Gi Gregolin em Berlim

Street art e Berlim: tudo a ver

Minha amiga Gi — que os veteranos devem lembrar de uma viagem à Rota Ecológica, quando ela vez as fotos para a matéria que saiu na Viagem & Turismo — foi com o Rodrigo para Berlim com dicas pescadas aqui no blog. E retribui com um relatório recheado de dicas adicionais 🙂

O hotel Lux Eleven é simplesmente incrível. O quarto é uma delícia, o atendimento ótimo e a localização perfeita, em Mitte. Não consegui achar nenhum outro hotel pelos lugares por que passei que pudesse ter sido melhor. E consegui um preço bem legal, numa promoção que eles fizeram no site sem possibilidade de reembolso. Conseguimos diárias de 145 euros,  vale cada centavo. O café da manhã não está incluído, mas também nem precisa. Se não quiser gastar os 16 euros por pessoa, atravessa a rua e toma café no Bell’ Chicco,  muito bom e bem mais em conta. Fomos lá todos os dias. A redondeza é a cereja do bolo de Berlim. Delícia de passear, cheio de restaurantinhos charmosos e lojinhas descoladas. Passei em frente ao Motel One, também indicado no blog, e parece realmente muito bacana. É na esquina seguinte ao Lux Eleven, atravessando a rua cai na Alexanderplatz, quase dentro da torre de TV!

Gi e as magrelas na Gendarmenmarkt

A minha dica master pra quem vai à Berlim é: alugue uma bicicleta. A cidade é toda plana, perfeita para o ciclismo. Não precisa nem levar sua “roupa de academia”, não dá nem pra suar! Saímos da Alexanderplatz, fomos até Charlottenburg, passando pelo Portão de Brandemburgo, pela Coluna da Vitória, Zoológico, Igreja Memorial de Guilherme I. Paradinha pra foto. Seguimos pelo bairro de Schöneberg, passamos no museu da Bauhaus. Outra paradinha inevitável. Voltamos ladeando o Tiergaten, onde estava rolando uma feirinha na rua tipo Oktoberfest. De lá trancamos as bikes nos postinhos lateriais das calçadas e adentramos o Memorial das Vítimas do Holocausto. Finalizamos o passeio  passando na mais bonita das praças de Berlim, Gendarmenmarkt, concordo plenamente. Parada obrigatória pra foto. Voltamos e devolvemo a bike na Alexanderpatz, depois de 4 horas de passeio. Recomendo. Muito.

Salumeria Culinario

Restaurantinhos legais ali por Mitte, na Alte Schönhauser Str. e redondezas, fora os que você já indicou: Est — italianinho com umas entradinhas e saladinhas bem boas. Salumeria Culinario (este é numa travessa da Oranienburger, na Tucholskystr.) também  italianinho, bem simples, com mesas grandes na calçada e pratos rápidos e deliciosos (sim, também sou do tipo que fotografa pratos!).

Solar

Outro restaurante que fomos num clima romance foi o Solar. Descendo na estação Anhalter Bahnhof, meio escondido logo ali do lado está o elevador de vidro que leva ao restaurante, no 15ºandar. Você deixa o casaco no térreo e sobe para um agradabilíssimo jantar com uma linda vista da cidade.  Vale a pena subir a escadinha em espiral e finalizar a noite com um drink no bar, agora sim com vista  360º de Berlim.

Um dia antes de ir embora fomos conhecer o bairro de Kreuzberg. Por indicação de um berlinense que conhecemos, descemos na estação Schlesisches Tor e andamos as ruas entre a Schlesische Str. e a beira do rio. Duas dicas por ali: uma livraria muito fofa, chamada Ebertundweber, na Falckensteinstr. Nesta mesmo rua almoçamos num restaurantinho baratinho chamado Basilicum, que tem um cardápio de uns 10 pratos, bem gostozinho. A freqüência era 100% Berlinenses/artistas/galerinha que trabalha na área.

Menina gigante à procura do tio

E não posso deixar de comentar a sorte que a gente teve de chegar em Berlim justamente no feriado nacional, quando dois bonecos gigantes — representando uma sobrinha e seu tio — iam se procurar pela cidade, contando a história da reunificação das Alemanhas Ocidental e Oriental. Viu nos noticiários? Foi inacreditável, quando ficamos sabendo que ia rolar, tentamos descobrir de qualquer jeito onde elas iam passar. Não conseguimos. De repente, andando ali por perto do Portão de Brandemburgo, começamos a ver uma movimentação exagerada de gente, umas ruas fechadas. Tentando desviar dos tumultos eis que demos de cara com quem? A boneca gigante! Eu parecia uma criança, batendo palma e dando pulinhos, querendo subir na árvore pra ver mais de perto. Lindo, emocionante, amei essa coincidência deliciosa e inesperada da viagem…

Leia também:

Berlim pra Mira

16 comentários

Vou para Alemanha em 28 de Março; primeiro Frankfut e depois Berlim.
Estou com muita dificuldade para comprar os tickets de trem.
Gostaria de sair de Frankfurt e ir para Berlim de trem… vale a pena? Dá para me informar passo a passo como fazer para comprar os bilhetes com antecedencia uma vez que fica mais barato.
Depois vou para Budapeste-Viena-Praga e volto para Frankfurt.
Preciso de dicas para curtir essas cidades.

Olá!
Ótimo o post!!! Me fala uma coisa: lembra de qto custa esse passeio de bike?

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.