Leitor apedrejado no Bus Turístico na Boca; fato não é incomum

Caminito, Buenos Aires

Eu costumo dizer que o bom de ir ao Caminito é que você nunca mais vai precisar ir ao Caminito.

Na minha opinião, trata-se do lugar mais desinteressante de Buenos Aires: é apenas um cenário, totalmente desprovido de qualquer significado que não o de servir para ticar da lista um lugar obrigatório de peregrinação. É um lugar que atrai apenas duas categorias de personagens: os turistas e seus exploradores.

Pois agora apareceu mais um motivo para não ir ao Caminito — ou, pelo menos, não ir pelo Bus Turístico. É que bandos de pivetes da Boca agora se divertem jogando pedras, ovos e lixo nesses ônibus.

O assunto já foi matéria do jornal Clarín, agora em março: El bus turístico es un éxito, pero les tiran huevos y basura a los pasajeros.


Seria de imaginar que, uma vez denunciado o fato, a prefeitura e a polícia tomassem as devidas providências. Nananina. Veja o triste relato do Fabio, que levou uma pedrada no pescoço e foi parar no hospital:

Acabei de voltar de Buenos Aires. Passei 4 noites lá com minha esposa e meus pais. Antes de viajar, planejamos tudo e estávamos informados à respeito de assaltos e tudo mais. Por isso, tomamos bastante cuidado e não tivemos problemas com notas falsas nem furtos. Tudo seria perfeito se não tivesse ocorrido o seguinte fato, logo no meu primeiro dia. Resolvemos fazer o city tour, como muitos turistas fazem. Não pegamos o do hotel, e sim fomos pegar o da rua, que é um pouco mais barato, mas é oficial da prefeitura da cidade e tem dois andares, sendo o de cima descoberto, que dá todo um tchan pra curtir a cidade. Vimos a cidade inteira e só resolvemos saltar no Caminito, pois não pretendíamos voltar lá de taxi, por ser um local “perigoso” e tudo mais. Saltamos uma estação antes (na frente da Bombonera), por conta de uma informação errada no itinerário fornecido, e tivemos que andar uns 3 quarteirões até o Caminito. Não tivemos problemas nesse trajeto de ida ao Caminito e volta ao ponto, fora os caras chatos dos restaurantes que ficam querendo te agarrar pra comer no deles.

Mas por incrível que pareça, não escapamos da violência. Esse ônibus do city tour da prefeitura é bastante esculhambado, eles param demais em alguns pontos, demoram pra andar, e o motorista mais uma vez resolveu parar num ponto que parecia desativado, numa das ruas não turísticas da Boca (me parece que existem 3 pontos do city tour da prefeitura no bairro), para almoçar (comprou empanadas num restaurante). Logo antes dele parar no maldito ponto, escutamos um barulho de pedrada, e duas moças brasileiras que estavam sentadas atrás de nós disseram timidamente que meninos da rua haviam jogado uma pedra no ônibus. Imaginei que fossem moleques brincando de jogar pedra no ônibus, e não nas pessoas, pois é o tipo de molecagem que crianças pobres no Brasil costumam fazer. As meninas resolveram sair dos bancos do lado da rua e foram pro outro lado, mais à frente. Eu e minha esposa, na nossa ingenuidade, permanecemos sentados, com meus pais à frente, que não haviam percebido nada por conta dos fones de ouvido que ficam explicando o city tour durante o passeio. Simplesmente não acreditamos que as crianças pudessem fazer o que em seguida fizeram. Depois do motorista pegar suas empanadas e andar com o ônibus, uma criança que possivelmente atirou a primeira pedra (era um grupo que se escondeu depois da primeira) reapareceu do nada e me acertou com uma pedra enorme atrás da cabeça. Tive que levar 3 pontos na cabeça e gastamos uma nota num hospital particular, com medo de enfrentar mais sofrimento no hospital público da Boca que haviam nos sugerido. O motorista do ônibus e a “cobradora” fizeram uma cara de idiotas quando descemos e reclamamos do ocorrido, e sequer se ofereceram de nos levar ao hospital ou chamar a polícia no local. Seguimos até próximo ao Puerto Madero para pegar um taxi e ir ao hospital. Apesar disso, não abrimos mão do resto da viagem e aproveitamos muita coisa boa da cidade, assim como muitos porteños nos trataram bem e foram gentis, incluindo taxistas.

O que quero com esse comentário é recomendar que NINGUÉM vá aos bairros pobres da cidade, especialmente o La Boca. A prefeitura da cidade simplesmente não faz o menor esforço pra proteger os turistas, colocando o ônibus oficial de city tour fazendo esse trajeto, e ainda nos expondo ao risco, parando o ônibus nessas ruas desertas. O ônibus é lento demais, nos faz perder tempo de tantas paradas e filas para subir nele nos pontos principais da cidade, e ainda nos causou esse prejuízo de ter perdido 4 horas da viagem indo ao hospital, pagando uma fortuna pelos pontos e por uma injeção anti-tetânica, aguardando atendimento (mesmo pagando caro) e engolindo essa agressão gratuita.

A lição que nos fica é sempre sermos hiper cautelosos, não ter vergonha de gritar por ajuda e se abrigar num lugar protegido ao menor sinal de agressão, sejam xingamentos, pedras ou tiros. E nunca perder tempo visitando bairros carentes que não sabem tratar bem seus turistas. Fomos humildemente no Caminito, pagamos conta de restaurante, demos gorjeta, compramos águas, fizemos nossa parte pra contribuir pelo desenvolvimento local, e somos agradecidos levando pedradas. Entendo que pessoas sofridas muitas vezes retribuem com atos violentos a violência que lhes é cometida, mas acho um absurdo que a prefeitura da cidade não tenha percebido que estará perdendo muito dinheiro expondo os turistas à uma região que eles não podem garantir a segurança. Fico imaginando o que pode acontecer com alguém que resolva ir assistir um jogo na Bombonera ou ir nos bares e restaurantes da Boca de noite, sinceramente recomendo que não façam isso, o que aconteceu comigo foi tão gratuito que não quero nem imaginar o que aconteceria se alguém fosse lá ingenuamente com uma camiseta de outro time de futebol ou fizesse qualquer coisa que pudesse servir de argumento pra alguém lhe agredir.

Fabio, não ponha isso na conta de rivalidade entre países ou de rixas de futebol. É brincadeira de pivete que deveria ser reprimida e não é.

Outra lição a ser tirada deste caso: viaje sempre com seguro-assistência, mesmo se você for até ali pertinho. É barato e poupa você de perrengues na hora em que está fragilizado.

Leia também:

Alerta: cuidado com sua bolsa, câmera e compras em Buenos Aires

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire


108 comentários

Agora em 18/04.16 quase fomos roubados num restaurante indicado pela ”guias” turísticos da rua. São os mesmos que tiram foto do Maradona. Indicaram um restaurante que quiseram nos roubar na conta. Pedimos um vinho e truta é depois pediram pra trocar truta por salmão. Ok. Na hora de pagar estavam cobrando 2 vezes. Falando que era um pra cada. Só corrigiram quando fizemos mo barraco. Falaram em chamar a polícia e dizemos que podiam chamar. Estavam roubando já cara dura. A dona percebeu o corrigiu rapidamente. Bando de ladrões. Lugar de merda. Tem gente honesta. Mas esses guias não prestam. Fiquem espertos. Fomos nós lugares mais chiques e não tivemos problemas. O grande problema não esses ” guias ” e esses lugares desqualificados de merda. Lembre sem. O restaurante onde o Maradona turs foto não presta. Ladroes. Ladroes. Queria cobrar 1200 pesos no almoço. O correto foi 580.

Estou indo a BA em agosto e definitivamente mesmo depois desta enchurrada de comentários vou me aventurar e visitar sim o Caminito e mais importante La Bombonera. Não me imagino voltanto pra casa sem uma foto no estádio…

Olá!!! Bom só vou deixar meu relato pois estive em duas oportunidades visitando La Boca…na primeira eu e duas amigas, todas PALMEIRENSES, fomos vestidas a caráter, fizemos a visita ao museu, andamos até o Caminito, tiramos fotos e voltamos de ônibus (nos informamos com o pessoal do Hostel) e nada aconteceu, na segunda, com outros amigos, preferi não fazer a visita, pois não veria nada de novo e não queria gastar a toa, por mais que fosse pouco, enquanto eles visitavam fiquei sozinha do lado de fora, andei um pouquinho, como não dá pra negar que lá é meio estranho e o frio tava demais, preferi ficar dentro da loja do Boca esperando o resto do tempo, como na primeira vez caminhamos até o Caminito e as únicas abordagens feitas foram dos rapazes que ficam com os Cardápios para que vc almoce em “seus” restaurantes!
Na minha opinião, quando vc vai a algum lugar diferente é bacana conhecer tanto os pontos turísticos como os locais onde os próprios habitantes frequentam. Eu recomendo sim o Caminito, são só casinhas coloridas? Sim, mas é um ponto turístico onde vc pode tirar várias fotos bacanas e dar uma olhada nas “bugigangas” que são vendidas em qq local e que turista realmente adora!!
Eu sempre fui uma pessoa desconfiada e precavida, atualmente trabalho na área da segurança e me tornei muito cuidadosa, como já disseram, doleira realmente é uma maravilha, no caso de nós mulheres, um truque q utilizo, é guardar tb dentro da bota (calma, na canela…rs)!
Hj mesmo comentei com um amigo, se pensarmos demais, não saímos mais de casa, lógico que se pudermos evitar algumas coisas, mas minha amiga mesmo pegou nota falsa no Café Tortoni…onde estaremos livres de perrengues?!
Boa Viagem!!!
Junho vou voltar a BA com uma amiga que não ainda não conhece, bora voltar pro Caminito com a proteção de Deus!!! 🙂

Olá, estou indo agora em maio para Buenos Aires, e gostaria de saber se alguém tem notícias recentes de como anda a situação por lá no que se refere à violência. As notícias que tenho recebido é que tudo lá está extremamente caro.Essas notícias procedem?

    Olá, Cida! Tome os mesmos cuidados que você tomaria no Brasil. Leve dólares e reais para usar no comércio e aproveitar a cotação do câmbio paralelo, que deixa tudo mais barato.

Xara, se vc deu uma camisa do cruzeiro a um garto deduzo duas coisas: voce deve ser de Minas e talvez de Belo Horizonte, a segunda e que pelo seu palavreado imagino onde voce mora. Caminito e sim para ir uma vez so, e quem gosta deve gostar muito de ir ao Rio visitar os morros.

– Não percebi nenhuma atitude suspeita de ladrão, inclusive a quantidade de turistas com câmera na mão é imensa. Claro que tem muita gente que vacila. É só andar como cuidado igual a qualquer outra capital. Sugiro uma doleira(pochete interna). Quanto ao caminito, é o ponto turístico mais pobre, mas na minha visita tinha muito policial. Na realidade lá não tem muita coisa p fazer, entretanto é quase uma passagem orbigatória pra quem vai a Bombonera. É só entrar na rua principal, tirar umas fotos com os dançarinos de tango(procurem os bem vestidos e fiquem ligados que a gorjeta é alta) e voltar pelo mesmo caminho. Não precisa medo! Quanto a jogar pedra no ônibus da prefeitura, acontceu isso no passeio de um amigo pq umas turistas ficaram tirando fotos dos habitantes da comunidade. Na ocasião eles gritaram p não tirar e ela insistiu, assim… Quem quiser ir com mais segurança, é só pegar o ônibus fechado que é oferecido pelas agências de viagem na rua florida. É mais barato (90 pesos), mas só para em dois lugares (Boombonera e Caminito) e a visita tem tempo cronometrado de 25min.

Bom dia Estive em Buenos Aires em Agosto ,e posso te dizer Silvia
que existe muita coisa boa lá sim , quanto ao ?Caminito , não é
o lugar mais seguro , mas tambem nao significa que vc nao deve ir lá , andei no onibus aberto o passeio completo dura mais ou menos duas horas , e no Caminito ele nao demora muito
tem muitos lugares bons como Porto madero
e San Telmo que nos Domingos tem uma feira muito boa
acho que o que aconteceu la em La boca foi um fato isolado
nao vi pivetes lá , te aconselho silvia a ir sim
voce vai gostar

Estou assustada. Nunca desejei conhecer BA, mas meu noivo quer nos dar de presente uma viagem para lá.Depois de ler os comentários juro que vou convencê-lo a não irmos mais. Por favor me digam se existe alguma coisa boa na Argentina, e por favor não me digam que é o Maradona e o futebol argentino, pois aqui no Brasil tem melhores.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.