Europa: 10 roteiros de 15 dias prontos para usar

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Paris roteiros Europa

Eu costumo dizer que qualquer viagem à Europa é como se fosse a primeira. Se o roteiro incluir lugares novos, as mesmas perguntas voltarão à baila: quantos dias em cada lugar? Quais os meios de deslocamento? Para que lugar emito a passagem aérea?

Vai passar menos tempo?

Resumindo o que eu explico no post de como montar viagens à Europa, esses são os cinco passos para sua viagem ser um sucesso:

1 | Monte o roteiro primeiro, só depois compre a passagem

Isso vai evitar que você compre a passagem errada e perca tempo e dinheiro dando voltas desnecessárias.

2 | Compre passagem com ida e volta de cidades diferentes

Se você vai fazer uma viagem picadinha, compre a passagem de ida até o primeiro destino a ser efetivamente visitado, com volta do último destino a ser efetivamente visitado. Qualquer outra solução é ruim.

Nenhuma economia de ir e voltar pela mesma cidade será tão grande quanto a que você imagina -- os trechos adicionais custam dinheiro, comem tempo e são uma fábrica de perrengues. Se você quer viajar a Fortaleza, por acaso compra passagem apenas até João Pessoa, só porque está mais barato? Ou: se você quisesse visitar Manaus e Foz do Iguaçu na mesma viagem, você compraria uma passagem de ida e volta até Brasília e para só depois resolver como fazer o resto do itinerário? Não vale a pena.

Use a função "múltiplos destinos" ou "várias cidades" dos sites das cias. aéreas (ou no Viajanet) e emita a passagem certa.

3 | Considere cada dia de deslocamento como um dia meio perdido

Fechar a conta, mudar-se de cidade e se instalar em outro hotel tomam um tempo (e consomem uma energia) muito maior do que imaginamos. Para não se enganar, não leve em consideração o dia da chegada na sua conta de quantos dias ficar em cada lugar.

Caso você esteja pensando em apenas um pernoite, veja se a cidade não cabe num bate-volta ou pit-stop -- sem carregar mala nem mudar de hotel, o seu tempo fica mais aproveitável e você faz a visita com mais pique.

4 | Programe uma seqüência de dias redondos e prazerosos

Dormir bem, mesmo em euro, é necessário para aproveitar bem o resto da viagem, que também está sendo paga em euro. Não estrague sua viagem com partidas freqüentes de madrugada.

Com a boa intenção de "fazer o dia render mais", você acaba com a noite anterior, dorme sobressaltado, cabula o café e mina o seu organismo. Programe uma seqüência de dias redondos e prazerosos, não uma maratona autopunitiva.

5 | Foque no que você vai visitar e desapegue do que não vai dar pra ver

A Europa inteira não cabe numa viagem só. Um país inteiro também não. Faça uma forcinha e pratique o desapego com tudo o que não estiver no seu caminho -- e também com as dicas não-solicitadas de amigos e até de desconhecidos que farão você cogitar escalas e desvios que não cabem no tempo de que você dispõe.

A Europa não vai sair do lugar -- e o conceito de "imperdível" costuma ser usado de um modo um pouco elástico demais por aí...

6 | Praia? Só vale a pena entre junho e setembro

Costa Amalfitana, Ilhas Gregas, Côte d'Azur, costa da Croácia, Algarve, Baleares, Sardenha: vá no verão. Junho e setembro são os melhores meses; julho é cheio; agosto é lotadaço (evite). Fora do verão, além do frio você vai encontrar muitos lugares fechados. (Uma ilha que pode ser visitada o ano inteiro é a Sicília -- fora do verão, há muito o que ver além da praia.)

Não esqueça de comprar seguro viagem antes de embarcar. Pesquise opções com nosso parceiro Mondial Assistance.

10 roteiros para viagens de 15 dias pela Europa

Existem mil e um bons itinerários pela Europa. Aqui vão 10 sugestões que combinam os destinos mais mencionados nas caixas de comentários do blog.

Com exceção de um roteiro 100% italiano, todos os roteiros contemplam pelo menos dois países, atendendo ao desejo da maioria dos viajantes de misturar idiomas e culturas numa mesma viagem à Europa. Mais para a frente vou publicar posts como este, mas com roteiros dentro de um mesmo país.

Infelizmente nem eu nem a equipe do Viaje na Viagem temos condições de desenhar roteiros personalizados para cada leitor que nos pede. Mas você pode se basear nesses para criar o seu.

Ao adaptar esses roteiros para a sua viagem, porém, procure respeitar o ritmo e o modo de execução. Eles são fundamentais para o sucesso do roteiro. Ignorar os 6 conselhos do início do texto só vai piorar a sua viagem. Acredite: são conselhos de quem já cometeu todos os erros possíveis, e que podem poupar você de micos e roubadas.

1 | Londres + Paris

Como assim? Você esperou a vida inteira para viajar à Europa e vem um cara na internet e manda você gastar 15 dias só entre Londres e Paris? Resolvi começar a lista por esse roteiro minimalista para reforçar que não é preciso pisar em 8 países em 15 dias para fazer uma superviagem à Europa. Uma combinação simplesinha de Londres e Paris deixa você íntimo das duas cidades mais ricas em atrações do continente.

E nesses tempos de real desvalorizado, uma viagem deste tipo é mais econômica: você pode alugar apartamento, fazer algumas refeições em casa, aproveitar os passes de transporte público. Em Londres os museus são de graça; em Paris, flanar custa só a sola do sapato.

Execução: compre passagem aérea com ida a Londres e volta de Paris (ou vice-versa; deixe por último a cidade pela qual você tem maior expectativa. Use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou do Viajanet). Vá de trem entre as duas cidades. Partindo de Londres, compre em Eurostar (a partir de 6 meses de antecedência); de Paris, em SNCF (a partir de 120 dias de antecedência).

Variações: dá certo com qualquer dupla de grandes cidades. Se o tempo de trem entre os dois destinos que você escolher for superior a 6 ou 7 horas, vá de avião.

Faça duas simulações: uma com o trecho entre as duas cidades incluído na passagem internacional desde o Brasil (sempre na modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou do Viajanet), e outra com o trecho "interno" comprado à parte (sites como Kayak e Skyscanner são ótimos para localizar esses vôos, inclindo low-costs).

2 | Madri + Florença + Munique

Esse é pra você que morreu de tédio com um roteiro aparentemente paradão (você que pensa!) como o de cima. Selecionei as três cidades que, na minha opinião, proporcionam a melhor variedade de passeios bate-volta da Europa, e juntei numa viagem só. Você saracoteia bastante, vai a três (ou quatro!) países, troca pouco de hotel e tem a garantia de estar em cidades com vida à noite.

De Madri, você pode tirar um dia para um bate-volta a Toledo (35 min. de trem, compre na Renfe a partir de 90 dias de antecedência), e outro para ir a Segóvia (28 min., compre Madrid-Chamartín a Segovia-Guiomar na Renfe a partir de 90 dias de antecedência) ou a Córdoba (1h45 min., compre na Renfe a partir de 90 dias de antecedência).

De Florença, dá para ir um dia a Pisa e Lucca (1h20 + 20 min. de trem, compre na hora), outro dia a Siena (1h de ônibus, compre na hora) e uma manhã ou tarde a San Gimignano (1h15 de ônibus, via Poggibonsi). Não esqueça de comprar com antecedência as entradas fura-fila da Galleria Uffizi e da Accademia.

De Munique, dá para ir um dia a Salzburg, na Áustria (1h45 de trem); outro a Füssen, onde está o "castelo da Cinderela" de Neuschwanstein (2h de trem), ou então a Garmisch-Partenkirschen, para ter uma experiência alpina (1h10 de trem). Qualquer uma dessas viagens pode ser feita com o Bayern Ticket, um passe diário que custa 25 euros para o primeiro usuário e 5 euros adicionais por passageiro (até um limite de 5 pessoas no grupo) e que dá direito a viagens em trens regionais a partir das 9h nos dias de semana e o dia inteiro nos fins de semana. Dá para comprar na hora. É preciso validar antes de subir no trem.

Execução: compre passagem aérea com ida a Madri e volta de Munique (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou do Viajanet). Compre os trechos internos nas low-cost Vueling (Madri-Florença) e Air Dolomiti (Florença-Munique) com a maior antecedência possível. Evite vôos antes das 10h para não estragar a noite anterior. Use o dia da chegada para passeio pelo centro histórico sem necessidade de ingresso ou hora marcada.

3 | Amsterdã + Bélgica + Paris

Um roteiro geograficamente consistente, que não desperdiça os deslocamentos. Chegue por Amsterdã e fique cinco noites.

De lá, pegue um trem a Antuérpia (2h23), deixe a mala no guarda-volumes, passeie pela cidade e siga no fim da tarde a Ghent (1h de trem), onde você passa duas noites. No dia seguinte, passa o dia em Bruges (25 min. de trem) e volte para a noite (bem mais animada) de Ghent. O terceiro dia na Bélgica vai ser passado num pit-stop em Bruxelas (35 min. de trem), seguindo viagem no fim da tarde a Paris (1h30 de trem).

Em Paris serão 8 noites (apenas 7 dias aproveitáveis, já que chegará já à noite no primeiro dia).

Execução: compre passagem aérea com ida a Amsterdã e volta de Paris (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Compre Amsterdã-Antuérpia na HS Hispeed e Antuérpia-Ghent (Antwerpen-Gent Sint Peters) na B-Rail, a partir de 60 dias de antecedência. Compre Ghent-Bruges-Ghent e Ghent-Bruxelas na hora. Compre Bruxelas-Paris no Thalys a partir de 120 dias de antecedência.

4 | Barcelona + Praga + Berlim

Este roteiro junta três das cidades mais vibrantes da Europa, cheias de gente jovem e com preços relativamente em conta. Eu alocaria quatro dias para Praga; escolheria, entre Barcelona e Berlim, uma cidade para ficar cinco dias e outra para ficar seis.

Execução: compre passagem aérea com ida a Barcelona e volta de Berlim (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Orce Barcelona-Praga de duas maneiras: uma, usando a modalidade "múltiplos destinos" (integrando este trecho à viagem desde o Brasil) e outra, pesquisando o preço do vôo avulso (use Kayak ou Skyscanner). De Praga a Berlim, vá de trem; compre na Deutsche Bahn a partir de 90 dias de antecedência.

Variações: substitua quaisquer das três cidades por Lisboa ou Amsterdã.

5 | Lisboa + Andaluzia + Madri

Muita gente acha que dá pra fazer a Península Ibérica inteira em duas semanas, mas seria uma correria em vão. É melhor selecionar os destinos e voltar outras vezes.

Recomendo 5 dias em Lisboa (com um bate-volta de dia inteiro a Sintra, outro de meio dia a Cascais). De lá, ônibus (6h30) ou avião (1h) a Sevilha, para ficar três noites. A seguir ônibus (3h) a Granada, para duas noites (elsa.es). De lá, trem (2h30) para um pit-stop em Córdoba, prosseguindo no fim da tarde de trem a Madri (1h45), para as cinco noites finais.

Execução: compre passagem aérea com ida a Lisboa e volta de Madri (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Compre o ônibus Lisboa-Sevilha na aba internacional da Alsa, alguns dias antes da viagem. Caso vá de avião, orce o trecho Lisboa-Sevilha de duas maneiras: uma, usando a modalidade "múltiplos destinos" (integrando este trecho à viagem desde o Brasil) e outra, pesquisando o preço do vôo avulso (use Kayak ou Skyscanner).

Compre o ônibus Sevilha-Granada na aba nacional da Alsa, alguns dias antes da viagem. Compre os trechos de trem Granada-Córdoba e Córdoba-Madri separadamente na Renfe, a partir de 90 dias de antecedência.

6 | Roma + Florença + Veneza + Milão

Somando as notas dos quesitos história, arte, gastronomia, paisagem e estilo de vida, é bem difícil outro país europeu superar a Itália. São tantos lugares para visitar, que em duas semanas só cabe o roteiro mais básico.

Comece com cinco dias em Roma; num dos dias, faça um bate-volta a Nápoles e Pompéia. Suba de trem a Florença (1h20), para cinco noites. Vá um dia a Pisa e Lucca (1h20 + 20 min. de trem), outro dia a Siena (1h de ônibus) e uma manhã ou tarde a San Gimignano (1h15 de ônibus, via Poggibonsi). Siga de trem (2h) a Veneza, para três noites. Faça um pit-stop em Verona (1h de trem) e siga no fim da tarde a Milão (1h20 de trem), para as últimas duas noites.

Execução: compre passagem aérea com ida a Roma e volta de Milão (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Compre as passagens Roma-Nápoles-Roma, Roma-Florença, Florença-Veneza, Veneza-Verona e Verona-Milão na Trenitalia a partir de 90 dias de antecedência. Compre as demais passagens na hora. Não esqueça de comprar com antecedência as entradas fura-fila da Galleria Uffizi e da Accademia em Florença, a subida à Torre de Pisa e também da Última Ceia de Da Vinci em Milão.

Variações: neste roteiro acima, dá para subir de Roma a Florença com um pit stop em Assis (leia aqui). Outra opção é encaixar a Toscana de carro. Neste caso, fique só quatro noites em Roma. Vá de trem a Florença, fique duas noites (tire uma tarde para ir a Pisa). Pegue um carro e faça a estrada Chiantigiana a caminho de Siena ou arredores, onde você vai passar quatro noites. Tire um dia para visitar Siena, outro para fazer o Val d'Orcia e outro para ir a Cortona. Passe em San Gimignano antes de devolver o carro em Florença e seguir de trem conforme o roteiro acima. Orce o carro em consolidadores como nosso parceiro Rentalcars.

7 | Suíça + Itália

É possível encaixar a minha fórmula básica da Suíça (uma cidade beira-lago + uma cidade de montanha + Berna + trem panorâmico) e acoplar à fórmula básica da Itália.

Desembarque em Zurique e já pegue o próximo trem para Lucerna (50 min.), onde vai passar três noites. No segundo dia, faça um bate-volta a Interlaken (2h de trem) para subir ao Top of Europe (Jungfraujoch). No terceiro dia, passe a tarde em Berna (1h de trem). No quarto dia, pegue a rota do Wilhelm Tell Express, que combina barco e trem panorâmico até Lugano (entre 4h e 5h, dependendo das conexões), onde você pega a próxima a Milão (1h20 de trem), para passar duas noites.

De Milão, faça um pit-stop em Verona (1h20 de trem) e siga no meio da tarde a Veneza (1h de trem), onde você fica três noites. Depois vá a Florença (2h de trem), para quatro noites. Vá um dia a Siena (1h de ônibus), outro dia a Pisa e San Gimignano (1h20 de trem a Pisa, 1h30 de trem a Poggibonsi via Empoli, 15 min. de ônibus a San Gimignano, 1h15 de ônibus a Florença via Poggibonsi). Termine com três dias em Roma.

Execução: compre passagem aérea com ida a Zurique e volta de Roma (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Compre um Swiss Pass de 4 dias (pode ser na própria estação de trem de Zurique; o preço não muda). Na Suíça, você só vai precisar pagar o suplemento para o Jungfraujoch (para fazer a travessia Lucerna-Flüelen-Lugano de barco e trem, dá para ir na segunda classe do barco e pegar o trem convencional, que não haverá prejuízo).

Compre a passagem Lugano-Milão na SBB, Milão-Verona, Verona-Veneza, Veneza-Florença e Florença-Roma na Trenitalia, a partir de 90 dias de antecedência. As passagens dos bate-voltas a partir de Florença você pode comprar na hora. Não esqueça de comprar com antecedência as entradas fura-fila da Galleria Uffizi e da Accademia em Florença, a subida à Torre de Pisa e também da Última Ceia de Da Vinci em Milão.

Compre as passagens Roma-Nápoles-Roma, Roma-Florença, Florença-Veneza, Veneza-Verona e Verona-Milão na Trenitalia a partir de 90 dias de antecedência. Compre as demais passagens na hora. Não esqueça de comprar com antecedência as entradas fura-fila da Galleria Uffizi e da Accademia em Florença e também da Última Ceia de Da Vinci em Milão.

Variações: você pode substituir a rota do Wilhelm Tell Express pela rota do Bernina Express, para mim a mais bonita entre as rotas panorâmicas suíças. Neste caso, pegue o trem das 9h35 a Chur via Thalwil (2h10) e siga nos trens regionais a St.-Moritz e Tirano (5h). De Tirano você segue de trem (2h) a Milão.

Se você tem Swiss Pass, não precisa pagar suplemento para andar no trem convencional. A passagem para Milão você pode comprar na hora. Caso possa aumentar um dia de viagem, fique um dia a mais em Roma para fazer o bate-volta a Nápoles e Pompéia.Compre a passagens Roma-Nápoles-Roma na Trenitalia a partir de 90 dias de antecedência. Compre a passagem a Pompéia na hora.

8 | Budapeste + Viena + Praga + Berlim

Uma viagem intensa pelas capitais da Europa Central.

Fique três noites em Budapeste. Siga de trem (2h40) a Viena, para quatro noites; faça um bate-volta a Bratislava (1h de trem). Continue de trem a Praga (4h15), fique três noites. Faça um pit-stop em Dresden (2h15 de trem) e siga no fim do dia a Berlim (2h10), para as últimas cinco noites.

Execução: compre passagem aérea com ida a Budapeste e volta de Berlim (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Compre a passagem Budapeste-Viena ao chegar. Compre Viena-Praga na ÖBB e Praga-Dresden-Berlim na Deutsche Bahn a partir de 90 dias de antecedência (veja aqui).

Variação: tirando um dia de Berlim e acrescentando em Praga, você pode fazer o trajeto Viena-Praga com um pit stop em Cesky Krumlov, com as vans da Bean Shuttles. Compre Viena-Cesky Krumlov (3h30) para as 8h e Cesky Krumlov-Praga (3h) para as 17h. Guarde as malas no Infocenter enquanto estiver na cidade.

9 | Barcelona + Provence + Paris

Muita gente gostaria de fazer esta viagem de carro, mas existe um empecilho: pegar carro num país e entregar no outro faz incorrer altas sobretaxas. O melhor é atravessar de trem, aproveitando o novo TGV entre a Catalunha e a França, e alugar carro já na Provence.

Passe os primeiros quatro dias em Barcelona. Vá de trem a Aix-en-Provence (4h20), para uma noite. No dia seguinte, alugue um carro e vá para uma base no Lubéron (Gordes, Lourmarin, Bonnieux, Ménerbes ou Roussillon), que é a Provence que você tem na cabeça. Passe quatro noites: dois dias para esquadrinhar com calma o Lubéron e nos outros faça bate-voltas a Les-Baux + St.-Rémy e Gorges du Verdon. No dia da saída, siga cedo o carro em Avignon, guarde as malas na estação, passeie pela cidade e no fim do dia siga de trem a Paris (2h45) para as últimas seis noites.

Execução: compre passagem aérea com ida a Barcelona e volta de Paris (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Compre Barcelona--Aix) e Avignon-Paris na SNCF a partir de 120 dias de antecedência. Orce o carro em consolidadores como nosso parceiro Rentalcars.

10 | Quaisquer três grandes cidades, à sua escolha

Do mesmo jeito que eu fiz no roteiro número 2, combinando três cidades sem nenhuma ligação óbvia, você também pode fazer sua própria combinação.

Execução: compre passagem aérea com ida à primeira cidade e volta da última (use a modalidade "múltiplos destinos" dos sites das cias. aéreas ou no Viajanet). Orce os trechos internos de duas maneiras: uma, usando a modalidade "múltiplos destinos" (integrando este trecho à viagem desde o Brasil) e outra, pesquisando o preço do vôo avulso (use Kayak ou Skyscanner).

Mais roteiros pela Europa (incluindo viagens de leitores):

472 comentários

Lutcho Couto
Lutcho CoutoPermalinkResponder

Olá. Estou programando viagem à Europa para novembro e vou aproveitar o roteiro número 3 que vocês apresentaram. Tenho uma dúvida relativa a dólar. Guardo algumas cédulas mais antigas de US$100 conhecidas como "carinhas" e não tenho certeza se ainda são aceitas na Europa. Gostaria de saber se posso trocá-las nos países que visitarei ou seria melhor tentar trocá-las no Brasil, caso sejam aceitas nos bancos ou casas de câmbio. Obrigado pela atenção.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Lutcho! Essas notas são perfeitamente válidas. Algumas casas de câmbio, em qualquer lugar do mundo, inclusive aqui, podem se aproveitar do cliente e pagar menos alegando boatos. Se quiser ter certeza de trocar essas notas pelo valor de face, gaste nos Estados Unidos.

Lutcho Couto
Lutcho CoutoPermalinkResponder

Fico mais tranquilo com a informação. Muito obrigado, Bóia.

Claudia Aparecida Ferreira

Olá! Minha primeira viagem para a Europa. Quero algumas dicas sobre Portugal, Espanha e Itália o que é possível fazer em 20 dias? Quando seria melhor janeiro ou março?

Valéria
ValériaPermalinkResponder

Olá! Estou planejando minha primeira viagem para Europa saindo dia 17/07/2019, fazendo 15 a 20 dias. Rascunhando um roteiro seria Sp/Roma 5 dias com passagem para Vaticano, de Roma para Paris pesei em trem (correto?) 3 dias lá, aí de trem para Londres 5 dias, aí para Bremer na Alemanha (low cost ou trem?) 3 dias (no segundo dia pensei em conhecer Copenhague, é possível?), aí Berlim 1 dia e voltaria para SP. Estou no caminho certo? Grata.

Marta Gentil
Marta GentilPermalinkResponder

Olá, tudo bem?
Uma amiga e eu estamos planejando fazer o Leste Europeu, em maio ou outubro 2020. Porém ambas já conhecemos Praga, e já fomos para Berlim.Pensamos então de fazer Budapeste/Viena/Bratislava e gostaríamos de fazer Croácia. Você acha viável? Ou trocaria alguma coisa? Outra dúvida é por onde entrar.E quantos dias para fazer isso.Parabéns pelo trabalho.Obrigada

Fabiola Rubim
Fabiola RubimPermalinkResponder

Estou programando viagem à Europa para outubro/dezembro de 2019 para Lisboa + Andaluzia + Madri. Acha viável adicionar Évora ao roteiro para uma viajem sem carro?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fabiola! Você pode ir de ônibus de Lisboa a Évora e também de ônibus de Évora a Madri. Siga de trem a Córdoba e Sevilha, de ônibus a Granada, volte de trem a Madri para pegar o vôo de volta.

Luciana Pimentel

Olá, irei em Março/2020 para Lisboa e gostaria de seguir para Barcelona e Paris. É um bom roteiro?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luciana! É, sim.

Fernanda Furlani

Ricardo suas dicas são ótimas . Vou a um casamento na França e vou fazer o programa 3. A dúvida q ato aos trens . Já será no início de junho . Comprar na hora será muito caro ? Ou melhor alugar um carro ? Somos um casal . Está próximo se puder ajudar agradeço demais a atenção .
Fernanda

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernanda! Quem responde é A Bóia. Compre Bruxelas-Paris com a maior antecedência possível. Entre Amsterdã e a Bélgica compre com até uma semana de antecedência. Os trens internos da Bélgica podem ser comprados na hora, mas se você comprar antes não vai perder tempo se entendendo com máquinas nas estações com uma fila no seu cangote. Não cometa a besteira de alugar carro em trechos onde o trem é rápido e prático.

Veja:
https://www.viajenaviagem.com/2018/07/viagens-de-carro-pegadinhas/

Camila Andrade

Olá, boa noite! Irei pela primeira vez em out/19 e eu estou pensando em cerca de 15 dias em Lisboa, Paris, Barcelona e Amsterdã! Será que fica muito corrido, tenho dúvidas de quantos dias seriam suficientes em cada...
Obg pela atenção.

Junior Rosa Pires

Olá! Ótimas dicas! inclusive montei minha viagem baseada em um dos roteiros acima, mas infelizmente estou tendo problemas com a compra no site da B-Rail, nenhum do meus cartões (Visa e Mastercard já com aviso de viagem OK) estão sendo aprovados, dá mensagem de operação negada, liguei par ao banco e dizem estar tudo OK, inclusive comprei as demais passagens de trem já, menos a deste site. Quero comprar o trecho Antwerpia-Ghent

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Junior! Tente na https://www.trainline.com .

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Oi Eu amai a rota numero 3, Eu vo fazer uma viajem com o meu marido, em Dezembro, para o nosso aniversario de casamento, quero comesar a viajem em Portugal Lisboa, e quero passer por Barcelona, Amesterdan e Paris mais nao sei por onde comesar, nem terminar, e qual trens apanhar, ajuda

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cristina,:

ida Brasil-Lisboa, volta Paris-Brasil, Lisboa-Barcelona avião, Barcelona-Amsterdã avião, Amsterdã-Prais trem

ou

ida Brasil-Lisboa, volta Amsterdã-Brasil, Lisboa-Barcelona avião, Barcelona-Paris trem, Paris-Amsterdã trem

Gustavo Lacerda

Olá Bóia!
Final de setembro iremos a Madri e saímos por Barcelona
Serão 13 dias
Pensamos ficar 4 dias em Madri, 5 em Lisboa(indo de avião) e 4 em Barcelona
Suficiente para aproveitar sem ficar muito corrido?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gustavo! Tá bom assim.

Gustavo Lacerda

Obrigado

Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar