Montevidéu: uma noite no novo Baar Fun Fun

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Baar Fun Fun

Eu já falava antes, e reitero: o melhor programa para um sábado em Montevidéu para depois do jantar é emendar numa noitada de tango e candombe no Baar Fun Fun. (Não sabe o que é candombe? Já já explico.)

Funcionando ininterruptamente há 119 anos, o Baar Fun Fun (diga: Funfum) mudou-se em agosto de 2014 para o seu quarto endereço, na calle Soriano 922 (entre Río Branco e Convención, a uma quadra do hotel Esplendor Montevideo).

A razão desta última mudança são as reformas no Mercado Central da Cidade Velha (não confunda com o Mercado del Puerto, são dois mercados diferentes). Em 2017, quando a reforma terminar, o Fun Fun deve voltar a seu endereço anterior, onde estava desde 1988.

Baar FunFun

Visitei a nova casa agora no finzinho de maio e -- quer saber? Achei mais confortável que a antiga. O ambiente continua muito parecido: o balcão do bar e todas as tralhas da decoração (quadros, camisetas de times, cartazes) foram cuidadosamente transplantados.

Chegamos perto das 11 da noite e conseguimos a última mesa, ao lado da porta, no salão da entrada, que funciona como um vão para o salão principal. Teria sido melhor recusar e ir até o balcão do bar, no salão principal, onde dá para ficar de pé, com uma visão melhor do palco.

Baar Fun Fun

Como já estávamos jantados, pedimos só cerveja e uvita -- o licor de vinho que é a marca registrada do bar. (Pedi a versão uvita con amarga, que é menos doce.)

Baar Fun Fun

Quando chegamos já tinha acontecido o primeiro set dos bailarines de tango. O set seguinte era de tango instrumental, com um violonista e um bandeonista que mandaram muito bem (a dupla era exatamente a mesma que se apresentou na minha primeira visita, há cinco anos).

Baar Fun Fun

O próximo começou depois das 11 e meia: os músicos voltaram, desta vez acompanhados por um cantor de belo vozeirão (desculpem, não peguei os nomes). Lá pelas tantas o show resvala para o turisticão, com o tradicional recenseamento de turistas (os brasileiros fomos homenageados com uma versão ainda mais bregalda de Como um dia de domingo). CVCzices à parte, o cara cantava pra caramba -- e o acompanhamento do público para "Por una cabeza" foi emocionante.

Baar Fun Fun

Um pouco antes de meia-noite e meia começou um set que eu, em princípio, dispensaria totalmente: o segundo set dos bailarines. Da outra vez que eu fui não havia número de dança, e eu já estava na terceira uvita, esperando ansiosamente o momento do candombe. Mas não é que o show foi ótimo? O casal dançou ao som de música de fita (não há lugar no palco para músicos e bailarinos ao mesmo tempo). Mas a performance foi ótima -- e pedi minha quarta uvita da noite.

Ao final do set de dança, começam a chegar, pela porta de entrada, os músicos e os instrumentos do momento que eu mais esperava, o do candombe. (Pelo jeito também não há lugar nos camarins para acomodar a banda e sua tralha.)

Para você que nunca tinha ouvido falar: o candombe é a salsa afro-uruguaia. Assim como os ritmos cubanos, colombianos e brasileiros, o candombe nasceu da mistura do batuque dos escravos com sonoridades européias. O que eu acho irresistível no camdombe é o dedilhado jazzístico dos teclados. É uma música que acho aparentada com a morna de Cabo Verde -- com a vantagem de que as letras em espanhol são mais compreensíveis do que em crioulo cabo-verdiano.

Baar Fun Fun

Sei que também dá para ouvir candombe no El Milongón sem precisar ficar acordado até tão tarde, mas tenho receio que no showzão para turistas o ritmo seja folclorizado demais. Ali no Fun Fun a música me soa autêntica; e os que ficam para assistir são uruguaios (no meio do set, a pista de dança estava tomada por casais da velha guarda). Melhor que isso, só se houver um show de Rubén Rada em cartaz na cidade.

O show começou logo depois da uma da manhã. A banda (de novo: desculpe, não peguei o nome) era espetacular. Acabei ganhando um presente inesperado nesta noite: a banda tocou Borracho con flores, um candombe que ouvi na minha primeira viagem a Montevidéu, há longínquos 33 anos (quando o Uruguai e Brasil ainda viviam sob ditaduras), e que nunca saiu da minha cabeça: Qué será Montevideo, tan querido y tan lejano... Borracho! Pero con flores vuelvo...

Baar Fun Fun

Antes das duas, pedimos la cuenta: dois couverts artísticos (a 190 pesos, ou 24 reais, cada um), duas cervejas e quatro uvitas, mais 10%, saíram 1.100 pesos (140 reais). Nada mau. Pena que não aceitam cartão (e por isso não dá para receber de volta os 18,5% de IVA).

(Difícil foi pegar táxi àquela hora. Da próxima vez, vou baixar o aplicativo Voyentaxi ou pedir para chamarem pelo telefone.)

Leia mais:

19 comentários

DENISE LIMA
DENISE LIMAPermalinkResponder

Estou indo para Montevidéu em Julho. Gostei muita da dica. Você acha que vale a pena chegar mais cedo e jantar no lugar ou a comida não é o forte deles? Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Denise! A comida é de bar, não é lá essas coisas não. Como o mais bacana é o candombe, que acontece lá pela uma da manhã, o melhor é jantar num restaurante de verdade, e num horário mais tardio (tipo 21h30, 22h) e só então ir ao Funfun. Se não tiver mesa, fique no bar, é mais gostoso até.

https://www.viajenaviagem.com/montevideo-onde-comer

Denise Lima
Denise LimaPermalinkResponder

Obrigada pela dica.

Silvia Andrade

Caindo de gargalhar com a expressão "CVCvices" - sou das antigas e usaria algo como "soleturices" para definir esse meio de "turismo de massa" (que já usei em tempos de pouca imaginação). Assim não me arrisco a levar um processo. Valeu Ric!

Natália Freitas

Seguindo as infalíveis dicas do VNV visitei o Fun Fun em março...vale muito a pena! É exatamente como o Riq descreve e o candombe é imperdível...quase me misturei a velha guarda!!!rsrs E como nosso comandante recomenda desde sempre, chegue tarde! A "CVCvice" pode te desaminar, mas quando a começa vale cada instante, e é engraçado que é nesse momento que o público se renova e você vê os uruguaios chegarem... Uma única observação que quase colocou nossa noite a perder: eles não aceitam cartões! Mas aceitam reais e dólares, quando fui o câmbio era justo! smile

JB
JBPermalinkResponder

Riq,

É isso mesmo? Uma água custa mais do que uma uvita?

Ricardo Freire

A uvita é pequenininha, copo de shot! E tradicionalmente na Argentina e no Uruguai água e refrigerantes saem sempre mais caros que o vinho (neste caso, o vermute) da casa!

Jussara Damin
Jussara DaminPermalinkResponder

Desculpe se a pergunta for muito tola, mas por que a maioria das fotos não abrem no meu note (uso o navegador google chrome). Adorei ver vc por aqui nos comentários Riq, como nos velhos tempos.

Mauricio Faria

Vou em janeiro de 2016 e conto com as dicas daqui. Duas questões sobre o Fun Fun: 1) é conveniente e permitido ir com minha filha de 15 anos? 2) Posso ir na sexta ou no sábado - qual seria o melhor? Se souberem responder, agradeço!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mauricio! Não há problema em levar sua filha. Tanto na sexta quanto no sábado, o programa fica melhor depois da uma da manhã, quando tem a sessão de candombe. Sem ficar para o candombe, o show será uma versão pobrezinha de espetáculos de tango de Buenos Aires.

Mauricio Faria

Muito obrigado!

MBFF
MBFFPermalinkResponder

Estamos em Mvd e ontem tentamos ir no FunFun... Ele estava fechado e assimpermanecra até primeiro de março. Achei que valia a pena avisar aos desavisados como eu.?

Ronaldo
RonaldoPermalinkResponder

MELHOR LUGAR DE MV!!!!!!!!

Samantha
SamanthaPermalinkResponder

Acabei d volTar de Montevidéu...estou hospedada em punta..fica a dica para quem vai com o gps, gps nos levou... Para frente do antigo endereço, confesso que apenas havia lido o post com roteiro e não este, fomos embora pois achávamos que havia fechado kkkkkkkkk

Mariana Ribeiro

Olá, estive em Montevideo agora em maio de 2016 e confesso que estava com expectativas bem altas para o Baar Fun Fun. Estávamos em três casais jovens. Chegamos às 22:30 hs e já estava lotado, sem mesas disponíveis. Ficamos numa filinha do lado de fora quando o senhor que cuidava da fila nos disse que éramos os próximos. Achamos que éramos os próximos a conseguir mesa, mas não. Quando entramos nos deparamos com uma porção de gente de pé, espremida no bar e no fundo do salão, sem poder se mexer. Quase impossível até de passar, fora as caras feias daqueles que estavam sentados, pois era impossível não esbarrar devido à proximidade das mesas. Não tem quase espaço pra circulação e as mesas são bem grudadas. A música era bem agradável e a atração parecia boa, mas não tinha condições de continuar naquele aperto então pegamos nosso dinheiro de volta e fomos embora. Na verdade, o senhor que ficava na porta não deveria nem ter nos deixado entrar e ter avisado que estava lotado para não criar falsas expectativas e não incomodar os que já estavam dentro. O lugar é beeeeem pequeno. Confesso que ficamos bem frustrados pois queríamos conhecer o tal candombe. Até queríamos ter voltado mais tarde, mas não encontramos nenhum local ali perto para passar o tempo (andamos ali nas redondezas e só encontramos bordéis, a região não é das melhores). Acabamos indo para outro bairro.

Miriam
MiriamPermalinkResponder

O Fun Fun já aceita cartão de crédito visa. Estive lá em 09/12/2016.

Miriam
MiriamPermalinkResponder

Está mais fácil pegar um Uber aqui em Montevideo do que táxi. Só que o valor do Uber está mais caro. Uma corrida de taxi ficou 160 pesos e uma equivalente do Uber ficou por 300 pesos uruguaios.

Roberta Cavalcante

Vou agora para o Uruguai pela primeira vez, estou apreensiva desde o aeroporto aos passeios, queria saber se entro em algum show de tango com minha filha de 16 anos.Irei no mês de julho, nossas férias.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar