Como furar a fila legalmente em locais como o Vaticano

Como furar fila (legalmente) na Europa e Nova York

Como furar a fila legalmente em locais como o Vaticano

Só existe uma coisa pior do que ficar horas na fila para entrar num museu ou subir a um mirante: saber que outros turistas como você conseguem entrar sem filas (e muitas vezes pagando a mesma coisa ou até menos). Existem várias maneiras perfeitamente legais de furar a fila em alguns dos lugares mais concorridos do planeta. Aqui vai uma listinha atualizada dos atalhos:

Paris e Versalhes

Sua arma em Paris para furar fila no Louvre, no Quai d’Orsay e no Palácio de Versalhes se chama Paris Museum Pass. É vendido nas lojas Fnac e em outros pontos de vendas, custa entre €48 e €74, e dá direito a 2, 4 ou 6 dias consecutivos de acesso a praticamente todos os museus importantes, com entradas exclusivas e sem filas nos mais disputados (em Versalhes a fila da bilheteria chega a duas horas; você pula essa, mas ainda precisa passar pela fila do raio-X). É possível também comprar ingresso para a Torre Eiffel pela internet. Há lotes com hora marcada disponíveis na bilheteria online, tanto para o segundo andar quanto para o topo.

Roma

Compre o Roma Pass, vendido por €28 (versão de 48 horas) e €38,50 (versão de 3 dias) nos postos de turismo. Com ele você entra no Coliseu sem passar pela bilheteria, que costuma ter filas longuíssimas. As piores filas de Roma, porém, estão no Vaticano – mas podem ser evitadas se você comprar seu ingresso com antecedência no site oficial; o ingresso custa €17, e a taxa de reserva, €4.

Florença e Pisa

Use a bilheteria online dos museus de Florença para não passar mais tempo na fila do que dentro dos museus. Tanto a Galleria Uffizi quanto a Accademia vendem ingressos online. O ingresso da Uffizi custa €20; da Accademia, €8. Há uma taxa de reserva de €4 por ingresso.

A Torre de Pisa também vende parte dos ingressos com antecedência pela internet; custa €18.

Milão

Não há filas intermináveis para ver a Última Ceia de Leonardo da Vinci em Milão, simplesmente porque todos os ingressos são vendidos pelo Cenacolo Vinciano. Programe-se com antecedência: o site avisa quando as entradas de cada par de meses começam a ser vendidas. O ingresso custa €10, mais €2 de taxa de reserva (a reserva online é obrigatória mesmo para o primeiro domingo de cada mês, quando a entrada é livre).

Caso você perca o lote à venda online, pode tentar por telefone — a gente explica como aqui.

Granada

A Alhambra pode ser o ponto alto de sua viagem à Andaluzia – isto é, caso você consiga entrar, porque o número de visitantes é limitado por dia. É preciso reservar um turno para a visita e ver os palácios Nazaríes.

Berlim

É seu estilo de viagem que vai definir qual o melhor passe turístico em uma viagem à Berlim. As opções são simples de usar, sem pegadinhas. O Berlin WelcomeCard tem versões que variam em duração e área de abrangência e inclui transporte público ilimitado e desconto em atrações (o de 72 horas custa 46 euros). O Berlin CityTour Card é semelhante, mas pode ter ainda melhor custo benefício para quem não se importa muito com museus. Sai por 24,70 euros o bilhete de 72 horas incluindo as zonas ABC. Com mais dias, vale pensar no Berlin Museum Pass, que custa 29 euros.

A visita ao Bundestag, o Parlamento Alemão, que costumava formar filas imensas, tem reserva com hora marcada obrigatória, e só pode ser feita online. A confirmação vem por email e a visita continua gratuita.

Lisboa

Lisboa oferece opções tanto para quem vai conhecer os pontos turísticos por dentro quanto para quem só quer andar pela cidade usando os autocarros, eléctricos e metrô. O Lisboa Card tem uso ilimitado do transporte público e entrada gratuita e sem fila em vários monumentos importantes, como o Mosteiro dos Jerônimos e o Arco da Rua Augusta (além de descontos em diversos outros), ajudando a ganhar tempo e euros para comer mais pastéis de Belém. O passe de 24 horas custa €19; o de 48 horas, €32 e o de 72 horas, €40 (o mais recomendável).

Viena

As duas opções de passes para quem visita Viena – o Vienna Card (que sai por €13,90 a versão de 24 horas, € 21,90 a de 48 horas e € 24,90 a de 72 horas) e o Sisi Ticket (que custa € 29,90) – são interessantes em economia para os turistas. Para fugir da fila dos palácios Hofburg e do Schönbrunn, mas ainda precisar de um passe para circular de transporte público pela cidade, aposte no Sisi Ticket. Já o Vienna Card tem transporte ilimitado e vários pequenos descontos em museus, atrações e lojas.

Amsterdã

Eu gostei muito de usar o passe I Amsterdam City Card, mas ele não poupa você de passar pela bilheteria (é o bilheteiro que passa o cartão magnético pelo leitor e imprime a sua entrada). Caso você não use o passe, então vale a pena comprar ingresso para o museu Van Gogh online; custa €17. De todo modo, a atração com a maior fila de Amsterdã, a Casa-Museu de Anne Frank, não está coberta pelo passe; para não passar pelo menos uma hora na fila, compre seu ingresso pela rede com alguns dias de antecedência; sai €9 mais taxa de reserva de €0,50.

Londres

A melhor coisa dos lerês de Londres é que todos, todos, todos os museus têm visitas grátis (há urnas para fazer doações, mas nada obrigatório). E por incrível que pareça, o efeito colateral disto é que — não há filas para nenhuma exibição permanente, vai entender. É chegar e entrar. Agora a má notícia: tudo o que não é grátis é bastante caro, e em libras. E algumas dessas atrações bastante caras em libras também vêm com extensas filas. Para subir à (“voar na”) roda gigante LondonEye, compre o ingresso (“cartão de embarque”) com antecedência; por £ 22,45 você vai direto para a fila normal de embarque (sem passar pela bilheteria, e já no horário do seu “vôo”), e por £32,45 você pega a “fast track”, uma fila expressa vip. Se você vai com crianças, pode comprar um pacote combinando a roda gigante com o Aquário (que fica em frente), o museu de cera de Madame Tusseau, o London Dungeon e outras atrações. A outra fila enorme da cidade se posta em frente à Torre de Londres; ela pode ser evitada se você achar que vale a pena comprar um London Pass, que custa a partir de £62 conforme a quantidade de dias que oferece e dá direito a outras atrações, como Westminster e o Castelo de Windsor. (Faça as contas antes de comprar; este é um passe que só vale a pena se você fizer uma programação bastante intensa.)  E se você for a Londres em agosto ou setembro, pode aproveitar para visitar os salões do Palácio de Buckingham, que só são abertos nesta época; reserve seu ingresso aqui, a partir de £23.

Atenas

O novo Museu da Acrópole já nasceu com ingressos com hora marcada pela internet. Segundo o Alessandro A., as filas não são grandes, mas não custa nada fazer sua reserva pela rede.

Nova York

Em Nova York, enfrentar as filas do Empire State tira boa parte da graça da visita. Uma das filas é inescapável: a da segurança. As outras são evitáveis: comprando online você não precisa passar pela bilheteria; custa US$ 34. Por US$ 60, você tem acesso ao deck principal (no 86º andar) e é poupado também da fila do elevador, que costuma ser enorme. Por US$ 54 (ou US$ 80 para não pegar a fila do elevador), você tem acesso ao deck principal e ao observatório no 102º andar . Se você tiver sangue-frio turístico e quiser evitar totalmente a confusão do Empire State, pode ir a seu maior concorrente, o Top of the Rock, que não é tão alto mas proporciona uma vista linda do Central Park (e é o único mirante do qual se enxerga… o Empire State). O ingresso para entrar sem fila custa US$65.

394 comentários

Douglas, infelizmente essas agencias de turismo e sites de revenda compram a maior parte dos bilhetes para a Ultima Ceia e deixam os turistas independentes sem opçoes.

Jà usei o tickitaly.com e nao tive problemas. Eles me mandaram um voucher por email, daì è sò imprimir e aparecer na Ultima Ceia com antecedencia para retirar os ingressos. Nao precisa de muita antecedencia, apenas o suficiente para lidar com alguma fila e/ou mà vontade das atendenttes do balcao que podem te fazer perder tempo e consequentemente perder o horario da visita.

Tem uma agencia de turismo em Milao, chamada Zani que vende o tour completo pela cidade + a Ultima Ceia e cobra (cobrava pelo menos, nao sei se subiu) 50 euros. Apesar de nao serem muito simpaticos, costumam cumprir o que prometem. Jà tentei negociar com eles para comprar sò os ingressos, mas nao teve conversa. È tudo ou nada: nem pagando os 50 euros para ter sò os ingressos eles me liberavam do tour!

Riq, será q é seguro comprar por esse site aqui, vc conhece: http://www.tickitaly.com , pq nele tem o ingresso da Ultima Ceia, mais caro q no site q vc indicou, porem la nunca esta disponivel…o cara do hotel q eu reservei me disse q esta dificil mesmo comprar pelo site…q é melhor por agencia de turismo la, mas tenho medo de nao conseguir no dia…e so vou ficar 1 dia em milao….inclusive nesse site ai tem ingressos para varios museus e lugares da italia…valeu abs

    Uma busca na internet traz poucas queixas, e em algumas delas evidencia-se a desatenção dos clientes.

    Imprima todos os emails e leve todos os códigos de confirmação com você.

valeu Riq….por esse Vivaticket eu tinha conseguido, porem nao esta dispovinel para comprar para os proximos meses…vou em maio e ja queria reservar o meu logo….sera q nao consigo mais pelo site….mas se deixar para o dia acho q nao consigo tbm.!!

Ricardo, o Vaticano fecha na eopoca das festas? Vejo que so tem reservas ate dia 18 de dezembro!

    Não. Aqui estão as datas: http://mv.vatican.va/3_EN/pages/z-Info/MV_Info_Orari.html

    Em dezembro o Vaticano fecha dia 8, 25 e 26. (Ops: e aos domingos, como lembrou a Luisa logo abaixo.)

    De duas uma: ou há um limite de 60 dias de antecedência para venda de ingressos, ou os ingressos depois do dia 19 estão esgotados.

    Volte amanhã para ver se o dia 19 já está disponível…

Oi Ricardo, td bem? To querendo viajar por 4 dias agora em set ou out com uma amiga. Somos solteiras e heterossexuais e gostaria de saber onde vc nos recomendaria para irmos. As possibilidades sao o Breezes do sauípe, jericoacoara Ou Arraial däjuda.

Comprei seu livro das 100 praias e amei. Sempre acompanho seu blog e os artigos da revista.

Bjs e obrigada

    Jeri vai estar mais animada e com tempo firmíssimo. Eu adoro Arraial mas o tempo é imprevisível. Breezes e resorts em geral funcionam para famílias.

Riq não sei quanto ao Orsay e Louvre, porque nós entramos tarde e não tinha fila, mas no Palácio de Versalhes tenho uma má notícia… não tem mais aquela parte separada para quem tiver o Paris Museum Pass entrar direto. Perguntei a todos da parte de informações, tirei foto para te mostrar depois… tudo agora é uma fila só. A nossa sorte é q estava pequena (meia hora a 45 min). Inclusive quero comentar com vc sobre isto depois. Tivemos poucas filas na Europa toda. Acho q é ainda reflexo da crise. E para quem vai em agosto e setembro para Paris, Lisboa ou Roma (principalmente)um aviso: chapeu (ou bone) roupa leve, muita água e protetor solar. O calor está impossível. Só em Versalhes tinha mais de 3 ambulancias atendendo casos de desmaios por causa do calor….

    Não. Isso realmente vale não só para Paris como para Roma. Quando vi a fila do Coliseo quase ajoelhei agradecendo pelo meu passe. Mas numa foto antiga sobre Versalhes mostrava uma entrada separada para entrar direto com o pass.Isso não rolou.

    Encontrei no site do Paris Museum Pass a seguinte informação:
    Priority access with the PARIS MUSEUM PASS could be interrupted during short periods for security reasons. Thank you for your understanding.

    De repente deve ser isso. Mas não passar pela fila da bilheteria já é um negócio e tanto…

ah valeu mesmo pelas dicas nem sabia disso….como so vou em março ainda estou com tempo para isso….entao compro tudo pelos sites dos proprios museus….vc teria os sites ai corretos, para eu nao comprar coisa errada….minha 1º vez na Italia, estou meio perdido com isso…quando fui para Paris nao tive problema nenhum la em museu, inclusive entrei no louvre em menos de 10 min, entrei pela entrada do metro e foi uma maravilha….valeu de novo

    Os links estão certos e atualizados aí no post.

    O Cenacolo Vinciano deve estar de férias… agosto na Itália é broca.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.