Europa: 10 roteiros de 15 dias prontos para usar

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Paris roteiros Europa

Eu costumo dizer que qualquer viagem à Europa é como se fosse a primeira. Se o roteiro incluir lugares novos, as mesmas perguntas voltarão à baila: quantos dias em cada lugar? Quais os meios de deslocamento? Para que lugar emito a passagem aérea?

Vai passar menos tempo?

Resumindo o que eu explico no post de como montar viagens à Europa, esses são os cinco passos para sua viagem ser um sucesso:

1 | Monte o roteiro primeiro, só depois compre a passagem

Isso vai evitar que você compre a passagem errada e perca tempo e dinheiro dando voltas desnecessárias.

2 | Compre passagem com ida e volta de cidades diferentes

Se você vai fazer uma viagem picadinha, compre a passagem de ida até o primeiro destino a ser efetivamente visitado, com volta do último destino a ser efetivamente visitado. Qualquer outra solução é ruim. Nenhuma economia de ir e voltar pela mesma cidade será tão grande quanto a que você imagina -- os trechos adicionais custam dinheiro, comem tempo e são uma fábrica de perrengues. Se você quer viajar a Fortaleza, por acaso compra passagem apenas até João Pessoa, só porque está mais barato? Ou: se você quisesse visitar Manaus e Foz do Iguaçu na mesma viagem, você compraria uma passagem de ida e volta até Brasília e para só depois resolver como fazer o resto do itinerário? Não vale a pena. Use a função "múltiplos destinos" ou "várias cidades" dos sites das cias. aéreas (ou no Viajanet) e emita a passagem certa.

3 | Considere cada dia de deslocamento como um dia meio perdido

Fechar a conta, mudar-se de cidade e se instalar em outro hotel tomam um tempo (e consomem uma energia) muito maior do que imaginamos. Para não se enganar, não leve em consideração o dia da chegada na sua conta de quantos dias ficar em cada lugar. Caso você esteja pensando em apenas um pernoite, veja se a cidade não cabe num bate-volta ou pit-stop -- sem carregar mala nem mudar de hotel, o seu tempo fica mais aproveitável e você faz a visita com mais pique.

4 | Programe uma seqüência de dias redondos e prazerosos

Dormir bem, mesmo em euro, é necessário para aproveitar bem o resto da viagem, que também está sendo paga em euro. Não estrague sua viagem com partidas freqüentes de madrugada. Com a boa intenção de "fazer o dia render mais", você acaba com a noite anterior, dorme sobressaltado, cabula o café e mina o seu organismo. Programe uma seqüência de dias redondos e prazerosos, não uma maratona autopunitiva.

5 | Foque no que você vai visitar e desapegue do que não vai dar pra ver

A Europa inteira não cabe numa viagem só. Um país inteiro também não. Faça uma forcinha e pratique o desapego com tudo o que não estiver no seu caminho -- e também com as dicas não-solicitadas de amigos e até de desconhecidos que farão você cogitar escalas e desvios que não cabem no tempo de que você dispõe. A Europa não vai sair do lugar -- e o conceito de "imperdível" costuma ser usado de um modo um pouco elástico demais por aí...

6 | Praia? Só vale a pena entre junho e setembro

Costa Amalfitana, Ilhas Gregas, Côte d'Azur, costa da Croácia, Algarve, Baleares, Sardenha: vá no verão. Junho e setembro são os melhores meses; julho é cheio; agosto é lotadaço (evite). Fora do verão, além do frio você vai encontrar muitos lugares fechados. (Uma ilha que pode ser visitada o ano inteiro é a Sicília -- fora do verão, há muito o que ver além da praia.)

  • 10 roteiros para viagens de 15 dias pela Europa

Existem mil e um bons itinerários pela Europa. Aqui vão 10 sugestões que combinam os destinos mais mencionados nas caixas de comentários do blog. Com exceção de um roteiro 100% italiano, todos os roteiros contemplam pelo menos dois países, atendendo ao desejo da maioria dos viajantes de misturar idiomas e culturas numa mesma viagem à Europa. Mais para a frente vou publicar posts como este, mas com roteiros dentro de um mesmo país.

Infelizmente nem eu nem a equipe do Viaje na Viagem temos condições de desenhar roteiros personalizados para cada leitor que nos pede. Mas você pode se basear nesses para criar o seu. Ao adaptar esses roteiros para a sua viagem, porém, procure respeitar o ritmo e o modo de execução. Eles são fundamentais para o sucesso do roteiro. Ignorar os 6 conselhos do início do texto só vai piorar a sua viagem. Acredite: são conselhos de quem já cometeu todos os erros possíveis, e que podem poupar você de micos e roubadas.

1 | Londres + Paris

Como assim? Você esperou a vida inteira para viajar à Europa e vem um cara na internet e manda você gastar 15 dias só entre Londres e Paris? Resolvi começar a lista por esse roteiro minimalista para reforçar que não é preciso pisar em 8 países em 15 dias para fazer uma superviagem à Europa. Uma combinação simplesinha de Londres e Paris deixa você íntimo das duas cidades mais ricas em atrações do continente. E nesses tempos de real desvalorizado, uma viagem deste tipo é mais econômica: você pode alugar apartamento, fazer algumas refeições em casa, aproveitar os passes de transporte público. Em Londres os museus são de graça; em Paris, flanar custa só a sola do sapato.

Execução: compre passagem aérea com ida a Londres e volta de Paris (ou vice-versa; deixe por último a cidade pela qual você tem maior expectativa. Use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou do Viajanet). Vá de trem entre as duas cidades. Partindo de Londres, compre em Eurostar (a partir de 6 meses de antecedência); de Paris, em SNCF (a partir de 120 dias de antecedência).

Variações: dá certo com qualquer dupla de grandes cidades. Se o tempo de trem entre os dois destinos que você escolher for superior a 6 ou 7 horas, vá de avião. Faça duas simulações: uma com o trecho entre as duas cidades incluído na passagem internacional desde o Brasil (sempre na modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou do Viajanet), e outra com o trecho "interno" comprado à parte (sites como Kayak e Skyscanner são ótimos para localizar esses vôos, inclindo low-costs).

2 | Madri + Florença + Munique

Esse é pra você que morreu de tédio com um roteiro aparentemente paradão (você que pensa!) como o de cima. Selecionei as três cidades que, na minha opinião, proporcionam a melhor variedade de passeios bate-volta da Europa, e juntei numa viagem só. Você saracoteia bastante, vai a três (ou quatro!) países, troca pouco de hotel e tem a garantia de estar em cidades com vida à noite.

De Madri, você pode tirar um dia para um bate-volta a Toledo (35 min. de trem, compre na Renfe a partir de 90 dias de antecedência), e outro para ir a Segóvia (28 min., compre Madrid-Chamartín a Segovia-Guiomar na Renfe a partir de 90 dias de antecedência) ou a Córdoba (1h45 min., compre na Renfe a partir de 90 dias de antecedência).

De Florença, dá para ir um dia a Pisa e Lucca (1h20 + 20 min. de trem, compre na hora), outro dia a Siena (1h de ônibus, compre na hora) e uma manhã ou tarde a San Gimignano (1h15 de ônibus, via Poggibonsi). Não esqueça de comprar com antecedência as entradas fura-fila da Galleria Uffizi e da Accademia.

De Munique, dá para ir um dia a Salzburg, na Áustria (1h45 de trem); outro a Füssen, onde está o "castelo da Cinderela" de Neuschwanstein (2h de trem), ou então a Garmisch-Partenkirschen, para ter uma experiência alpina (1h10 de trem). Qualquer uma dessas viagens pode ser feita com o Bayern Ticket, um passe diário que custa 25 euros para o primeiro usuário e 5 euros adicionais por passageiro (até um limite de 5 pessoas no grupo) e que dá direito a viagens em trens regionais a partir das 9h nos dias de semana e o dia inteiro nos fins de semana. Dá para comprar na hora. É preciso validar antes de subir no trem.

Execução: compre passagem aérea com ida a Madri e volta de Munique (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou do Viajanet). Compre os trechos internos nas low-cost Vueling (Madri-Florença) e Air Dolomiti (Florença-Munique) com a maior antecedência possível. Evite vôos antes das 10h para não estragar a noite anterior. Use o dia da chegada para passeio pelo centro histórico sem necessidade de ingresso ou hora marcada.

3 | Amsterdã + Bélgica + Paris

Um roteiro geograficamente consistente, que não desperdiça os deslocamentos. Chegue por Amsterdã e fique cinco noites.

De lá, pegue um trem a Antuérpia (2h23), deixe a mala no guarda-volumes, passeie pela cidade e siga no fim da tarde a Ghent (1h de trem), onde você passa duas noites. No dia seguinte, passa o dia em Bruges (25 min. de trem) e volte para a noite (bem mais animada) de Ghent. O terceiro dia na Bélgica vai ser passado num pit-stop em Bruxelas (35 min. de trem), seguindo viagem no fim da tarde a Paris (1h30 de trem).

Em Paris serão 8 noites (apenas 7 dias aproveitáveis, já que chegará já à noite no primeiro dia).

Execução: compre passagem aérea com ida a Amsterdã e volta de Paris (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Compre Amsterdã-Antuérpia na HS Hispeed e Antuérpia-Ghent (Antwerpen-Gent Sint Peters) na B-Rail, a partir de 60 dias de antecedência. Compre Ghent-Bruges-Ghent e Ghent-Bruxelas na hora. Compre Bruxelas-Paris no Thalys a partir de 120 dias de antecedência.

4 | Barcelona + Praga + Berlim

Este roteiro junta três das cidades mais vibrantes da Europa, cheias de gente jovem e com preços relativamente em conta. Eu alocaria quatro dias para Praga; escolheria, entre Barcelona e Berlim, uma cidade para ficar cinco dias e outra para ficar seis.

Execução: compre passagem aérea com ida a Barcelona e volta de Berlim (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Orce Barcelona-Praga de duas maneiras: uma, usando a modalidade "múltiplos destinos" (integrando este trecho à viagem desde o Brasil) e outra, pesquisando o preço do vôo avulso (use Kayak ou Skyscanner). De Praga a Berlim, vá de trem; compre na Deutsche Bahn a partir de 90 dias de antecedência.

Variações: substitua quaisquer das três cidades por Lisboa ou Amsterdã.

5 | Lisboa + Andaluzia + Madri

Muita gente acha que dá pra fazer a Península Ibérica inteira em duas semanas, mas seria uma correria em vão. É melhor selecionar os destinos e voltar outras vezes.

Recomendo 5 dias em Lisboa (com um bate-volta de dia inteiro a Sintra, outro de meio dia a Cascais). De lá, ônibus (6h30) ou avião (1h) a Sevilha, para ficar três noites. A seguir ônibus (3h) a Granada, para duas noites (elsa.es). De lá, trem (2h30) para um pit-stop em Córdoba, prosseguindo no fim da tarde de trem a Madri (1h45), para as cinco noites finais.

Execução: compre passagem aérea com ida a Lisboa e volta de Madri (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Compre o ônibus Lisboa-Sevilha na aba internacional da Alsa, alguns dias antes da viagem. Caso vá de avião, orce o trecho Lisboa-Sevilha de duas maneiras: uma, usando a modalidade "múltiplos destinos" (integrando este trecho à viagem desde o Brasil) e outra, pesquisando o preço do vôo avulso (use Kayak ou Skyscanner). Compre o ônibus Sevilha-Granada na aba nacional da Alsa, alguns dias antes da viagem. Compre os trechos de trem Granada-Córdoba e Córdoba-Madri separadamente na Renfe, a partir de 90 dias de antecedência.

6 | Roma + Florença + Veneza + Milão

Somando as notas dos quesitos história, arte, gastronomia, paisagem e estilo de vida, é bem difícil outro país europeu superar a Itália. São tantos lugares para visitar, que em duas semanas só cabe o roteiro mais básico.

Comece com cinco dias em Roma; num dos dias, faça um bate-volta a Nápoles e Pompéia. Suba de trem a Florença (1h20), para cinco noites. Vá um dia a Pisa e Lucca (1h20 + 20 min. de trem), outro dia a Siena (1h de ônibus) e uma manhã ou tarde a San Gimignano (1h15 de ônibus, via Poggibonsi). Siga de trem (2h) a Veneza, para três noites. Faça um pit-stop em Verona (1h de trem) e siga no fim da tarde a Milão (1h20 de trem), para as últimas duas noites.

Execução: compre passagem aérea com ida a Roma e volta de Milão (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Compre as passagens Roma-Nápoles-Roma, Roma-Florença, Florença-Veneza, Veneza-Verona e Verona-Milão na Trenitalia a partir de 90 dias de antecedência. Compre as demais passagens na hora. Não esqueça de comprar com antecedência as entradas fura-fila da Galleria Uffizi e da Accademia em Florença, a subida à Torre de Pisa e também da Última Ceia de Da Vinci em Milão.

Variações: neste roteiro acima, dá para subir de Roma a Florença com um pit stop em Assis (leia aqui). Outra opção é encaixar a Toscana de carro. Neste caso, fique só quatro noites em Roma. Vá de trem a Florença, fique duas noites (tire uma tarde para ir a Pisa). Pegue um carro e faça a estrada Chiantigiana a caminho de Siena ou arredores, onde você vai passar quatro noites. Tire um dia para visitar Siena, outro para fazer o Val d'Orcia e outro para ir a Cortona. Passe em San Gimignano antes de devolver o carro em Florença e seguir de trem conforme o roteiro acima. Orce o carro em consolidadores como nosso parceiro Rentalcars.

7 | Suíça + Itália

É possível encaixar a minha fórmula básica da Suíça (uma cidade beira-lago + uma cidade de montanha + Berna + trem panorâmico) e acoplar à fórmula básica da Itália.

Desembarque em Zurique e já pegue o próximo trem para Lucerna (50 min.), onde vai passar três noites. No segundo dia, faça um bate-volta a Interlaken (2h de trem) para subir ao Top of Europe (Jungfraujoch). No terceiro dia, passe a tarde em Berna (1h de trem). No quarto dia, pegue a rota do Wilhelm Tell Express, que combina barco e trem panorâmico até Lugano (entre 4h e 5h, dependendo das conexões), onde você pega a próxima a Milão (1h20 de trem), para passar duas noites.

De Milão, faça um pit-stop em Verona (1h20 de trem) e siga no meio da tarde a Veneza (1h de trem), onde você fica três noites. Depois vá a Florença (2h de trem), para quatro noites. Vá um dia a Siena (1h de ônibus), outro dia a Pisa e San Gimignano (1h20 de trem a Pisa, 1h30 de trem a Poggibonsi via Empoli, 15 min. de ônibus a San Gimignano, 1h15 de ônibus a Florença via Poggibonsi). Termine com três dias em Roma.

Execução: compre passagem aérea com ida a Zurique e volta de Roma (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Compre um Swiss Pass de 4 dias (pode ser na própria estação de trem de Zurique; o preço não muda). Na Suíça, você só vai precisar pagar o suplemento para o Jungfraujoch (para fazer a travessia Lucerna-Flüelen-Lugano de barco e trem, dá para ir na segunda classe do barco e pegar o trem convencional, que não haverá prejuízo). Compre a passagem Lugano-Milão na SBB, Milão-Verona, Verona-Veneza, Veneza-Florença e Florença-Roma na Trenitalia, a partir de 90 dias de antecedência. As passagens dos bate-voltas a partir de Florença você pode comprar na hora. Não esqueça de comprar com antecedência as entradas fura-fila da Galleria Uffizi e da Accademia em Florença, a subida à Torre de Pisa e também da Última Ceia de Da Vinci em Milão.

Compre as passagens Roma-Nápoles-Roma, Roma-Florença, Florença-Veneza, Veneza-Verona e Verona-Milão na Trenitalia a partir de 90 dias de antecedência. Compre as demais passagens na hora. Não esqueça de comprar com antecedência as entradas fura-fila da Galleria Uffizi e da Accademia em Florença e também da Última Ceia de Da Vinci em Milão.

Variações: você pode substituir a rota do Wilhelm Tell Express pela rota do Bernina Express, para mim a mais bonita entre as rotas panorâmicas suíças. Neste caso, pegue o trem das 9h35 a Chur via Thalwil (2h10) e siga nos trens regionais a St.-Moritz e Tirano (5h). De Tirano você segue de trem (2h) a Milão. Se você tem Swiss Pass, não precisa pagar suplemento para andar no trem convencional. A passagem para Milão você pode comprar na hora. Caso possa aumentar um dia de viagem, fique um dia a mais em Roma para fazer o bate-volta a Nápoles e Pompéia.Compre a passagens Roma-Nápoles-Roma na Trenitalia a partir de 90 dias de antecedência. Compre a passagem a Pompéia na hora.

8 | Budapeste + Viena + Praga + Berlim[

Uma viagem intensa pelas capitais da Europa Central.

Fique três noites em Budapeste. Siga de trem (2h40) a Viena, para quatro noites; faça um bate-volta a Bratislava (1h de trem). Continue de trem a Praga (4h15), fique três noites. Faça um pit-stop em Dresden (2h15 de trem) e siga no fim do dia a Berlim (2h10), para as últimas cinco noites.

Execução: compre passagem aérea com ida a Budapeste e volta de Berlim (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Compre a passagem Budapeste-Viena ao chegar. Compre Viena-Praga na ÖBB e Praga-Dresden-Berlim na Deutsche Bahn a partir de 90 dias de antecedência (veja aqui).

Variação: tirando um dia de Berlim e acrescentando em Praga, você pode fazer o trajeto Viena-Praga com um pit stop em Cesky Krumlov, com as vans da Bean Shuttles. Compre Viena-Cesky Krumlov (3h30) para as 8h e Cesky Krumlov-Praga (3h) para as 17h. Guarde as malas no Infocenter enquanto estiver na cidade.

9 | Barcelona + Provence + Paris

Muita gente gostaria de fazer esta viagem de carro, mas existe um empecilho: pegar carro num país e entregar no outro faz incorrer altas sobretaxas. O melhor é atravessar de trem, aproveitando o novo TGV entre a Catalunha e a França, e alugar carro já na Provence.

Passe os primeiros quatro dias em Barcelona. Vá de trem a Aix-en-Provence (4h20), para uma noite. No dia seguinte, alugue um carro e vá para uma base no Lubéron (Gordes, Lourmarin, Bonnieux, Ménerbes ou Roussillon), que é a Provence que você tem na cabeça. Passe quatro noites: dois dias para esquadrinhar com calma o Lubéron e nos outros faça bate-voltas a Les-Baux + St.-Rémy e Gorges du Verdon. No dia da saída, siga cedo o carro em Avignon, guarde as malas na estação, passeie pela cidade e no fim do dia siga de trem a Paris (2h45) para as últimas seis noites.

Execução: compre passagem aérea com ida a Barcelona e volta de Paris (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Compre Barcelona--Aix) e Avignon-Paris na SNCF a partir de 120 dias de antecedência. Orce o carro em consolidadores como nosso parceiro Rentalcars.

10 | Quaisquer três grandes cidades, à sua escolha

Do mesmo jeito que eu fiz no roteiro número 2, combinando três cidades sem nenhuma ligação óbvia, você também pode fazer sua própria combinação.

Execução: compre passagem aérea com ida à primeira cidade e volta da última (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Orce os trechos internos de duas maneiras: uma, usando a modalidade "múltiplos destinos" (integrando este trecho à viagem desde o Brasil) e outra, pesquisando o preço do vôo avulso (use Kayak ou Skyscanner).

Mais roteiros pela Europa (incluindo viagens de leitores):

161 comentários

Eliana Linhares Pivatto

Já fomos algumas vezes para Europa por isso pensamos em fazer cusades como Budapeste e Viena e esticar até a Turquia.
É muito complicado? O que acham?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Eliana!

A Turkish voa para todas as capitais. Compre uma passagem multidestinos.

Marina
MarinaPermalinkResponder

Olá! Conforme indicado no post acima, no roteiro Amsterdã-Bélgica-Paris, em "Compre Amsterdã-Antuérpia na HS Hispeed e Antuérpia-Ghent (Antwerpen-Gent Sint Peters) na B-Rail, a partir de 60 dias de antecedência.", fui tentar comprar o trecho Antuérpia-Ghent na B-Rail, mas não consigo, sempre dá um erro no site. Mas pesquisando no site do VnV, achei o post "Trem entre Holanda e Bélgica" e entendi que é possível comprar o Intercity Direct entre Antuérpia-Ghent na hora, é isso mesmo? Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marina! Sim. A tarifa entre Antuérpia e Ghent não varia. Mas a gente precisa atualizar aquele post também porque desde março os trens internacionais entre Holanda e Bélgica têm desconto para compra antecipada. Então o trecho Amsterdã-Antuérpia é para comprar antes, sim. Caso você faça Antuérpia apenas como pit-stop, seguindo viagem no mesmo dia para Ghent, pode comprar direto a passagem Amsterdã-Ghent, porque a rota é por Antuérpia mesmo.

Maria
MariaPermalinkResponder

Oi smile estou começando a planejar uma viagem pra europa em maio de 2019, mas estou com dificuldade de ver qual melhor forma de locomoção dentro dos países e nem a ordem do roteiro :/

alguém pode me dar um help nisso aqui? trem é mais caro, mas é mais fácil? avião encarece muito? tem a opção de bus?

BRASIL - BARCELONA
BARCELONA - PARIS
PARIS - AMSTERDAM
AMSTERDAM - BERLIM
BERLIM - BRASIL

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria! Passagem multidestinos, ida Brasil-Barcelona, volta Berlim-Brasil. Trem nos outros trechos. Ônibus é mais barato, mas é muito ruim.

Liane
LianePermalinkResponder

Ola! Tô pesquisando também p 2019, e tô com uma dúvida, a parte Barcelona-Paris vale a pena fazer de trem ou é melhor de avião? Obg

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Liane! Já dá para fazer de trem, são 6 horas de viagem e você sai e chega no centro das cidades. Compre com 3 meses de antecedência para conseguir a menor tarifa.

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

A ideia de bases é perfeita, e gosto de viajar com calma, menos lugares, descobrindo o que cada um tem de melhor, amo independência nas viagens. Ricardo se possível gostaria de uma sugestão sua para conhecer o litoral da Espanha com os vilarejos medievais e uma ou 2 cidades maiores, em um período de 20 dias. Quero ir em setembro e fazer uma viagem econômica, mas com coerência e poucos perrengues. Viajo sempre com mala de mão e uma mochila a tiracolo, fico em hostels e aproveito ao máximo o transporte público local. Não me atraio por gastronomia, compras e hospedagens caras, viajo para ver a natureza, fazer mergulhos livres, snorkel, trilhas, pôr e nascer do sol, mirantes, ver animais em seu habitat, ver arquitetura antiga, museus, centro culturais, parques e jardins, bairros interessantes, rios, pontes, enfim, também gosto de me perder nas ruas das cidades. Obrigada! Um grande abraço, seu site é maravilhoso.

Alice
AlicePermalinkResponder

Olá! Estou começando a Planejar minha viagem e quero conhecer Amsterdã, Londres, Paris e Portugal. Não sei se inicio por Portugal ou por Amsterdã. Estava pesquisando algumas passagens e observei que a passagem de Ida saindo de Fortaleza para Portugal faz escala em Amsterdã ou em Paris. Será que vale a Pena por exemplo eu comprar a passagem de Ida e volta para um destino só Amsterdã ou Paris e ir para Portugal de trem?

Martha
MarthaPermalinkResponder

Boa noite, estou vendo uma passagem do Rio para Paris, com parada em Porto (Portugal). A entrada no país é por Lisboa, você acha que 2:30h é um tempo bom para alfândega / migração? Ou coloco mais tempo? As passagens são da TAP mas corro o risco de perder a conexão ou não? Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Martha! Não entendi. Você vai de Lisboa para o Porto e do Porto para Paris? O intervalo de duas horas e meia é em Lisboa ou no Porto? Se for em Lisboa para ir ao Porto, não tem problema, porque há inúmeros vôos de Lisboa para o Porto ao longo do dia e a Tap encaixa você no próximo se o avião atrasar e você perder a conexão.

Marcos
MarcosPermalinkResponder

Estou planejando uma viagem para Mario/19 para Itália e França.
Pensando em fazer Brasil-Roma, com stopover em Lisboa (2 ou 3 noites). Na Itália fazer o roteiro Roma + Florença + Veneza + Milão e de Milão para Paris-Brasil.
Acha um roteiro plausível, que dê para usar trem internamente?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcos! De Milão a Paris vá de avião.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar