação entre brasileiros de primeira viagem quanto o preço da Coca-Cola em restaurantes argentinos...

Conta sem fazer conta

Conta nos States: 25% mais cara que no cardápio

Basta recusar o couvert, e você não vai ter surpresa com a conta de restaurante no Brasil. Virão aqueles 10% (agora, 12 ou 13% em algumas cidades), e pronto.

Já nos Estados Unidos a conta sai pelo menos 25% mais cara do que está no cardápio -- porque tem o imposto (tax) e a gorjeta (tip) de até 18%.

Em Miami a conta já vem com o imposto de 9% mais a gorjeta de 18% incluídos. Mas muitos restaurantes ainda deixam um espacinho em branco pra pôr mais gorjeta se você não perceber que já cobraram. Ou seja: bobeou, você paga gorjeta em dobro...

Agora junta aí: café da manhã não-incluído, refeições que não dá pra dividir, passeios mais salgados, bebidas mais caras, gorjetas além da conta... E o pessoal diz que a Flórida é mais barata que o Nordeste? Naonde?

Leia mais:

50 comentários

Nicole Ferreira dos Santos

Obrigada por me dar ainda mais argumentos para poder valorizar ainda mais o nosso Turismo.
O nosso país investe pouquíssimo em Turismo e isso é triste, mas e nós? Investimos nele? Acho que a maioria é não.

Precisamos valorizar nosso Brasil varonil e ter mais discernimento na hora de comprar o jardim do vizinho com o nosso smile

Lido trabalho equipe do Viaje na Viagem.

Vitor
VitorPermalinkResponder

É só multiplicar tudo por 4 (ou 4.50 na cotação do dólar de hoje) que nada fica barato!

Danilo
DaniloPermalinkResponder

Exatamente! Usar a atual cotação do dólar para "baratear" o turismo no Brasil é uma argumentação meio injusta. Fora que o turismo aqui é caro mesmo em USD.
Sempre que vou cotar uma viagem "barata" aqui no Brasil, acabo indo para o exterior, que acaba valendo mais a pena.

Ricardo Freire

Danilo, o vídeo foi produzido em fevereiro, quando o dólar estava a R$ 3. Hoje o Brasil ficou mais barato, mas todos esses exemplos do vídeo são perenes. Os passeios em grupo são baratíssimos, o café da manhã está sempre incluído, os pratos costumam ser divisíveis, a cerveja é invariavelmente mais barata do que em outros destinos de praia, não há sales tax de 9% acrescida de gorjeta de 18% ou 20% em restaurantes. Viajar pelo Brasil, exceto no pico da alta temporada, é mais barato do que viajar para qualquer lugar do primeiro mundo. Você tem todo o direito de achar que, mesmo assim, o Brasil deveria custar menos. OK. Só não dá para dizer que o Nordeste é mais caro que a Flórida, porque não é. Quantas vezes você já ouviu "Estou com medo, vai cair o meu cartão da viagem a Maceió" e quantas vezes já ouviu "Estou com medo, vai cair o meu cartão da viagem a Orlando"? Ninguém volta endividado de Boipeba, Pipa ou Inhotim.

Marcelo de Carvalho

Cheque-mate...

Nádia Bojikian

Depois das primeiras vezes, a gente aprende a não voltar endividado de Miami e Orlando também. Afirmo que é possível! rsrss

Henrique Moreira Azevedo

Não é somente viagens a países de primeiro que a viagem sai mais cara. Já voltei de Bariloche, Cancun e Punta Cana achando que ia demorar uns 3 meses para quitar meu cartão de crédito. O que mais me surpreendeu foram os gastos com gorjeta. Não vencia ficar sacando dinheiro em pesos nos caixas eletrônicos. Nas viagens que fomos para Natal, litoral norte da Bahia, Chapada Diamantina, Guarapari, Curitiba e Blumenau conseguimos controlar tranquilamente os gastos. Sem contar que aqui no Brasil é mais fácil negociar os preços dos passeios, aluguéis de veículos, taxi, etc.

Fernanda Aoki
Fernanda AokiPermalinkResponder

Eu tinha essa visão que no Brasil gastaria mais, mas acabei chegando à conclusão que era meu inconsciente que não gosta de viajar pelo Brasil.

Posso ir para Maceió e jantar em um dos melhores restaurantes da cidade, e ainda vou gastar muito menos se fizesse isso na Europa ou em qualquer país do primeiro mundo.

quando vou ao exterior sempre opto por um hotel mais econômico e restaurantes de preços moderados ou baratos.

Ultimamente acho que quando viajo no Brasil na américa do sul ou em um país de economia mais subdesenvolvida, acabo aproveitando mais, comendo melhor e me hospedando com mais conforto.

E tudo isso tem sido determinante nas escolhas dos meus últimos destinos.

Olga
OlgaPermalinkResponder

Adoro suas dicas. Acompanho as sugestões de viagem e tem me servido bastante.
Estou indo a Paraty nos próximos dias e queria saber se tem mais alguma sugestão atual que não esteja sido apontada no post sobre a cidade.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Olga! Quem responde é A Bóia. Não, é só o que está em https://www.viajenaviagem.com/destino/paraty/ mesmo.

sivaldo
sivaldoPermalinkResponder

Olá!
Estamos planejando ir no final do mes de junho de 2019 para Recife,Porto de Galinhas e Maragogi.(tres casais).
Pode nos dá algumas dicas?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sivaldo! A primeira dica é pensar em outro destino -- maio e junho são os meses mais chuvosos ao ano nesta região. É melhor viajar para lá entre setembro e fevereiro/março.

Veja mais:
https://www.viajenaviagem.com/2012/10/praiometro-nordeste-caribe/

MARCELA CASTRO

Afirmo o comentário da Bóia! Sou Pernambucana e nenhum dos destinos citados em chuva é legal (nem Recife). Aqui chove muito de maio a julho! Mude as datas para não mudar o destino smile

Odenir de Paula

Apenas como sugestão, nesse roteiro não pode faltar a fantástica praia de Carneiros, entre P. de Galinhas e Maragogi, assim como São Miguel dos Milagres. Procure pesquisar e se puder não perca.

Abraço e boa viagem.

CELSO HENRIQUE PIRES

Aqui acho que estamos comparando elefante com banana. Assim como nem sempre é verdade que o turismo interno é mais caro que o do exterior, também a qualidade e o profissionalismo não são iguais. Tudo é relativo.

Nádia Bojikian

Exatamente! Infelizmente a estrutura e os serviços no Brasil deixam muito a desejar então, mesmo sendo mais barato, o custo benefício nem sempre compensa. Nunca escolho meu destino de viagem somente pelo "valor final" mas sim pelo que acho que "vale" a viagem, por que às vezes até fica mais barato tal destino mas é tanto perrengue que não vale a pena. Nesse sentido o Nordeste, principalmente, tem permanecido fora das minha rota nos últimos anos. Minha maior surpresa este ano foi Gramado, cidade com infraestrutura e serviços de primeiro mundo para receber turista.

Ricardo Freire

Nádia, acho muita graça nesse "não tem estrutura". Eu viajo intensivamente pelo Brasil e acho tudo muito tranqüilo.

Normalmente essa "falta de estrutura" significa: quero um lugar meio tipo Cancún. (Gramado virou meio que uma Orlando, por isso "tem estrutura". Mas pergunte a quem ia antes se não preferiam a cidade "sem estrutura".) Se esse é o tipo de lugar que te faz a cabeça, sem problemas, a gente tem que viajar para onde curte. Mas não confunda autenticidade com falta de estrutura, nem plastificação com estrutura.

"Falta de profissionalismo" também é ótimo. Quando a gente é mal atendido no exterior, releva, porque essas coisas acontecem. Mas no Brasil, qualquer probleminha vira mais uma evidência de que o país é inviável. Eu estou viajando há 50 dias corridos pela Europa. Já fui bem e mal atendido, já vi coisas hiper bem organizadas e super mal organizadas, já me deslumbrei e já me aborreci várias vezes. Viajar é assim. Inclusive no Brasil.

Nádia Bojikian

Essa é a minha opinião! Pensei que pudesse me expressar aqui pois acompanho o blog desde os primórdios. Não há necessidade de réplica ácida. Conheço praticamente todo o Nordeste e chegar em uma barraca de praia de uma praia famosa e acabar a cerveja é falta de estrutura sim! Contratar um passeio de buggy e ser enganada pelo motorista, além de crime, é falta de profissionalismo sim! E por aí vai...poderia citar vários incidentes. Como disse, conheço bem o Nordeste, e vários lugares do Brasil! Tem muito lugar com serviço de primeira no Brasil? Tem sim. Trancoso, Milagres e Fernando Noronha oferecem experiências excepcionais de hotelaria e culinária. Rio de Janeiro e São Paulo idem. Mas eu acredito que o post se referia ao turismo de massa, considerando os exemplos citados, por que boas experiências nos lugares citados custam bem caro. Em relação a Gramado, não me referi aquelas atrações tipo cópia tupiniquim da Disney. O diferencial de lá é justamente a limpeza, organização, educação e o nítido esforço que todos fazem para agradar e prestar o melhor serviço possível ao turista - o cliente - seja nos restaurantes, lojas, atrações e etc...a gente sente o nosso dinheiro até mais valorizado. Até meus filhos adolescentes, que sempre viajaram conosco para vários destinos do Brasil e do mundo, comentavam "Nem parece o Brasil". Então não me venha falar em autenticidade, porque esta não pode ser confundida com esculhambação.

Ricardo Freire

Bom, Nádia, viajamos por Brasis diferentes. Ou então eu só atraio bom atendimento, devo ser abençoado. Boas viagens pra você.

A propósito: há 15 dias eu estava em Cinqueterre. Os trens mais superlotados que os da Central, com os funcionários da estação gritando: cuidado com os pickpockets! Attenzioni ai pickpocket!. Em Monterosso, mesmo havendo espreguiçadeiras vagas -- de gente que já tinha pago a conta e ido embora -- as praias não aceitavam mais clientes. Uma experiência de turismo de massa sensacional! Ainda bem que na Europa tudo funciona!

Agora, sem ironia: é óbvio que eu estava ciente de que estava na alta temporada num lugar procuradíssimo e que falhas aconteceriam. Relevei na boa. Assim como relevei o taxista em Gênova que deu mil voltas para nos levar ao hotel, o restaurante em Siena que mesmo tendo lugar me negou a entrada, o barman do terraço do hotel de 180 euros em Lisboa que não sabia o que era um porto-tónico... eu esqueço logo e sei que logo vem alguma coisa boa, e sempre vem. Não fico pensando como seria em Orlando -- porque se é para ter o padrão Orlando, melhor ir para Orlando mesmo.

Rafael
RafaelPermalinkResponder

"réplica ácida" rsrs O povo tá melindrado né?!

Carol Cavalcanti

Sem falar que tem que colocar na conta a insegurança. O risco de ser assaltada e "perder" (ser furtado) seus pertences por aqui é maior. Andei por Buenos Aires sem sentir essa insegurança que sinto todos os dias sendo moradora do Brasil. Para mim esse quesito conta muito na hora de decidir. Detesto ter que andar por um lugar lindo tendo que decidir se vale a pena o risco de perder o celular para tira uma foto...

Ricardo Freire

Carol, aí é que você se engana... a ~sensação~ de insegurança pode ser maior no Brasil, mas o fato é que no exterior existe um tipo de malandro que não há mais no Brasil: o batedor de carteira e o profissional de engambelar turista. Brasileiros perdem bolsas, passaporte, carteira, dinheiro no exterior em proporção muito mais elevada do que no Brasil.

Veja:
https://www.viajenaviagem.com/2011/02/golpes-contra-turistas-na-europa-duc-maria-lina-e-dri-alertam/
https://www.viajenaviagem.com/2017/06/santiago-furtos/
https://www.viajenaviagem.com/2011/05/orlando-quadrilhas-furtam-eletronicos-nos-estacionamentos/
https://www.viajenaviagem.com/2010/10/europa-de-carro-cuidado-com-furto-em-posto-de-gasolina/

rita
ritaPermalinkResponder

No final de janeiro, antes e depois do carnaval os preços já estão mais em conta no nordeste. Dá para aproveitar o verão e também sair um pouco dos preços abusivos da final do ano. Sempre planejo minhas viagens para esse período.

Adene Muniz
Adene MunizPermalinkResponder

Gosto muuuuito de viajar e como não dá pra ir à Europa todos os anos divido meus destinos: um ano, Brasil; no seguinte, Europa; no outro, América do Sul... só não gosto dos Estados Unidos.

Marina Figueiredo

AMO VIAJAR PELO BRASILLLLL! A eventual falta de profissionalismo é compensada, na maioria dos lugares, pela hospitalidade =)

Samuel Lopes de Assis

Concordo...

DIONISIO RENZ BIRNFELD

Isso é uma verdade. Aqui acolhemos muito bem os clientes. É comovedor tu veres uma pessoa de pé descalço num calor de uma praia correndo pra lá e pra cá o tempo todo para te servir bem e te fazer sentir acolhido. Isso tem que ser valorizado, porq

Eliane
ElianePermalinkResponder

Gosto de viajar pelo Brasil e para o exterior. Acabo de voltar de uma viagem de três meses fora. Uma excelente experiência, no entanto, confesso, depois de um mês senti muita, mas muita falta da hospitalidade brasileira.

Fernando Jorge

Apesar de não ser a região mais barata, eu recomendo muito conhecerem a Região Turística de Visconde de Mauá de preferência em épocas de baixa temporada, tanto pelo preço ser mais em conta, quanto na quantidade de turistas que estão visitando a região, ela fica super lotada..conseguindo desfrutar melhor de tudo que a região pode te proporcionar..e quanto a hospedagem.. eu super indico a pousada recanto da serra.. é de longe a melhor hospedagem.. e fica localizada a apenas 200 metro da principal vila da região, a vila de maringá.. você consegue fazer tudo a pé, sem precisar tirar o carro da pousada..

segue o site da pousada: https://mauarecantodaserra.com.br/

DIONISIO RENZ BIRNFELD

Ótima matéria. Desmistifica aquela mania de dizer que no exterior é mais barato que no Brasil. Acho que isso se deve a um hábito de falarmos mal do Brasil e desvalorizarmos coisas sensacionais que temos por aqui e que encantam a tantos estrangeiros. Realmente, alimentação como a do Brasil, em preço, qualidade e quantidade não tem em lugar algum que eu conheça. Passeios também e mesmo hospedagem, sabendo pesquisar direitinho. Claro que há situações excepcionais no Brasil, principalmente na área de hotelaria: por exemplo, réveillon no Rio e alta temporada nas praias de Santa Catarina e em Gramado podem ser proibitivos. Simplesmente não faz sentido pagar 900 ou 1000 reais uma diária em pousada nova mas sem charme em Bombinhas...Enfim, somos do Rio Grande do Sul e a minha família adora o nordeste. Sempre fizemos férias maravilhosas e confortáveis a preços bem razoáveis.

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Exatamente, sempre tem opção boa e barata no Brasil (em algum lugar) em qualquer época...

Há um ano, pesquisando hospedagem para o Réveillon 17/18 verifiquei que hotéis em Maceió que cobravam R$ 300 na baixa temporada (obrigado sites de pesquisa), estavam cobrando R$ 900.

Pertinho dali, no Recife, hotéis no mesmo padrão estavam cobrando R$ 350 na semana do Réveillon (contra R$ 300 na baixa, ou seja, uma "inflação" super aceitável).

Não tive dúvidas e passei uma semana agradabilíssima no PE.

Luxcoelho
LuxcoelhoPermalinkResponder

Coisa boa que é viajar pelo Brasil e nossa diversidade! Viajo muito p exterior o que sempre me faz valorizar o que temos no quintal Sou de SP e sempre volto pros meus lugares preferidos em todo o Nordeste e Sul, mas falta muita coisa pra conhecer como Lençóis, Bonito... Certeza q sempre encontrarei gente hospitaleira, pousadas charmosas e comida boa smile
Pra minha filhota de 4 anos, Bahia e Alagoas sempre vão competir com a "casa do Mickey" kkk
Pode melhorar? Claro, bora cobrar mais investimento em aeroportos e infra, sem tirar de saúde, segurança e educação, mas as Eleições estão aí pra isso... wink

Liliane Reis
Liliane ReisPermalinkResponder

Excelente este post! Parabéns Ricardo pelos comentários, concordância total. Viajo bastante por aqui e pelo mundo, e na minha opinião não há país como o nosso. A cada volta do exterior para cá, valorizo mais e mais o que temos como turismo. Perrengues ?acontecem no mundo inteiro, mas aqui resolvemos sempre diferente, na maioria das vezes o cliente sempre vem em primeiro lugar. Aqui somos "mimados", já vi pessoas tendo ataques de raiva à toa, gritando, etc. Gostaria de ver um desses na Europa, ou nos EUA fazendo o mesmo. Qualquer fila aqui, restaurante, trem, metrô, é motivo para reclamação. Alguém faz o mesmo lá fora? Já peguei ônibus na Europa com assento determinado, mas que não serve para nada, salve-se quem puder. Ônibus nas rodoviárias que trocam a partida para outra plataforma sem avisar a mudança para o passageiro. Bilhete de metrô que após a entrada no vagão poderá ser pedido pelo fiscal, para pegar turista desinformado com multa, ou ainda será utilizado para saída. Jogou fora?? Problemas na certa!!! Ninguém para auxiliar. Restaurante onde se espera no mínimo 1 hora se quiser!! E por aí vai.
Os turistas ficam encantados com nossas frutas, café da manhã para o pecado da gula, restaurantes onde se saboreia nossa rica culinária sem nenhum fumante ao seu lado, nossa exuberante natureza, clima, parques, museus e principalmente nosso povo, que mesmo sem a formação necessária ou estudo básico, aprendeu na raça, se desdobra para tentar deixar todo mundo feliz e exibe com orgulho sua vila, sua cidade, seu estado. O Brasil é mais barato sim, nossa situação atual é que não está favorável. Para aqueles brasileiros que não valorizaram o que temos e não compreendem nossas dificuldades, abrindo a mente, fazendo comparações honestas e isentas, restará sempre a famosa frase feita " Lá fora é melhor".
Mas para os demais a pedida será sempre, vou e volto e cada vez mais me conscientizo do que o Gilberto Gil cantou " O melhor lugar do mundo é aqui e agora".

Fernando Miranda

A nossa classe media é assim: nunca vai em um museu aqui. La fora vai pra aparecer.
Fica 5 horas debaixo de sol na fila em Orlando sem reclamar. 10 minutos de fila aqui e o xororó começa...
Da gorjeta de mais de 10% lá fora e aqui adora menosprezar garçom.

Rafaela
RafaelaPermalinkResponder

Na Itália nem pizza se divide.

Walter
WalterPermalinkResponder

Fiz um passeio por Jericoacoara-CE agora em agosto e o custo de um passeio de Buggy para leste ou oeste saiu por 250 reais para 4 pessoas por dia. Achei super em conta já que nesse período a Vila fica cheia de europeus e isso não inflacionou os custos para os brasileiros.

Fernando Miranda

Parabéns pela matéria.
É isso, mesmo.
Nos EUA já tentaram me enganar várias vezes. Com carro alugado é uma tristeza. Várias vezes que aluguei carro daqui com desconto chego lá e a moça da recepção fala que minha reserva não existe.
Ela quer que eu faça outra no balcão. E pague mais caro, logico.
Compro na Amazon e mando entregar no hotel. Varias vezes consta no site que a entrega foi recebida e o hotel fala que nao recebeu.
Sorte que a Amazon devolve a grana.
Nosso país tem muito problemas mas os EUA estão muito loooooonge de ser exemplo de alguma coisa.

Cristina Borges

Sem dúvida! Acontece muito! Fui quase roubada por uma criança no metrô de Roma. Elas entram em bando no vagão fingindo q vão viajar... e olhe q sou bem esperta, olho p todos os lados.

sheyla
sheylaPermalinkResponder

Oi Ricardo, acompanho vc a bastante tempo, no radio, no youtube, nas redes.
Voce pode me ajudar a escolher 'em cima da hora' um destino legal para o feriado de Novembro, no Brasil? Três irmãs comemorando os 50 aninhos de uma delas...Pesquisei Noronha que é o sonho dela mas desisti e estamos indo em Fevereiro. Somos do Rio. Obrigada, Sheyla

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sheila! Quem responde é A Bóia.

Leia:

https://www.viajenaviagem.com/2018/02/feriadoes-2018-melhores-viagens/#finados

https://www.viajenaviagem.com/2018/02/feriadoes-2018-melhores-viagens/#15novembro

https://www.viajenaviagem.com/2018/02/feriadoes-2018-melhores-viagens/#repcons

Fevereiro é época de surf em Noronha. Para pegar mar piscininha, vá entre maio e setembro (agosto e setembro têm o tempo mais firme).

Carolina Borba

Concordo com a maioria dos pontos do post... menos da parte do "dividir a comida", porque sou boa de garfo razz... Mas já percebi que quando viajo pelo Brasil sou muito mais "crítica" do que quando viajo para o exterior: fico pensando "Ah, mas se organizassem melhor isso"..."ah, mas se a estrada fosse melhor"..."ah, se aproveitássemos melhor esse potencial"... "se divulgássemos mais aquilo"... acho que é meu dever cívico (e chato) falando! smile Temos um país TÃO lindo, com tanta gente hospitaleira, com tanta comida boa, que se tratássemos "melhor" o turismo interno geraríamos muita riqueza. Esse tipo de post serve bastante para ajudar enxergarmos mais o "pote meio cheio". :*

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

E o café expresso ? Falencia na certa pra quem toma 3 ou 4 por dia .

Alex Cereda
Alex CeredaPermalinkResponder

Parabéns pela postagem.
Mas para contrariar um pouquinho, dá pra dividir um pastel de choclo em Santiago com facilidade...hahahaha!!

Lena Annes
Lena AnnesPermalinkResponder

Adoro as praias do Brasil, em especial do Nordeste que tem o povo mais simpático e hospitaleiro do país.
Gostaria de algunas dicas da bóia de hospedagem na Península de Maraû, na Bahia, que pretendo conhecer em breve. Obrigada.

Alessandra Guimarães de Almeida

Olá! Estou planejando uma viagem eu e meu filho de 10 anos. Gostamos de sol e praia, mas só temos janeiro para viajar, pois são as férias escolares... Gostaria de algo mais tranquilo, se é que existe nessa época.. ano passado fomos para Itacaré, e foi uma ótima experiência!! Alguma sugestão?!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alessandra!

Pense em Santo André, na Bahia https://www.viajenaviagem.com/destino/santo-andre/

Sandra
SandraPermalinkResponder

Muito bom esse post, adoro viajar pelo Brasil , principalmente Nordeste . É sempre bom procurar uma passagem mais barata .Gostaria da opinião de vocês de sites como 123 milhas e max milhas , se são confiáveis .Sempre gosto de comprar a passagem pelo site da companhia aérea , não conhecia esses sites mas vi que as passagens estão bem mais em conta , será que dá para confiar? Nos últimos anos minhas férias tem sido no Nordeste , cada ano em um lugar , sempre com as dicas maravilhosas de vocês . Neste verão estou planejando João Pessoa , pipa e Porto de galinhas .

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sandra! São confiáveis, sim.

Taise Macedo
Taise MacedoPermalinkResponder

Então, me desculpe, pois sou baiana e conheço mto meu Nordeste. Este Nordeste que vc frequentou é mto diferente do que frequento /frequentei. Vc citou três locais - Noronha, Milagres e Trancoso - com altos padrões, né? O seu Nordeste se resumiu a esses locais? Existem tantos outros por aqui que, na humildade, os funcionários e a população local tentam ao máximo agradar os turistas. Aliás, somos reconhecidos justamente pela hospitalidade com a qual tratamos quem quer que chegue em nossa região.
Ser 'enganado' pode acontecer em qualquer canto, não é uma especificidade de um determinado lugar.
É mto fácil tentar comparar os desiguais - Gramado e Nordeste!!! Culturas diferentes, formas de organização diferentes, um olhar para o turismo de forma diferente, apoio do poder público de forma diferente, etc.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar