Miniguia de praias | Bahia: Costa do Descobrimento e das Baleias

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Praia do Espelho

Praia do Espelho, vista do Outeiro das Brisas

Arraial d'Ajuda, Trancoso, Santo André da Bahia, Espelho, Caraíva, Corumbau, Cumuruxatiba: o Sul da Bahia é o paraíso para quem busca vilarejos de praia. A mais de 600 km das capitais mais próximas -- Salvador e Vitória --, por aqui não há aquela especulação imobiliária típica do litoral próximo a cidades grandes, de loteamentos para passar o fim de semana. O único local com turismo de massa é Porto Seguro; basta procurar, que você acha uma praia mais tranqüila que seja a sua cara.

    Estratégia & roteiros

  • Porto Seguro é o aeroporto que serve toda a região. Os trânsfers são salgados -- pense em R$ 120 para o Arraial e R$ 270 para Caraíva. Um operador confiável, que já testei, é o Taxi Service Porto Seguro.

View Praias da Bahia: Costa do Descobrimento e Costa das Baleias in a larger map
  • Para o Arraial d'Ajuda, um truque para diminuir a despesa do trânsfer é ir de táxi só até a balsa (R$ 20), pegando uma van na outra margem. Dá para fazer isso também com direção a Trancoso e Caraíva (mas daí é preciso pegar o ônibus, que sai às 7h15 e 15h; no verão também às 11h; confirme o horário com sua pousada). Para Santo André você pode pegar o ônibus na rodoviária (a 10 minutos de caminhada do aeroporto) com direção à balsa de Santa Cruz Cabrália; do outro lado você vai precisar tomar um táxi.
  • Existem duas maneiras de explorar toda a região. A primeira, montando base no vilarejo que você achar que tem mais a sua cara, e fazendo bate-voltas aos outros vilarejos. Neste caso, faça cada bate-volta a apenas um vilarejo por vez; as praias são de difícil acesso, e se você quiser fazer duas no mesmo dia vai passar mais tempo no carro do que na areia.
  • A segunda maneira é dividir sua estada entre dois vilarejos. O melhor aqui é combinar um vilarejo mais urbano (Arraial ou Trancoso) com um mais remoto ou rústico (Espelho, Caraíva ou Santo André), e fazer bate-voltas aos que ficarem de fora.

Caso você venha do Sudeste de carro, leia este post.

Role a página para ler mais sobre Santo André da Bahia, Porto Seguro, Arraial d'Ajuda, Trancoso, Espelho, Caraíva, Corumbau, Prado e Itamaraju.

    Santo André da Bahia

Santo André da Bahia

Beira-rio em Santo André da Bahia

  • É a sua praia: se você quer sossego e comida boa
  • Não é sua praia: se você se incomoda com um mar que nem sempre estará superazul

Vai por mim: Santo André da Bahia

A balsa do rio João de Tiba deixa para trás a micareta permanente de Porto Seguro e entra em território de paz. Santo André é um oásis de sossego na Costa do Descobrimento: mesmo no Réveillon e até no Carnaval o lugar permanece a salvo do excesso de lotação. A praia é comprida e deserta: eventuais gatos pingados na areia indicam a localização das pousadas e do hotel. Um defeito? O mar só fica realmente azul na maré baixa, quando não está misturado às águas do rio. A maior qualidade? A perfeita integração entre nativos e forasteiros que se instalaram por ali – é isso que faz de Santo André um lugar tão especial.

Santo André: canto direito

Santo Andé: canto direito da praia

Na temporada, dá para pegar praia no beach lounge Casapraia ou nos bares de praia das pousadas Victor Hugo e Vila Araticum. Fora de temporada, a praia só tem serviço de bordo no canto direito, onde rio se encontra com o mar e onde há um núcleo de barracas nativas da maioooor simpatia (as cadeirinhas são de madeira, valei-me Iemanjá!).

O povoado não chega a ter um centrinho, mas boa parte da vida social acontece no trecho da orlinha à beira-rio, onde está a maioria dos restaurantes. Mas como a maioria das pousadas está a beira-mar, sair para o restaurante pode resultar em até 15 minutos de caminhada (quem está de carro normalmente vai com ele).

Santo André da Bahia

Santo André da Bahia

Estando de carro, dá para pegar praia em outros pontos desta costa, como a Praia das Tartarugas (3 km ao norte da praia principal), onde funciona o beach bar/restaurante da Fazenda Amendoeira, ou então na Praia do Guaiú (a 10 km), onde desponta a (caprichadíssima) barraca da (excelente!) cozinheira Maria Nilza.

Enquanto os bacanas fazem cavalgadas no Haras Vale da Raposae pesca oceânica de marlim azul , os plebeus (presente!) não podem perder o passeio de voadeira entre Belmonte (a 50 km) e Canavieiras, passando pelos igarapés do rio Pardo, no delta do Jequitinhonha. Para quem mergulha, tem os corais do Araripe.

Ainda desconhecida, Santo André deve ficar famosa a partir de junho, quando servirá de base para a Seleção Alemã durante a Copa. É bem provável que, depois disso, vire point de turistas alemães em busca de sol e sossego.

Onde ficar: Santo André da Bahia

As pousadas em Santo André se espalham pela costa.

A que está bem no centro social da cidadezinha -- a beira-rio na região dos restaurantes -- é a pousada Corsário, que tem píer e um dos melhores restaurantes do pedaço, o Floridita. A pousada tem um bloco de apartamentos junto ao rio, e outro atravessando a rua, com fundos para a mata.

Ainda à beira-rio, a Terra Morena é a antiga Gaili, sob nova administração. Seus chalés são sombreados por árvores; a pousada tem a única piscina do miolinho da vila.

No encontro do rio com o mar, num terreno enorme e ajardinado, a Ponta de Santo André tem acomodações rústicas (oito apartamentos na sede, três chalés e uma casa) e de vez em quando hospeda workshops de ioga.

A primeira pousada à beira-mar é a clássica Victor Hugo, com charmosas espreguiçadeiras (e mesas com tampo de mármore!) espalhadas por toda sua frente de praia. Você toma o café da manhã vendo o mar, na varanda da arejadíssima sede. Os apartamentos standard têm ar convencional; as suítes, ar split.

Atrás da Victor Hugo, a dois minutos da areia, está o bed & breakfast Banana da Terra, com três gostosos chalés e ambiente supercaseiro.

Vizinho de muro com a Victor Hugo está o Mabu Costa Brasilis, um resort com uma arquitetura bem diferente dos resorts convencionais. Os apartamentos ficam em predinhos com fachada colonial; há também chalés aconchegantes, com jeitão de pousada. O sistema é all-inclusive.

Imediatamente depois do resort a Vila Araticum tem sobrados com apartamentos super bem-montados -- e um restaurante que funciona o ano inteiro. A partir deste verão, a pousada incorporou um terreno à beira-mar e agora tem também um bar de praia.

Ainda não visitei a Mata Encantada, mas a proposta é interessantíssima: casas térreas (de alvenaria) com cozinha completa e casas suspensas em palafitas, de madeira, com cozinha compacta -- tudo num terreno à beira-mar que preserva boa parte da mata nativa.

5 km adiante, na praia do Guaiú, a quinze minutos de caminhada da praia (e da barraca da Maria Nilza), a simpaticíssima Canto da Reg tem ambiente caseiro: os quartos ficam em chalés espalhados pelo quintal; alguns têm ar, outros ventilador.

Onde comer: Santo André

Maria Nilza

Maria Nilza

Para almoçar na praia, vá (na temporada) ao Casapraia (73/3671-4155) ou, de carro, à Fazenda Amendoeira (73/3671-4092), na Praia das Tartarugas, ou à Maria Nilza (73/3671-2047), no Guaiú.

A vila tem excelentes restaurantes, como o inventivo El Floridita (73/3671-4080), na pousada Corsário, e o Gaivota (73/3671-4144), que tem a mais gostosa varanda debruçada no rio.

Os restaurantes das pousadas Vila Araticum (73/3671-4067), Terra Morena (73/3671-4060) e (na temporada) Victor Hugo (73/9943-5430) são abertos ao público.

À noite, o point da vila é o vero italiano Sant'Anas (73/9147-4192), na beira-rio, com massas rigorosamente al dente.

Tem também a pizza da Oficina do Sabor e a cozinha baiana do Almescla (73/3671-4068).

Como chegar: Santo André da Bahia

Saindo de Porto Seguro pela orla norte, em 30 km você chega a Santa Cruz Cabrália, onde pega a balsa que leva 10 minutos para atravessar o rio João de Tiba. Das 6h às 19h a travessia é feita a cada meia hora, partindo das duas margens. Das 19h30 à 0h30 há uma balsa por hora -- de Cabrália para Santo André às 19h30, 20h30, 21h30, 22h30, 23h30 e 0h30; de Santo André a Cabrália às 20h, 21h, 22h, 23h e 0h. A travessia custa R$ 11,00 por veículo ou R$ 1 por passageiro a pé. O telefone da balsa é 73/3282-1094 (informações atualizadas: aqui). A vila de Santo André fica 3 km adiante. Existem servidões  perpendiculares à ruazinha principal que levam à praia de mar.

O Expresso Brasileiro (tel. 73/3288-3650) faz a linha Eunápolis-Porto Seguro (rodoviária)-Cabrália (balsa) em 7 horários diários; o último sai tanto de Eunápolis quanto de Cabrália às 18h30 (informações atualizadas: aqui).

O trânsfer do aeroporto de Porto Seguro a Santo André sai R$ 180 para até 4 pessoas.

    Porto Seguro

Coroa Vermelha

Coroa Vermelha, Santa Cruz Cabrália

  • É a sua praia: se você curte lambaeróbica e luau; se vai em festa de formatura do colegial
  • Não é a sua praia: se você ler sobre os outros vilarejos contidos neste post

Vai por mim: Porto Seguro

Com os pacotes (com aéreo) mais baratos do país, Porto Seguro costuma ser o primeiro destino de viagem dos brasileiros -- muitas vezes, sob forma de viagens da turma da escola. A massa do turismo organizado passa os dias ou em megabarracas da praia de Taperapuã (que acomodam multidões e oferecem de sessões de lambaeróbica a show de humor), ou em passeios de ônibus às praias das redondezas. À noite vai-se ao footing da Passarela do Álcool, no centro histórico, emendando com o lual da vez (as megabarracas se revezam, uma por noite), tudo regado a muito capeta (um drink à base de vodka, leite condensado. canela e guaraná).

Dá pra fazer diferente? Dá. A orla tem também barracas mais charmosas, como a Praia Branca/White Beach, e mais sossegadas, como a Macuco (protegida da estrada por uma mata) e a Recanto do Sossego (que tem um ótimo restaurante). As três, não por coincidência, ficam na praia do Mutá, fora do fervo de Taperapuã. Os hóspedes do resort all-inclusive LaTorre (igualmente na praia do Mutá),  também levam uma vida à parte, já que o hotel tem uma barraca de praia própria, a Nativa, em frente ao hotel.

O núcleo histórico da Cidade Alta, com muitas edificações coloniais, é um passeio imperdível. O mesmo já não pode ser dito do passeio ao Recife de Fora, onde os corais estão bem destruídos pelo fluxo de turistas.

A praia mais gostosa para entrar no mar fica passando o Mutá, já no município de Santa Cruz Cabrália: é a Coroa Vermelha, pontilhada por barracas convencionais.

Pegar praia ou aproveitar a noite do Arraial d'Ajuda é super viável: basta pegar a balsa e seguir de ônibus ou van. Se já houver balsa a postos quando você chegar, dá para fazer o percurso inteiro em meia hora.

Onde ficar: Porto Seguro

Bastante fora da muvuca, na praia do Mutá, e auto-suficiente por ser all-inclusive, o compacto resort LaTorre oferece uma ótima relação preço x qualidade.

Veja mais hotéis de Porto Seguro no Booking.

Onde comer: Porto Seguro

Pertinho da balsa, a transada pizzaria Sambuca (73/3288-2366) é a melhor da cidade. No trecho final da Passarela do Álcool, O Beco é uma simpaticíssima travessa com bares -- como a cachaçaria Butiquim do Zio (73/3288-5388) --, restaurantes -- o brasileiro Tangô (73/3268-5018), o japa Armazém do Sushi (73/3268-2495) e o variado Casa da Esquina (73/32883884) -- e até uma doceria portuguesa, A Torre (73/3268-2697).

Na Passarela do Álcool propriamente dita, o Taskabar (73/26509-5028) é o bar mais muvucado. O internacional Esquina do Mundo (73/3288-2139) tem mesas na calçada, enquanto o regional Colher de Pau (73/3268-4124) instala seus clientes num terraço com vista para o movimento.

É bom notar que, apesar do nome infame, a Passarela do Álcool faz cada vez menos jus ao apelido. A área das barraquinhas de capeta diminui a cada ano, enquanto cresce a área da feirinha de artesanato e lembrancinhas. Alô, Porto Seguro: quando é que a cidade vai desbatizar a Passarela do Álcool e pôr um nome oficial civilizado?

Como chegar: Porto Seguro

Porto Seguro recebe vôos diretos de São Paulo (Guarulhos), Belo Horizonte e Salvador. Está a 5 minutos do centro, de táxi. Desde setembro, as corridas são pelo taxímetro (R$ 5 a bandeirada, R$ 4 o km rodado na bandeira 1, R$ 5,10 o km rodado na bandeira 2). Por esses valores, uma corrida aos hotéis de Taperapuã (8 km) daria R$ 37 na bandeira 1 e R$ 46 na bandeira 2). O trânsfer sai R$ 40 a Taperapuã e R$ 60 ao LaTorre.

Vindo de carro, Porto Seguro está a 60 km de Eunápolis, seu ponto de acesso pela BR 101.

    Arraial d'Ajuda

Arraial d'Ajuda

Pousada Beijo do Vento, Arraial d'Ajuda

  • É a sua praia: se você quer boa praia com agito e boa relação charme x benefício
  • Não é a sua praia: se você for #TeamTrancoso

Vai por mim: Arraial d'Ajuda

O Arraial d'Ajuda tem toda a minha simpatia e um pouco mais. Acho o vilarejo de praia mais arrumadinho do Nordeste -- o que é um espanto, estando a apenas uma balsa de distância de Porto Seguro.

A praia oferece ótimo banho em toda a sua (grande) extensão. Meu trecho favorito é o Araçaípe, que fica na estrada da balsa, 5 km antes da vila, que tem mar calmo e nunca fica cheio demais. Por ali, a barraca mais bacana não é mais a do Sting (que foi arrendada e não está mais tão charmosa); o point agora é o Corujão.  As barracas são vizinhas e se localizam mais ou menos em frente ao hotel Santa Fé. Há também uma servidão pública, à altura do número 1619 da estrada. Desde a vila, dá para ir de táxi (R$ 20), van ou ônibus (R$ 2,50).

Entre o Araçaípe e o Ecoparque fica a Praia dos Pescadores, freqüentada principalmente por moradores do Arraial (nativos ou transplantados). É um trecho protegido, com mar calmo, perfeito para ancorar barcos. A maior atração do pedaço é a Barraca do Nel, que serve peixe fresco e um famoso arroz de polvo. O acesso é por uma servidão à esquerda do estacionamento do Ecoparque.

O Arraial d'Ajuda Ecoparque fica no trecho final da Estrada da Balsa, antes da subida para a vila. É um parque aquático com muito verde; os hóspedes do Arraial d'Ajuda Ecoresort têm entrada gratuita. Só abre todos os dias em janeiro; nos outros meses, confira o calendário de abertura aqui.

A praia da vila é a do Mucugê, localizada ao fim de uma ladeira chatinha de vencer na volta (volte de mototáxi). Infelizmente o charme da vila não desceu até a praia: as barracas são feiosas (até as que tentavam ser transadinhas acabaram descambando nos últimos anos) e a densidade demográfica, alta. O trecho mais agradável atualmente é um pouco adiante, o Parracho, onde desponta a barraca chill-out Uiki (repaginação supertransada da antiga barraca do Parracho).

Flor de Sal, Pitinga

Flor de Sal, praia da Pitinga

Na maré baixa, vale a pena ir caminhando até a praia da Pitinga, que tem a paisagem mais bonita: a primeira visão das falésias depois da curva é de arrepiar. Não se demova por causa do primeiro núcleo de barracas grandalhonas, prontas para receber grupos de excursionistas; depois delas você vai encontrar o bar de praia mais bem-montado do Arraial d'Ajuda, o Flor de Sal, que tem um belo deck e mesas dispostas sob amendoeiras. Dá para chegar também de van (o desembarque é no Patacho; os últimos 5 minutos são percorridos a pé).

Da Pitinga dá para ir a pé até a praia do Taípe, que pertence ao Arraial mas onde está instalado o Club Med... Trancoso.

Enquanto a praia ferve, a vila hiberna; poucos restaurantes funcionam na hora do almoço, e a maioria das lojas só abre a partir do meio da tarde. À noite, o footing na rua do Mucugê é de lei. Os bares e restaurantes são despretensiosos mas, no geral, muito bonitinhos; não há móveis de plástico nem trechos tomados por ambulantes.

Trancoso e Espelho são dois bate-voltas confortáveis de fazer. Para Caraíva, o melhor é pernoitar.

Onde ficar: Arraial d'Ajuda

No alto da falésia sobre a praia do Mucugê, a Beijo do Vento é a perfeita tradução do Arraial: tem uma relação custo x conforto x charme imbatível. O apartamento com jacuzzi no terracinho é sob medida para lua de mel. Um pouco acima, num terreno maior e com a mesma vista linda, a Casarão Alto Mucugê tem apartamentos e bangalôs belissimamente cenografados.

Num trecho sossegado da rua do Mucugê, com linda vista para as praias dos Pescadores e do Araçaípe, enfileiram-se três pousadas. A Maitei é a mais sofisticada do centrinho; tem apartamentos superconfortáveis, duas piscinas (uma no terraço) e um espírito chic-despojado que remete a Búzios. Sua vizinha Paraíso do Morro tem uma bonita piscina, enquanto a Baixu Village se diferencia pelos apartamentos com cozinhas completas.

Abrindo mão da vista, você encontra pousadas atraentes com preços idem – como a recentemente reformada Cheiro Verde, a simpática Erva Doce (bem no fervo) e a básica Mar Aberto (excelente opção econômica).

A duas quadras da rua do Mucugê, fora de qualquer muvuca, a Coqueiros tem uma piscina gostosíssima, e o Hotel Marambaia, excelente serviço. Na mesma rua, dentro de um condomínio fechado, a Villa 2 Santos é um super-achado: aberta por um inglês e um francês com experiência em grande hotelaria (Hotel Costes de Paris -- tá bom pra você?), tem apenas 4 apartamentos em torno de uma piscina charmosa; o café da manhã é divino.

Pé na areia, bem no fervo do Mucugê, fica o Mar Paraíso, um condomínio de apartamentos tipo time-sharing que também funciona como hotel. O ambiente é de resort, com bastante muvuca em torno da piscina.

A praia do Parracho, próxima à Pitinga, tem duas ótimas pousadas, auto-suficientes. A clássica Pousada Pitinga espalha seus chalés por um grande terreno com um bem-cuidado jardim de plantas exóticas. Já a elegantérrima Privillage é a número 1 em capricho; os apartamentos são aconchegantes, o jardim é impecável e o deck da piscina, fabuloso, com direito à sombra de uma amendoeira. (Aqui vai um mea-culpa: visitei apressadamente a pousada há muitos anos, quando estava abrindo, e não percebi o potencial. Mas vários leitores já tinham avisado, com razão, que faltava a pousada na lista de recomendadas.)

Pé na areia no Araçaípe, gosto da pousada Sítio São Francisco tem chalés decorados com arte.

Na ponta do Apaga-Fogo, a 15 minutos de caminhada do melhor trecho do Araçaípe, o Arraial d’Ajuda Eco Resort (meia-pensão) é o único do seu porte a admitir o adjetivo “charmoso” sem força de expressão. Os apartamentos são bem decorados, o jardim tem orixás de Tati Moreno e a sala de recreação infantil é toda envidraçada entre a piscina e o mar. Os hóspedes têm direito a freqüentar o Arraial d'Ajuda Ecoparque nos dias em que funciona.

Onde comer: Arraial d'Ajuda

Para almoçar na vila, o clássico do centrinho é o Paulo Pescador (73/3575-1242) (na praça entre a rua do Mucugê e a Broadway). Na rua do Mucugê, o Manguti (73/3575-2270) já está aberto na hora do almoço; A Portinha (73/3575-1882) se mudou para o shopping mais adiante, mas perdeu bastante (bate sol, o lugar é muito quente). A novidade da parte mais alta da cidade é o ótimo Café da Santa (73/3575-1078), misto de padaria e lanchonete na praça da igreja.

Se for almoçar na praia, leia o tópico mais acima ("Vai por mim: Arraial d'Ajuda).

Beco das Cores

Beco das Cores, Arraial d'Ajuda

Meu restaurante favorito para jantar, o Godzilla, fechou; mas o chef japonês legou suas receitas asiáticas para o Clube do Sushi (73/3575-1181) (o rolinho vietnamita é ótimo). Entre os tradicionais da rua (e adjacências), o Aipim (73/3575-3222) é o que mais pretensões gastronômicas; o tradicional Don Fabrizio (73/3575-2407) serve massas al dente; o Boi nos Aires (73/3575-2554) tem boas carnes.

O Beco das Cores é o point mais gostoso da rua. Dá para curtir a música ao vivo (bem bacana, não fica no rame-rame da voz e violão) de todos os seus barzinhos e restaurantes -- como a pizzaria Pitanga (73/3575-1635), a Cachaçaria Axé (73/3575-3588) e o japa Sushi do Beco (73/3575-1679).

A novidade da rua é a Praça Caminho do Mar, onde antigamente existia uma pousada. Experimente por ali o gastropub A Taberna (73/8825-5000) e os sorvetes da Fior di Latte (73/99157-6939).

Onde continuar bebendo até tarde? No seu footing você perceberá que lugar está mais animado -- pode ser o Girassol, o  Morocha Club (73/3575-2611) visto americano, o Milloka (73/9984-6664), o Lounge Bar...

Como chegar: Arraial d'Ajuda

Há dois caminhos entre Porto Seguro e o Arraial d'Ajuda.

O mais curto é pela balsa que cruza o Rio Buranhém; você embarca no cantinho do centro de Porto Seguro e desembarca na Ponta do Apaga-Fogo, a 6 km do centro do Arraial. A balsa funciona 24 horas; passageiros a pé pagam R$ 3,80 (só no sentido Porto-Arraial), e carros, R$ 14,10 de segunda a sábado e R$ 17,30 domingos e feriados (nos dois sentidos). O táxi do aeroporto de Porto Seguro à balsa custa R$ 20; da balsa ao centro do Arraial, R$ 25. Ônibus e vans fazem o trajeto entre a balsa e o centrinho por R$ 2,50.

O caminho mais longo -- mas que chega a ser mais rápido no verão, quando a fila para a balsa fica quilométrica -- é pelo asfalto. Você sai de Porto Seguro em direção a Eunápolis e 30 km mais tarde pega a BA 001, em direção a Trancoso; depois de 21 km aparece a saída para Arraial, e aí são mais 12 km até o centro (total: 63 km). O trânsfer de táxi desde o aeroporto custa R$ 130.

De Arraial a Trancoso

Também há dois caminhos. Pela estrada antiga, são 26 km (15 deles, de terra); você chega a Trancoso pelo Quadrado. Pelo asfalto, são 48 km; você chega a Trancoso pelo arrabalde. O ônibus custa R$ 8.

    Trancoso

Quadrado, Trancoso

Quadrado, Trancoso

  • É a sua praia: se você acha que o rústico pode ser chic
  • Não é a sua praia: se você não quer ter trabalho para ir à praia

Vai por mim: Trancoso

Você vai curtir Trancoso? Tudo depende da sua primeira reação àquelas duas fileiras de casinhas em volta de um descampado, no alto da falésia, mediadas por uma igrejinha de costas para o mar -- o célebre Quadrado. O teorema de Trancoso pode ser postulado da seguinte maneira: amor ao Quadrado ou indiferença ao Quadrado. No meu caso, foi amor à primeira vista, renovado a cada visita. Acho o Quadrado de Trancoso a praça mais bonita do Brasil -- mas não falta quem ache aquilo a coisa mais sem-graça. (Os habituês dirão: ainda bem!)

A praia mais próxima ao Quadrado é a Praia dos Coqueiros. Saindo pela servidão à direita da igreja, em três minutos você chega ao trechinho final ladeira que despenca até a praia.

O primeiro bolsão de estacionamento leva ao trecho das areias onde não há cadeiras de plástico. Pegue o pontilhão que atravessa o mangue. À sua direita você vai ver a simpática barraca Casa Timbó; mais adiante, chega à muvuca mauricinha do Café de la Musique, que só abre na temporada. À esquerda do pontilhão, junto à margem do rio Trancoso, fica o Uxuá Praia Bar, que tem algumas espreguiçadeiras (mas não todas) reservadas aos hóspedes do hotel Uxuá.

O segundo bolsão de estacionamento leva a um trecho mais popular da praia. Por ali vale a pena o peixe com farofa de banana da tradicionalíssima Barraca do Jonas.

No outro lado (margem norte) do riozinho fica a Praia dos Nativos. Na maré baixa dá para atravessar a pé pelo rio, mas o acesso mais seguro é de carro, saindo do Quadrado pela estrada de terra para o Arraial d'Ajuda. Na esquina com o rio fica um clube muito bem montado, o FlyClub (no lugar originalmente ocupado pelo Tostex), que também funciona em algumas noites como balada. A seu lado ficam barracas convencionais, que são point de excursionistas de Porto Seguro. Vinte minutos adiante pela areia (ou 5 minutos de carro, pela estrada para Arraial), você chega ao bar de praia da pousada Estrela d'Água, o preferido dos poderosos paulistas. Um pouco adiante, o bar/restaurante de praia da Pousada Tangará também está aberto ao público.

A praia seguinte na direção norte é a do Rio da Barra, onde começam as falésias que vão até a praia da Pitinga, no Arraial. A praia do Taípe, onde está o Club Med, fica no meio das duas. No encontro com o rio funciona o restaurante Rio da Barra, que na temporada cobra uma consumação mínima. Na maré baixa, dá para atravessar o riozinho a pé; na maré alta, só vindo pela estrada (fica a 10 km do Quadrado, pela estrada do Arraial).

Ao sul da praia dos Coqueiros (a do Jonas, Café de la Musique etc.), em meia hora de caminhada pela areia, ou menos de dez minutos por uma estradinha de terra, chega-se à Praia do Rio Verde, que também tem um núcleo de bares de praia. Os mais bacanas são os de duas pousadas, o Etnia Clube de Mar (na temporada, é preciso fazer reserva no restaurante para ter acesso) e a Bahia Bonita.

Etnia Clube de Mar, Trancoso

Etnia Clube de Mar

À direita (sul) da praia do Rio Verde, a praia fica selvagem: há um condomínio ao longo da costa, mas as casas ficam escondidas pela mata. (É nesse trecho que, em encarnações passadas, se fazia nudismo em Trancoso; hoje a prática é reprimida pelos seguranças do condomínio). O mar fica mais calminho depois da curva, na Ponta da Itapororoca, onde pedras aparecem na maré baixa.

E se você teme o nariz empinado de Trancoso, saiba que o índice de dasluzice no pedaço só fica mesmo alarmante do Réveillon até a metade de janeiro. Do meio de janeiro até o Carnaval ainda haverá colunistas sociais de São Paulo de plantão, mas a cidade estará divertida. Passando o Carnaval, Trancoso aposenta o esnobismo até o Réveillon seguinte. As pousadas só lotam em casamentos muito concorridos. Você pode ir fazer retiro espiritual, se quiser. Recomendo.

Onde ficar: Trancoso

No Quadrado ou na praia?, eis a questão. Se você estiver em carro, fique no Quadrado (e arredores). Deslocar-se entre o alto da falésia e a areia, seja a pé, seja de táxi (R$ 20 cada trecho) ou mototáxi (R$ 5 cada trecho), é mais fácil de dia do que à noite. Caso você faça questão de se hospedar pé na areia, é mais confortável estar de carro alugado (mas sempre dá para chamar táxi ou mototáxi por telefone).

No Quadrado

Numa vielinha que dá no Quadrado, a pousada Capim Santo guarda o DNA da Trancoso pré-badalação. Mas não parou no tempo: foi acrescentando conforto, mas sem perder o ambiente caseiro. A gostosa piscina super quebra o galho dos dias em que você não queira descer a praia; as suítes master são o melhor negócio da cidade. O café da manhã está entre os meus top 5 do Brasil.

O Quadrado tem outras duas pousadas, digamos, históricas. O Hotel da Praça também pertence ao patrimônio afetivo da vila; compensa os quartos compactos com áreas sociais charmosas e um lindíssimo jardim tropical. Já a Porto Bananas, pertinho da igreja, tem apartamentos agradáveis e também chalés completos, com cozinha.

A invasão estrangeira da última década trouxe duas pousadas muito elegantes ao Quadrado. A El Gordo tem alguns de seus apartamentos praticamente incustrados na lateral da falésia, com a mesma vista (belíssima) que se tem da piscina, para as praias ao norte. Mas o xodó da imprensa de luxo é o Uxuá Casa Hotel, adorável coleção de casas que aproveita duas casinhas do Quadrado e continua jardim adentro. Cada casa tem sua própria decoração, com peças únicas e objetos cuidadosamente garimpados; as cozinhas são equipadas.

Outras duas pousadas completam o elenco quadradiano. A nova Hospedaria do Quadrado é uma tentação: tem ambientes sociais arejados, apartamentos super bem-resolvidos e ótimo custo x benefício. E a Mar à Vista, vizinha de viela do Capim Santo, tem uma piscina com -- adivinha! -- vista para o mar.

Na vila

A menos de 10 minutos a pé do Quadrado, a elegante Etnia distribui bangalôs branquinhos por um bosque de árvores frondosas. Cada bangalô tem um tema, resolvido sem exageros. A piscina, ladeada pela varanda do restaurante, poderia muito bem estar num hotel escondidinho em Capri.

Entre as pousadas com boa relação custo x ambiente x localização, dê uma olhadinha na Hibisco (que ganhou um banho de loja), na Mundo Verde (ótima vista para o vale, da piscina) e na Encantada (que costuma ter bons preços).

No comecinho da estrada para o Arraial (depois da ladeira, passando o riozinho), a ecocharmosa Mata N'Ativa tem apartamentos superconfortáveis, rodeados pela mata. À noite você vai querer subir de mototáxi ao Quadrado.

Nas praias ao norte da vila

A primeira pousada de luxo a se instalar na areia -- mais precisamente na Praia dos Nativos -- foi a Estrela d’Água, que reinou por muitos anos como o endereço mais chique de Trancoso. Os apartamentos que valem a pena são as suítes master, todas com piscina privativa  -- e privacidade absoluta. Na temporada, seu bar de praia deve ser o mais disputado do Brasil.

Querendo conforto sem vida social intensa, fique mais adiante, na Villas de Trancoso, que tem uma gostosa piscina com borda de mármore. Vizinha de viela, a Pousada Tangará é uma adição luxuosa recente a esse trecho. O deck da praia é muito bem-montado.

Finalmente, na praia do Taípe – tecnicamente, em território do Arraial d’Ajuda – o Club Med Trancoso é o mais tranqüilo e elegante entre os seus pares brasileiros. A vista do alto da falésia – que vai da Pitinga, no Arraial, ao Rio da Barra, em Trancoso – é espetacular; ir à praia, porém, requer enfrentar 222 degraus (há uma van que faz o percurso em horários determinados). O Quadrado está a 7 km, pela estrada; as corridas de táxi são tabeladas pelo hotel e não saem barato.

Nas praias ao sul da vila

Na praia do Rio Verde, a Etnia Clube de Mar é a filial praiana da Etnia da vila; os bangalôs, que já existiam no local, foram totalmente repaginados pelos novos donos. O bar-restaurante de praia é o mais cool de Trancoso; quem não está hospedado em nenhuma das pousadas do grupo precisa reservar.

A vizinha Bahia Bonita reabriu em 2013 depois de um tempo fechada. Ainda não visitei, mas as fotos prometem.

Onde comer: Trancoso

Como eu já disse mais acima, a essência original de Trancoso pode ser encontrada em qualquer época do ano no restaurante da pousada Capim Santo (73/3668-1122) (com leve sotaque natureba-gourmet), que mudou muito pouco nos últimos vinte anos. Os pratos clássicos são o peixe assado com iogurte e o camarão com capim-santo. Deixe espaço para a sobremesa...

A vila tem outros clássicos, como a pizzaria cinco-estrelas Maritaca (73/3668-1702), um dos favoritos da foodie Alexandra Forbes (a uma quadra do Quadrado, em frente ao shoppingzito), e O Cacau (73/3668-1266), no Quadrado perto da igreja, de cozinha de inclinação baiana.

Na temporada, brilha a filial do Los Negros (73/3668-2158), do mitológico chef Francis Mallmann, na esquina da primeira praça antes do Quadrado (quase em frente ao Pára-Raio). Faz tempo que não vou em janeiro, então ainda não pude experimentar, mas acredito que ofereça os assados na panela de ferro, de exposição curta a altíssimas temperaturas, que são a marca registrada do chef argentino.

Fora do circuito badalado, o Quadrado tem opções simpáticas -- no almoço, as moquecas do Silvana & Cia (73/3668-1049). À noite, carnes argentinas no La Parilla (73/9118-0219) e o cardápio enxuto do Il Mercato (73/3668-2050).

Para comer com vista, marque um almoço tardio no restaurante da pousada El Gordo (73/3668-1193).

Para almoçar na praia, reserve na Etnia Clube de Mar (73/3668-1137), na Estrela d'Água (73/3668-1030) ou na Tangará (73/3668-1212).

Como chegar: Trancoso

Trancoso fica a 80 km de Porto Seguro pelo asfalto. Saindo do aeroporto, são 30 km até o trevo para a BA-001; siga reto por 40 km, quando haverá a rotatória para Trancoso. Serão menos de 10 km até o Quadrado, passando pelo arrabalde da cidade (o bairro conhecido como Invasão).

Dá também para ir pela balsa do Arraial d'Ajuda. Nesse caso, serão 30 km a partir da chegada da balsa. Os últimos 15 km, a partir do Taípe, serão de terra.

Para o Club Med ou o condomínio Terravista, o melhor caminho é pelo asfalto; há uma estrada exclusiva saindo 7 km depois do trevo da BA 001.

O trânsfer desde o aeroporto custa R$ 180. Por transporte público, vá de táxi à balsa (R$ 20), atravesse com a balsa (R$ 3,80), prossiga com o ônibus Balsa-Trancoso (R$ 8).

    Praia do Espelho

Praia do Espelho, canto direito

Praia do Espelho, canto direito

  • É a sua praia: se você quer dormir e acordar numa praia deserta
  • Não é a sua praia: se te incomoda que no meio do dia a sua praia deserta não fique tão deserta

Vai por mim: Praia do Espelho

“Espelho da Maravilha” – afinal, isso é um nome ou um slogan? Provavelmente, um slogan. O nome oficial é Curuípe; em priscas eras, o lugar era conhecido apenas como “o Arão”, o nome do patriarca da família de pescadores que preservou esse paraíso até ser posto no mapa. A praia é um deslumbre: um coqueiral faz o contraponto à aridez das falésias, que se estendem pelo lado direito até perto de Caraíva; o mar é calmo, claríssimo em tempo seco, e com piscininhas na maré baixa. Um riozinho de águas verdes desemboca próximo ao canto direito, com a única intenção de aparecer no seu álbum de fotos.

Bar do Baiano, Espelho

Bar do Baiano, Espelho

Mas não é só a paisagem que torna a praia especial: sob os coqueiros encontram-se alguns dos bares de praia mais estilosos da costa brasileira.

O criador do estilo – ou, ao menos, seu sintetizador – é o Baiano, genro do Arão, o primeiro a espalhar pelo gramado esteiras de taboa e almofadas de chita em torno de mesinhas baixas. Muitas vans deixam seus passageiros no Bali Hai, o bar de praia da Recanto do Espelho. Para quem quer uma boa sombra, o bar Caribe Baiano é a pedida: uma barraca branquinha, com sofás e mesas confortáveis, à beira do riachinho (entre as pousadas Recanto do Espelho e Bendito Seja).

Caribe Baiano, Espelho

Caribe Baiano, Espelho

No canto direito da praia, à beira de um outro rio, o bar da Fazenda Calá & Divino é uma charmosíssima alternativa à muvuca do canto de Curuípe.

No Espelho você vai tomar as caipiroskas mais caras da sua vida. O melhor jeito de amortizar o investimento (e o esforço de ir tão longe) é não se contentar com o bate-e-volta no mesmo dia. Só quem dorme e acorda nesse cenário experimenta toda a maravilha do Espelho.

Onde ficar: Praia do Espelho

As pousadas lotam no Réveillon e no Carnaval, mas sempre têm vagas no resto do ano.

O canto esquerdo da praia -- tradicionalmente conhecido como Curuípe -- concentra as pousadas pé na areia. Junto à falésia, a Enseada do Espelho tem serviço superprofissional, quartos confortáveis e um bonito gramado que se estende até a beira do mar, onde você pode pedir para servirem o café da manhã.

Sua vizinha, a Bendito Seja, repaginou a antiga Porto Espelho com uma decoração extravagante, que faria bonito numa Casa Cor. Os apartamentos são especialmente românticos.

A pousada a seguir é a Recanto do Espelho, que funciona como ala mais básica da Enseada do Espelho e costuma ter os preços mais camaradas entre as pousadas à beira-mar.  A seu lado está a Pousada do Baiano, que tem apartamentos junto ao bar – rústicos mas charmosinhos – e bangalôs construídos na encosta.

No canto direito da praia, na margem sul do riozinho (onde seria a praia do Espelho propriamente dita), a Fazenda Calá & Divino ocupa toda uma colina; alguns dos bangalôs estão no alto (branquinhos, com um jeitão de Grécia-na-Bahia, e vista esplêndida); outros ficam pé-na-areia, à beira-rio.

No alto da falésia, dentro do condomínio Outeiro das Brisas, a piscina da Pousada do Outeiro é um mirante privilegiado para o Espelho; os quartos são aconchegantes. Outra pousada com piscina é a Viela da Vista (antigo hotel L'Unico). Já a Brisas do Espelho é antiga Vindobona, reformada e redecorada; os apartamentos são espaçosos e o café da manhã, elogiado.

Onde comer: Praia do Espelho

Todas as pousadas citadas no tópico anterior têm restaurantes; se você não estiver hospedado, ligue para confirmar o funcionamento.

Fora das pousadas e dos bares da praia, a grande viagem é almoçar no Restaurante da Silvinha (ligue para reservar: 73/9985-4157). O cardápio varia de acordo com o que a Silvinha acha no mercado -- mas a torrada de pão árabe com zátar e os chutneys caseiros do couvert estão sempre presentes.

Como chegar: Praia do Espelho

O Espelho está a 25 km ao sul de Trancoso, 75 km do Arraial d’Ajuda e 105 km de Porto Seguro. Os últimos 20 km são de terra, com alguns trechos precários. A entrada para Espelho/Curuípe é sinalizada; você passa ao lado da guarita do condomínio Outeiro das Brisas e continua por mais 6 km até a praia. Há dois bolsões de estacionamento – ambos caros. Para ficar no canto esquerdo (Curuípe), onde estão o Bar do Baiano e seus vizinhos bacanas, siga sempre em frente. As placas que tentam levar você para a direita (Espelho) vão dar no bolsão de estacionamento próximo ao meio da praia.

O trânsfer do aeroporto ao Espelho sai entre R$ 270 e R$ 300. Vindo de Trancoso ou do Arraial d'Ajuda, o táxi cobrará entre R$ 150 e R$ 200 por perna.

    Caraíva

Caraíva

Beira-rio, Caraíva

  • É a sua praia: se você curte rusticidade -- e forró
  • Não é a sua praia: se ruas de areia não fazem o seu estilo

Vai por mim: Caraíva

Caso você tenha perdido os últimos capítulos: desde 2008 Caraíva está ligada à rede de luz elétrica. A coisa se deu nos termos que a comunidade exigiu: a fiação foi toda enterrada, e as ruas continuam sem iluminação de poste. Tudo para preservar o planetário natural que aparece nas noites sem nuvens. Os carros continuam proibidos. Não esqueça a lanterna – e aproveite para curtir a vila sem o tuc-tuc-tuc dos geradores.

Praia da Barra, Caraíva

Praia da Barra, Caraíva

Os dois melhores trechos para pegar praia são a Barra -- onde o rio se encontra com o mar e o banho é mais gostoso -- e o Bar da Praia,  na pousada Casa da Praia, que é o point mais descolado. Num dia que estiver especialmente bem-disposto, atravesse o rio de canoa, e em meia hora você estará na Praia do Satu, com direito a duas lagoas.

Bar da Praia, Caraíva

Bar da Praia, Caraíva

Em Caraíva, a beira-rio é mais importante do que a beira-mar. No meio da tarde, não existe lugar melhor para estar do que embaixo de uma das árvores frondosas do Boteco do Pará, a bordo de uma porção de pastéis sequinhos. À noite começa no Bar do Porto (se não tiver jantado, peça uma pizza) ou no Bar Lagoa (bons sanduíches) e continua num dos dois forrós que, para muita gente, são sinônimo de Caraíva: o do Ouriço e o do Pelé (mas que, fora da temporada, só funcionam mesmo aos sábados).

O passeio mais gostoso é o bóia cross: você desce o rio Caraíva de bóia, sem fazer força, na maré vazante. Bugueiros saem da ponta da vila e levam à aldeia pataxó de Barra Velha (onde o mais interessante é o artesanato à venda). Há várias maneiras de ir ao Corumbau: de bugue (na continuação do passeio a Barra Velha), de barco (com parada nos recifes Itacolomis) ou a pé (12 km/3 horas). Se for a pé, vá na maré baixa, para pegar a areia mais dura; volte de bugue. Há também passeios de barco à praia do Espelho. Se quiser ir a pé ao Espelho, são 9 km, percorríveis apenas na maré baixa; não dá para ir e voltar no mesmo dia.

Onde ficar: Caraíva

A melhor localização de Caraíva, perto da beira-rio e não muito longe da praia, é a da Pousada Lagoa, que tem bangalôs que parecem saídos de um catálogo da Richard's, espalhados por um terreno em torno de uma lagoinha. (Só os apartamentos superiores têm ar condicionado.)

À beira-mar, a localização mais privilegiada é a da Pousada da Barra, que tem frente para o rio e para o mar. Outras pousadas também deixam você pé na areia: a Casa da Praia (que tem o bar de praia mais bem freqüentado), a Flor do Mar (charmosíssima; os apartamentos do segundo andar tem varanda e vista linda para o mar), a San Antonio (que tem um deck bacaníssima sobre a areia), a Vila do Mar (a única com piscina), e a Thaynã (toda rústica, de madeira).

Perto dos forrós, as simpaticíssimas Casinhas da Bahia têm o charme da fachada de platibanda característica do interior nordestino.

Fora da praia, a Pousada da Terra é supercaprichada e tem bons preços; a San Antonio Cajueiro fica na quadra de trás da San Antonio e esbanja charme em bangalôs branquinhos, e a Tatuassu tem uma arquitetura original (e restaurante italiano na temporada).

Onde comer: Caraíva

O funcionamento dos restaurantes de Caraíva é bastante sazonal. Fora da temporada, o mais recomendável é se garantir num almoço tardio (no Bar da Praia (73/3274-6833), no Boteco do Pará (73/3274-6829), no panorâmico Varandão (73/9199-4563) -- ponto final de todos os passeios pelo rio -- ou em qualquer lugar que você encontre aberto), porque à noite as opções serão restritas.

À noite, os lugares mais prováveis de estarem em funcionamento são o Bar do Porto (73/9999-1211) (pizzas), a Culinária Central (73/3274-6827) (variado), o Bar Lagoa (73/99985-6862) (massas, saladas, sanduíches) e o João de Barro (regional).

Na temporada, abrem dois restaurantes com pique mais gastronômico, o Mangue Sereno e o italiano da Tatuassu (73/9985-5672).

Como chegar: Caraíva

Caraíva fica 120 km ao sul de Porto Seguro; os últimos 40 km são de terra. Quem vem de condução própria deixa o carro no estacionamento na margem norte do rio e atravessa de canoa para o centrinho da vila.

Há também um atalho desde a BR 101, com saída perto do Posto Santa Bárbara, em Itabela, passando pela localidade de Monte Pascoal; venha de dia, porque os 47 km de terra têm bifurcações mal sinalizadas.

O ônibus desde Porto Seguro custa R$ 16.

O trânsfer desde o aeroporto de Porto Seguro sai R$ 270.

É possível vir pela areia (12 km) desde o Corumbau; os pataxós de Barra Velha fazem esse transporte de bugue.

    Corumbau

Corumbau

Vila Naiá, Corumbau

  • É a sua praia: se você busca isolamento
  • Não é a sua praia: se você não quer trabalho para chegar

Vai por mim: Corumbau

O que é mais bonito no Corumbau? A praia extensa e vazia? O mar calminho? O bosque de amendoeiras bem na ponta da praia, em frente à vila? Os barquinhos dos pescadores que ficam encalhados na maré baixa? Ou a feliz constatação de que o seu celular realmente não pega direito?

A Ponta do Corumbau é um dos lugares mais remotos do litoral baiano onde você pode chegar e ficar. Aqui a rusticidade de um autêntico vilarejo de pescadores convive com o luxo de algumas das pousadas mais exclusivas do Brasil. Os trechos de praia em frente às pousadas são virtualmente privativos; os (poucos) visitantes que aparecem, vindos de barco de Cumuruxatiba e Caraíva (e, aos domingos, de ônibus, de Itamaraju), vão direto para a praia da vila, bem na ponta.

Por ali, nas luas cheia e nova, a maré baixa faz surgir um banco de areia que avança mar adentro, alongando o pontal e formando piscinas naturais de água transparente.  Come-se bem nas pousadas e nos restaurantes simples da vila. Quando cansar de não fazer nada, você pode fazer cavalgadas até a aldeia indígena e andar de caiaque mangue adentro.

Há vários pontos bons para mergulho; a melhor época é no verão. Na maré baixa, depois de atravessar o rio Caraíva de canoa, é possível ir caminhando até Caraíva (12 km). Mas o percurso não é muito interessante; é melhor fazer de bugue, que vai só até o meio do caminho pela areia e então continua pelo interior, passando pela aldeia indígena de Barra Velha.

Onde ficar: Corumbau

Fica no Corumbau a pousada chique mais sui-generis do Brasil: a Vila Naiá, precursora do luxo sustentável. Por fora, seus chalés não são muito diferentes das casas de pescador da região; por dentro, porém, têm todo o conforto e misturam móveis de design com peças vintage. A vegetação é autóctone, e protegida por passarelinhas de madeira que cruzam a pousada. A única interferência na topografia é a piscina. Nos fundos da pousada começa uma reserva natural particular de 40 hectares.

Prefere um luxo mais convencional? Na Fazenda São Francisco você encontra. Metade dos apartamentos foi reaproveitada da encarnação anterior; os que vale a pena cacifar são os quatro novos bangalôs de linhas minimalistas, que têm quintais privativos nos fundos.

Não quer esvaziar o cofre? Você tem duas boas oções. Reserve um dos bangalôs do simpático Village Jocotoka, o pioneiro da praia, que tem fundos para o rio e está mais perto da vila (e é family-friendly). Ou fique na própria vila, na Loin de Tout, charmosa pousadinha de uma belga envolvida em projetos comunitários na região.

Como chegar: Corumbau

Em linha reta, Corumbau está 50 km ao sul de Porto Seguro – que são percorridos em 25 minutos por aviõezinhos fretados pelos bacanas.

Pela estrada, são 220 km – saindo da BR 101 em Itamaraju (na direção de Prado) e virando à esquerda 8 km depois, em Guarani. Os últimos 60 km são em estrada de terra que fica complicada depois de chuvas.

Há um atalho que vale por um passeio: dá para vir de carro de Porto Seguro até Caraíva (140 km; os últimos 40 km, de terra), atravessar o rio de canoa e então pegar seguir de bugue pelos últimos 12 km até o rio Corumbau (onde há outra travessia de canoa); combine a aventura com a sua pousada.

    Cumuruxatiba

Rio do Peixe, Cumuruxatiba

Praia do Rio do Peixe, Cumuruxatiba

  • É a sua praia: se você procura o astral do sul da Bahia, mas sem a badalação nem os preços altos
  • Não é a sua praia: se você precisa de um aeroporto pertinho

Vai por mim: Cumuruxatiba

Cumuru é para quem sossego com alguma estrutura – mas sem a afetação das outras praias do sul da Bahia. A paisagem muda um pouco: saem os coqueiros, entram as amendoeiras. Boa parte da costa é pontilhada por essas árvores de copa frondosa, que dispensam a importação de sombra: pode deixar o guarda-sol em casa, que por não vai ser necessário.

O trecho mais bonito é o da praia do Rio do Peixe, a 3 km do centro. Por ali as falésias ainda estão nos fundos da praia – mas ajudam a enfeitar o canto esquerdo da sua visão. Um riozinho facilmente atravessável divide a praia entre Rio do Peixe Grande e Rio do Peixe Pequeno. Várias pousadas escolheram esse pedaço para se instalar, mas as areias continuam vazias.

Na maré baixa o mar seca bastante; aproveite para caminhar até a praia do Moreira, que na maré alta só tem acesso pela estrada. 12 km adiante (15 km do centrinho), a Barra do Caí é tida por alguns historiadores como o primeiro lugar onde Cabral teria pisado o solo brasileiro; o lugar é lindo, com falésia, riozinho e centro de visitantes.

Capítulo mesa: para frutos do mar à brasileira, vá ao Hermes, à beira-mar. Para pratos mais viajados, confira o Mama África, que voltou à praia depois de umas temporadas em Trancoso. No verão saem passeios de barco para os corais do Pataxó e a Ponta do Corumbau. No inverno, informe-se sobre os passeios para observação de baleias jubarte que saem de Prado; sai mais barato e é menos cansativo do que ir até Abrolhos. (Sobre Abrolhos, leia no tópico de Prado.)

Onde ficar: Cumuruxatiba

A bem-montada Pousada Rio do Peixe fica no canto mais sossegado da sua praia e está num terreno amplo. Ali perto, a Mandala tem uma sala de estar muito agradável e a melhor piscina da região. Os destaques da Pousada É são o jardim (onde há um playground) e o deck junto à praia. A Uai Brasil é compacta mas supercaprichadinha.

Na vila -- ideal para quem quer alguma vida noturna -- a pousada mais bonita  é a Villa Cumuru; o hotel mais estruturado, o Cumuruxatiba, que tem uma agência de ecoturismo para o Monte Pascoal e arredores usando jipões incrementados.

Como chegar: Cumuruxatiba

Cumuruxatiba fica 220 km ao sul de Porto Seguro. É preciso descer pela BR 101 até Itamaraju, e então pegar a estrada para Prado. 8 km antes de Prado há uma saída à esquerda para Cumuru; esses 30 km finais são de terra.

    Prado, Caravelas & Abrolhos

Prado

Prado, em direção a Cumuru

  • É a sua praia: se vai ver baleias, mergulhar em Abrolhos -- ou se é mineiro smile
  • Não é a sua praia: se faz questão de mar azul

Vai por mim: Prado, Caravelas & Abrolhos

Prado é a cidade com melhor infra-estrutura da Costa das Baleias. Seu público é composto principalmente por famílias, que ocupam um loteamento inteiro de casas de veraneio. O maior atrativo natural do lugar são belíssimas falésias que começam a 5 km ao norte do centro e se estendem por 30 km até a entrada de Cumuruxatiba -- margeadas por uma estradinha panorâmica de terra, que quando não chove proporciona um belo passeio entre as duas cidades. As praias são lindas, com muitos trechos desertos -- pena que a água esteja mais para o bege do que para o verde. O Beco das Garrafas, um calçadão na rua Rui Barbosa (centro antigo), concentra bares e restaurantes (como o bistrô Donna Flor -- meu preferido --, o Banana da Terra e o Jubiabá) e sedia os agitos da noite, razoavelmente fervida no verão.

Caravelas

Caravelas

A 50 km de Prado, por estrada asfaltada, a cidade histórica de Caravelas é tem um centrinho adorável, e serve como ponto de partida para incursões a Abrolhos. É um dos melhores pontos do litoral brasileiro para mergulho (época com maior visibilidade: de outubro a março). Chega-se lá de duas maneiras. O jeito mais 'turístico' é fazer um passeio de lancha rápida (saída às 8 da manhã, volta às 5 da tarde) a partir de Caravelas. O jeito mais 'esportivo' é se encaixar numa saída de barco ou catamarã, dormindo entre uma e três noites no barco. O passeio é mais indicado para quem realmente quer mergulhar ou observar baleias; para quem vai só olhar a paisagem (fora da temproada de baleias), a viagem é cansativa, e a vista, monótona. Para quem mergulha, no entanto, é o paraíso -- nesse departamento, Abrolhos é um destino 5 estrelas. Não vá com os dias muito contados, já que com mau tempo muitas saídas são canceladas (principalmente os passeios de lancha), e você talvez tenha que ficar em terra esperando o tempo melhora (veja operadores credenciados aqui).

Abrolhos

Abrolhos

Onde ficar: Prado & Caravelas

A pousada mais charmosa de Prado é a Ponta de Areia, junto à praia da cidade. No loteamento Novo Prado, a Guaratiba tem boa estrutura (uma ótima piscina).

Em Caravelas, aguarde o dia de sair seu passeio a Abrolhos no Marina Porto Abrolhos.

Como chegar: Prado, Caravelas & Abrolhos

Prado está a 200 km de Porto Seguro (saia da BR 101 em Itamaraju) e a 470 km de Vitória (saia da BR 101 em Teixeira de Freitas), sempre asfaltados.

Caravelas está a 50 km de Prado, 250 km de Porto Seguro e 420 km de Vitória.

Leia mais:

434 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Luiz Pimenta
Luiz PimentaPermalink

Prado , no sul da Bahia , é uma ótima opção para famílias , já fui 3 vezes , e sempre bate aquela vontade de estar lá ......
Praia bonita , preços justos , e um carnaval muito animado!!'

Marihá Camelo
Marihá CameloPermalink

Olá!! Só complementando informação sobre Arraial. Acabei de chegar de lá, estava na baixa temporada, mas não tão vazio. Procurei a barraca Flor de Sal recomendada aqui e está estava fechada, só abre na alta estação. Assim como a barraca Uiki, no Parracho. Na praia do Parracho indico a Canbana Grande, ótima estrutura, boa comida e música ao vivo. Não é muvucada! Alguns restaurantes da rua mucugê, em alguns dias, tbm fecham!

helio
helioPermalink

Dicas importantes, pois pretendo fazer parte deste roteiro próximo ano.

Escorpiana
EscorpianaPermalink

Amei seu texto "A Boia"! até porque eu e meu esposo estamos muito em dúvida entre ficar em Arraial, Trancoso ou Prado! não gostamos de badalação e vamos de carro de saindo de São Paulo, Porém vamos pela Fernão dias. O que me deixa confusa é a infra estrutura de todas elas! asfaltos precários infelismente acredito ser inevitáveis em toda a região norte e nordeste.... Ficaremos em casa de temporada e vamos em Janeiro.... Arraial ou Prado também tem praias com difícil acesso? estradas ruins?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Escorpiana! Está tudo no texto, no item "Como chegar" de cada destino. As únicas praias com acesso precário são Espelho, Caraíva, Corumbau e Cumuruxatiba. Todas as outras são servidas por asfalto em bom estado. É perigoso apenas dirigir à noite, em qualquer estrada do Brasil, pela imprudência generalizada de motoristas e caminhoneiros.

Vivi
ViviPermalink

Olá! Estou com viagem marcada pra este mês em trancoso. Vou sozinha e estou com dúvidas: há surto de zyka vírus/ dengue em trancoso e região? A região é segura pra mulher q viaja sozinha? Quais as praias mais recomendadas ou mais seguras, com mais agito? Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Vivi! Nesta época é mais fácil pegar dengue no Sudeste, no Sul ou no Centro-Oeste, que têm um verão chuvoso, do que no Nordeste, que tem um verão seco. Nâo existe "epidemia" de zika. Existe apenas a constatação da chegada do vírus ao Nordeste e um aumento de casos de bebês com microencefalia em alguns estados. Se você não está grávida nem pretende engravidar nesta viagem, não há o que temer. (Além do quê, a chegada do vírus da zika a outros pontos do país é apenas uma questão de tempo. Daqui a alguns meses já se falará nisso no lugar onde você mora.)

Gustavo - blog Muita Viagem

Oi Ricardo, o guia ajudou muito na nossa exploração da região. Abs!

Denise
DenisePermalink

Oi, Ricardo, estou passando para agradecer este post. Maravilhoso! Estive de 20 a 27 de dezembro agora com meu marido e minha filha de 9 anos em Arraial, Praia do Espelho e Caraíva e suas dicas foram ótimas! Arraial continua maravilhoso! Os restaurantes Mangutti, do Paulo Pescador e o Don Fabrizio continuam ótimos! O Eco Parque é imperdível se você está com crianças! A barraca Corujão e a praia Araçaípe eu não conhecia e adorei, pois me lembraram o Arraial de antigamente (muito boas)! Pitinga continua ótima! O sorvete da Fior de Latte é ótimo e o Morocha Club está bombando (não deu prá ir pois estávamos com criança mas ele é bem animado). As dicas da Praia do Espelho e de Caraíva ajudaram muito também! A praia do Espelho é linda (tem que levar dinheiro)! A praia da Barra e o Boteco do Pará estão aprovadíssimos. Fomos para Caraíva num bate-e-volta, mas mesmo assim valeu a pena! Um grande beijo e obrigada. Denise

Fabiana S
Fabiana SPermalink

Olá Ricardo e bóias,
Passando para dar um retorno: Estive hospedada para a semana de réveillon/2015 na pousada Villa 2 Santos por recomendação de vocês. AMEI! A pousada é linda, de extremo bom gosto, a piscina uma delícia, o quarto super confortável (minha única ressalva é para a pressão - quase inexistente - da água no chuveiro, o que já estava sendo tratado pelos donos). Mas o grande diferencial é o tratamento carinhoso, vip e mega atencioso dos proprietários Philip e Stephane. Ouso dizer que é uma pousada com tratamento e atenção de um hotel europeu 5 estrelas. Ah! Sim, o café da manhã é DIVINO. Tudo artesanal, gostoso e sem exageros.
Estávamos com uma super bagagem por conta da minha bebê e os donos foram pacientes, atenciosos e sempre dispostos a ajudar. Agradeço muito a indicação. Foi top!!!!
Das barracas de praia que visitamos em Trancoso e Arraial a que mais recomendamos é, sem dúvida, a Flor do Sal em Pitinga. Barraca charmosa, com bom atendimento, boa comida, praia gostosa e preços razoáveis (muito mais barato que em Trancoso. Ex: sangria a R$ 45,00 na Flor do Sal e a incríveis R$230,00 na Estrela D'água).
Vale registrar que a pousada só funciona na alta temporada, pois a partir de abril/maio o Philip e o Stephane trabalham em Paris.
Certamente voltaremos lá. Beijos!!!

Fabiana S
Fabiana SPermalink

Um complemento: o restaurante Rosa dos Ventos, que fica bem proximo à pousada, na mesma rua, merece estar na lista de recomendações. O peixe com camarão na folha de bananeira é soberbo! Dica dos donos da Villa 2 Santos. Vale conhecer!

isabelle
isabellePermalink

Olá, vocês sabem informar se é possivel ficar ate de noite tipo 20-21hrs em trancoso e depois voltar para porto seguro?
vi que a balsa funciona 24horas, mas não achei informações sobre o transporte até o local da balsa. alguem sabe informar se tem taxis que levam e o valor médio?
pois pela minha pesquisa o servico de onibus que leva ate a balsa parece que o ultimo sai as 19hrs.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Isabelle! Não sabemos de ônibus noturno não.

Nanda Vieira
Nanda VieiraPermalink

Olá!
Vou viajar sozinha, e gostaria de saber se é seguro e inteligente estar hospedada em Trancoso fazendo bate-volta para Caraíva. Moro em Salvador, e tenho dúvidas de qual seja melhor forma de chegar. Como montar um roteiro em que não gaste muito com transporte?

Valeu!! (;

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Nanda! O post traz informações sobre deslocamento de ônibus entre todos os lugares. Neste caso, não é aproveitável o bate-volta entre Trancoso e Caraíva. Durma nos dois lugares.

Pedro Dozza
Pedro DozzaPermalink

Ótimo post e parabéns pelos detalhes. Acha que vale a pena descer em porto seguro e alugar um carro para conhecer essas praias?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Pedro! Sim.

Silvana
SilvanaPermalink

Adoro suas dicas e preciso muito da sua ajuda agora:
Viajamos, meu marido e eu, para Trancoso em meados de março, por 4 dias.
Você acha melhor alugarmos um carro para conhecermos as praias ou nos viramos de outra forma? Detalhe: meu marido tem um pouco de dificuldade para caminhar muito (dor no joelho), mas ama golfe e não abre mão!
Ficaremos numa pousadinha perto do centro, Jardim de Trancoso...é nossa primeira vez por lá e não sabemos por onde começar!
Obrigada!!!!!!!!!!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Silvana! Vale a pena alugar carro.

Nadja Bium
Nadja BiumPermalink

Obrigada por este serviço incrível, Ricardo! Visitei a Costa do Descobrimento agora no fim de Jan de 2016 e reservei hotéis, visitei restaurantes, praias e pontos turísticos recomendados neste artigos. Para ajudar quem estiver planejando uma visita, dividi o passeio como o Ricardo recomendou: um lugar afastado (Espelho) e outro mais badalado (Arraial). Funcionou super, adorei. Alugar um carro é uma ótima, super indico.

É importante dizer que a fila da balsa de Arraial para Porto Seguro no fim de dia em temporada é uma coisa monstruosa, espera de horas. Fiquei aliviadíssima de estar no contrafluxo. Arraial é muito organizada e oferece opções de praia lindas, como a Pitinga. Não passei medo também, como já me aconteceu em outra cidade histórica da costa brasileira (Parati). Um restaurante com um preço justíssimo e comida INCRÍVEL no Arraial que não foi mencionado aqui é o Bistro D'oliveira, na Estrada da Balsa. Foi uma indicação dos nossos anfitriões maravilhosos na Villa 2 Santos, outro lugar com custo-benefício maravilhoso e serviço sofisticadíssimo.

Ficamos no Espelho na Fazenda Calá e Divino e sua localização é realmente imbatível, mas embora o pessoal seja gente fina e o bobó de camarão um sonho, o serviço não é tãaaao incrível quanto o preço sugere.

Outra dica incrível foi o restaurante da Maria Nilza em Guaiú, vale muito! Pegamos as duas balsas (Arraial-Porto/Porto-Cabrália) dois dias seguidos de tão apaixonados que ficamos por essa praia.

A praia mais deslumbrante foi Corumbau, mas é bom avisar que o passeio de bug de Caraíva até lá é salgado (R$250,00 para duas pessoas).

Provamos a Flor de Sal em Arraial e o Café de la Musique em Trancoso, muito recomendáveis. Preço lá em cima, mas são lugares com conforto e comida boa.

Nossa única decepção do artigo foi o Clube do Sushi em Arraial: comida meia boca, muito barulho e mosquito e atenção sem-graça. Além de caríssimo, não recomendo.

De novo, muuuuuito obrigada pela ajuda do Viaje na Viagem!

Mariza
MarizaPermalink

Desde a primeira viagem que fiz pelo Sul da Bahia utilizo as informações precisas deste site. A primeira vez fiquei em Taipu de Fora, Morro de São Paulo e Itacaré, fiz SP/Ilhéus/S.Paulo. No ano de 2015 fui até Ilhéus/Itacare/Taipu de Fora e voltei para Itacaré , fui de ônibus a Porto Seguro, segui para Trancoso, lá fiquei por 06 dias, depois fui para Arraial da Ajuda e me hospedei numa Pousadinha simples na Praça da Igreja, hiper organizada e limpíssima, pessoal agradável, e lá guardei minhas coisas e por 10 dias, literalmente desbravei a Bahia. Fui de Arraial a Canavieiras, fui parando, depois voltei, fui para Eunápolis de Van, segui para Itamaraju, de lá até Prado, Caravelas e Alcobaça, depois fui para Cumuruxatiba, de lá peguei o Barco do Sr.Antonio Carlos até a Ponta do Corumbau, de lá a Caraíva, fiqui por um dia e dormi ali, andei no mangue, segui paraTrancoso novamente, Espelho, e tudo por ali, voltei para Arraial, e por 22 dias pude dizer que foi a maior emoção da minha vida. Viagem sozinha, 3785 fotos, 7 gigas de pen drive, vi coisas e estive em lugares jamais imaginados e agora, no próximo dia 27.02 começo tudo de novo, com algumas alterações de percurso, mas voltando a todos eles, só que desta vez, por 31 dias.

Nathália
NatháliaPermalink

Adorei ler seu comentário, Mariza! Estou pensando em passar 10 dias no Sul da Bahia sozinha no final desse ano, e seu comentário foi encorajador. Fiquei com uma dúvida, vc fez tudo isso sem alugar carro? Se sim, o deslocamento entre esses lugares todos foi tranquilo?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Nathália! Pelo relato, dá para entender que foi de transporte público. Este post dá todas as dicas para se deslocar entre as praias. Não há o menor problema; é como os moradores se deslocam. Ou você acha que todo mundo tem carro no paraíso? smile

mariza.alcantara
mariza.alcantaraPermalink

Completamente sozinha, utilizando ônibus, de barco, mototaxi, bug com os indios, barco com o Sr.Antonio Carlos de Cumuruxatiba a Ponta do Corumbau, viagem fantástica. Sábado que vem à esta hora, estarei vendo a lua nascer em Taipu de Fora. Não paguei preços mirabolantes, a Pousadamais cara foi em Trancoso, 45,00 reais.

Marcela
MarcelaPermalink

Mariza,
Esse barco do passeio de Sr. Antonio Carlos é de Cumuruxatiba a Corumbau ou a Caraiva? E o valor acessivel?

mariza.alcantara
mariza.alcantaraPermalink

Ricardo, esse seu site é espetacular! Podia colocar a Tábua das Marés, para acrescentar porque tenho a maior dificuldade em conseguir a de Taipu de Fora. No dia 27 estarei indo novamente, só que pretendo ir até Nova Viçosa, pretendo ver as Falésias na Costa Dourada, incríveis!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Mariza! Use as informações de Ilhéus.

(Ou simplesmente oriente-se pela lua: os dias de entrada da lua cheia e da lua nova e os dois dias subseqüentes são oa mais propícios. A maré estará baixa pela manhã.)

Leonardo
LeonardoPermalink

Caros Ricardo e Boia,

Acabei de fazer uma ótima viagem pelo Sul da Bahia.
Passei aqui para agradecer.
Para variar, usei muitas dicas de vcs para montar meu roteiro e fazer os passeios.
No meu blog (bem mais modesto do que o excepcional site de vcs), fiz um post

http://leoviajandao.blogspot.com.br/2016/02/o-lado-cool-e-alternativo-do-sul-da.html
com umas dicas recentes e muitas fotos.
Espero que seus leitores possam também apreciar e curtir o lugar.
Abraço e mais uma vez obrigado.
Leo

Thalita
ThalitaPermalink

Olá Boia, preciso da ajuda de vocês, consegui de última hora 10 dias de férias agora em maio, penso em ir ao Sul da Bahia. Viajo com minha mãe que não curte muito ficar em praias o dia todo e gosta mais de explorar centrinhos, história local e ama artesanato, pensando nisso e seguindo o concelho de vocês acima, para pensar em um lugar mais rústico, e um com um pouco mais "urbano" pensei um Trancoso e Santo André. Estou em dúvida quanto ao tempo de permanência em cada local e por onde começar. Poderiam me ajudar? Se alguém tiver outras dicas desses locais ficarei grata também!!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Talita! Nesta época você conseguirá hospedar-se com facilidade em qualquer um dos destinos da região. Monte base no lugar que você acha que vai gostar mais e, de lá, passeie pelos outros pelos quais tem curiosidade. Se ficar com vontade de se mudar para algum, é só se mudar.

Diogo
DiogoPermalink

Bóia, boa tarde.

Vou pra final de agosto. Pra dividir 8 dias, acha bacana colocar 5 em Arraial e 3 em Trancoso, por exemplo? Dividi dessa forma por Arraial ter mais opções a noite, pelo que apurei. Procede, ou seria mais interessante dividir por igual?
Outra dúvida é: Seria mais indicado carro pra Arraial ou pra Trancoso?
Parabéns pelo site.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Diogo! Você só precisará de carro em Trancoso para ir à praia. No Arraial você pode usar as kombis, se não quiser estar de carro. Essa questão de dividir ou não a estada é complicada, porque são dois lugares com perfis bastante distintos. Provavelmente quem se apaixone por Trancoso não vá gostar do Arraial, e quem achar que Arraial é o seu número vai achar Trancoso sem-graça. Em agosto você vai encontrar vaga em pousada com facilidade. Escolha o vilarejo que você acha que vai lhe agradar mais, reserve os primeiros dias. Então visite o outro e veja se você gostaria de se mudar.

Aline
AlinePermalink

Olá. Adorei o site e as dicas.
Mas preciso de outra informação... Minhas férias serão no final de junho. É um boa época para viajar para o sul da Bahia? Ou chove muito nesta época?
Eu e meu marido gostamos muito de aproveitar praia... estamos pesquisando nosso destino para não pegar chuva.
Nossa viagem irá durar em torno de 10 dias.
Ano passado fizemos uma pesquisa e viajamos, nesta mesma época, para o Ceará (Jericoacoara e Canoa Quebrada). Não pegamos nada de chuva... foi maravilhoso.
Desde já, muito obrigada.

TATIANE
TATIANEPermalink

Olá, estive em Santo André caro amigo e sinto te informar que a Fazenda Amendoeira e o Victor Hugo não são boas opções de recomendação. A fazenda está abandonada e na pousada e restaurante do Victor Hugo o atendimento está péssimo e tudo meia boca, o restaurante fechado. No momento as melhores opções que encontramos foi a Maria Nilza (apesar dos preços salgados) tem um atendimento acolhedor, o restaurante da Léu no povoado do Guaiú tem uma moqueca muito boa. Tivemos uma feliz descoberta que foi a praia de ,Mojiquiçada visinho ao Guaiú, natureza explêndida, rio e mar, um por do sol incrível, a praia muito bela ideal para esportes como kite, surf, stand up no rio e um pastelzinho de aratu hummmmm, incrível. Amamos as dicas da praia do Mutá, passamos um dia incrível na barraca do Macuco. Gostamos muito tambén da cidadezinha de Santa Cruz Cabrália, bela paisagem e muito tranquilidade. Parabéns, até a próxima!!!

Livia
LiviaPermalink

Olá. Primeiramente muito obrigada pelas dicas. Vou para Caraiva por 4 dias em julho e tenho uma dúvida: é possível ir de Porto Seguro à Caraíva a noite? Meu voô chega as 16h e queria ir direto pra lá por não ter muitos dias...já entendi que terei que pagar um transfer de 270,00 nesse horário, mas você sabe existe algum problema com a maré para atravessar o rio de Caraíva ou sabe algum lugar que eu posso me informar sobre isso? Desde já muito obrigada

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Livia! Não tem problema.