Rio de Janeiro

Continua sendo

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Dá para contar nos dedos as cidades do mundo conhecidas por seus slogans. Roma, Cidade Eterna. Paris, Cidade-Luz. Rio de Janeiro, Cidade Maravilhosa. O Rio é Oscar de cenário, direção de arte, casting, (falta de) figurino, roteiro e trilha sonora original.

Tudo o que é feito ao ar livre no Rio tem aparência, gosto, textura e consistência de férias. O carioca pode não se dar conta, mas fazer jogging no calçadão às 6 da manhã é como sair um pouco de férias todos os dias. Tomar um chope depois do trabalho é férias. Num domingo de sol, outras cidades param – mas o Rio entra em férias. É um prazer estar num lugar tão bem equipado para as férias dos seus habitantes.

Quer deixar tudo ainda mais bonito? Chegue pela Ponte Aérea. Um dos shows mais deslumbrantes do planeta, pelo preço de uma passagem de avião.

Quando ir

Não existe época ruim: o Rio é um destino para o ano inteiro.

O verão é quando tudo acontece, e a cidade parece ligada na tomada. Mas a época mais seca vai de abril a agosto – é por isso todo ano você assiste à mesma reportagem na TV da praia lotada num domingo de inverno.

O Réveillon de Copacabana rivaliza em beleza e emoção com o Carnaval. E já há 10 anos o Carnaval não é mais só no Sambódromo: os blocos de rua tomaram conta da cidade inteira.

Nos feriadões, é mais recomendável viajar ao Rio do que aos lugares próximos (Serra, Costa Verde e Região dos Lagos) para onde os cariocas fogem.

Como chegar

O Rio tem dois aeroportos. Um é central – o Santos Dumont, que recebe os vôos da Ponte Aérea e alguns de Belo Horizonte, Brasília, Vitória, Campinas e Porto Alegre. Dali ao Centro você pode levar mais tempo na fila de táxi do que no trânsito. Ipanema está a 13 km.

O aeroporto principal é o Galeão (ou Tom Jobim), que fica na Ilha do Governador, a 25 km de Ipanema. Ali chegam vôos diretos da maioria das capitais brasileiras, além de todos os internacionais.

De ônibus você chegará na recém-reformada rodoviária Novo Rio, situada num pedaço ainda mal-encarado da zona portuária.

De carro são 5 horas desde São Paulo.

Onde ficar

A rede hoteleira do Rio é subdimensionada para a cidade – evite ao máximo viajar sem reserva confirmada. Na Zona Sul, os hotéis de Copacabana costumam ter tarifas mais em conta do que os de Ipanema e Leblon — que são mais caros porque realmente podem: são os bairros mais bacanas da cidade.

Para mim, a localização mais inteligente é o miolinho entre Arpoador e Posto 6 de Copacabana. Ali você pode caminhar a três praias (Ipanema, Arpoador e o posto 6 de Copa, que é o trecho mais gostoso) e está servido pelo metrô (estação General Osório), com acessos por Ipanema (na praça do mesmo nome) e Copacabana (na rua Francisco Sá). Estão neste quadrante o Atlantis Copacabana, o Mercure Apartments Arpoador, o Arpoador Inn, o Adagio (antigo Mercure Ipanema), o Orla, o Rio Design, o Rio Hostel Ipanema, o superbarato Cristal Palace e, por que não, o Fasano e o Sofitel.

Em Copacabana, gosto da localização do Pestana Rio e do Promenade Princess (na região do Baixo Copa), do Premier (em frente ao metrô Siqueira Campos), do Royal e do Ibis Copacabana (que não estão longe do metrô Cardeal Arcoverde).

Meus favoritos em Ipanema são o Ipanema Plaza, o Promenade Visconti e o Mar Ipanema. O Ipanema Inn tem instalações simples e uma boa relação custo x benefício na quadra da praia. Caçadores de pechinchas devem procurar os superbásicos Vermont e San Marco.

No Leblon o Promenade Palladium está a meio caminho entre a rua Dias Ferreira e a praia. O Ritz Leblon também está perto da muvuca dos restaurantes.

Santa Teresa é um pólo de pequenos hotéis de charme (e muitas pousadas para mochileiros gringos).

Indo a trabalho você provavelmente estará bem servido pelo hotéis do Centro (há alguns inclusive próximos ao aeroporto Santos Dumont, como Novotel e Ibis Santo Dumont) e da Barra da Tijuca (para onde muitas empresas têm se transferido).

Leia comentários de leitores sobre 65 hotéis do Rio aqui.

O que fazer

Não faça como os cariocas – suba, sim, aos cartões postais da cidade. Para melhores fotos, vá ao Pão de Açúcar de manhã (o sol iluminando o Cristo) e ao Corcovado à tarde (o poente incidindo sobre o Morro da Urca).
Se não quiser rodar muito, vá direto ao ponto: restaurantes, rua Dias Ferreira no Leblon e Maria Angélica no Jardim Botânico; vitrines, Ipanema (rua Garcia D’Ávila, Praça N. Sra. da Paz); noites cariocas, Lapa. Em Copacabana, confira o Baixo Copa, nas imediações da rua Bolívar.

Para praias mais belas que as da Zona Sul, vá à Prainha (para lá da Barra) e Itacoatiara (Niterói).

O Rio é insuperável nos quesitos música popular e teatro. Os guias saem nos jornais de sexta.

Veja nos posts abaixo uma coleção de sugestões para você aproveitar o Rio.

Rio de Janeiro no Viaje na Viagem

 

 

 

 

 

 

 

 

284 comentários

Bruno
BrunoPermalinkResponder

Estou querendo ir em abril ao RJ pela primeira vez, já ouvi dizer em duas regiões boas. queria saber a diferença entre elas.. seria a região de copacabana, ipanema e leblon e a outra seria a região dos lagos. qual vcs acham melhor?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Bruno! A região dos Lagos é para curtir praia apenas. O Rio de Janeiro tem muitas outras atrações além da praia; depende do seu objetivo para as férias.

Luna
LunaPermalinkResponder

Bruno,

Se você nunca veio à cidade do Rio, deixe a Região dos Lagos para outra vez, fica a cerca de 2h da capital.

Thaís
ThaísPermalinkResponder

Bruno,sou daqui do Rj e recomendo que fique em Niterói.Procure algum hostel em São Francisco ou hotel no Ingá.Tem praias oceânicas maravilhosas,é próximo ao Rio de Janeiro(cidade) e ainda dá pra curtir a região dos Lagos,que não é só praia não.Búzios tem boates,restaurantes ótimos,trilhas.Enfim,fica a dica.

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Furada total essa dica sua hein. Niterói tem vários atrativos, mas são para quem já conhece o Rio ou para passar o dia. Até acho Itacoatiara uma praia muito melhor que as do Rio, mas definitivamente, para um turista, não vale a pena ficar em Niterói.

Leonardo
LeonardoPermalinkResponder

Bom gostaria de saber se em abril é uma época boa para conhecer o Rio, se chove muito ou é frio?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Leonardo! O outono costuma ser uma ótima época.

Francisco Garcia Lima

Em Junho/16 estarei em férias. Tenho muita vontade de conhecer o Rio. Gostaria de ir com meu carro. Para todo mundo eu menciono meu desejo eles tiram minha ideia da cabeça. É perigoso e tal! Gostaria de algumas dicas para não passar por nenhuma saia justa quando estiver lá. Poderia me dar alguma dica?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Francisco! Não é perigoso, apenas é muito difícil de estacionar na Zona Sul. Fora do horário de pico, o metrô é uma beleza, e agora o Uber supre as falhas dos táxis. Se você for de carro, deixe na garagem do hotel. Use apenas para visitar lugares no caminho ou ir à Barra e praias da Zona Oeste ou à Serra.

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Francisco, é como a Boia falou. Para quem vai fazer os paranauê básicos de turista, o transporte público atende muito bem e, dependendo de onde vc se hospedar, pode fazer muita coisa a pé. O carro torna-se um transtorno.

Faça uma simulação: veja tudo que vc pretende conhecer e coloque no Google Maps. Aposto que o carro não será uma grande vantagem e ainda vai te dar dor de cabeça com estacionamento/flanelinhas.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Comentar novamente

Cancelar