Melhores resorts de praia do Brasil

Os melhores resorts de praia do Brasil em 17 quesitos: escolha o seu

Como escolher seu resort de praia no Brasil? Podemos ajudar. Já nos hospedamos em 45 resorts de praia do Ceará a Santa Catarina, sempre em busca de entender o que justificaria a escolha (ou não) de cada um deles.

Mesmo os melhores resorts de praia em termos absolutos não são os melhores em todos os quesitos: se você valoriza aspectos como praia calma, charme, tamanho compacto ou proximidade de aeroporto, pode descobrir opções que nunca passaram pela sua cabeça.

A análise está dividida em 17 quesitos. Clique nos nomes dos resorts para ler as resenhas completas.

1 | Resorts mais próximos do aeroporto

Quer evitar uma viagem entre o aeroporto e o resort? Esses são os resorts situados a no máximo meia hora do aeroporto mais próximo:

2 | Resorts em praias de mar calmo

Em qualquer destino do litoral, as praias de mar calmo são as primeiras a ser loteadas e urbanizadas. Por isso é difícil encontrar grandes terrenos nessas praias para erguer resorts. Ainda assim, há um punhado de resorts situados em praias sem ondas fortes nem repuxo:

3 | Resorts com melhores piscinas

Apesar de todos os resorts da lista serem de praia, a verdade é que o hóspede brasileiro valoriza mesmo é a piscina. Essas são as mais notáveis:

4 | Resorts com maior conforto nos apartamentos standard

Alguns resorts oferecem acomodações com conforto de hotel urbano, mesmo na categoria mais simples de apartamentos.

5 | Resorts com melhor alimentação

Muito da graça dos resorts está nos buffets quilométricos, que tentam agradar à família inteira de um jeito que seria quase impossível num restaurante convencional. Por outro lado, não se deve esperar qualidade e criatividade de restaurante gastronômico.

Caso esteja pensando especificamente num all-inclusive, vale a pena ler este post que mostra como funciona, quando funciona e para quem funciona o sistema all-inclusive.

Resorts que se destacam pela gastronomia:

6 | Resorts com melhor recreação

Recreação é o ponto fortíssimo dos resorts brasileiros quando comparados a resorts no exterior. A recreação fica melhor nas férias e feriados, quando há mais crianças hospedadas.

Veja bem: nas férias ou em feriados, com o resort cheio de crianças, a farra vai ser certa onde quer que você for. Evite resorts pequenos fora de temporada: com poucas crianças na casa, a falta de estrutura do kid’s club fica mais aparente.

7 | Melhores resorts para ir com bebês

Se for viajar com bebê para o resort, entre em contato por telefone ou email para confirmar a disponibilidade de berço, banheirinha e carrinho – e o mais importante: veja quais produtos são oferecidos na baby-copa. Lembre-se que a informação na internet pode estar datada. A maioria dos resorts também pode arranjar uma babá, paga à parte; solicite com antecedência.

8 | Resorts com melhor estrutura (algo a mais)

Alguns resorts se destacam por oferecer alguma atração além dos itens obrigatórios.

Parque aquático

Golf

Spas (com talassoterapia)

Esportes

Safári privado

Parquinho de diversões

9 | Resorts compactos

Não quer caminhar muito entre o seu apartamento e a piscina? Considere esses resorts:

10 | Resorts em meio à natureza

Resorts onde o verde ainda está presente:

11 | Resorts urbanos

Gosta de estrutura de resort, mas quer poder sair à noite ou aproveitar a cena gastronômica local? Pense nesses resorts:

12 | Resorts charmosos

Resort é tudo igual, só muda o endereço? Alguns resorts desafiam esta afirmação:

13 | Custo x benefício

Ao escolher um resort pela economia, não deixe de consultar as resenhas recentes no Booking. Cuidado com as notas abaixo de 8.

14 | Resorts de luxo

Com exceção do Nannai, nenhum desses hotéis tem porte de ‘resort’ de verdade. Sao hotéis com ótima estrutura que se intitulam resorts. Estão reunidos aqui para você não precise dar outra busca. Mas pela diferença de padrão, não estão avaliados nos outros quesitos.

15 | Ranking de resorts por notas no Booking: meia-pensão

Este é o ranking dos resorts com planos de café da manhã ou meia-pensão, conforme apuração no dia 16 de setembro de 2021.

11º

14º

16º

18º

21º

22º

23º

24º

*Nannai é o único hotel avaliado tanto como resort convencional quanto resort de luxo.

16 | Melhores resorts por notas no Booking: all-inclusive

Este é o ranking dos resorts all-inclusive, conforme apuração no dia 16 de setembro de 2021.

10º

15º

19º

20º

21º

22º

24º

25º

26º

28º

**Club Med não está na plataforma Booking. As notas são do Zarpo, convertidas para a escala do Booking

17 | Melhores resorts por notas no Booking: categoria luxo

Este é o ranking dos resorts de luxo, conforme apuração no dia 16 de setembro de 2021.

*Nannai é o único hotel avaliado tanto como resort convencional quanto resort de luxo.

Resorts de A a Z

Arraial d’Ajuda EcoResort | Arraial d’Ajuda (BA)

Só quem conheceu o resort em sua primeira encarnação (chamava-se Paradise) pode avaliar o belo trabalho que tornou o Arraial d’Ajuda EcoResort um exemplo de resort charmoso. Do mobiliário da piscina à decoração dos quartos, passando pelo bem-cuidado jardim adornado com os orixás de Tati Moreno, o Arraial Eco tem detalhes que normalmente só seriam encontrados em hotéis menores ou mais luxuosos. Costumo dizer que este é um resort até para quem não gosta de resort.

A praia do hotel é supercalminha, mas às vezes é invadida pelas águas turvas do rio Buranhém — neste caso, sugiro andar dez minutos para o sul (direita) até a praia do Araçaípe. Um dos diferenciais do resort é o acesso livre que os hóspedes tem ao Arraial d’Ajuda Eco Parque (nos dias em que está aberto). Mesmo sem brinquedos tão radicais quanto o Beach Park, tem vegetação integrada piscina de ondas e transporte direto do hotel, distante a apenas 5 minutos.

Para quem quer alguma agitação noturna, o resort oferece vans que levam até a rua do Mucugê, onde acontece o footing do Arraial e onde estão localizados restaurantes – veja onde comer em Arraial d’Ajuda

O Arraial d’Ajuda EcoResort é um dos resorts mais próximos de um aeroporto servido por vôos regulares – está a apenas 3,5 km do aeroporto de Porto Seguro. Os últimos 500 metros são feitos de barco, atravessando o rio em embarcações próprias e exclusivos para os hóspedes.

Beach Park Acqua Resort | Fortaleza (CE)

Mais compacto que o irmão Beach Park Suítes, o Beach Park Acqua Resort é ainda mais integrado ao parque aquático do complexo.

A sensação que se tem ao estar hospedado no Acqua é de morar em um condomínio com recreação superprofissional e refeições incluídas. A maior parte das 125 acomodações é composta por suítes, sensivelmente mais confortáveis que as do Beach Park Suites. Sala e quarto são separadas por uma porta e a varanda é mais espaçosa. O sofá-cama da sala acomoda duas crianças dormindo lado a lado (se os seus filhos precisarem de camas separadas, é melhor optar pelo Beach Park Suites.

São três piscinas nesse resort – uma de borda infinita, uma com bar molhado e uma para crianças. Existe ainda uma jacuzzi, que fica à sombra de um gazebo.

O complexo Beach Park está localizado no município de Aquiraz, a 30 km tanto da Beira-Mar de Fortaleza quanto do do aeroporto. A praia do resort tem faixa de areia larga, ondas intermitentes e vento constante.

Beach Park Suites Resort | Fortaleza (CE)

O Beach Park Suites é o resort principal em torno do parque aquático mais famoso do Brasil. Todos os apartamentos oferecem estrutura para família – sala separada e minicozinha. Também oferece quartos quádruplos.

O sistema de refeições varia de acordo com a temporada, mas normalmente há planos só com café da manhã ou com meia-pensão (café da manhã e jantar). Pode também haver planos que incluam o acesso ao parque aquatico. Em algumas temporadas pode haver dias em que os hóspedes tenham acesso ao parque uma hora mais cedo do que os visitantes.

O complexo Beach Park está localizado no município de Aquiraz, a 30 km de Fortaleza e do aeroporto. A praia do resort tem faixa de areia larga, ondas intermitentes e vento constante (sem ser desagradável).

Campo Bahia | Santo André (BA)

O alojamento da Seleção Alemã durante a Copa do Mundo de 2014 se tornou um dos mais elegantes hotéis de praia do Brasil: o Campo Bahia. A proposta é original. Em vez de bangalôs espalhados ou um predinho de apartamentos, o Campo Bahia tem villas: casas de dois andares contendo quatro suítes luxuosas, reservadas de maneira avulsa, e um amplo living compartilhável no térreo. Cada suíte tem decoração única. A estrutura é 5 estrelas, com direito a academia, spa e concierge de atividades.

O único ambiente que permanece tematizado com o futebol é o bar da piscina, decorado com fotos clássicas de todas as Copas. Mas uma diversão extra é procurar os souvenirs da passagem de Podolski e seus colegas em 2014: fotos, autógrafos e recados estão sutilmente espalhados por todo o hotel.

A praia é praticamente deserta, perfeita para curtir com distanciamento social. O mar tem uma ondulação discreta, sem repuxo. O aeroporto de Porto Seguro está a 30 km. É preciso pegar uma balsa (travessia: 10 minutos).

Cana Brava (all-inclusive) | Ilhéus (BA)

O baianíssimo Cana Brava (all-inclusive) costuma ser o mais em conta da turma do tudo-incluído.

Os quartos foram requalificados há poucos anos e estão muito bem decorados.

O buffet inclui pratos baianos. Junto à piscina há chuveiros com água ferruginosa encanada das fontes minerais de Olivença.

A praia é ampla e praticamente privativa do hotel e de seu vizinho, o Tororomba. O mar tem pequenas ondas e apresenta uma faixa turva na rebentação.

O aeroporto de Ilhéus está a 20 km.

Carmel Charme | Iguape (CE)

Aberto em 2011, o Carmel Charme trouxe para o nicho dos resorts compactos um nível de conforto e cuidado com o design do mobiliário que só existiam na categoria luxo.

Os quartos conseguem ser modernos e aconchegantes a um só tempo. A piscina é escancarada para uma praia deserta, frequentada apenas por quem tem casa no condomínio.

O resort fica a 40 km a leste do aeroporto de Fortaleza.

Carmel Cumbuco | Cumbuco (CE)

Depois do sucesso do Carmel Charme, em 2015 a rede levou seu estilo para o vilarejo do Cumbuco. O Carmel Cumbuco tem áreas sociais com ambientação contemporânea e quartos com confortos de hotel urbano.

O terreno no Cumbuco tem mais profundidade do que frente de praia, e por isso as piscinas ficam entre duas alas de apartamentos.

O hotel está a 1,5 km do Cumbuco e a 32 km do aeroporto de Fortaleza.

Carmel Taíba | Taíba (CE)

Mais novo hotel de luxo do país (abriu em 2019), o Carmel Taíba está incrustado na pedra que é o cartão-postal da Taíba.

O hotel impressiona pela arquitetura excepcional: linhas retas com amplos vãos, com acabamento em madeira e pedra. A piscina principal funciona como um espelho d’água e comunica a ala social com a ala dos quartos.

Os bangalôs, ‘villas’ e ‘maisonettes’ tem entre 80 e 200 m²; muitos estão equipados com piscinas privativas. O spa têm a griffe Caudalie.

A praia, extensa e livre de aglomerações, é apreciada por kitesurfistas e surfistas. Mas não é das melhores para banho. Aproveite a maré baixa para caminhar.

Taíba está a 72 km a oeste do aeroporto de Fortaleza.

Catussaba | Salvador (BA)

A praia de Catussaba é a primeira ao norte de Itapuã. O Catussaba Resort Hotel é um resort de pequeno porte, aberto em 1995.

Os quartos e áreas sociais internas revelam a idade: precisam de renovação e são a causa da maioria das notas baixas. As áreas externas, no entanto, merecem elogio: gramado bem cuidado, piscinas de formatos lúdicos, parquinho infantil (e um mini-zôo).

No terreno dos fundos (do outro lado da avenida) o hotel tem um anexo, o Catussaba Business.

É o resort mais próximo do aeroporto de Salvador: apenas 7 km (10 minutos de carro).

Club Med Rio das Pedras (all-inclusive) | Mangaratiba (RJ)

Localizado numa praia privativa, com direito a seu próprio riozinho, o Club Med Rio das Pedras, na região de Angra dos Reis, dá a sensação de se hospedar em meio à natureza – mesmo que seu portão de entrada fique em plena Rio-Santos.

Apesar de ser famoso pela equipe de animação (os G.O.’s), o Club Med não é suficientemente conhecido por sua maior qualidade: a ênfase nos esportes e atividades físicas. Aulas de tênis, arco e flecha, esqui aquático e wakeboard, além de sessões de 3 tipos de yoga, estão incluídas nas diárias.

O riozinho e o canto direito da praia, represado por pedras, são bons para a prática de caiaque, também incluído.

Os buffets são variados e vêm com sugestões de pratos montados, as “spécialités”.

Os apartamentos foram renovados há poucos anos.

Além do Mini Club Med, para crianças a partir de 4 anos, o resort também oferece o Petit Club Med, pago à parte, para crianças de 2 e 3 anos.

Todas as noites há shows estrelados pelos G.O.’s.

Está a 110 km do aeroporto do Galeão (1h30), 120 km do aeroporto Santos Dumont (1h50), 130 km de Paraty e 420 km de São Paulo (via Rio-Santos desde Ubatuba).

Club Med Trancoso (all-inclusive) | Trancoso (BA)

Ocupando o alto da falésia da praia do Taípe – que oficialmente está dentro dos limites do distrito do Arraial d’Ajuda – o Club Med Trancoso combina o carisma do Club Med com o borogodó do Sul da Bahia.

Há estrutura para bebês até 2 anos e um Petit Club Med para crianças de 2 e 3 anos (pago à parte). A recreação infantil gratuita começa aos 4 anos.

Os esportes oferecidos são tênis, arco e flecha, yoga e – importado do extinto Club Med Itaparica – o trapézio. Hóspedes podem também usar o golf de 18 buracos do condomínio Terravista, a 2 km, pagando à parte.

A praia pode ser acessada por um elevador de vidro que deliza pela falésia num plano inclinado. Também dá para descer por uma escadaria de 222 degraus de madeira, construída num vão da falésia.

As áreas sociais e os quartos foram renovados em 2020. A comida é variada e com pretensões gourmet – há sugestões de pratos montados, as “spécialités”.

Os hóspedes do Club Med Trancoso podem freqüentar o green do condomínio Terravista, no alto da falésia, com vista para o mar.

Os Club Meds têm o programa Baby Welcome, para bebês a partir de 4 meses. Sujeito a pagamento à parte.

Toda noite há espetáculos montados pelos G.O.’s (os animadores do resort).

Trancoso está a 8 km. Um táxi para o Quadrado de Trancoso custa R$ 150 (incluindo a volta). O Arraial d’Ajuda está a 14 km. Um táxi para a Rua do Mucugê custa R$ 220 (incluindo a volta).

O aeroporto de Porto Seguro está a 67 km pela estrada ou 23 km atravessando a balsa para Arraial d’Ajuda.

Costão do Santinho (all-inclusive) | Florianópolis (SC)

Uma praia semiprivativa e uma reserva ecológica própria fazem parte do complexo Costão do Santinho (all-inclusive), localizado no norte da ilha de Santa Catarina.

Tem 4 piscinas – duas delas, cobertas (térmicas). Entre os esportes oferecidos estão futebol (campo de grama), vôlei de praia, sandboard (nas dunas entre o hotel e o Rio Vermelho), arco e flecha e trekking. Tênis, mergulho, caiaque, escola de surf e golfe são pagos à parte.

Os apartamentos da ala principal se distribuem em “villas” de três andares. Alguns são quartos convencionais de hotel. Outros têm 1 ou 2 quartos, saleta e cozinha equipada, como num apartamento de temporada.

No canto esquerdo (sul) do terreno fica a chamada ala Internacional, com blocos de quatro andares e apartamentos com decoração sofisticada. Por ali você encontra a piscina mais bacana, o spa, uma segunda piscina térmica e o restaurante gastronômico Nossa Senhora da Vitória.

O sistema ‘vip inclusive’ cobre 6 restaurantes (três buffets – um deles, com churrasco -, italiano, japonês e contemporâneo), que são abertos de acordo com a ocupação do resort. Alguns deles requerem reserva prévia. Bebidas em copo estão incluídas também em todos os bares e quiosques, até mesmo no bar da praia.

A praia do Costão do Santinho é extensa, excelente para caminhadas. Como não é uma enseadinha e é voltada para o leste, tem ondas. O trecho em frente ao resort — o cantinho sul da praia — é virtualmente exclusivo dos hóspedes. Um não-hóspede só chega ali caminhando desde outras áreas da praia.

O resort tem uma segunda saída para o mar, no cantinho direito da praia dos Ingleses, voltado para o norte. Ali o mar é calminho e a água, menos fria; é onde o hotel mantém a sua marina. É possível chegar lá caminhando pela praia; são 2 quilômetros e meio (35/45 minutos de caminhada).

A atração natural do resort tem também cunho cultural: dois sítios arqueológicos no costão norte, a 200 e 800 metros da praia, onde se encontram inscrições rupestres nas pedras.

O bem-equipado spa do resort oferece tratamentos de talassoterapia (pagos à parte).

O aeroporto de Florianópolis está a 47 km. O Beto Carrero World fica a 155 km.

Dom Pedro Laguna | Iguape (CE)

A 45 km do aeroporto de Fortaleza, o Dom Pedro Laguna fica dentro do condomínio fechado Riviera Aquiraz, num ponto virtualmente privativo da praia.

O Dom Pedro Laguna oferece apartamentos, que ocupam blocos convencionais, e também bangalôs, chamados “villas”. A maioria das villas está rodeada por um espelho d’água que pode ser percorrido de barquinho. Outras estão de frente para o mar e vêm com piscininhas (de fibra) privativas.

O diferencial do resort é o campo de golf do condomínio, que começa nos fundos do terreno. O uso é cobrado à parte. Tem também quadras de tênis, incluídas na diária.

O Dom Pedro Laguna é suficientemente grande para ser chamado de resort sem favor; mas os deslocamentos internos são fluidos e interessantes, com direito a pontezinha e espelho d’água (onde dá para andar de barquinho). Em um mega-resort você leva 15 minutos para ir do apartamento ao restaurante. No Dom Pedro Laguna você leva esse tempo para ir da praia ao campo de golf nos fundos.

O aeroporto de Fortaleza está a 45 km.

Enotel Acqua (all-inclusive) e Enotel Convention (all-inclusive) | Porto de Galinhas (PE)

Localizado na praia do Cupe, entre a praia de Alto e o centrinho da vila, o Enotel Acqua foi o primeiro (e, durante muito tempo, o único) all-inclusive de Porto de Galinhas.

É um complexo de dois hotéis: o Enotel Acqua e o Enotel Convention, que dividem uma grande atração: um parque aquático com piscina de ondas (a única num resort de praia no Brasil). Os hóspedes do Acqua têm as piscinas na porta; os do Convention precisam caminhar um pouquinho a mais.

Um diferencial do Enotel é o teatro, onde são encenadas peças infantis (algumas com a participação dos hóspedes) e shows musicais à noite.

A praia em frente é perigosa, por causa do repuxo. Para cair n’água, caminhe ou vá de carro até a praia da vila (1,5 km para o sul) ou ao Pontal do Cupe (2,5 km para o norte). A praia de Muro Alto está a 6 km na direção norte.

O aeroporto de Recife está a 50 km.

Fasano Angra | Angra dos Reis (RJ)

O clássico Hotel do Frade, o primeiro resort do Brasil (de 1972) foi inteiramente posto abaixo para que fosse instalado o Fasano Angra dos Reis, o mais luxuoso hotel de praia do litoral entre São Paulo e Rio.

O projeto é assinado por Thiago Bernardes, de uma ilustre linhagem de arquitetos cariocas. Os quartos com vista para o mar são “deluxe”; os com vista para a mata são “superiores”.

O Fasano Angra dos Reis é para quem busca um hotel com toda a estrutura pé na areia, mas não faz tanta questão assim da areia. As espreguiçadeiras estão todas postadas ao redor da piscina ou num solário calçado. Os dias ‘al mare’ desejados pelos hóspedes são passados de preferência em longos passeios de lancha pela baía, com todas as mordomias (cobrados à parte, claro).

O restaurante principal leva a grife Fasano, mas há um segundo restaurante, menos formal, junto à piscina.

Até o kid’s club tem uma pegada ‘design’ (ah, sim: há monitores de plantão).

O spa e o campo de golf podem ser usados pagando à parte.

O Fasano Angra dos Reis está a 66 km de Paraty. São Paulo fica a 360 km (via Ubatuba). O aeroporto do Galeão no Rio de Janeiro se situa a 180 km. O aeroporto Santos Dumont, a 190 km.

Gran Hotel Stella Maris | Salvador (BA)

Num ponto agitado da praia de Stella Maris, o Gran Hotel Stella Maris tem quartos de bom tamanho, que são integrados à varanda por uma parede de vidro que amplia o espaço. A decoração é alegre, praiana. A piscina tem belo desenho e vista para o mar.

Algo acontece para que o hotel não tenha notas à altura de suas qualidades. Um palpite: a propriedade talvez seja pequena demais para o número de hóspedes.

A praia em frente tem barracas. Ali perto, pedras represam piscininhas na maré baixa.

Está pertíssimo do aeroporto de Salvador: 8 km (12 minutos de carro).

Grand Oca (all-inclusive) | Maragogi (AL)

Ponta de Mangue, a praia onde está o Grand Oca Maragogi (all-inclusive), é a praia mais bonita do Brasil com um resort instalado. É uma piscininha na maré baixa e não oferece nenhum risco na maré alta.

Dá para ir caminhando a praias ainda mais bonitas da orla norte de Maragogi, como Antunes e Xaréu.

O resort ocupa um terreno estreito. Os blocos de apartamentos se distribuem em duas alas, com uma piscina em formato de rio no meio. Os quartos, que eram muito escuros, ganharam pintura branca e novos móveis e estão bem mais agradáveis.

A alimentação é o principal foco de notas baixas dos hóspedes.

Grand Palladium Imbassaí (all-inclusive) | Imbassaí (BA)

Quando abriu, no fim de 2010, 2 km ao norte da vila de Imbassaí, o Grand Palladium Imbassaí (all-inclusive) trouxe para os apartamentos standard um nível de conforto sem precedentes entre os resorts de praia. Todos os apartamentos são suítes, com piso de mármore e móveis de madeira nobre e TV de 32 polegadas.

A área principal do hotel – onde estão os blocos de apartamentos, a superpiscina, os restaurantes e o spa – está separada da praia por um riozinho. Para ir até a praia, você pode ir caminhando (10/15 minutos, dependendo de onde saia) ou pegar o carrinho elétrico que faz o vaivém.

Além do restaurante principal, há restaurantes à la carte que podem ser reservados de acordo com o número de noites da estadia. Entre esses restaurantes há um oriental, uma churrascaria-rodízio e um mediterrâneo.

As atividades monitoradas e o mini club podem ser usados por crianças a partir de 4 anos.

O Baby Club do resort tem berçário e recebe bebês acompanhados de um responsável e tem atividades para crianças de 1 a 3 anos. Mas está fechado durante a pandemia.

O uso das instalações do spa, mediante reserva, está incluído na diária. Alguns equipamentos e todos os tratamentos, porém, são cobrados à parte.

O Grand Palladium Imbassaí está a 67 km do aeroporto de Salvador, e a 12 km de Praia do Forte. O centro histório de Salvador está a 90 km.

Iberostar Selection e Iberostar Bahia (all-inclusive) | Praia do Forte (BA)

Situado 3 km ao norte da vila de Praia do Forte, o complexo Iberostar é composto por dois resorts quase idênticos. A diferença é que o Iberostar Selection Praia do Forte oferece um pequeno upgrade de conforto e alimentação em relação ao Iberostar Bahia, que já é bastante bom.

O grupo Iberostar é um gigante espanhol com resorts all-inclusive em 35 países. Sua fórmula é combinar muita animação com comida e bebida fartas. Em qualquer momento do dia haverá alguma atividade rolando (dos jogos na piscina ao show noturno à discoteca) e algum buffet em cartaz.

No quesito piscinas, tanto o Iberostar Selection Praia do Forte quanto o Iberostar Bahia (all-inclusive) se destacam por uma característica única. Cada um deles têm duas piscinas de tamanho e formato idênticos, mas com usos distintos: em ambos resorts, dá para escolher entre a piscina da animação (onde há jogos e hidroginástica) e a piscina do sossego (onde impera o silêncio).

No quesito alimentação, ambos resorts oferecem buffets quilométricos nas três refeições principais. Além disso, os hóspedes do Iberostar Selection Praia do Forte podem desfrutar de 8 restaurantes à la carte — quatro no próprio resort e mais quatro no vizinho Iberostar Bahia. Os hóspedes do Iberostar Bahia, no entanto, estão limitados aos 4 restaurantes do seu hotel.

Hóspedes dos dois resorts podem usar o spa do complexo, pagando à parte.

Um Uber até o centrinho de Praia do Forte, a 3 km, sai desde R$ 20 (ida).

O aeroporto de Salvador está a 58 km. O centro histórico, a 80 km.

Il Campanario Villagio Resort | Florianópolis (SC)

O Il Campanario Villagio Resort, em Florianópolis, está na badalada Jurerê Internacional.

O hotel fica na segunda quadra da praia, mas tem vista desimpedida do mar, já que a quadra da frente (reservada para uma expansão) permanece desocupada. O estilo emula um vilarejo mediterrâneo.

Todos os quartos são suítes, acomodando até 4 pessoas: têm saleta e cozinha compacta (geladeirinha, microondas, louça e utensílios). A decoração não é nada praiana – não destoaria num chalé na Provence.

O Il Campanario tem duas piscinas – uma externa e outra coberta, térmica. O kid’s club tem um espaço para crianças menores e para os pré-teens.

O aeroporto de Florianópolis está a 38 km.

Infinity Blue | Balneário Camboriú (SC)

FECHADO PARA REFORMAS

Fechado para reformas em abril de 2021, o Infinity Blue deve voltar mais sofisticado e bem-equipado, com investimentos de R$ 25 milhões na sua renovação.

Localizado numa praia privativa perto orla central de Balneário Camboriú, o Infinity Blue deixa você a 10 minutos (de Uber) da noite da Barra Sul. De dia, os beach lounges da Praia Brava Sul ficam.

O Beto Carrero World está a 40 km.

O aeroporto de Navegantes está a 17 km via balsa de Itajaí ou 36 km pela estrada.

Itacaré Eco Resort | Itacaré (BA)

Reaberto às vésperas do verão de 2020 depois de dois anos de reformas, o Itacaré Eco Resort é um hotel com estrutura de resort, mas sem porte de resort: são apenas 48 quartos.

Os apartamentos da ala principal têm 30 m². As suítes master, localizadas numa ala separada do prédio principal, chegam a 45 m². Todas as unidades são decoradas com bom-gosto e têm varandas que dão para a mata.

A piscina é de água canalizada do rio. (Quando o hotel inaugurou, há 20 anos, era pequena e tinha fundo de pedras. Hoje está maior e tem fundo de azulejos.)

O hotel dispõe de um kid’s club e brinquedoteca, mas normalmente não há recreação monitorada. Tem também academia, sauna e espaço para massagens (cobradas à parte).

Localizado dentro de um condomínio fechado, o Itacaré Eco Resort tem boa parte do seu terreno ocupado por uma reserva de mata atlântica. Pertinho da sede há uma cachoeira, um rio (onde dá para andar de caiaque) e trilhas na mata.

A praia de São José é semi-privativa, dividida com outro hotel, o Villas de São José, que já fez parte do resort (houve um racha entre sócios). A estrutura de praia pertence ao Villas. Hóspedes do Itacaré Eco Resort podem usar a praia, mas não a estrutura do outro hotel.

O centro de Itacaré está a 6 km. O aeroporto de Ilhéus, a 76 km.

Itamambuca EcoResort | Ubatuba (SP)

Localizado no canto mais verde de Itamambuca, em Ubatuba (SP), à beira do riozinho que desemboca na praia e integrado a uma reserva ecológica particular, o Itamambuca EcoResort tem na mata atlântica o seu maior luxo.

O Itamambuca Eco Resort um hotel multiuso: contém um hostel e um camping na mesma propriedade.

Os quartos do hotel fazem a linha rústica, mas têm decoração agradável. Muitos acomodam até 4 pessoas.

A piscina é de bom porte, mas não oferece vista para o mar. Em compensação, na beira-rio há um simpático deck para relaxar à beira d’água. O resort também mantém seu próprio spa, o ArmaZen.

Para acessar a praia é preciso atravessar o rio (o hotel oferece uma balsa).

O restaurante tem comida elogiada e prepara também pratos veganos.

Passeios guiados pela mata e pelo mangue revelam a riqueza do ecossistema; o lugar se presta à observação de aves (mais de 200 espécies já foram fotografadas na propriedade).

O Itamambuca Eco Resort está a 220 km do aeroporto de Guarulhos e 250 km do aeroporto de Congonhas.

Japaratinga Lounge Resort (all-inclusive) | Japaratinga (AL)

Aberto no final de 2018, o Japaratinga Lounge Resort é o resort mais novo do Brasil. Pertence ao mesmo grupo do Salinas de Maragogi e é um grande sucesso desde a inauguração.

O fator ‘novidade’ não explica tudo. Estar num destino superprocurado e carente de resorts (a região de Maragogi) pesou bastante, mas o que levou o resort a ser campeão de notas no Booking foi, sem dúvida, o seu sistema ‘all-inclusive premium’.

Mesmo com apenas um restaurante, o Japaratinga Lounge Resort conquista pela oferta de pratos pouco usuais em resorts (cordeiro, polvo) e sobretudo pela carta de bebidas. As cervejas são topo de linha – Beck’s, Corona, Original, Colorado, entre outras – e os drinks vão muito além da caipirinha, incluindo coquetéis autorais. É um resort pensado para brilhar no Instagram.

Os quartos têm decoração clean, sem maiores luxos além da maquininha de Nespresso dos quartos mais caros.

As 6 piscinas ficam na parte da frente do terreno — uma delas é de correnteza. A piscina infantil é equipada com brinquedos de parque aquático.

Apesar de haver uma mata viçosa ao fundo, o terreno do resort é árido: a maior parte do terreno foi calçada, e as áreas que não estão revestidas por lajotas ainda não oferecem nenhuma sombra natural.

O maior problema estrutural do resort parece não incomodar os hóspedes: a área de praia fica do outro lado da rodovia AL 101 Norte, que corta a propriedade. Mas não é preciso atravessar pelo asfalto: há um túnel que liga a área da piscina à área de praia. Do outro lado, junto à estrada, funciona um charmoso bar de praia, montado sobre um deck de madeira, com serviço all-inclusive. Por ser área protegida de restinga, o acesso à areia é feito por uma passarela suspensa.

A praia é virtualmente privativa. Ali o hotel instala espreguiçadeiras e guarda-sóis. O mar é calmíssimo em todas as marés. O tom da água não é tão lindo quanto o das praias do norte de Maragogi, mas é azul praticamente o tempo todo (pode ter uma pequena faixa turva na época das chuvas).

O Japaratinga Lounge Resort é o resort da região de Maragogi mais próximo da Croa de São Bento, um banco de areia que surge em alto mar na maré baixa.

Apesar de estar dentro dos limites do município de Japaratinga, o Japaratinga Lounge Resort não fica no trecho conhecido como ‘Rota Ecológica’, que é escondido da estrada. Para quem conhece a região, é mais fácil descrever a localização como “litoral sul de Maragogi”.

O Japaratinga Lounge Resort está a 3,5 km da vila de Japaratinga e 7 km do centro de Maragogi.

O aeroporto de Maceió fica a 120 km, e o de Recife, a 130 km.

Jatiúca Resort | Maceió (AL)

Ícone da hotelaria de praia no Brasil, o Jatiúca Resort é o mais bonito dos nossos resorts urbanos. Situado no canto norte da orla principal de Maceió, o Jatiúca é cortado por um riozinho que você atravessa por uma ponte superfotogênica. Os jardins são mega bem-cuidados.

Há alguns anos o Jatiúca Resort remoçou 30 anos: renovou todos os quartos e construiu uma segunda piscina (muito elegante) de frente para o mar.

A praia em frente costuma não estar própria para banho. Mas o calçadão, que vai até o hotel, segue até a Ponta Verde, onde em vinte minutos de caminhada você já estará num trecho com balneabilidade.

À noite, saia para jantar de Uber.

O aeroporto está a 25 km.

Kenoa | Barra de São Miguel (AL)

Destaque no quesito: Luxo

O Kenoa é outro hotel de luxo que se intitula ‘resort’. Fica na Barra de São Miguel, 30 km ao sul de Maceió.

É o mais cool do grupo de resorts de luxo: ficar no Kenoa faz você se sentir não só rico, mas jovem e antenado. Materiais naturais — madeira, palha, juta, cerâmica — aproximam o design e a arquitetura do ambiente praiano.

Quando não quiser ficar na linda piscina de borda infinita da área social, você pode curtir sua própria plunge pool no quarto, de frente para o mar.

Apesar de estar numa das praias mais procuradas dos arredores de Maceió, o Kenoa fica num ponto tranquilo, evitado pelas multidões por não estar protegido por recifes. Quando quiser entrar no mar, caminhe 10/15 minutos para a direita, até um trecho seguro.

O aeroporto de Maceió está a 54 km.

La Torre (all-inclusive) | Porto Seguro (BA)

Na tranquila praia do Mutá, em Porto Seguro, o La Torre (all-inclusive) se destaca entre os resorts com melhor custo x benefício.

Sem dispor de uma estrutura como outros mega-resorts, o La Torre decidiu em 2006 adotar um sistema all-inclusive generoso, cujo maior diferencial era (continua sendo!) um forno a lenha autenticamente italiano para assar pizzas toda noite.

Mais tarde o hotel investiu no seu próprio bar de praia (com serviço all-inclusive) e em complementos como quadras de tênis, um circuito de arvorismo e spa. Com isso, o La Torre se tornou um destino em si, desvencilhando-se do estigma popularesco de Porto Seguro.

Há quartos de vários tamanhos, de 30m² a suítes de 100m², decorados com leveza.

O bar da praia, em frente ao hotel (é preciso atravessar a avenida costeira) é auto-suficiente, com área para almoço. Ali funciona também um restaurante gastronômico, o Gino Praia, aberto a não-hóspedes (e pago à parte).

A praia tem mar normalmente azul, e é calminha, sem ondas nem repuxo.

O aeroporto de Porto Seguro está a 16 km pela costeira (que pode engarrafar) ou 23 km pelo Rodoanel. A balsa para Arraial d’Ajuda fica a 15 km. A balsa para Santo André, a 10 km.

Makai Resort (all-inclusive) | Aracaju (SE)

Aracajuanos se referem às terras da margem norte do rio Sergipe como ‘ilha de Santa Luzia’. Na verdade, trata-se de uma península – já há 15 ligadas por uma ponte à capital. É por isso que o nome original do Makai foi ‘Hotel da Ilha’. Depois disso, foi Starfish, Dioro e Prodigy. Em 2018, já como Makai, adotou o sistema all-inclusive.

O Makai tem uma boa estrutura, em que o destaque é a piscina, muito bem desenhada, situada rente ao mar.

Os apartamentos ficam em blocos baixos, enquanto há bangalôs tamanho família espalhados no terreno.

A praia tem águas sempre mornas, mas também sempre turvas. De areia dura, é ótima para caminhar.

O Makai oferece kid’s club e monitores de recreação. Para os adultos, quadras de tênis (saibro) e vôlei de praia.

A alimentação e bebidas servidas condizem com as tarifas, mais econômicas que a média dos resorts.

O centro de Aracaju está a 8 km. A Passarela do Caranguejo, na praia da Atalaia, a 18 km. O aeroporto de Aracaju se situa a 21 km.

Nannai | Porto de Galinhas (PE)

Imagine um avião com mais assentos na classe executiva do que na classe turística. O Nannai é assim. Quando abriu, em 2001, tinha 45 apartamentos no bloco convencional, de 3 andares, e 14 bangalôs de madeira e sapê em torno de um espelho d’água que imita uma laguna da Polinésia. Os bangalôs fizeram tanto sucesso, que depois de sucessivas expansões já são 50. Os bangalôs construídos da segunda leva em diante têm piscinas individuais e ficam fora do espelho d’água.

Mesmo quem se hospeda nos apartamentos convencionais aproveita as bem-cuidadas instalações – gazebos, quiosques e jardins – e o serviço impecável. O Nannai de fato, o único resort ‘família’ que tem cacife para competir na faixa de resort de luxo.

A piscina principal (usada por quem não tem piscina privativa) fica debruçada sobre um trecho quase privativo da praia de Muro Alto (dividido apenas com a barraca de praia do Summerville). A praia é calmíssima, e se torna uma grande piscina na maré baixa.

Os jantares do resort têm o buffet mais nobre entre os resorts brasileiros (não se surpreenda se algum dia servirem lagostins). Mas o que conquista definitivamente os hóspedes pelo estômago é o chá da tarde, servido nos jardins, pontualmente às 5. Incluso na diária, o chá faz muita gente cabular o almoço (que não faz parte da meia-pensão).

É um resort silencioso. Não há atividades barulhentas na piscina, e o kid’s club fica nos fundos do terreno, longe do coração social do resort. Entre os esportes oferecidos estão tênis, caiaque e SUP. Há um bem-montado spa L’Occitane.

A vila de Porto de Galinhas está a 10 km. O aeroporto do Recife, a 57 km.

Ocean Palace (all-inclusive) | Natal (RN)

O Ocean Palace é o maior hotel da cidade: ocupa a área de dois resorts, depois de incorporar, há muitos anos, o hotel Jacumã.

Entre suas duas alas, o Ocean Palace instalou um belíssimo parque de piscinas, de vários formatos e usos. Tem piscina com cascata, piscina de raia, piscina com pontes, piscina infantil com brinquedo de parque aquático. À noite o conjunto ganha uma iluminação divertida.

Desde o fim de 2019, o Ocean Palace adotou o sistema all-inclusive, intitulado ‘premium’ por oferecer vinhos chilenos e portugueses, cervejas como Heineken e Stella Artois e drinks como gin-tônica com gin importado e Aperol Spritz. Há 4 restaurantes no resort: o buffet, o oriental, a pizzaria e o Le Soleil, à la carte, com reserva obrigatória e limitada de acordo com a duração da estada.

Os apartamentos são arejados. Há também uma ala de bangalôs individuais.

O resort oferece recreação monitorada, sala de brinquedos e jogos, circuito de arvorismo, quadras de tênis e um bem-montado spa. A praia em frente não é boa de entrar: tem ondas e repuxo.

O hotel está a uma corrida de R$ 10-R$ 12 de Uber da áre comercial de Ponta Negra.

O aeroporto de Natal está a 43 km.

Patachocas Beach | Morro de São Paulo (BA)

Depois de muitíssimos anos usando a palavra ‘resort’, o Patachocas agora atende simplesmente por ‘hotel’. Mas continua com todas as características de (pequeno) resort: a piscina superlativa, atividades físicas e de recreação infantil monitoradas, quadras de tênis, campo de futebol… A maior diferença com relação aos auto-intitulados resorts é que as diárias do Patachocas normalmente só incluem café da manhã.

O hotel se localiza num trecho da Quarta Praia distante do centrinho e da muvuca de Morro de São Paulo. A praia tem mar calmo em qualquer maré. Na maré baixa represa piscininhas naturais. Na maré alta forma ondinhas sem perigo, que divertem a criançada.

Apesar de instalado num terreno enorme, o Patachocas tem poucos quartos: são 32 apartamentos instalados num bloco de dois andares e 52 bangalôs espalhados pela propriedade. Todas unidades são amplas (têm 40m²) e foram decoradas com bom gosto. Muitas acomodam até 4 pessoas.

Entre 9h e meia-noite um ônibus opera um serviço de trânsfer gratuito entre o hotel e a Segunda Praia de Morro de São Paulo.

O Patachocas tem uma pista de pouso nos fundos da propriedade – o que faz dele o hotel mais próximo do desembarque de um avião. Pegadinha: o avião em questão é um bimotor Islander, para 8 pessoas, operado pela Aero Star.

Sem usar o aviãozinho, o jeito mais rápido de sair do aeroporto de Salvador e chegar ao hotel é pegando um catamarã no Centro Náutico atrás do Mercado Modelo (a 30 km do aeroporto). A viagem do aeroporto até o hotel leva pelo menos 4 horas. (Saindo de algum hotel em Salvador, 3 horas.) Veja todas as maneiras de chegar aqui.

Ponta dos Ganchos Exclusive Resort | Gov. Celso Ramos (SC)

Nem Copacabana Palace, nem Fasano: o hotel mais luxuoso do Brasil fica em Governador Celso Ramos, a 60 km do aeroporto de Florianópolis, e se chama Ponta dos Ganchos Exclusive Resort.

Qualquer estada aqui tem forma, cor, sabor e textura de lua de mel. Não importa o tempo: se fizer sol, a Ponta dos Ganchos será um hotel de praia. Se esfriar, seus bangalôs, todos com lareira, e muitos deles encarapitados na colina, fazem você se sentir num hotel de serra.

Os bangalôs mais altos têm piscinas privativas.

Por mais breves que sejam as saídas do quarto — para ir ao restaurante, à prainha privativa, à piscina térmica — na volta tudo estará arrumado de novo (não importa quantas vezes ao dia vocês saiam).

O café da manhã é uma refeição-degustação, com um rosário de pratinhos que vão chegando um depois do outro.

A praia é minúscula, mas totalmente privativa. Tem águas claras esverdeadas. É ligada por uma ponte a uma ilhotazinha em frente (onde é possível reservar um jantar a dois à luz de velas).

A região de Ganchos é um encanto: no caminho da BR 101 ao hotel você vai passar por vilarejos de pescadores debruçados no mar.

Faça as contas. Com as duas passagens em business class às Maldivas que você vai economizar, não sai tão caro assim…

O aeroporto de Florianópolis está a 65 km do aeroporto de Florianópolis e 95 km do aeroporto de Navegantes.

Porto Seguro Praia Resort (all-inclusive) | Porto Seguro (BA)

Se o critério for resort com acesso 100% por asfalta, sem travessia de barco, saindo de um aeroporto servido por voos regulares em aviões a jato, então o campeão da categoria “Proximidade do aeroporto” é o Porto Seguro Praia Resort (all-inclusive). Está a 5,4 km do aeroporto de Porto Seguro.

O hotel fica no início da orla norte, na praia de Curuípe, perto do centro.

O resort foi inteiramente reformado há poucos anos. O sistema all-inclusive se estende até o clube de praia – a Cabana João da Sunga.

O parque de piscinas, inaugurado em 2018, oferece diversos nichos com profundidades diferentes. A piscina infantil tem brinquedos de parque aquático. Uma tirolesa sobrevoa as piscinas e leva ao Parque de Aventuras, onde há uma área de arvorismo e um parquinho para crianças pequenas.

Muitos quartos podem acomodar crianças. A recreação começa aos 3 anos, monitorada pelos personagens da Turma do Joãozinho da Sunga.

Para acessar a praia é preciso atravessar a rodovia em frente. O mar tem águas sempre calmas, ainda que turvas.

O centrinho de Porto Seguro está a 3 km (R$ 10 de Uber).

Portobello Resort & Safári | Mangaratiba (RJ)

O Portobello é o resort mais próximo do Rio de Janeiro. Está situado dentro de um dos condomínios mais exclusivos da região de Angra dos Reis.

O lobby, sob um teto de sapê trabalhadíssimo, é bonito de dia e um charme total à noite. Não há área social de resort tão acolhedora para um drink depois do jantar.

A praia, em uma baía protegida, oferece águas calmas. A piscina tem um gostoso deck molhado.

A marina do condomínio funciona junto ao resort e ajuda a tornar o ambiente ainda mais charmoso.

Os quartos são o ponto fraco do resort: compactos e um tanto básicos. Mas todos têm vista para o mar.

O safári particular do Portobello é seu grande diferencial para crianças. Num terreno do outro lado da Rio-Santos, o hotel mantém uma reserva particular com cachoeira, piscina natural e animais soltos (zebras, camelos, alces, avestruzes) que são vistos em passeios de jipe oferecidos regularmente.

O aeroporto do Galeão está a 100 km; o aeroporto Santos Dumont, a 110 km. Paraty fica a 140 km. São Paulo, a 430 km (via Rio-Santos desde Ubatuba).

Pratagy Beach Resort (all-inclusive) | Maceió (AL)

Há 3 décadas ocupando parte de uma área de proteção ambiental ao norte de Maceió, o Pratagy Beach Resort já passou por várias administrações (chegou a fazer parte de uma rede italiana de all-inclusives).

De volta à administração própria, o Pratagy Beach Resort reformou todos os quartos — que não são grandes, mas ficaram charmosos.

A grande novidade, inaugurada em 2020, é o Pratagy Acqua Park, um parque aquático aberto ao público. Hóspedes do Pratagy Beach Resort têm direito a ingressos de acordo com o tempo da hospedagem (ficando 3 dias, tem direito a 1 ingresso; 4 dias, 2 ingressos; 5 dias, 3 ingressos, e assim por diante).

O resort é separado da praia por um riozinho rodeado por mata preservada. De águas calmas, o rio permite nadar, andar de caiaque pu SUP ou se refrescar em redes montadas dentro d’água.

As piscinas do hotel se localizam antes do riozinho, e não são enormes como as de resorts mais novos.

A praia pode ter mar calmo, sobretudo na maré baixa. Mas pode ter ondas, também, na maré alta. Vai depender das condições atmosféricas. (A praia voltada para o rio, porém, está sempre calma.)

Há um teatro – um pouco fora de mão – onde acontece o entretenimento noturno.

A parte de alimentação (e bebidas) divide as opiniões dos hóspedes. Não vá esperando qualidade top.

O aeroporto de Maceió está a 33 km. A orla urbana de Maceió, a 14 km.

Ritz Lagoa da Anta | Maceió (AL)

Na divisa das praias da Jatiúca e Cruz das Almas, o Ritz Lagoa da Anta é um resort urbano vertical. Seus seis andares funcionam como diferentes alas.

No 6º andar – o Design Floor – estão os apartamentos com decoração mais descolada, combinando design contemporâneo com toques regionais. O Bali Floor tem apartamentos com toques orientais, incluindo um ofurô. O EcoFloor é composto por quartos com decoração ecologicamente correta e consumo controlado de energia.

Os quartos Premium Plus têm acabamento caprichado e roupa de cama com lençóis de 200 fios. Finalmente, as unidades Premium ficam nos andares mais baixos e são as mais simples.

O resort oferece diárias com café da manhã ou café da manhã + jantar.

A área da piscina, na parte frontal do hotel, tem espreguiçadeiras charmosas, cabanas e hidromassagem.

O spa e a academia são muito bem montados. Há também kid’s club, minigolfe e quadras de tênis.

É preciso atravessar a rua para ir à praia. O hotel monta suas espreguiçadeiras e guarda-sóis na areia. A praia em frente costuma estar imprópria para banho.

Restaurantes da Jatiúca e de Ponta Verde estão a corridas de R$ 10-R$ 15 de Uber.

O aeroporto de Maceió está a 25 km.

Salinas de Maceió (all-inclusive) | Maragogi (AL)

Na orla norte de Maceió, o Salinas de Maceió leva nota alta dos hóspedes no Booking sem precisar recorrer a grandes estruturas.

Num terreno compacto, o resort é composto por duas fileiras de blocos de apartamentos nas laterais, as piscinas no meio e a visão desimpedida da praia.

Os quartos, renovados em 2019, acomodam 1 ou 2 crianças sem custo extra.

A piscina dos adultos tem vários nichos e um deck molhado. A piscina infantil está equipada toboágua. A recreação é bastante elogiada.

O all-inclusive tem cervejas de boas marcas (incluindo Stella, Beck’s e Original).

O Salinas de Maceió está num bonito trecho da praia de Ipioca. Nem sempre, porém, o mar está calminho neste pedaço.

O aeroporto de Maceió fica a 35 km. A orla urbana de Maceió está a 18 km.

Salinas do Maragogi (all-inclusive) | Maragogi (AL)

Aberto em 1989, o Salinas do Maragogi é um dos resorts mais tradicionais do Brasil.

O terreno, amplo, é cortado por um rio e embelezado por jardins bem-cuidados e uma charmosa ponte de madeira.

Em 2020, o Salinas do Maragogi aproveitou a pandemia para uma reforma geral. R$ 15 milhões mais tarde, reabriu com quartos reformados e um incrível novo parque de 7 piscinas junto à praia – uma delas, com toboágua infantil.

Alguns anos antes, o Salinas do Maragogi já tinha se reinventado, ao adotar o sistema all-inclusive – executivos do resort foram a Punta Cana estudar o sistema para adaptar ao gosto brasileiro. Desde então, não falta camarão alho e óleo no buffet da piscina.

A recreação é uma das marcas registradas do Salinas: a equipe chega a ter mais de 40 monitores na temporada.

Hoje o Salinas do Maragogi oferece, além do buffet, dois restaurantes à la carte – um italiano e outro nordestino.

Há um bem-montado spa, com tratamentos pagos à parte.

Outras atividades também custam extra: banana boat, disco boat, caiaque e mergulho.

A praia em frente tem mar supercalmo, sempre. Mas a cor do mar não é tão caribenha quanto as das praias ao norte de Maragogi.

A programação noturna inclui apresentações de música, shows de humor e mágica.

O centrinho de Maragogi está a 2 km. O aeroporto do Recife está a 126 km. O aeroporto de Maceió, a 128 km.

Sauípe Resorts (all-inclusive) | Costa do Sauípe (BA)

Quando abriu, em 2001, o Sauípe Resorts (all-inclusive) foi lançado como um novo destino em si. A Costa do Sauípe nascia com 5 resorts de bandeiras diferentes (Breezes, Sofitel, Marriott, que compartilhavam uma mega estrutura e uma vilazinha praiana com lojas, restaurantes e pousadas.

Apesar da qualidade do projeto (o paisagismo é lindo, a ideia da vilazinha é ótima, a estrutura foi muito bem pensada), Sauípe nunca deu certo. Em 2010 o complexo foi retomado pelo investidor (o fundo de pensão Previ), que decidiu colocar Sauípe para competir na faixa dos resorts econômicos. No fim de 2017, a Costa do Sauípe foi vendida para o grupo Aviva, dono do Rio Quente Resorts e do Hot Park em Goiás.

Nos últimos dois anos a nova administração reformou duas alas (ambas da categoria “Premium”) e reorganizou a Vila Nova da Praia, construindo um parquinho de diversões de cidade do interior – a Quermesse da Vila – com roda-gigante, carrossel e casa mal-assombrada (pagos à parte).

O Sauípe Premium Brisa (antigo Sofitel Suites) é o topo de linha do complexo. Todos os quartos têm saleta. A piscina, exclusiva para seus hóspedes, foi redesenhada com muita bossa. Petiscos e bebidas são melhores do que os das alas ‘standard’. É o hotel mais bem-avaliado do complexo.

A outra ala reformada é a Sauípe Premium Sol (antigo Marriott). Os apartamentos são amplos e têm banheira. A piscina é grande e também exclusiva dos hóspedes desta ala. Petiscos e bebidas são melhores do que os das alas ‘standard’.

As outras três alas do resort (que já se chamaram Renaissance, Sofitel Conventions e Breezes) são vendidas em conjunto, como Sauípe Resorts. As alas são abertas conforme a necessidade – não dá para saber, no momento da reserva, onde você vai se hospedar. É possível frequentar as piscinas e os restaurantes de todas as alas desta categoria que estiverem funcionando. Não é possível, no entanto, frequentar as picinas e restaurantes das alas ‘premium’.

A ala das pousadas, que funcionam na Vila Nova da Praia, está desativada temporariamente. Quando funciona, permite que os seus hóspedes aproveitem as piscinas e serviço all-inclusive das alas ‘standard’ (não-premium).

Hóspedes de todas as alas ganham vouchers para fazer reservas nos restaurantes à la carte da Vila Nova da Praia – o número de refeições varia com a ala e o número de noites reservadas.

A recreação monitorada acontece no Sauípe Kids, que concentra a criançada de todas as alas. As crianças podem inclusive almoçar no restuarante kids no local.

A estrutura do resort inclui a Sauípe Náutica, uma área em torno de uma lagoa que oferece caiaque, stand-up paddle, canoa canadense e tirolesa – pagos à parte. As atividades estão suspensas durante a pandemia.

O trapézio do antigo Breezes continua de pé. No momento, porém, está sem funcionar.

A praia é virtualmente privativa do complexo. As espreguiçadeiras são montadas nos trechos mais seguros para entrar no mar. Há pedras em outros pontos. O mar está frequentemente turvo nesta região.

Sauípe Resorts está a 20 km de Praia do Forte, 75 km do aeroporto de Salvador e 100 km do centro histórico de Salvador.

Serhs Natal (all-inclusive opcional) | Natal (RN)

Única unidade no Brasil de uma rede catalã, o Serhs Natal é um resort vertical em que todos os apartamentos têm vista para o mar.

O resort trabalha com várias opções de alimentação. As diárias podem incluir apenas o café da manhã (ideal para quem quer fazer muitos passeios e experimentar os restaurantes de Natal), café da manhã + jantar, café da manhã + almoço + jantar ou all-inclusive (que o hotel chama de “Serhs inclusive”). A cor da pulseira identifica o plano de refeições de cada hóspede.

A piscina acomoda-se ao desenho do resort e oferece variedade de ambientes – bar molhado, escorregadores, área de hidromassagem e recantos sossegados. Algo que pode ser frustrante para alguns, mas deve agradar a pais com filhos pequenos: a piscina fica inteiramente à sombra logo no início da tarde.

A praia em frente ao hotel costuma ser deserta, mas tem mar agitado e perigoso na maré alta.

Como os outros resorts da cidade, o Serhs Natal está localizado na Via Costeira, a avenida construída entre as dunas e o mar. Um Uber até a região comercial de Ponta Negra sai entre R$ 10 e R$ 15.

O aeroporto de Natal está a 45 km.

Serrambi Resort | Porto de Galinhas (PE)

No quesito “praia de mar calmo”, ninguém ganha do Serrambi Resort. A praia da Enseadinha, praticamente privativa do hotel e do condomínio onde está localizado (para entrar é preciso passar por guarita), é mansa na maré alta e forma uma piscina natural na maré baixa.

Alguém na família prefere ondas? Não tem problema. Originalmente o resort se chamava ‘Intermares’ porque está situado numa ponta banhada por duas praias. A outra praia é a de Serrambi, que no trecho do resort tem mar aberto.

Inaugurado em 1992, quando os resorts ainda tinham cara de colônia de férias, o Serrambi Resort foi inteiramente reformado em 2020. Um nova ala de apartamentos ‘premium’ foi adicionada. A piscina, antes acanhada, agora é um mega-piscinão de resort, com diversos ambientes e nichos.

O Serrambi Resort também oferece recreação infantil e entretenimento noturno.

No quesito estrutura, o grande diferencial está nos esportes náuticos, pagos à parte. O hotel tem equipamento e instrutores para mergulhar e velejar. Também oferece caiaque.

Os passeios à Ilha de Santo Aleixo e à Praia dos Carneiros são feitos em lanchas próprias e partem do píer do hotel.

O vilarejo de Serrambi tem um comércio limitado e algumas opções de restaurantes. Porto de Galinhas está a 12 km, por estrada asfaltada.

O aerporto do Recife fica a 64 km.

Sofitel Jequitimar | Guarujá (SP)

O padrão 5 estrelas da rede Sofitel faz com que mesmo os apartamentos standard do Sofitel Jequitimar, apesar de compactos, tenham confortos de hotel de luxo. São decorados com cores náuticas — branco, azul-claro, azul-marinho, palha — que dão um efeito praiano-chic.

A praia em frente… são duas. O trecho é conhecido como ‘Praia do Mar Casado’: duas enseadas gêmeas, separadas por uma faixa de areia e um morro baixinho.

Como todo resort, o Sofitel Jequitimar oferece recreação infantil e um ótimo spa. No quesito alimentação, porém, funciona como hotel urbano: muitas diárias não incluem nem o café da manhã.

O o Sofitel Jequitimar está a 98 km do aeroporto de Congonhas em São Paulo e 133 km do aeroporto de Guarulhos.

Summerville (all-inclusive) | Porto de Galinhas (PE)

Desde março de 2021, o tradicional Summerville de Porto de Galinhas funciona no sistema all-inclusive.

É mais um atrativo de um resort que já conquistava pela excelente recreação – um sucesso entre famílias que viajam com crianças pequenas.

A excelente equipe de recreação faz do Summerville um sucesso para famílias que tem crianças pequenas.

A maior peculiaridade do Summerville é a piscina em formato de rio: para aproveitar um terreno com pouca frente de praia e bastante profundidade, foi projetada uma piscina estreita, que serpenteia pela propriedade e oferece vários nichos diferentes. Os decks molhados, partes rasinhas da piscina onde são colocadas espreguiçadeiras, hoje tão comuns, fizeram sua estreia em resorts brasileiros aqui.

Os apartamentos são distribuídos em bloquinhos baixos, na parte de trás do terreno, junto aos restuarantes e às áreas sociais. Do meio da piscina até a praia localizam-se os bangalôs, geminados ou individuais.

A praia em frente ao hotel é bonita, mas tem pedras; é melhor andar para a esquerda até o trecho de Muro Alto em frente ao Nannai (onde o Summerville mantém uma barraca de praia).

O centrinho de Porto de Galinhas está a 9 km. O aerporto do Recife, a 48 km.

Tivoli Praia do Forte Eco Resort | Praia do Forte (BA)

Entre os resorts de grande porte, nenhum é mais charmoso que o Tivoli Praia do Forte EcoResort.

Klaus Peters, o alemão que ‘descobriu’ Praia do Forte (e comprou todos os terrenos disponíveis na década de 80), reservou para o resort a melhor localização do pedaço: uma enseada de mar calmo, sem pedras. 35 anos depois de instalado o resort, a praia ainda conserva um aspecto ainda selvagem, com coqueirais à esquerda e à direita do seu campo de visão. A praia é frequentada praticamente só pelos hóspedes (é possível caminhar da vila até o resort pela areia, mas não há barracas nem quiosques para não-hóspedes).

A marca registrada do Tivoli Praia do Forte EcoResort é o seu gramado, sempre bem-cuidado, que se estende até a beira do mar ao longo de todo o terreno.

Os apartamentos são amplos e foram renovados há poucos anos.

O hotel oferece três piscinas com climas bem distintos. A principal, junto ao restaurante, é a piscina da recreação. A piscina mais nova é a mais elegante, projetada em degraus e integrada a espreguiçadeiras 6 estrelas. A terceira é de borda infinita e com acesso liberado apenas para adultos — fica num ponto isolado e ainda assim, de frente para o mar.

O buffet oferecido pelo Tivoli Praia do Forte EcoResort é o mais extenso entre os resorts que não são all-inclusive. Você não vai conseguir aproveitar todas as estações de comida numa mesma refeição.

A vila de Praia do Forte está a 5 minutos de tuk-tuk (motinho adaptada com uma mini-cabine para dois passageiros).

O aeroporto de Salvador fica a 55 km. O centro histórico de Salvador, a 80 km.

Tororomba | Ilhéus (BA)

O resort Tororomba, no distrito de Olivença em Ilhéus, tinha jeito de clube até ganhar um banho de loja há poucos anos.

Foi um belo upgrade: no verão de 2017 o Tororomba inaugurou uma mega-piscina e repaginou a área de praia com tendas cheias de bossa. Em 2018 foi a vez da nova ala de apartamentos, chamada ‘deluxe’, decorados com bom gosto.

A propriedade tem seu próprio lago de água ferruginosa. Dá para nadar, andar de caiaque, praticar SUP. Uma área é destinada às crianças, com caminho de pneus e um tobogãzinho.

As diárias têm opções só com café da manhã, café da manhã + jantar e café da manhã + almoço + jantar.

A praia é ampla e praticamente privativa do hotel e de seu vizinho, o Cana Brava. O mar tem pequenas ondas e apresenta uma faixa turva na rebentação.

O aeroporto de Ilhéus está a 20 km.

Transamérica (all-inclusive) | Comandatuba (BA)

Com um aeroporto nos fundos do hotel (a menos de 10 minutos do píer de embarque), o Transamérica Comandatuba voltou a ter voos diretos em junho de 2021, operados pela Azul (com saídas de São Paulo/Congonhas e Belo Horizonte). Em agosto será a vez da Latam, que vai voar saindo de São Paulo/Congonhas.

A costa entre Una, Canavieiras e Belmonte é entrecortada por canais naturais que criam ilhas muito próximas ao continente. A ilha de Comandatuba é delimitada por um braço de mar. Ao chegarem, os hóspedes fazem a travessia de balsa em pouco mais de 5 minutos. Na outra margem, encontram um verdadeiro jardim: se as baianas que dão as boas-vindas não estivessem vestidas a caráter, você poderia pensar que o Transamérica Comandatuba está situado em algum rincão tropical da Inglaterra.

Point de paulistas exigentes desde a década de 90, o Transamérica Comandatuba é uma das grandes referências da hotelaria de praia no Brasil.

As acomodações se dividem entre apartamentos localizados num prédio de 3 andares junto às piscinas e áreas sociais do resort, e chalés espalhados pela área mais tranquila do terreno. São confortáveis, mas faz tempo que não são renovados.

O Transamérica Comandatuba já tinha uma sólida reputação de boa comida quando aderiu ao sistema all-inclusive, em 2018.

A piscina principal tem áreas de atividades e cantinhos mais reservados. A equipe de recreação é das melhores que há. O spa foi montado pela L’Occitane, mas hoje opera com marca própria Transamérica. Se o seu interesse é jogar golf, verifique se o campo vai estar aberto durante a sua estada.

A natureza exuberante ao longo do canal que separa a ilha do continente é mais interessante do que a praia de mar – que é deserta, mas tem águas turvas. O passeio ao mangue para tomar banho de lama negra é imperdível.

Além do aeroporto de Una/Comandatuba, localizado atrás do hotel, é possível chegar ao resort desembarcando no aeporto de Ilhéus, a 70 km de distãncia.

Txai Resort | Itacaré (BA)

Inspirado em vários detalhes da rede Aman, que inventou o conceito de luxo descalço no Sudeste Asiático, o Txai, em Itacaré, ainda assim oferece uma experiência com sabor brasileiro.

Ao adotar a denominação ‘resort’ quando abriu, em 2001, o Txai certamente se referia ao significado em inglês do termo – um hotel que funciona como um destino em si (e não o significado brasileiro, de ‘mega-hotel para férias da família’).

O hotel tem duas alas. A mais nova – e luxuosa – é a Ala Sul, onde estão os bangalôs ‘premium’ e ‘luxo’, e a piscina de raia de 50 metros. É a área mais reservada da propriedade. Na ala original estão os apartamentos e bangalôs da categoria ‘superior’, a piscina principal (de 25 metros), o restaurante de praia e a área social da recepção.

Vale a pena investir nas acomodações ‘premium’ e ‘luxo’: além de um pouquinho maiores que os ‘superiores’, têm janelões e portas de vidro que aumentam a sensação de amplidão.

A praia é gloriosamente deserta. O spa, no alto do morro, proporciona os tratamentos com a vista mais bonita do Brasil.

O aeroporto de Ilhéus está a 60 km.

Vila Angatu | Santo André (BA)

Graças a uma travessia de balsa (de 15 minutos), a vila de Santo André, em Santa Cruz Cabrália (vizinha a Porto Seguro) permanece a salvo do turismo predatório. Tudo por aqui é muito especial – até mesmo seu resort, o Vila Angatu.

Antigo Costa Brasilis, o Vila Angatu foi comprado pelo mesmo grupo do glamuroso Campo Bahia (onde a Seleção Alemã se hospedou na Copa de 2014). Os novos donos não acrescentaram nada novo, mas reformaram tudo o que era preciso. O resort está um brinco.

As acomodações são confortáveis, mas não luxuosas. O Vila Angatu foi construído em estilo ‘colonial brasileiro’. A decoração não destoa – dentro do seu apartamento ou do seu chalé você pode se sentir numa pousada em Paraty. (Os donos anteriores tinham uma pousada em Paraty.)

A praia é perfeita para férias com distanciamento social: a densidade demográfica é mínima. O mar é calmo sem ser paradão. A água às vezes está um pouco turva (depende do regime de chuvas e das marés), mas está sempre na temperatura certa.

A comida tem sido elogiada. O Vila Angatu costuma oferecer tarifas incluindo café da manhã + jantar ou café da manhã + almoço + jantar. (É bom lembrar que os restaurantes da vila de Santo André são ótimos.)

O Vila Angatu é perfeito para quem procura um hotel para férias em família num resort sem cara de resortão.

Vila Galé Cumbuco | Cumbuco (CE)

Primeiro resort all-inclusive do Ceará (abriu em 2010), o Vila Galé Cumbuco está localizado num trecho fora da muvuca do vilarejo do Cumbuco, 30 km a oeste de Fortaleza.

O resort se espalha por um terreno amplo e com jardim bem cuidado. A piscina, gigante, é o centro de gravidade do resort. Tem bar molhado e vários nichos.

Camas grandes e roupa de cama de ótimo padrão tornam bastante agradáveis os apartamentos e chalés Vila Galé Cumbuco. Todos têm uma parede de vidro que aumenta a sensação de amplidão. A iluminação é bem resolvida.

Além do restaurante buffet, o Vila Galé Cumbuco oferece 3 restaurantes à la carte (pizza, português & nordestino e moderno-asiático) que podem ser reservados de acordo com a duração da hospedagem (a cada 3 noites, 1 reserva).

Crianças se hospedam de graça no quarto dos pais e podem aproveitar a recreação monitorada do clube Nep.

O spa Satsanga cobra seus tratamentos à parte.

O aeroporto de Fortaleza está a 42 km.

Vila Galé Eco Resort Angra | Angra dos Reis (RJ)

Aberto como Blue Tree Park Angra em 2000, o Vila Galé EcoResort Angra ocupa uma praia privativa, de águas plácidas, retraída na Baía de Angra.

Os quartos são espaçosos e têm varanda – mas já entregam a idade e mereciam um “up”.

Há dois restaurantes buffet (um para café da manhã e jantar, e o outro, instalado numa casa de fazenda preservada, para o almoço) e dois à la carte (mediterrâneo e luso-brasileiro). Os restaurantes à la carte estão sujeitos a reserva de acordo com o número de noites da estada.

A piscina é enorme e tem vista tanto para o mar quanto para a mata densa dos morros do entorno.

A recreação infantil é comandada pelos tios do clube Nep. Os tratamentos do spa Satsanga são cobrados à parte.

O resort oferece quadras de tênis, futebol e vôlei. A região é boa para mergulho, caminhadas na Mata Atlântica (com direito a cachoeiras) e rafting. Um dos passeios mais bonitos é também o mais perto: a trilha que leva à praia do Tanguazinho, uma das mais perfeitas da baía.

Paraty está a 100 km.

O aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, fica a 160 km. O Santos Dumont, a 170 km. O aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, fica a 380 km (via Ubatuba).

Vila Galé Eco Resort do Cabo | Cabo de Santo Agostinho (PE)

Aberto em meados da década de 90 como Blue Tree Park, o Vila Galé Eco Resort do Cabo foi o primeiro grande resort de Pernambuco.

Ocupando a ponta da península do Cabo de Santo Agostinho, é um hotel apropriado para curtir o all-inclusive. Não há comércio nem vilarejo por perto. A praia é calmíssima e, durante a semana, vazia. (No fim de semana as barracas fora da área do hotel ficam cheias.)

A estrutura é ótima, com quartos grandes, piscinão rente à areia, quadras de tênis, um jardim japonês (herança da fundadora, a sra. Chieko Aoki). Mas não é para quem faz questão de tudo novinho: o resort como um todo já merecia uma grande renovação.

Além do buffet principal, há 4 restaurantes: 3 à la carte (um português, um japonês & italiano e uma pizzaria) e um buffet diurno junto à piscina. Os restaurantes à la carte estão sujeitos a reserva de acordo com o número de noites da estada.

A recreação é centralizada no clube Nep. Os tratamentos do spa Satsanga são cobrados à parte. Há também um centro de esportes náuticos, com equipamentos para alugar.

Porto de Galinhas está a 36 km.

O aeroporto do Recife está a 40 km (saindo pela BR 101) ou 32 km (saindo do Recife pela ponte pedagiada da Reserva do Paiva).

Vila Galé Marés (all-inclusive) | Guarajuba (BA)

Uma mega-piscina de 3 mil m² é o grande trunfo do Vila Galé Marés, em Guarajuba, praia cobiçada do litoral norte de Salvador.

O resort se localiza num dos condomínios da praia, que têm casas de veraneio de soteropolitanos e residências de funcionários de empresas do polo petroquímico de Camaçari.

Há dois tipos de acomodações: em apartamentos ou em bangalôs. Os bangalôs são um pouquinho mais espaçosos.

Além do buffet principal, há um buffet para almoço e petiscos junto à piscina e dois restaurantes à la carte: mediterrâneo e pizzaria. Os restaurantes à la carte estão sujeitos a reserva de acordo com o número de noites da estada.

O clube Nep, para crianças, e o spa Satsanga (com tratamentos pagos à parte), característicos da rede, também estão presentes no Vila Galé Marés.

Entre a piscina e a praia há um gramado muito bem-cuidado, com guarda-sóis de sapê e espreguiçadeiras, cópia (bem-vinda) do gramadão do Tivoli da Praia do Forte. O trecho em frente ao hotel é praticamente exclusivo dos hóspedes. O mar é calmo na maré baixa, pode ter ondas na maré alta.

Caminhando para a esquerda, em 10 minutos você chega à área de barracas da primeira praia de Itacimirim. Ali a praia é calminha e segura sempre.

A vila de Praia do Forte está a 19 km.

O Vila Galé Marés fica a 47 km aeroporto de Salvador. O centro histórico de Salvador está a 65 km.

Vila Galé Touros (all-inclusive) | Touros (RN)

Aberto em 2018, o Vila Galé Touros é um dos resorts mais novos do Brasil. Fica no litoral norte do Rio Grande do Norte, no caminho de São Miguel do Gostoso. Se você é fã de resort novinho, aproveite.

Os interiores do Vila Galé Touros impressionam, pelo porte e pela qualidade dos materiais usados. Os apartamentos, de bom tamanho, ficam em blocos de dois ou três andares, em frente a um espelho d’água.

As duas piscinas ao ar livre são enormes e dividem quem quer agito ou sossego. Além delas, há uma piscina térmica coberta, para os dias em que chover ou ventar demais.

O clube Nep, para crianças, é um dos mais bem-montados da rede, com um mini-parque aquático e sala de games. No spa Satsanga, os tratamentos são cobrados à parte.

Entre as atividades noturnas, há um interessante cinema ao ar livre, no jardim.

O terreno foi desmatado e vai demorar até que as árvores plantadas cresçam. Mas uma área preservada da mata foi transformada numa trilha ecológica para caminhadas – nela há um mirante para contemplar o pôr do sol.

As espreguiçadeiras de praia não ficam na areia, mas num grande gramado com guarda-sóis de sapê.

A praia é virtualmente exclusiva dos hóspedes. Mas não é das mais bonitas: o mar é sempre turvo nesta região.

O Vila Galé Touros fica a apenas 4 km do ponto de embarque para os parrachos de Perobas. O embarque para os parrachos de Maracajaú está a 40 km. A vila de São Miguel do Gostoso fica a 32 km (a praia de Tourinhos, a 38 km).

O aeroporto de Natal, em São Gonçalo do Amarante, está a 87 km.

Wish Natal | Natal (RN)

Antigo Pestana Natal, o Wish Natal foi comprado em 2016 pelo grupo GJP. Inicialmente renomeado Prodigy Natal, em 2018 ganhou um upgrade para Wish, que é a bandeira 5 estrelas da rede. A reforma foi assinada pelo arquiteto paulista João Armentano.

Dos resorts da Via Costeira, o Wish é o que tem a arquitetura mais bonita. Os andares estão sobrepostos em formato em pirâmide, e a piscina ocupa a área nobre do terreno. A reforma mudou as áreas sociais e requalificou a piscina. O spa é muito elegante. O upgrade à marca Wish, porém, não contemplou os quartos, que continuam com o padrão Prodigy.

A maior parte dos quartos tem vista para o mar, com exceção das suítes ‘Dunas’, que dão para a Via Costeira e para o Parque das Dunas nas costas do hotel.

As diárias podem incluir só o café da manhã (ideal para quem quer aproveitar a noite de Natal) ou café da manhã + jantar.

A praia em frente não é boa para banho, por causa do repuxo. A praia de Ponta Negra, com mar calmo, fica a 10 minutos de carro.

Um Uber até a zona comercial de Ponta Negra sai entre R$ 10 e R$ 15.

O aeroporto de Natal está a 45 km.

Resorts por estado

Resorts de praia em Alagoas

Resorts de praia na Bahia

Resorts de praia no Ceará

Resorts de praia em Pernambuco

Resorts de praia no Rio de Janeiro

Resorts de praia no Rio Grande do Norte

Resorts de praia em Santa Catarina

Resorts de praia em São Paulo

Resort de praia em Sergipe

Como usar este guia

Consulte os quesitos que sejam mais importantes para você e sua família. Quando escolher seus favoritos, clique no nome do resort para ler a nossa resenha.

Para pesquisar os valores das diárias ou pacotes, clique no link do Booking, que está logo abaixo da resenha, ou no link do Zarpo, quando houver.

Leia as resenhas feitas por hóspedes como você: na página das avaliações do resort no Booking, procure resenhas de viajantes individuais, casais, famílias ou grupos de amigos.

Ao pesquisar no Booking, verifique as opções de reservas com possibilidade de cancelamento gratuito. Procure também no Zarpo para ver tarifas exclusivas para quem é cadastrado.

De uma maneira geral, é difícil se decepcionar com hotéis com pontuação geral acima de 9 no Booking e 4,5 no Zarpo. Hotéis com nota entre 8 e 8,9 no Booking e entre 4 e 4,4 no Zarpo também costumam entregar uma boa experiência (sobretudo se forem fortes nos quesitos que mais interessam a você). Cuidado, porém, com hotéis com nota de 7,9 ou inferior (no Booking) ou de 3,9 ou inferior (no Zarpo): nesses hotéis, será preciso calibrar as expectativas para baixo. Leia com atenção os comentários de hóspedes recentes e certifique-se de que as suas prioridades serão atendidas.

Vale a pena também entender as 10 reclamações mais comuns em resorts.

Leve também em consideração o histórico de chuvas no mês em que você quer viajar: pense duas vezes antes de viajar a destinos onde chove mais do que 200 mm no mês escolhido, e descarte qualquer destino com histórico mais de 300 mm de chuvas no mês. Nosso Praiômetro traz os índices de chuva, mês a mês, em 42 destinos do Brasil e do Caribe.

Importante: Antes de fazer sua reserva, consulte os protocolos de segurança e higiene adotados pelo resort durante a pandemia da Covid-19. As novas medidas impactam a limpeza dos quartos, opções de alimentação (serviços de buffet podem estar suspensos), procedimentos de check in e check out, atividades de recreação, funcionamento de spa, entre outros.

Onde pegar praia, mês a mês

118 comentários

Oi Boia, minha lua de mel será em Outubro (na semana do dia das crianças). Queremos ficar longe de crianças (kkk) e num resort all-inclusive na beira da praia (com mar mais calmo). Como estamos no momento de pandemia queríamos mais ficar no hotel do que ficar saindo e fazendo passeios. A ideia é ir pro nordeste pra curtir uma água quente. Recomenda um bom?

    Olá, Lais! O Salinas do Maragogi preenche todos os requisitos, mas estará provavelmente com a capacidade plena no feriado, e cheio de crianças.

    Se você quer uma experiência mais segura e exclusiva, dê uma olhadinha nessas opções de hotéis e pousadas de luxo pé na areia:

    Txai, em Itacaré
    Campo Bahia, em Santo André da Bahia
    Carmel Taíba, no Ceará
    Zorah Beach, no Ceará
    Estrela d’Água, em Trancoso

    Nenhum desses hotéis é all-inclusive. Note, também, que nos lugares onde é oferecido, o serviço all-inclusive ou será bastante modificado por causa dos protocolos da pandemia, ou ficará bastante arriscado (por se basear em buffets).

Na sua opinião qual o mais bacana mesmo de tudo ! Para uma data especial de 20 anos de casado! Carmel ou Nannai ou …? Obrigada

Bóia,
Queria uma dica para lua de mel com uma praia legal. Pensei num resort com All-inclusive. Vi o Resort do Vila Galé Touros que tem até alguns chalés que ficam mais distanciados dos quartos e fica excelente pro casal.
Em um dos comentários vi que não recomendam o VG Touros por causa da praia. Recomendam algum outro?

    Olá, Renan! A vantagem de bangalô para apartamento é só mesmo a ausência de corredor, que evita você passar por outros hóspedes quando sair e voltar ao quarto. Mas restaurante e piscina apresentarão os mesmos desafios em qualquer tipo de resort. Felizmente os resorts (até mesmo alguns compactos) costumam ter bastante espaço, e muitos estão em praias onde o distanciamento social será muito fácil, caso a piscina fique cheia.

    Alguns resorts que oferecem bangalôs:
    Vila Galé Cumbuco – all inclusive
    Vila Galé Marés – all inclusive
    Dom Pedro Laguna – meia pensão
    Transamérica Comandatuba – all inclusive (a praia não é boa)
    Cana Brava – all inclusive (a praia não é boa)
    Nannai – meia pensão
    Vila Angatu – meia pensão (ex-Costa Brasilis)

    Se você pensar numa categoria acima, de hotéis realmente de luxo, vai encontrar melhores condições de distanciamento social. Mas nenhum desses hotéis é all-inclusive:

    Txai, em Itacaré
    Campo Bahia, em Santo André da Bahia
    Uxuá Casa Hotel, em Trancoso
    Calá & Divino, na Praia do Espelho
    Pousada da Amendoeira, em São Miguel dos Milagres
    Pousada Patacho, em São Miguel dos Milagres
    Ponta dos Ganchos, em Santa Catarina
    Ilha do Papagaio, em Santa Catarina
    Fasano Angra, em Angra dos Reis
    Carmel Taíba, no Ceará
    Zorah Beach, no Ceará
    Vila Selvagem, no Ceará

Oi, boa tarde! 🙂
Com essa situação da pandemia tive minha viagem em outubro para europa cancelada, pensei em aproveitar as ferias e conhecer um resort na região sudeste, para que possamos ir de carro…
Só me indicaram o Vila Galé Angra… Alguma sugestão?

    Olá, Bruna! A região de Angra é sujeita a chuvas na primavera. Se eu fosse você, ia um pouco mais adiante, a Búzios, que tem clima melhor nessa época. (Mas não tem resort.)

    https://www.viajenaviagem.com/destino/buzios/

    Caso queira mesmo um resort no Sudeste, compare o Vila Galé Angra com o Portobello e o Club Med Rio das Pedras para ver qual tem mais a sua cara.

Olá Bóia!
Estou em dúvida entre o Nannai e o Tivolli!
Qual vc me recomenda?
Obrigada pela dica.

    Olá, Priscilla! O Nannai é um resort compacto; pode ser descrito como um hotel de luxo com muitos quartos. O Tivoli é um resort clássico, mais estiloso do que a média, num terreno enorme, com toda a estrutura, incluindo para crianças. Ambos são ótimos hotéis.

Boa noite o que pode me dizer sobre o resort Grand oca Maragogi tenho lido muitas críticas em relação a comida e bebida. Qual melhor opção em Maceió para ir com criança.

    Olá, Elisangela! O forte do Gran Oca é a sua praia. Considere, ainda em Maragogi mesmo, o Salinas do Maragogi, que tem ótima estrutura e recebe boas notas na comida e na recreação.

estou com 10 dias disponivel pra ferias nesse mes de Agosto. Gostaria de viajar para algum resort para realmente desestressar, aconchegante, tipo bangalô e com sol. Que opcoes eu tenho ?. Grato.

Olá! Somos um casal com dois filhos pré adolescentes. Já estivemos em alguns resorts no Brasil mas ainda não fomos aos da Bahia. Axé!!! Pretendemos ir no final de janeiro ou no Carnaval, porém, confesso que não somos de muito agito, queremos descansar… Estamos em dúvida entre o Transamérica Comandatuba e os de Porto Seguro. Pode nos dar uma luz? Obrigada! 🙂

    Olá, Aline! Em janeiro todos os resorts estarão com sua lotação máxima, e todos oferecerão recreação na piscina principal em alguns horários.

    Alguns resorts têm uma segunda piscina grande “sem barulho”, como o Iberostar, o Tivoli Praia do Forte e o Transamérica. O La Torre em Porto Seguro tem serviço de praia, o que permite evitar a área da piscina.

Muito obrigada pela resposta! Como estamos em busca de um momento de descanso, um resort mais isolado, onde o próprio se torna o destino, faz mais sentido, então o Grand Palladium (que já havia sido a escolha definida para nossa viagem) parece uma ótima opção, porém devido a pandemia, descobri ótimos preços no Salinas Maragogi e seu irmão, Japaratinga Lounge Resort. Como vi, vocês ainda não visitaram o segundo, então fico um pouco receosa de passar várias noites lá e acabar enjoando um pouco por não ser um resort com tantas opções como os outros dois, mas pensei em talvez dividir a estadia, ficando 3/4 noites no Japaratinga e 3/4 no Salinas, já são a 20km de distância. Seria essa uma boa ideia?

    Olá, Livia! Sem ter visitado o resort, não temos como dar um conselho. Em princípio não nos agrada a situação do Japaratinga, à beira da estrada, sem acesso direto à praia, e com vegetação ainda pouco crescida. Mas está novinho e a piscina é bem maior do que a do Salinas.

Olá Boia!
Estou muito na dúvida entre o ir ao Ocean Palace e o Grand Palladium Imbassai, no final do mês de setembro. A intenção é uma viagem para relaxar, a beira da piscina, sem se precisar de preocupar com a quantidade de comida/bebida ingerida na conta do hotel, e por isso é imprescindível ser all inclusive. Lendo alguns relatos, a comida parece ser melhor qualidade no Ocean Palace (é muito importante que tenham frutos do mar nos restaurantes, e pelo que vi, por lá nunca falta um camarão no bar da piscina), porém um dos nossos principais objetivos é descansar em piscinas que não sejam muito cheias, e parece que o Grand Palladium, por ter mais espaço, não fica tão cheio. Será que o Ocean Palace atende bem ou devo ir ao Grand Palladium por oferecer mais opções (devido ao maior tamanho)? Alguma outra sugestão de resort all inclusive nessa faixa de preço com boas ofertas gastronômicas e ótimas e espaçosas piscinas? Muito obrigada!

    Olá, Livia! Nos próximos meses todos os hotéis do Brasil vão funcionar com capacidade reduzida. O problema da lotação só deve aparecer quando as restrições forem levantadas.

    São dois hotéis de configuração inteiramente diferente, sinceramente não acho que ter camarão no bar da piscina seja o item que desempate a comparação.

    Veja: o Ocean Palace é um hotel urbano, localizado numa duna. Tem um complexo de piscinas formidável, mas a área é totalmente construída. É uma boa base para passeios aos arredores de Natal, mas se você planeja só ficar no hotel será uma experiência próxima de reconfinamento.

    O Grand Palladium é um resort clássico, com amplo terreno, cercado por natureza, com um rio passando no meio da propriedade e uma praia ampla e deserta. Na comparação, há menos passeios pelas redondezas. Para uma estada longa, sem sair do hotel, este tipo de resort é mais apropriado do que um hotel urbano.

    Pense no todo das suas férias. Há um limite de camarão ao alho e óleo que uma pessoa pode consumir. De todo modo, ligue para o resort que você escolher e pergunte como está ocorrendo o serviço no bar de praia. É provável que haja mudanças por causa dos protocolos da pandemia. Os buffets provavelmente serão substituídos por pedidos à la carte ou balcões com produtos previamente embalados para consumo individual.