Europa: quantos dias em cada lugar?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Eu sei: é muito difícil planejar uma viagem à Europa com poucas escalas. Nossa vontade é abraçar o continente inteiro a cada viagem. Com a desculpa "ah, depois eu volto com mais calma", a gente acaba com uma coleção de viagens feitas pela metade, e com uma lista enorme de lugares para voltar. Vai por mim: voltar é ótimo quando a gente tem saudade de um lugar -- mas voltar a uma cidade porque não visitou direito é gastar duas vezes para visitar um lugar só.

Na prática, a gente só aprende isso depois de viajar (e gastar) muito. Aproveite essas dicas para viajar bem desde o início.

Precisa mesmo tantas paradas assim?

Arezzo

Arezzo

Não se iluda quanto à aparente proximidade entre cidades. Qualquer deslocamento envolve mais tempo do que a gente imagina. Quando o deslocamento inclui mudança de hotel, gasta-se ainda mais tempo e energia. É preciso fechar as malas. Fazer check-out. Deslocar-se com malas à estação ou ao aeroporto. Ou enfrentar a saída da cidade, se estiver de carro. Na chegada à outra cidade, é preciso encontrar o caminho do hotel. Fazer check-in, ou pelo menos deixar as malas. Só depois de tudo isso é que dá para dizer que você chegou realmente.

Em termos: você chegou, mas boa parte da sua energia se perdeu pelo caminho. Viajar com a casa nas costas -- nem que seja uma mala de quatro rodinhas -- é estressante, e no final do processo você vai se sentir mais aliviado do que propriamente louco de vontade de sair por aí.

Por isso a primeira dica geral é: não considere o dia do deslocamento na sua conta de dias no lugar. O dia da chegada é para desestressar e fazer coisas descompromissadas, que não requeiram planejamento ou reserva. No dia da chegada, tudo é lucro. Encarando assim, a chegada é mais prazerosa.

Quanto tempo ficar em...

Paris e Londres? 5 a 7 noites

Paris e Londres são cidades que, definitivamente, não se esgotam no city-tour. Pelo menos da primeira vez, precisam de uma estada mais longa. Cinco ou seis dias. Idealmente, uma semana. Você não ficaria uma semana em Orlando? Pois então.

Supercapitais: 4 a 5 noites

Lisboa, Madri, Barcelona (capital da Catalunha...), Roma, Berlim, Amsterdã, Istambul -- grandes capitais merecem pelo menos quatro dias inteiros. Um eventual quinto dia pode ser usado para um bate-volta. Quatro dias costumam ser suficientes tanto para os lerês principais quanto para os bundalelês essenciais. Ao fim da estada, você deixará a cidade com algum senso de localização, e sabendo mais do que sabia antes de chegar. (Quando você passa muito rápido, só tem tempo de confirmar a existência do que já estava careca de saber antes de sair de casa.)

Outras capitais: 3 a 4 noites

Budapeste, Viena, Praga são cidades que dá para resolver em três dias inteiros (idealmente, programe quatro noites porque o dia da chegada nunca será inteiro).
 

Cidades de porte médio: 3 noites

Florença, Veneza, Sevilha, Porto valem dois a três dias inteiros (logo, programe três noites).

Dá para ficar mais tempo?

Claro! Sempre haverá mais o que descobrir na cidade, ou passeios aos arredores.

Dá para ficar menos tempo?

Sim, mas você vai ter dias intensos e 100% turísticos, sem tempo para descobertas fora do roteiro padrão (e essas descobertas, acredite, normalmente são os momentos mais memoráveis de uma viagem). De todo modo, procure não programar menos de duas noites numa cidade. Explico o porquê no próximo tópico.

Evite ficar apenas uma noite

Florença

Florença

De vez em quando será inevitável dormir apenas uma noite em cidades que estejam no meio do caminho e/ou que se resumam a um monumento ou atração, sem mais nada de interesse. Ainda assim, procure não fazer uma seqüência de cidades de uma noite só, para não perpetuar a rotina fechar mala/check-out/viajar com a casa nas costas/achar hotel/check-in/se livrar da mala.

Sempre que o seu roteiro acusar a necessidade de uma seqüência de pernoites picadinhos, verifique se não é possível (1) montar base numa dessas cidades e fazer as outras no esquema bate-volta ou (2) roubar no jogo e visitar alguma delas como pit-stop sem pernoite. (Mais detalhes a seguir.)

A arte e a ciência do bate-volta

Apesar do inconveniente de (quase sempre) ir e voltar pelo mesmo caminho, o bate-volta é o meu modo favorito de visitar lugares que não valham o pernoite. Você sai do hotel sem precisar fechar conta nem arrastar mala, e quando chega ao destino do dia, é só sair passeando. Dá pra usar a ida para se preparar, relendo o guia (no trem ou no banco do passageiro do carro) e a volta para descansar. Você aproveita o dia com energia total, e de repente ainda tem gás para sair à noite na cidade-base.

Para dar certo, o importante é que a viagem dure uma hora, no máximo uma hora e meia. Mais do que isso fica cansativo -- você provavelmente vai querer chegar de volta ao hotel e dormir direto.

O truque esperto do pit-stop

Bruxelas

Bruxelas

Visitar um lugar a caminho de outro é uma maneira interessante tanto de saciar o seu apetite de ticar lugares quanto de tornar divertido um trajeto longo e chato (Bruxelas ou Bruges entre Paris e Amsterdã; Dresden entre Berlim e Praga).

Também é um jeito inteligente de evitar um bate-volta, fazendo o caminho apenas num sentido (Córdoba entre Madri e Sevilha).

O raciocínio do pit-stop deve ser parecido com o de uma escala de cruzeiro. Você precisa ter em mente que não dá para ver e experimentar tudo. É preciso foco. Reduza, conscientemente, aquela cidade à sua principal atração e seu entorno.

O que torna o pit-stop atraente é a dinâmica de interromper a chatice de uma viagem longa por algumas horas de atividade intensa. Daí você usa a segunda parte da viagem para descansar (no trem ou no assento do passageiro). Provavelmente você vai chegar moído no seu destino final; mas, como eu disse lá em cima, o dia do deslocamento nunca conta, e no esquema pit-stop você não terá perdido esse dia.

Mas atenção: antes de programar um pit-stop, pesquise direitinho onde você vai deixar suas malas. Essa questão é fundamental. Estando de trem, google as palavras-chave "lockers" ou "left luggage" ou "luggage storage" junto com o nome da cidade (tente também com a palavra "station"). Estando de carro, deixe o carro sempre em estacionamento fechado e pago, com todas as malas, bolsas e sacolas no porta-malas, sem nada à mostra.

Ferramentas úteis

  • Para pesquisar horários de trem: Deutsche Bahn (use datas nos próximos 60 dias)

Leia mais:

391 comentários

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Riq,
Muito bom! Amei os "bundalelês essenciais" mrgreen

Cláudia
CláudiaPermalinkResponder

Excelente post! Nota 10!

Paulo Torres
Paulo TorresPermalinkResponder

Os dias de passeios bate-volta se somam aos dias para ficar em cada cidade, certo?! De Munique, por exemplo, se presta a bate-voltas ao Castelo de Neucshweinstein, ao campo de concentração de Dachau e à Legoland alemã (sim, eu fui lá) - todos passeios de um dia inteiro. Em três dias não sobraria tempo para passear em Munique propriamente...

Ricardo Freire

Claro. Dias de bate-voltas são extras mrgreen

Vivian
VivianPermalinkResponder

Apenas um comentário: excelente! smile

PattyBraga
PattyBragaPermalinkResponder

"...saciar o seu apetite de ticar lugares..."

Clássico!
rsrsss...
grin

Marcia
MarciaPermalinkResponder

Tambem adorei o post. Já cheguei à conclusão que valem a pena os bate-voltas que vc sugere, tomando como base um lugar. Só preciso controlar o desejo de dormir às vezes um dia ou dois em cada cidade pra ver a noite....

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Ricardo,

Concordo plenamente com seu post.

E, apenas como exemplo, por minha experiência, posso dizer o seguinte: para Munique os três dias sugeridos sao absolutamente o mínimo considerando apenas a cidade em si.
Qualquer bate-e-volta deve ser acrescido à conta final.

Morei perto de Munique por 18 meses, e fiz bate-e-voltas (é assim o plural??) sempre que possível nos fins de semana, e ainda faltou muito para conhecer.

Carlos Henrique

Oi Marcelo, com todo o seu conhecimento por morar perto de Munique, quais os bate-e-volta que você recomenda para se fazer no inverno? Tinha pensado em Dachau, Newshweinstein, Innsbruck e Salzburg. Você pode me dar mais dicas? Obrigado.

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Oi Carlos,

Desses quatro destinos, conheci Neuschwanstein no inverno, e os outros três apenas no verao, mas acho que deve ser bonito da mesma maneira.

Para Neuschwanstein acredito que o ideal seja passar a noite em Füssen, pois você visitaria também o castelo de Hohenschwangau (ao lado de Neuschwanstein), e durante a volta para Munique pode passar por Lindenhof.

Para Dachau você pode ir utilizando o S-Bahn de Munique, é rapidinho. Mas além do campo de concentracao, visite também a cidade, que é pequena mas vale a pena.

Innsbruck no inverno deve estar cheia, por conta do pessoal que vai esquiar, mas você nao deve perder, da mesma maneira que Salzburg, outra cidade espetacular.

Suas quatro escolhas sao realmente muito boas; mas para complicar um pouco mais sua vida, sugiro também visitas a Nürnberg e Regensburg.

Boa viagem!

Adolfo
AdolfoPermalinkResponder

Carlos,

Para a Áustria e Neuschwanstein, acho que não fica legal o bate e volta no inverno. Como pode nevar nestas regiões, atrasos podem acontecer e mesmo dirigir pode não ser tão fácil. Além do mais a região é muito bonita e passar só o dia fica com a impressão de "quero mais". Se fosse eu, sairia de Munique, dormiria em Füssen, iria a Innsbruck, depois a Salzburgo e depois voltaria a Munique. Se pintar vontade de ficar mais, fique.

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Olá Carlos,

qualquer outra dúvida entre no blog da minha esposa, lá tem detalhes de tudo que precisa para a sua viagem.Ela poderá responder todas as suas dúvidas.
Abraços,
Marcelo

http://alemanhaporquenao.blogspot.com/

Mariana "de Toledo" (@merel)

Artigo de primeira necessidade, hein.

Edson Maiero Lins

Riq,

muito bem explicado. Algumas vezes a sede de conhecermos vários locais/cidades nós fazemos loucuras que acabam se transformando em pesadelos e estragando a viagem.

abraço,

Clarissa M. Comim

Muito bom! Concordo com todos os itens listados. Os dias de bate-e-volta devem ser extras, claro! Realmente um post muito útil! wink

Rosa
RosaPermalinkResponder

Perfeito!!!
Lição nº 1: cada um de nós é inteiramente responsável pelos seus atos, então é só "aplicar — ou não!" as dicas do comandante Ric.

Robs
RobsPermalinkResponder

Dicas excelentes!! Mas mesmo aproveitando bem os dias em cada lugar, depois sempre fico com a sensação de que preciso voltar um dia. Voltar ou conhecer outros novos lugares? Há lugares que merecem muitas voltas. Ai ai grin

Tiago dos Reis - Rotas Capixabas

Taí, Riq! Achaste uma forma bem elegante - e menos antipática (rs) - de evitar os pedidos de ajuda nonsense!
Será que o pessoal do google vai realmente entender a sua mensagem?

Ricardo Freire

Este post precisava ter sido feito há mais tempo. Ele vai ser usado como resposta a pedidos de destrinchamento de viagem. Vou fazer isso com outros assuntos também.

zezé
zezéPermalinkResponder

Boa! \O/

Zé
PermalinkResponder

Olha só...dois pit-stops que gostei muito e foi facinho de fazer quando fomos à Itália: entre as Cinque Terre e Cortona pit-stopei em Pisa, e entre Cortona e Roma pit-stopei em Assis. Pisa e Assis têm estações de trem com guarda-volumes, which is hand-on-the-wheel mrgreen

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Excelente sintetizada, Riq!
(resta saber se vão obedecer, ou perguntar de novo wink

Claudia Beatriz

Adorei! As dicas são mesmo pra uma viagem ideal. Segue quem tem juízo né? smile Meu sonho de consumo são 7 dias inteirinhos em Londres só pra bater perna! smile

Natalie
NataliePermalinkResponder

Riq,
Já falei que quando eu crescer quero ser como você e fazer a mala como a Sylvia? grin grin grin

Esse post ficou excelente mesmo, de grande ajuda.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

P-e-r-f-e-c-t-o !
Vale lembrar de fotografar o carro estacionado e o bagageiro cheio.Isto ajuda muito no caso de ter que acionar o seguro .

Ana Maria
Ana MariaPermalinkResponder

Adorei o post, Riq! Mais um pitaco: o bate-e-volta é muito útil pra avaliar se, numa próxima oportunidade vale ficar uma noite pra conhecer o local à luz das estrelas... Andar pelo Mt. St. Michel sob a luz da lua, sem hordas de turistas, por exemplo, foi uma delícia!
E Sylvia, essa dica de uso do celular foi mara!!!

Luciane Garcia

Com certeza um bom agente de viagens, que conheça bastante aquilo que vende consegue também, junto com seu cliente, montar um belo roteiro, otimizando o tempo em cada cidade, evitando os deslocamentos necessários, o corre-corre do abrir e fechar malas todos os dias...

Oscar
OscarPermalinkResponder

Riq!!
As Dicas são ótimas... Mas infelizmente todos nós sofremos da sindrome do Overplanning!! Na verdade o problema no fundo mesmo é muita coisa para fazer/conhecer e pouco tempo para tudo!! Mas estamos aprendendo...rsrs

Wander
WanderPermalinkResponder

O planejamento da minha viagem a Italia agora em junho, foi feito com a leitura da VnV e blogs dos trips. Foi uma viagem fantastica. Agradeço ao Riq e a todos os comentaristas. Fui direto pra Milão pela TAM. Todos os hoteis localizados proximos das estações de trem (pois fiz todos os deslocamentos de trem),com os trens no horario intermediario entre o check out de um hotel e o check in no proximo hotel,(entre 10:00 a 12:00 na ida e chegada no destino entre 14:00 e 16:00 hs).Hoteis reservados pela Hoteis.com. Transfer Malpensa/Milão comprado antecipadamente pela internet, de onibus(ida e volta). Milão : 2 noite/3 dias : chegada e descanso; neste dia a unica atividade foi ir a Estação Central comprar as passagens de trens, pagos com cartão VTM. 1 dia inteiro em Milão para os leres (Duomo e Galeria Vitorio Emanuelle) e visita ao Cenaculo Vinciano para ver a Ultima Ceia de Leonardo da Vince (reservado pela internet com bastante antecedência). 5 noites e 6 dias em Firenze com bate e volta de trem para Pisa e Lucca.Visita a Galeria Uffize e Academia com reserva de horario pela internet. La Spezia :2 noites/3 dias : base pra visitar as 5 Terre : 1 dia inteiro passeando pelas 5 Terre: lindo, lindo,(ida e volta de trem : 5 minutos até Riomaggiore).La Spezia me surpreendeu : é uma cidade bonita, com uma marina e lindo jardim e muito tranquila. Roma : 5 noites e 6 dias (só em Roma, sem nenhum bate e volta).Vaticano e Coliseu reservados pela internet. Veneza : 4 noites e 5 dias : só Veneza e foi ótimo, deu pra se perder bastante por Veneza : visita ao Palacio dos Doges e Accademia. É isso ai, as coisas batem com os tópicos do post. É só seguir a receita do VnV e não tem erro.

Ricardo Freire

Obrigadaço, Wander!

carrico
carricoPermalinkResponder

Adorei o post. Concordo com tudo. Apenas acho que quem ama Paris de paixão (como eu) geralmente não gosta tanto de Londres, ou seja, quem sente a necessidade de NO MINIMÓRUM uma semana em Paris, contenta-se com quatro dias de capital inglesa. Já fiz pit-stop em Assis, Coimbra,Innsbruck e mesmo Milão que,salvo interesses específicos, dá para fazer (Catedral, Gallerie, Scalla e Castelo Sforzesco) em um dia. Na Itália, cruzei com pessoas que sairam de Firenze e passaram apenas meio dia em Pisa (apenas Torre e Catedral). Vale a pena um dia para descobrir joias pisanas. Nápoles também é um pecado para quem está apenas de passagem para Pompéia (bate-volta desde Roma). Ficar em Nápoles uns dois dias antes de fazer bate-volta à Pompeia é sensacional! Outros bate-voltas que curti: desde Londres, Oxford e Canterbury (Stonehenge é roubada). Desde Paris, Giverny, Chartres e Versales.

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalinkResponder

"É só seguir a receita do VnV e não tem erro." (2)

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Acabei de voltar de Bs.As. e reforço, "É só seguir a receita do VnV e não tem erro"

Lili-CE
Lili-CEPermalinkResponder

É só seguir... e não tem erro! (Milésimo membro :cool: )
É por essas (e outras) que amamos você, Riq!

Robson
RobsonPermalinkResponder

“É só seguir a receita do VnV e não tem erro.” (3)

Eu estava preocupado com o meu roteiro de férias em Setembro. Mesmo sendo a primeira viagem a Euoropa, tentei manter os pés no chão, sabendo que não veria tudo e mto menos todos os países. Após ler o este post, fiquei tranquilo. Acho que estou no caminho certo.

Evitarei trens, fazendo todas as ligações de avião.

Lisboa: 4 dias (bate-volta pra Sintra)
Barcelona: 5 dias
Paris: 6 dias
Cote d'azur: 4 dias

Sempre útil este site. Perfeito.

Eneida
EneidaPermalinkResponder

Há alguns anos planejo minhas viagens pescando dicas daqui e dos trips que ajudam muitíssimo e sempre as vezes descobrimos algo diferente. Tenho usado um buscador de passagens que é meu preferido e já indiquei pra muita gente com total aprovação.:
www.momondo.com
inclui low costs que não acho no skysanner e é bem pratico de pesquisar. Alguém aí já usou?
Outra dica que vou usar nas minhas próximas ferias tb pode ser útil. Tinha 50000 milhas na TAM e marquei uma passagem indo pela Europa e voltando por NY. Comprei um trecho Londres NY por 300 dólares numa low cost. Vou a Croacia por 9 dias e a Russia por 7 dias gastando muito pouco com passagens. Antes não permitiam que se comprasse um trecho só pra viagens internacionais e agora a flexibilidade aumenta bastante pq também da pra usar milhas de 2 programas diferentes na mesma viagem. Espero poder ajudar e trocar experiências com estes relatos.

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Eneida, nunca usei o momondo mas já tinha visto uma indicação. Dá pra comprar pelo site? Ou direciona para os sites das cias aéreas? Obrigada!

Riq, excelente idéia!

Eneida
EneidaPermalinkResponder

Ele redireciona. É só um site de busca. Nunca usei pra carro e hotel mas já consegui ótimas ofertas de passagens que não apareciam no skyscanner.

PêEsse
PêEssePermalinkResponder

Mais um ótimo post. Vai poupá-lo de responder mil vezes a mesma coisa. Bastará mandar todo mundo para cá. Com isso sobra mais tempo para perguntas mais "pedaçudas". Só uma observação pessoal: eu poria Viena pelo menos no mesmo time das grandes capitais, ou seja, recomendando no mínimo (mas no mínimo mesmo) quatro dias inteiros. A cidade é muito bonita e tem muita coisa para se ver em três dias. Sem falar no dia inteiro a mais que tem de ser acrescido para o bate-e-volta para Bratislava.

Jurema
JuremaPermalinkResponder

Onde é que eu assino embaixo?

Vicente Frare
Vicente FrarePermalinkResponder

eu prefiro viagens curtas, de até 10 dias. Vou para Paris com a KLM e passo um ou dois dias em Amsterdã. Ou vou para Berlim com a Air France e passo uns dias em Paris. Ou vou de TAM: entro por Madri e saio por Milão. Coisas assim. Mais do que isso, acho exagero. Melhor poder flanar, tomar café da manhã em uma boulangerie sem pressa, etc. A vida é para aproveitar. Fazer 15 países em 20 dias é estressante.
Vicente
http://viagem.vc

marcio nel cimatti

Nossa esse post tem muitas respostas para o pessoal que vive fazendo roteiros apertados e perguntando se está legal lá no blog. Vai ajudar muito! Valeu Riq!

Marilia Pierre

eu sou bem preguiçosa e muito lerda.

Essa história de três países em 10 dias acho uma perda de (meu) tempo.

afinal viajo para espairecer, descansar, desacelerar...

Carmem
CarmemPermalinkResponder

Muito bom, Riq!
Mais uma dica: vale também deixar a bagagem numa capital e sair fazendo pela região alguns pit-stops com uma mochilinha essencial.
Comigo sempre dá certo!

Ricardo Freire

Boa!

Alê Godoy
Alê GodoyPermalinkResponder

Já fiz isso e foi ótimo! Recomendo também!!!

E sobre o post, Ric, perfeito!!! Você é sensacional!!

Mirella
MirellaPermalinkResponder

O pouquinho que sei sobre viagem, aprendi aqui.
Antes, vivia na correria, mas passava pelos lugares do que realmente conhecia.
É muito mais gostoso curtir com calma e aproveitar cada lugar como se é devido.
Belo post...

Senzatia
SenzatiaPermalinkResponder

Acho que vou passar o link deste post quando os meus clientes comecarem a perguntar o porque de eu achar que nao dá pra ver 20 cidades em 1 semana! heheh
Excelente post, Riq!

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Algo importante tambem de nao deixar tao apertado sao as emergencias. Estou em Viena, onde programei 3 dias + bate-e-volta a Bratislava. Pois tive um problema medico (nada serio, mas o suficiente para preocupar) e acabei perdendo praticamnente o dia todo de hoje (so fui liberado as 16). Como o dia esta bastante longo, vou tentar correr um pouco nos proximos 2 para ver se mantenho a agenda, porem na pior das hipoteses sempre terei o dia do bate-e-volta para simplesmente ficar mais por aqui em viena mesmo...

Lu
LuPermalinkResponder

Sensacional,Riq!!Resumido c/objetividade!E várias dicas valem tb p/outras regiões.Definitivamente, vc é o cara!!
Bjs,
Lu

A. Lot
A. LotPermalinkResponder

Dicas para quem vai alugar carro para fazer bate-e-voltas ou outros programas e quer programar distâncias/dias:

- você fará melhor uso do carro montando base do que usando a mobilidade que ele proporciona para fazer pinga-pinga ao estilo acordar-empacotar-rodar-desempacotar.

- não confie *tanto* assim no tempo de viagem informado por sites como Michelin e Google Maps: adicione uns 15-20% para auto-estradas e 30-40% para percursos em estradas locais ao calcular o quão longe, em tempo, os lugares que vc pretende visitar realmente são de uma base.

- estar de carro mata o problema de ter de ir pelo mesmo caminho da volta. Quase sempre haverá uma vila, cidade, montanha, parque anônimo ou semi-anônimo que vale o desvio ao lado. Não programe uma viagem de carro como se estivesse no trem. Use o GPS, mas não fique escravo dele.

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Assino em baixo!
Carro também é bom pra "esticar" os lugares mais legais. Se vc gostou de um lugar, pode deixar pra ir embora só de tarde; se não foi bem a sua praia, já dá pra seguir direto pro próximo destino cedinho, sem tristeza.
Eu sempre programo pit-stops na viagem, pra conhecer lugares que, com pouco tempo, já dá pra matar (tipo Pisa, que só tem a torre e o batistério mesmo - fui passear no resto da cidade pra ter certeza, mas não tem mais nada imprescindível). Com carro, dá pra ter flexibilidade e escolher o mais legal, se é demorar mais em algum lugar, e pular o pit-stop, ou seguir direto pra ele. Sem contar as várias surpresas não planejadas...

Pablo
PabloPermalinkResponder

Riq, parei um pouco de acompanhar diariamente, quando o blog tinha se tornado um vício completo. Mas, volta e meia volto e, sempre, sou surpreendido. Agora, pela organização, pelo cuidado (como sempre), pela qualidade das dicas e pelo carinhos dos colaboradores. Sempre vou ser grato. Parabéns pela milésima vez.

Tiago Caramuru

Adorei Riq! Principalmente a parte de não contar com o dia de ida e volta.
E vai uma sugestão: em circuitos de poucos dias em lugares que ficam perto de cidades grandes (tipo perto de Lisboa que tem Coimbra, Fátima, Óbidos, Alcobaça, Mafra, etc) dá pra deixar a mala grande no guarda volumes do aeroporto pra economizar com diária de hotel e rodar só de mochila.
Vale também pra outros lugares, por exemplo pra ir pra safaris que ficam um pouco afastados de cidades grandes na África.
Abraço!

José Luiz - Viver a Viagem

Riq, vou estar indo (amo gerúndio!!) para a Europa conhecer uns 10 países no mês que vem e queria saber se meu roteiro com Londres, Paris, Madrid, Roma, Praga, Amsterdã, Lisboa, Bruxelas, Viena, Estocolmo está bom??(afinal dá pra ticar o país conhecendo a capital em 2 dias né???) grin

Eu morro de rir com esses comentários!!! E apesar de saber que agora a resposta para esses comentários será esse link, não consigo me iludir que quem fizer a pergunta irá se satisfazer com esse link... aposto que sempre terá um MAS para fazer mais infinitas perguntas... hehehe

De toda forma, ótimo post como sempre!

P.S: Eu amo adotar cidades base para fazer uns bate-volta de 1 dia! Sempre acho que esse é o diferencial de Madrid em relação a Barcelona por exemplo! hehehe

A. Lot
A. LotPermalinkResponder

Saber que eu estava pensando nisso? Sem querer ser rude, nem nada, acho que algumas pessoas gostam da ideia de fazerem uma "viagem personalizada", mas não querem correr nenhum risco, então só querem trocar o agente de turismo tradicional pelo blogueiro hahah.

Rapha Aretakis

Essa é a minha segunda vez na Europa e nunca acho que fico tempo suficiente nos lugares. Praga passamos só 2 dias, mas quero mais, muito mais! Sinceramente, queria vários clones meus espalhados curtindo por aí. hehehehhehe

Marina Bertolucci

hahaha.. Perfeito!!! Quero um clone meu tb!! Enqto um está aqui no escritório, outros estão espalhados pelo mundo, vivendo a vida de verdade!!!

Fernanda Vier
Fernanda VierPermalinkResponder

Fui em maio pela primeira vez com roteiro feito inteiramente por conta e pela internet. O VnV ajudou muito, claro, assim como o Trip Advisor e o Conexão Paris. Acho que escolhemos bem o tempo em cada lugar (4 em Praga, 3 em Garmisch - com bate-voltas a Innsbruck e Füssen, 3 em Munique, 7 em Paris e 3 em Amsterdam), pois também abomino correria. Para os deslocamentos maiores, usamos avião, carro (só no interior da Alemanha) e trem e não tivemos maiores contratempos.

Sei que a maioria não concordará, mas os 7 dias em Paris me cansaram. Acho que valeria ter ficado um a mais em Amsterdam, por exemplo. Enfim, contei um pouco da experiência aqui: http://fernandavier.blogspot.com/2010/07/europa-e-internet.html . Também falo da "aventura" de subir a Torre Eiffel ( http://fernandavier.blogspot.com/2010/06/tem-que-ir_10.html ). Abraço!

A. Lot
A. LotPermalinkResponder

Acho que acontece o seguinte: em uma viagem de vários destinos e mais de 5/7 dias, não tem como todos eles serem "mágicos" ou especiais. Como vc mesmo disse, os 7 dias em Paris cansaram pq havia mais coisa a ser vista em outros locais.

Será sempre um dilema: com vários locais a visitar, é impossível "acertar a mão" sempre.

helo
heloPermalinkResponder

Parabens pelo post, está excelente, como sempre! Tento ficar mais dias nas cidades que visito, mas confesso que muitas vezes não há como, por conta do roteiro que eu e o Breno K optamos por fazer. Pensando em longo prazo, escolhemos primeiramente lugares que queremos muito visitar, mas com menor infra estrutura ou que exija um preparo fisico legal para melhor aproveitar. Até por acharmos que não vamos voltar mais para este destino, o que não é o caso de Paris, por exemplo, pela facilidade, incluimos mais cidades, ficando, em geral, dois dias inteiros livres em cada. Para compensar o numero de dias, estudamos e estudamos os lugares que vamos visitar, e chego ao ponto de, na fase de planejamento, fazer uma planilha excell dia a dia com o nosso schedule de passeios e com a previsao de custos.

Cris Campos
Cris CamposPermalinkResponder

Analytics do VnV vai disparar com esse post. wink
Excelente!

Lucia Marinzek

Riq, disse tudo! Concordo totalmente contigo!

Ano passado viajei por conta, durante 20 dias pela Europa. Decidi por passar apenas 3 dias em Lisboa e 3 em Barcelona, das quais me arrependi amargamente. O primeiro dia em LIsboa foi totalmente perdido, e exaustos, basicamente nem aproveitamos nada. Em Barcelona a mesma coisa, chegamos lá hora de almoço e o taxi demorou mais de 1 hora até o hotel (transito caótico), até fazer check in, deixar as coisas estávamos basicamente mortos plena 3 horas da tarde, ou seja, adeus 1 dia em Barcelona.
Roma passei 5 dias, o que achei absolutamente excelente, conheci tudo e com MUITA calma.
Paris foram 6 dias, o que achei suficiente (apesar de ter vindo embora ainda faltando várioooss locais turísticos importantes para se conhecer)..
Fiz um bate volta em Bruges, amei tanto a cidadezinha que pretendo voltar em breve, para passar dois dias.

abraços

Ana Tereza Merger

Oi Ricardo,
Sem querer ficar no lugar comum, mas já ficando...o post é muito bom e com certeza coloca os pingos nos "i" da questão. Aliás, se você permitir, gostaria de saber se posso publicar o texto no meu blog. Com os devidos créditos e links, evidentemente. Ah! Mais uma vez obrigada pelo seu comentário sobre o "Persa", foi através dele que a Rachel Verano entrou em contato comigo. Não sei se sabe, mas ela também está morando em Aix e desse encontro está nascendo uma bela amizade. Beijos e até breve!

Ricardo Freire

Claro!

Isabel O., Portugal

Ana Teresa, estou quase a chegar à sua região. Já pensei se não seria engraçado cruzar-me consigo numa rua de Aix...
Para além do "Persa" tenho lido os textos da Rachel sobre a Provença - boas sugestões. Vou convencer o marido a enfiar-se na fábrica da "L'Occitane" pelo "interesse antropológico" da coisa.

Segui atentamente este post. Mesmo vivendo por cá sempre se tiram uma ideias.
Quando fiz Escócia de comboio usei o método bagagem no cacifo e mochilinha às costas para ir dormir a um castelo (transformado em pousada de juventude) bem a Norte. Acho que a malta mais aventureira do VnV ia gostar - depois da paragem ainda é preciso fazer uma boa subida. Mas a Escócia vale tudo...

Desta vez (a 1ª!) levo o meu portátil e já não vou fazer a cura de dependência a que sempre me proponho quando saio de casa. Por outro lado não acumulo, e vou sempre sabendo o que se passa por cá. Além de que possso diariamente ir tomando algumas notas. Às vezes torna-se difícil reter nomes.

Vou testar se não fiz overplanning - não podia ir mais informada sobre a Provença (vocês gostam mesmo do lugar...).Acho que as maiores suspresas virão da Sardenha e da Córsega.
Beijinhos Ric (e Nic...)

Clara
ClaraPermalinkResponder

Perfeito!

Jô Elias
Jô EliasPermalinkResponder

Olá, Riq e trips. Quero um conselho. Vou pra Turquia entre os dias 4 e 13 de setembro, saindo da Alemanha (Colônia) e voltando de Istambul pra Londres.

Queria passar 4 dias inteiros em Istambul, 2 dias na Capadócia e 3 em Bodrum. Já dei uma olhada nas companhias low cost da Turquia e Alemanha pra checar os vôos. Pelo que percebi, os vôos sempre passam por Istambul. Dúvidas:
- devo comprar pacotes (istambul/capadocia/istambul e outro pra Bodrum com alguma agência turca? se sim, alguma indicação?
- alguma sugestão de praia no lugar de Bodrum?
- me falaram pra ficar em Goreme (não sei se é assim que se escreve) na Capadócia. se alguém tiver dica de hotel, tbem "to tando" aceitando).
- mais algum conselho?

Ricardo Freire

Se eu fosse à praia na Turquia, eu iria a Bodrum, sim. Mas confesso que nunca pesquisei o suficiente.

Os dois dias na Capadócia são corridos, por conta dos deslocamentos e da necessidade de contratar os passeios. Indo com tempo apertado é melhor já chegar com tudo acertado.

Mais informações neste post:
https://www.viajenaviagem.com/2009/07/turquia-as-dicas-da-carla-tolosa/
https://www.viajenaviagem.com/2010/02/rodopiando-com-a-emilia-em-istambul/

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Jô, tenta a agência rockvalleytravel. Adorei o atendimento deles. Ainda não viajei. Vou em outubro e também vou ficar no Kelebek hotel. Boa viagem!

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Vai adorar! O hotel e muito bom e com uma vista incrível! Mas não marque nada com a agencia de viagem do hotel...eles são bem malandros...

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

CarlaZ, provavelmente não vou precisar da agência do hotel. Fiz todo o meu pacotinho da Capadócia, Pamukkale, e Éfeso com a Rockvalley incluindo transfer e os passeios na capadócia. Espero que dê tudo certo. Obrigada pelas dicas.

Eneida
EneidaPermalinkResponder


Uma outra praia bacana menos famosa é Oludeniz/ Fethié.N?o estive lá mas está na minha wish list. Amigos foram pra lá e pra Bodrum e gostaram mais de lá e as imagens se vc olhar no google s?o incríveis.
Tem varias low cost que voam pra Bodrum direto da Europa. Ano passado voei pela Pegasus que faz colonia /bodrum. Paguei 50 euros num trecho frankfurt /Istanbul! www.flypgs.com. Outras alemas que fazem turquia sao a germanwings, condor e a airberlin. A Easyjet voa londres /Bodrum tambem. Acho que dá pra fazer um trecho aberto sem retornar a IstanbulSugeri em outro comentario um buscador de low cost que tem tudo isso: www.momondo.com
É só ir simulando pelas cidades que preferir e dá pra achar coisas que a gente não imagina.
Riq Você conhece esse buscador? Gostaria da sua opinião a respeito.
Excelente post como tudo que vc escreve. Por isso vc continua sendo meu guru master, mesmo sem saber disso!
O www.turkeytravelplanner.com vale a visita, tira muitas duvidas da Turquia sobre todos os assuntos e dá varias sugetoes de roteiros.

Ricardo Freire

Estão falando bastante deesse momondo aqui no site. Ainda não tive tempo de brincar nele mrgreen

Eu cada vez mais acho que as low-cost são ótimas para quem mora na Europa, mas devem ser usadas com moderação associadas a viagens transatlânticas.

Ótimo saber dessa praia, vou conferir também.

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

O site Turkey Travel Planner tem uma lista de cias aereas...tem que procurar...eu usei uma chamada Sun Express pra ir de Izmir a Kayseri
Fiquei em Goreme tb...e amei...acho que a boa é ficar lá sim. Fiquei no Kelebek Hotel (alguma coisa assim) e amei! O meu quarto era o que dava pra piscina uma delicia e a vista maravilhosa. O restaurante do hotel tb é muito bom para jantar.
Não deixe de ficar num desses hoteis-caverna.
E claro o passeio de balão é imperdível!
Planejando 2 dias na Capadócia, ok, mas 2 dias aproveitando, sem contar deslocamentos.

luis r.
luis r.PermalinkResponder

nossa, q post bom! é mais ou menos como me organizo, mas as sacadas todas reunidas vão ajudar muito nas próximas vezes.
outra coisa bacana, acho eu, pra se levar em conta ao fazer um périplo por várias cidades na europa é tentar "editar" a ordem de maneira a ñ ter mts altos e baixos. sobretudo se for sua primeira vez no (desculpe) velho mundo.
tenho um amigo q achou madri "sem graça" ao desembarcar ali depois de conhecer londres, e eu mesmo ñ me encantei por budapeste o qt ela merecia após ter visto praga (deveria ter feito o contrário, e ia ter me apaixonado por ambas). já a sequência, até viena e enfim berlim, pareceu mt acertada, sem deixar um gosto de "esta é melhor q aquela".
claro, cada um é cada um, e às vezes os meios de transporte impõem uma ordenação imexível. mas vale analisar bem o perfil/atrações/porte de cada destino pra depois ñ voltar pra casa e dizer pros amigos "ah, sabe q barcelona nem é tudo isso q dizem?"

Marilia Pierre

por isso eu faço um de cada vez

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Cancelar