Roteiro por Santa Teresa

#Linkódromo | Um roteiro etílico-cultural por Santa Teresa, no Sundaycooks

Roteiro por Santa Teresa

Desde agosto de 2015 (depois de quatro anos parado), o bondinho de Santa Teresa vem sendo reativado, um trecho por vez. Desde o fim de dezembro, quando a operação foi estendida até o Largo dos Guimarães, no coração do bairro, o bondinho voltou a ser útil para um roteiro por Santa Teresa.

O ponto de partida é o mesmo de antes: atrás da sede da Petrobrás, nos fundos do Largo da Carioca (ponha no Google Maps: rua Lélio Gama), a 3 minutos de caminhada do metrô Carioca (saída B: República do Chile; fechada domingo). Mas atenção para as pegadinhas: o horário de funcionamento é limitado — apenas das 11h às 16h — e como a passagem, nesta fase de testes, é grátis, a fila costuma ser considerável.

(E atenção: a melhor alternativa ao bondinho não é o táxi. Os taxistas cariocas acreditam que subir a Santa Teresa vai acabar de desmanchar os seus possantes — no que não estão totalmente desprovidos de razão — e, quando aceitam levar ao bairro, vão resmungando do início ao fim da corrida. Chame um Uber. Aliás, chame um Uber sempre no Rio de Janeiro. Os táxis aqui são um caso perdido.)

Um roteiro por Santa Teresa no Sundaycooks

Depois de descer do bondinho (ou do Uber), use este ótimo roteiro por Santa Teresa que a Nat e o Fred acabam de publicar no Sundaycooks.

O roteiro combina as atrações culturais com os barzinhos que tornaram o bairro uma referência boêmia no Rio de Janeiro (sobretudo entre os gringos). A caminhada pelas ladeiras de Santa fica mais fácil quando intercalada com os bolinhos, pastéis, drinks e docinhos recomendados pelos Sundays.

(Aproveite e conheça as duas novidades do blog: a planilha de planejamento financeiro de viagem e a consultoria de viagem online.)

Foto | Sundaycooks

Vai pelo Sundaycooks:

25 comentários

Sou taxista e sempre levo moradores e turistas a qualquer lugar de santa Teresa e adjacências, com maior boa vontade.
Os táxistas não são um caso perdido como um amigo comentou, inclusive não se perde. Sabe onde está indo.
Bom passeio a todos!!

Concordo PLENAMENTE com o Ricardo. São inúmeros os problemas que tive com taxistas nessa cidade, inclusive grosserias. Com os taxistas do RJ sempre tem-se de ficar com um pé atrás. Obviamente que em toda profissão​ há exceções mas, como eu disse, exceções!

Adorei os comentários sobre os taxistas, já morei em Santa Teresa e já sofri muito com a falta de educação e respeito de alguns. A maioria se recusava a me levar em casa, após fazer compras supermercado, principalmente.
Recomendo muito o passeio pelas Ruas do Bairro, escolha o transporte que melhor atenda seu gosto e economia. Afinal, o Rio de Janeiro continua lindo!

Santa Teresa é um bairro legal, tenho grandes amigos que moram lá, mas realmente não é bom dar bobeira por suas ruazinhas e becos, pois a malandragem tá de olho… Infelizmente é a realidade.

Obrigado, comandante pela referência 😀

Obrigado a você também, Fabíola 🙂 Eu também tinha essa preocupação, mas eu não senti problema nesses dias que ficamos e caminhamos por lá, mas, com exceção de uma noite, caminhamos majoritariamente de dia e pela região mais movimentada.

Infelizmente as participações dos leitores estão citando muito mais os problemas relacionados aos táxis, do que o ótimo post da Nat e o Fred (sigo eles no Sundaycooks). Mas realmente, percebo que no Rio os taxistas tendem a fazer caminhos mais longos (tive essa experiência há 2 meses, quando o motorista poderia ter feito um retorno bem próximo, mas preferiu andar uns 2km a mais para retornar). Voltando ao post, fui várias vezes ao Rio e não conheço Santa Teresa. Acredito que o bairro sofra uma espécie de bullying em relação à segurança. O que vcs acham em relação à segurança dos turistas lá?

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.