7 dias na Andaluzia: um roteiro prático

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Arcos de la Frontera

Arcos de la Frontera

Está planejando uma viagem para Andaluzia? Este roteiro foi pensado para você aproveitar melhor o seu tempo, visitando os destinos mais desejados do sul da Espanha: Córdoba, Sevilha, Jerez, Rota dos Pueblos Blancos, Ronda e Granada. O ritmo é intenso, porém não frenético; a idéia é dormir sete horas por noite e fazer as refeições nas horas certas.

Claro que, com mais tempo, daria para aumentar os pernoites e incluir outros lugares. (O itinerário prevê duas cidades com apenas um pernoite, algo que eu normalmente recomendo evitar.) Mas esse roteiro básico proporciona uma linda viagem, com o mínimo de perrengues.

O ponto de partida é Madri. A primeira parte da viagem, até Sevilha, é feita de trem. Ao sair de Sevilha, você aluga um carro e devolve três dias mais tarde, em Granada. De Granada você pode voltar a Madri (de avião ou trem) ou seguir a Barcelona (de avião).

Roteiro 7 dias Andaluzia

As sete noites são distribuídas desta maneira: três em Sevilha, uma em Vejer de la Frontera ou Cádiz, uma em Ronda e duas em Granada.

Vamos ao passo a passo:

DIA 1 | De Madri a Sevilha de trem, com pit-stop em Córdoba

CórdobaCórdobaCórdoba

Córdoba

Os trilhos de alta velocidade entre Madri e Sevilha fazem do trem a melhor alternativa para cobrir os 530 km de distância. Para que se cansar, quando o trem é muito mais rápido? Mesmo se não o trem não fosse mais rápido, estar de carro em Sevilha é inútil: o centro histórico é um labirinto e estacionar, um problemão. Você pagaria diárias de carro alugado para deixar seu carro parado (e pagando estacionamento).

A viagem de trem traz outra vantagem: permite que você faça um pit stop espertíssimo em Córdoba, para visitar a Mesquita. Guarde suas malas na estação de ônibus, que fica do outro lado da rua e tem armários grandes. A estação fica a menos de 10 minutos de táxi do centro histórico. Prevendo uma parada entre quatro e seis horas na cidade, você pode visitar a Mesquita, passear pelo centro histórico e almoçar. (Atenção: aos domingos não há visita na Mesquita entre 11h30 e 15h30; nos demais dias, abre às 10h.)

Você precisa comprar duas passagens de trem separadas: uma Madri-Córdoba (1h50) e outra Córdoba-Sevilha (45 min.). Saindo de Madri no trem das 9h, você chega a Córdoba às 10h50. Saindo de Córdoba no trem das 17h25, chega a Sevilha às 18h10. (Sempre é bom mandar email para o hotel avisando que você vai chegar depois das 18h.) Compre na Renfe.com: comece a xeretar preços com 120 dias de antecedência; aos 90 dias devem aparecer as tarifas promocionais.

Reserve 3 noites em Sevilha. Nesta primeira noite, saia pelas vielas do bairro de Santa Cruz em direção à Giralda, batendo ponto nos bares de tapas pelo caminho.

DIAS 2 E 3 | Sevilha

SevilhaSevilhaSevilha

Sevilha

Os lerês principais de Sevilha são a Catedral (com sua torre Giralda), o palácio do Alcázar e a Plaza de Toros, que tem visitas guiadas. A maior curiosidade é o edifício-instalação Parasol Metropol, mais conhecido como o Cogumelo de Sevilha, na plaza Incarnación, que rende as fotos mais inusitadas da cidade.

Com dois dias inteiros, você vai ter tempo de ver esse básico com calma, se perdendo pelo labirinto da parte mais antiga da cidade e se dedicando ao nobre esporte do tapeo. Tem um blog só de rotas de bares de tapas de moradores da cidade, vale a pena conferir.

Em pelo menos uma das noites, vá a um show de flamenco (eu fui a dois que recomendo bastante, veja abaixo). E aproveite que não vai precisar acordar cedo no dia 3, e fique acordado até mais tarde na noite 2, conferindo a cena de bares do bairro de Triana, do outro lado do rio, que é onde os sevilhanos vão ouvir flamenco (alguns deles: Lo Nuestro, El Rejoneo, Sala Tronío, Casa Anselma; chegue lá pela meia-noite).

DIA 4 | Sevilha a Vejer de la Frontera (ou Cádiz), com pit-stop em Jerez

Vejer de la FronteraVejer de la FronteraVejer de la Frontera

Vejer de la Frontera

Alugue um carro com retirada no 4º dia às 9h em Sevilha e devolução no 6º dia às 19h em Granada. Como a devolução vai ser no fim do dia, você vai acabar pagando 3 diárias. Nosso parceiro Rentcars compara tarifas entre várias locadoras, com desconto; dê uma olhadinha. Leve GPS do Brasil, com mapa da Espanha atualizado. (Normalmente não pedem habilitação internacional, mas vale a pena fazer a sua; leia aqui.)

Faça o check-out e vá de táxi pegar o seu carro alugado (melhor do que se embrenhar na cidade velha com o carro recém-retirado). O primeiro destino do dia é Jerez de la Frontera, a 91 km, onde o objetivo é visitar uma bodega de jerez, o "vinho do porto" andaluz.

Atenção: na Espanha, nunca deixe nenhum tipo de bolsa ou mala à vista no carro. Há ladrões especializados em arrombar carros. Sempre que possível, deixe o carro em estacionamentos fechados.

A Pedro Domecq tem visitas de 2ª a sábado às 12h, 13h e 14h (de março a outubro, visitas extras de 2ª a 6ª às 10h, 15h e 16h). A Gutiérrez-Colosia é a única bodega à beira-rio; oferece visita de 2ª a 6ª às 12h15; sábado às 13h. A Sandeman, que também atua no Porto, só tem visitas de 2ª a 6ª (em janeiro e fevereiro, não oferece visita às 5ªs); os horários variam bastante, consulte aqui. A mais popular das marcas de jerez, a Tío Pepe, é a única bodega que abre também domingo; de 2ª a sábado os tours saem de hora em hora entre 12h e 17h; no domingo, às 12h, 13h e 14h. Reconfirme os horários e veja os preços clicando nos sites das bodegas.

(Precisando de uma recomendação para almoçar em Jerez? O Albores, no centro, é um bar de tapas de um dos chefs mais conhecidos da cidade.)

CádizCádizCádiz

Cádiz

Escolha a próxima parada: pode ser a cidade portuária de Cádiz, a 38 km, ou, para já entrar no clima dos pueblos blancos, o vilarejo de Vejer de la Frontera, a 72 km.

Escolha Vejer se cair bem uma noite romântica num dos hotéis charmosos da cidade -- como a Casa del Califa (que tem um excelente restaurante aberto ao público), o Hotel V, a Casa Rural La Triperia Nº 1 e o econômico La Botica de Vejer.

Escolha Cádiz se estiver mais a fim de aproveitar a movida noturna do centro histórico. Neste caso, considere o Patagonia Sur ou a Casa Patio del Panadero. Outra opção, sobretudo no verão, é a cidade-porto-balneário de El Puerto de Santa María, do outro lado da baía; pense no Monasterio de San Miguel.

(Claro que, com mais dias disponíveis, as duas cidades mereceriam ser escala, com pelo menos dois pernoites em cada uma. Jerez funciona muito bem como bate-volta desde Cádiz, e Vejer é uma bela base para, no verão, aproveitar as praias da Costa de la Luz -- incluindo Bolonia, a 40 km, celebrizada pela Cicarelli.)

DIA 5 | Rota dos Pueblos Blancos a Ronda

Arcos de la FronteraArcos de la FronteraArcos de la Frontera

Arcos de la Frontera

Está descansado? Este vai ser o dia mais intenso da viagem. Mas também tem tudo para ser o mais bonito. Vamos percorrer a Rota dos Pueblos Blancos, que passa por inúmeros vilarejos branquinhos encarapitados nas colinas. Uma parte do trajeto se dará por dentro do Parque Natural da Serra de Grazalema. Saindo de Vejer, serão 250 km; saindo de Cádiz, 230 km. Mas é um roteiro para fazer devagarzinho, pelas estradas vicinais, com paradas. A idéia é sair do hotel lá pelas 9 da manhã e chegar a Ronda no finzinho da tarde.

 

Não existe a Rota dos Pueblos Blancos. Existem os pueblos blancos, dispersos da costa à montanha; a rota quem faz é o freguês, usando de preferência as estradinhas vicinais. Fazer este passeio em um dia, como vamos fazer, equivale a um city-tour: não é uma visita séria. Nosso objetivo será cumprido se você se encantar com a aparição dos pueblos na estrada. As paradas (você escolhe!) são mais para esticar as pernas e  fazer fotos do que para turistagem convencional. Querendo entrar em igrejas e inspecionar ruínas, monte base em Ronda ou Arcos (ou em qualquer pueblo) e invista alguns dias zanzando pela região.

A rota a seguir é bastante factível num passeio das 9h às 17h.

O primeiro destino do dia é Arcos de la Frontera (105 km de Vejer ou 85 km de Cádiz pela auto-estrada). É o mais populoso entre os pueblos blancos que aparecerão no seu caminho até Ronda; o fato de ser uma cidade de verdade, movimentada, só aumenta o seu charme. Suba à medina (cidade alta) e tente achar uma vaga para estacionar... (Às 11h, esteja de volta ao carro, senão a gente não chega hoje em Ronda.)

Siga pela estrada principal (A-372) por mais 28 km, até um pouquinho antes de El Bosque. Ali você já vai estar no Parque Natural da Serra de Grazalema. Pegue a A-373 e em 16 km você chega a Ubrique, onde há ruínas da ocupação romana (quando a cidade se chamava Ocuri).

Grazalema

GrazalemaGrazalemaGrazalema

Grazalema

Volte 3 km e pegue a A-374. Os próximos 30 km passarão por Benaocaz e Villalengua del Rosario, levando ao próximo vilarejo que vale descer do carro: Grazalema. Aproveite para almoçar.

Escolha a CA-5311 para subir os 17 km a Zahara de la Sierra: você vai passar pela Ermida de Nossa Senhora do Rosário e costear a represa Zahara-El Gastor.

Olvera

Olvera

Pegue a A-384 e a CA-9120 e siga 45 km até a imponente Olvera e a delicada Setenil de las Bodegas (entre na cidade para ver as casas construídas aproveitando a encosta).

Setenil de las Bodegas

Setenil de las Bodegas

Mais 18 km e você chegará a Ronda. Tomara que dê tempo de ver o entardecer da ponte sobre o desfiladeiro do rio Guadalevín.

Ronda

Ronda

Ronda

Isso pode ser conseguido da varanda do seu hotel, se você reservar o Parador de Ronda, o Don Miguel ou mesmo a modesta Casa del Duende del Tajo (os banheiros são compartilhados). No centro da cidade, o Polo oferece uma relação custo x benefício imbatível. Se quiser passar uns dias na região e brincar de Provence na Espanha, não há melhor endereço do que o charmosérrimo Fuente de la Higuera.

DIA 6 | De Ronda a Granada

RondaRondaRonda

Ronda

Não saia correndo de Ronda. Até porque a segunda maior atração da cidade (depois do desfiladeiro!) é a sua Plaza de Toros, menorzinha e mais delicada do que a de Sevilha (e que só abre às 10h).

Faça a visita com calma. O que temos para o dia são 190 km até Granada. No meio do caminho (88 km) está Antequera, importante cidade histórica que é pouco conhecida fora da Espanha. É uma ótima parada para almoçar (não esqueça: nenhuma bagagem à mostra; carro em estacionamento fechado). Faça a digestão caminhando pelo centro histórico (o site da cidade tem itinerários prontos, como este e este).

Mais 100 km e você chega a Granada. Devolva o carro assim que chegar. (Sim, você poderia ficar com o carro até as 9h do dia seguinte, mas para que acordar com essa obrigação?)

A localização mais bonita em Granada é o bairro do Albaicín, que tem vista para a Alhambra. Em posts anteriores os leitores do Viaje na Viagem indicaram muitos hotéis por ali, como a Casa Morisca, o Solar Montes Claros e a Casa 1800. O centro da cidade tem algum movimento à noite e hospedagem com boa relação custo x benefício. No centro, considere o Room Mate Leo, o Carmen, o Palacio de los Navas e o Las Almenas.

E atenção: tão importante quanto reservar hotel é reservar a sua visita à Alhambra -- na hora, pode não haver ingressos.

DIA 7 | Alhambra em Granada

GranadaGranadaAlhambra

Granada

A visita à Alhambra toma de quatro a cinco horas. Caso você ainda tenha disposição para algum outro programa cultural, há duas casas-museus interessantes, onde moraram dois grandes artistas espanhóis: a Casa-Museu de Francisco García Lorca e a Casa-Museu Manuel de Falla.

Dá para visitar a Alhambra de manhã e programar a continuação da viagem para o fim da tarde? Dá. Mas a visita fica muito mais relaxada quando você não tem outro compromisso premente no dia, nem precisa providenciar coisas como fazer o check-out antes de sair para turistar. Além disso, as últimas duas noites foram passadas em duas cidades diferentes, lembra? Você vai me agradecer por ficar aqui mais uma noite. Siga viagem no dia seguinte. A Madri dá para ir de avião (1h) ou trem (4h15 com baldeação em Antequera, onde você embarca no trem rápido AVE). A Barcelona, vá de avião (1h25); o único trem é noturno (veja por que não recomendo viagens noturnas de trem aqui.)

Caso você vá no inverno, fique mais um dia e suba à Sierra Nevada, que fica a meia hora de distância.

ticketbar-alhambra

Vindo de Portugal

Quer combinar Portugal com Andaluzia? Pois não.

Portugal + Andaluzia

De carro

Faça um roteiro circular: desça de Lisboa ao Algarve, entre na Espanha por Huelva, faça o roteiro aqui descrito a partir de Sevilha. De Granada, vá a Córdoba (durma uma noite) e entre em Portugal por Badajoz; visite o Alentejo antes de devolver o carro em Lisboa. (Claro que também dá para fazer no sentido inverso -- saindo pelo Alentejo e voltando pelo Algarve.)

De ônibus

Caso você não retorne a Portugal, o melhor é devolver o carro no Algarve (em Faro, por exemplo) e pegar um ônibus a Sevilha (compre na Alsa). Assim você evita as sobretaxas de devolução em outro país. Alugue um novo carro ao sair de Sevilha, exatamente como neste roteiro. A única diferença é que você vai fazer um bate-volta Sevilha-Córdoba-Sevilha de trem (ou, se preferir, pode deixar pazer o pit-stop em Córdoba entre Granada e Madri; não fica tão fluido como o pit-stop entre Madri e Sevilha, mas dá).

De avião

Você pode voar de Lisboa ou Porto a Madri e fazer o roteiro como está descrito, ou voar de Lisboa a Sevilha. Neste caso, faça um bate-volta de trem a Córdoba.

De trem

As ligações ferroviárias entre Portugal e Espanha são ruins. Não há trens entre Portugal e o sul da Espanha. O único trem de Lisboa a Madri é noturno. Leia por que não indico trens noturnos aqui.

E você? Qual foi o seu roteiro?

Existem mil maneiras de preparar Nest... digo, de preparar uma viagem à Andaluzia. Compartilhe com a gente o seu roteiro, certamente vai ser útil para outros leitores! Gracias!

433 comentários

RAFAEL TAVEIRA

Boa noite!

Obrigado a todos pelo compartilhamento da experiência. Vou fazer essa viagem em março de 2019, chegando por Madri e voltando por Barcelona.

Madri (3 noites)
Cordoba (2 noites, um dia inteiro)*
Sevilla (4 noites)
Jerez/Cádiz (não decidi onde dormir)
Vejer de La Frontera (2 noites)
Ronda (2 noites)
Granada (2 noites)
Barcelona (4 noites)

Minhas principais dúvidas são:

A) Não tenho muito pressa. Vale chegar em Cordoba, aproveitar o dia, dormir e ter a disposição outro dia inteiro? Devo dormir a segunda noite?

B) Saindo de Sevilla, Jerez fica como um pit stop até Cádiz, dormindo em Cádiz para no dia seguinte seguir até Vejer ou vou até Jerez, durmo em Jerez e no dia seguinte passo por Cádiz a caminho de Vejer? Cádiz vale uma ou duas noites?

C) Mais alguma noite em alguma cidade?

Obrigado!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafael! De todas as cidades, Jerez é a menos interessante. Vale apenas para visitar as bodegas. Quanto às outras, são charmosas e agradáveis. Ficar mais dias em quaisquer delas deixa a viagem mais descansada.

Vivian Uemura
Vivian UemuraPermalinkResponder

Olá!
Gostaria de fazer esse roteiro de Portugal com Andaluzia e estarei com crianças pequenas. Pensei em ir no mês de junho, será que já dá para pegar praia no Algarve? E você acha que meados de junho já é muito quente na Andaluzia?
Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Vivian! Sim, junho é ótimo para o Algarve. Estará quente na Andaluzia, mas o segredo é ir sem pressa e aderir ao sábio costume local da siesta.

Filipe Degani
Filipe DeganiPermalinkResponder

Olá, Bóia
Quero combinar Portugal com Andaluzia e Madrid, mas alugar carro não é uma opção para mim.
Se eu for a Sevilla de ônibus, de lá posso ir até Granada de trem (e então pit-stop em Cordoba até Madrid)?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Felipe! De Sevilha a Granada, vá de ônibus. Compre na mesma cia. onde você vai comprar Portugal-Sevilha, https://www.alsa.com . O pit stop em Córdoba vindo de Granada requer um pouco mais de tempo de viagem, mas é perfeitamente factível.

Lucila Assumpção

Olá! Faço todos os meus roteiros pelo site de vcs, adoroooo!!! Estou fazndo meu roteiro pela Andaluza e ercebi que vcs não citam Málaga, não vale a pena de Svlha ir para Málaga e de lá para Granada?!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Lucila! Málaga é uma cidade bem gostosa, mas não tem uma área histórica tão interessante quanto as de Sevilha ou Granada. Mas se você quer incluir no seu roteiro, é só fazer desse jeitinho mesmo.

Michelle Steenhagen

Olá Bóia! Já não é a primeira vez que "namoro" este post e simplesmente adoro! Acho que 2019 vai! Gostaria de saber se maio seria uma época boa para esta área, ou quais seriam os melhores meses.Abraços

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Michelle! Maio é perfeito.

Anderson
AndersonPermalinkResponder

Boa noite! Chegarei em Madri as 12hs. Levando em consideração que o trem pra Córdoba sai de uma estação fora do aeroporto, e as x temos atrasos de voos, é melhor comprar as passagens de trem no local?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Anderson! O ideal é pernoitar em Madri esta noite. Se não der, compre passagem para depois das 17h. No dia, além de pagar a tarifa mais cara, pode não haver mais assentos disponíveis.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar